quinta-feira, 11 de agosto de 2011

Sem o Seguro Carta Verde na Argentina não entra!


Os comerciantes de Puerto Iguazu não estão nada contentes. A nova equipe da Aduana / Afip está seguindo ao pé da letra a exigência do Seguro Carta Verde. Ao passar pela guarita onde se mostra identidade e se faz o procedimento de (i)migração, os agentes pedem o Carta Verde. Pode ser a moça no guichet, pode ser um gendarme e pode fatalmente ser o funcionário da Acip (Administración Federal de Ingresos Públicos). Daí você tem que voltar. Fui à luta para aprender o máximo sobre o Carta Verde. Descobri primeiro o que já sabia: o seguro é velho e obrigatório desde 1994 segundo a Resolução 120/94 do Mercosul. Aprendi e isso é importante que Carta Verde é o apelido do Seguro porque a primeira via da apólice, a do cliente é verde. Há duas situações diferentes. A Argentina adotou e fez valer a resolução imediatamente. Como? Segundo um funcionário com quem falei, o seguro argentino semelhante ao DPVAT tem cobertura internacional. Segundo ele ainda, todo carro argentino que é permitido sair do país tem esse seguro. Ele até disse que sabe de casos em que argentinos provocaram acidentes no Brasil (em Foz,por exemplo) e o brasileiro entra em crise pois não sabe quem vai pagar o prejuizo. "Não precisa entrar em pânico. Basta pedir a apólice do seguro e ver quael é a firma que representa o seguro no Brasil", me disse ele. Os seguros, tanto o DPVAT argentino com Carta Verde incluido como Carta Verde são vendidos por empresas que têm filiais, correspondentes, representantes nos dois países. O procedimento normal é entrar em contato com a seguradora cujo nome aparece na apólice.

Caso Brasileiro

Já o DPVAT brasileiro que é um seguro que protege a terceiros em todo o território nacional, não cobre sinistros no Mercosul. Pelo que entendi, o Brasil poderia resolver o problema de dois modos. Primeiro fazendo uma alteração na Lei do DPVAT para incluir cobertura internacional - o que não sei se é possível ou, segundo, popularizar a ideia de que o brasileiro se proteja ao sair do país mesmo que seja para ir chupar um sorvete no outro lado da fronteira. Mas, daí vem a pergunta: se o cara mora em Petrolina (PE), por que iria pagar mais para ter cobertura internacional contra acidentes que firam a terceiros na Argentina, Uruguai ou Paraguai? Outro pepino que eu farejei no ar tem a ver com lucratividade. O Carta Verde é um seguro barato e muitas seguradoras não tem interesse em vendê-lo. Se você está em Foz do Iguaçu, onde eu orgulhosamente moro, vale a pena comprar o Carta Verde para ir em Puerto Iguazu e Pasmem! Ciudad del Este também. Entrar no Paraguai sem o Carta Verde e atropelar alguém lá é pepino. Quem paga? Se você não tiver dinheiro como você pode pagar? Com o perdimento do carro? Com uma surra? Com o apedrejamento do veículo? Ou deixar que o Carta Verde pague? O corretor de seguro, Delmir Antonio Barp que é subdelegado do Sindicato dos Corretores de Seguros do Paraná em Foz, me mostrou várias apólices que ele tinha vendido em um dia. Pagando o seguro de três dias você pode ir aonde quiser dentro do país inclusive voltando pelo Uruguai. Na apólice há os endereços e telefones das seguradoras que cobrem o seguro na Argentina, Uruguai, Paraguai e Chile.

Dicas sobre o carta Verde

Se você mora em qualquer lugar do Brasil solicite o Carta Verde por e-mail, telefone diretamente dos escritórios que vendem o seguro. Veja, como exemplo, o site da Luma Seguros. Você poderá ligar ou mandar e-mail para o escritório da Magna Seguros em Foz do Iguaçu e comprar seu Carta Verde. A coisa é bem moderna, você envia os dados no formulário disponível, paga via depósito bancário na sua cidade, envia o comprovante e diz como quer recebê-lo: por correio (Carta Registrada, Sedex) ou, no caso de Foz você pega quando chegar em Foz no escritório no Posto Gasparin (eu gosto do Posto Gasparin - já escrevi sobre ele - é uma cidade à parte). O telefone da Magna Seguros no Posto Gasparin é (45) 3577-4144. Caso voCe seja morador de Foz e queira ir a Puerto Iguazu para comer um queijinho comvinho ou cerveja, vá a uma corretora e compre o seguro. vale a pena. Mas não esqueça, se beber, não dirija. Se no momento do acidente você estiver bêbado ou bêbada - a situação é diferente. Nem Carta Roxa ou Carta Arcoíris dará jeito. Mais um telefone: (45) 3523 5505 da Foz do Iguaçu Seguros. Estou trabalhando em um lista maior de fornecedores do Seguro Carta Verde

ABC do Carta Verde

O seguro deve ser comprado no país de emplacamento do carro.
Motos também devem ter o Carta Verde. Pesquise pois há problemas de cilindradas.
Há seguradoras em Puerto Iguazu que vendem um seguro nacional para carros com placas brasileiras. Atenção: não é o Carta Verde. Se você encontrar um blitz e um gendarme cri-cri, você pode ter problema! A cobertura do Carta Verde está descrita em dólar. O seguro nacional está em pesos e só vale para a Argentina.

3 comentários:

PJ disse...

Negócio é deixar de ir pra Puerto Iguazu. Simples assim...

clovis araujo disse...

Pois é. Estive agora no feriado de 7 de setembro e me arrisquei sem a carta verde na argentina. Na rota 12 bati numa scooter. A moça foi hospitalizada e fiquei no local do acidente com uns 15 policiais aguardando uma posição do hospital. Quando saiu o diagnóstico que nada de grave havia acontecido e que ela estava sendo liberada me levaram para a delegacia de Puerto Iguazu onde aguardei para acertar diretamente com a vítima. Ficou por um valor ridiculamente baixo. Apenas R$ 270,00 para o concerto do espelho da scooter. Como acertei diretamente com ela, a polícia local não emitiu multa pela falta da Carta Verde.
Espero não ter dores de cabeça futuras, e certamente na próxima ida para lá irei adquirir este seguro.

abçs a todos

clovis araujo

Jackson Lima disse...

Clóvis, Obrigado pelo comentário e feedback pois vai ajudar a outros viajantes. É uma opinião importante de quem passou pelo sufoco. Um abraço, Jackson

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails

Hora no Paraguai incluindo CDE

Hora Mundial: passe o mouse sobre o mapa para escolher região