domingo, 31 de janeiro de 2010

Esculturas de Foz o Iguaçu: patrimônio em hotéis



Foto 'bairronauta' na Avenida das Cataratas. Clique nas fotos para ampliar

Monumento à Naipi e Tarobá - estátua de grade tamanho grande, se encontra no Hotel San Martín (San Martin Hotel & Resort)na Avenida das Cataratas próximo ao Parque das Aves e próximo também à entrada do Parque Nacional do Iguaçu. Uma placa no momumento informa que este é um Monumento à Lenda de Naipi e Tarobá e como extensão a todos os indios que viveram na região das Cataratas do Iguaçu. É normal ver monumentos para homenagear heróis, fatos históricos e outros mas um monumento à uma lenda é raro. Trata-se de valorizar o um patrimônio não físico, impalpável do local. Parabéns ao Hotel pela inciativa que é de 2000. A obra é assinada pelo escultor Galvão. Acima uma foto de um trio de pássaros chamados alma-de-gato que descansa em uma saliência da escultura. O nome científico dele é Piaya cayana e são da família dos cucos.
e

sexta-feira, 29 de janeiro de 2010

Carnaval 2010: Império das Cataratas ensaia na Praça da Bíblia


Foto by 'bairronauta'
A escola de Samba de Foz do Iguaçu Imperio das Cataratas ensaiando na Praça da Bíblia. Além de ensaiar os organizadores estavam levantando fundos para a escola. Na Praça da Bíblia você pode adquirir a camiseta da escola por R$ 7.00. Estava à venda também ingressos para o Grito de Carnaval da Escola. Datas e outras informações serão dsponibilizadas em breve. Por hoje, o 'bairronauta' só estava de passagem e não podia parar.

Dia de San Blás em CDE: como dizer San Blás em 11 idiomas?



No dia 3 de fevereiro Ciudad del Este comemorará mais um aniversário. Será feriado total. Na data, se celebra o dia de San Blás, que é o padroeiro do Paraguai e padroeiro de Ciudad del Este. Ciudad del Este foi "inaugurada" nessa data em 1957.
San Blás está associado a muitas festas folclóricas paraguaias com suas músicas e personagens. A "galopera" é uma delas. Como homenagem minha a San Blás, ao Paraguai, à Ciudad del Este e para ajudar a situar o brasileiro no contexto linguístico do universo San Blás, coloco abaixo como se diz San Blás em 11 idiomas. Parabéns CDE! Os detalhes da festa você verá em toda parte. Se der, irei lá para compartilhar o que ver. Agora vou ficar na parte linguistica da festa. Só acrescento que San Blás é muito popular por todo mundo.

San Blás (Espanhol)
São Bras (Português)
Sanctus Blasius (Latim)
San Biagio (Italiano)
Saint Blaise (Inglês)
Sveti Vlaho (Croata)
Sant Blai (Catalão)
Sankt Blasius (Alemão)
Սուրբ Բարսեղ (Sourb Barsegh - armênio)
Άγιος Βλάσιος (Ayíos Vlásios - grego)
ブラシウス(キリスト教の聖人)* (Buráshiusu - japonês)

* En japonês só aparece "Blás" (Burashiusu) o que está entre parêntese diz "Santo Cristão". Vergonhosamente eu não sei dizer São isso ou aquilo em japonês. Tenho a impressão que pode ser ブラシウス聖人 (Burashiusu Seijin, mas também poderia ser Burashiusu Seinin).


Este vídeo da TV Canção Nova vai lhe dar uma idéia de São Brás pela visão Católica!

Ciudad del Este está rezando pela recuperação de Cabañas


A foto é do Diario de (CDE) Ciudad del Este e mostra funciomários da Prefeitura da Capital do Alto Paraná reunidos em uma cerimônia religiosa dirigida pelo padre Felipe Velilla da Paróquia San José Obrero (São José Operário), onde pediram a recuperação do jogador da Seleção Paraguaia. A prefeita Sandra Zacarias encabeçava o pessoal da Municipalidade. Pelas ruas de Foz do Iguaçu também ouvi muitas demonstrações de carinho desejo de recuperação do jogador paraguaio. Eu também estou torcendo!

quinta-feira, 28 de janeiro de 2010

As Sete (Piscinas) Maravilhas das Três Fronteiras: Amerian Portal del Iguazu (III)



Foto divulgacão
Eu tenho foto própria da piscina do Amerian Portal del Iguazu Hotel em Puerto Iguazú, Argentina. Como não gosto de usar foto de divulgação, assim que encontrar as fotos vou substituir as fotos acima. O que eu quero evitar é o "truque" dos profissionais de publicidade. As fotos mostram o que faz da piscina do Amerian uma das "Sete Maravilhas das Três Fronteiras" na categoria Piscinas. O ponto forte é que ela está exatamente no encontro de dois rios (iguaçu e Paraná) e dos três países: Argentina, Brasil e Paraguai. Até aqui apresentei as três piscinas que vi e fotografei. Agora, é necessário que você indique alguma outras. Não é necessário ser de hotel. Pode ser de clube, residência, condomínio, prédios, escolas, academias e devem ter algo especial.

As Sete (Piscinas) Maravilhas das Três Fronteiras: Hotel das Cataratas Orient Express (II)



Foto by 'bairronauta'

Esta é a piscina número dois da Lista do Blog de Foz que pretende destacar "As Sete Maravilhas de Foz do Iguaçu" na área das piscinas. Em primeiro plano (foto superior), aparece a nova piscina do Hotel das Cataratas Orient Express. Totalmente reconstruída, a piscina do Hotel das Cataratas Orient Express é também uma piscina de borda infinita onde a água parece fluir para fora piscina e, dependendo da localização, quem está dentro dela pode ter a impressão de flutar em um voo aquático na maior harmonia possível com o entorno paisagístico. A foto dois, inferior, mostra, só para que você possa comparar, a antiga piscina do Hotel das Cataratas da época da Rede Tropical de Hotéis. Está comparando?

Piscinas de bordas infinitas é "a novidade" na área de piscinas. Se ligue se você ou seu condomínio for construir uma piscina. A pisicna do Oriente Express Foz do Iguaçu entra na lista. Já que estou falando da Rede Orient Express, deixe-me confessar que minha piscina de borda infinita constuída em hotel é do Jardins Suspensos de Ubud Hotel & Spa na Ilha de Bali, Indonésia. Clique para conferir e me diga o que você acha.

A Orient Express venceu uma licitação internacional em 2007, se não me engano. Saiu a antiga concessionária Rede Tropical de Hotéis que era do grupo Varig. Eu era contra e lutei até o último momento. Esta divulgação não foi paga. Fui ao Orient Express à convite clientes do hotel que me procuraram em Foz por sguestão de amigos em Nova York e Estocolmo. Nada sobre política ou licitação. Eram clientes italianos da Orient Express que queriam saber mais sobre o aspecto energético e espiritual das Cataratas.

As Sete (Piscinas) Maravilhas das Três Fronteiras: Loi Suites Iguazú


Foto by 'bairronauta'

Esta é a piscina do Loi Suite Hotel em Puerto Iguazu. O Loi Suite é um dos hotéis localizadas na chamada "500 hectares" - um lote de terra que o Governo de Misiones pôs à diusposição de empresáios do turismo às margens do rio Iguaçu. Hoje a área é chamada de Selva Iryapu. Fotografei a piscina do Loi Suite Iguazu que é muito bonita, tranquila, foi construída entre árvores e é uma piscina de "borda infinita". Esta é a foto número um da minha futura lista de piscinas das Três Fronteiras - observe que eu não digo Triplice Fronteira embora meu blog de divulgação em espanhol se chame El Blog de la Triple Frontera - quer dizer, fui hipócrita? Ele foi chamado assim antes de eu ter me acordado para a sutileza das coisas envolvidas.

Voltando às piscinas, quero escolher as "sete piscinas" mais charmosas das Três Fronteiras. Vale pela técnica de construção, inovação, engenhosidade, desenho e beleza.

Você conhece mais piscinas que possam fazer parte da lista das Sete Piscinas Maravilhas da Tri-Fron do Blog de Foz? Comente e sugira! As candidatas tem que ser da região do "futuro" Pólo Internacional Turístico do Iguaçu: Foz do Iguaçu, Puerto Iguazú, Hernandárias, Mingá Guazu e Presidente Franco.

Turismo de Foz: não piorou mas também não melhorou: números 2008_2009

O Brasil vive um oba-oba celebratório sobre o turismo. Trago aqui os números de 2009 - ano que terminou com um déficit muito grande na conta das viagens internacionais e considerado o pior desde 1947. Os brasileiros gastaram US$ 10,89 bilhões no exterior ao passo que os estrangeiros gastaram no Brasil US$ 5,3 bilhões. A diferença é de US$ 5,59 bilhões. Os números são do Banco Central que prediz que o déficit vai piorar em 2010.
E em Foz do Iguaçu foi só crescimento como nos faz ver o oba-oba celebratório local?

Não. O Parque Nacional do Iguaçu, principal indicador do número de visitantes, passou o milhão de visitantes em 2009. Mas o número foi menor que em 2008. Os números mostram que o ranking dos países que visitaram o Parque Nacional do Iguaçu mudou. O Paraguai passou a ser o terceiro maior emissor de turistas para o Parque Nacional do Iguaçu com 38.304 entradas no PNI. Para mim, 38.304 paraguaios considerando que o Paraguai tem 5 milhões de visitantes e que só a área metropolitana de CDE tem mais de 600 mil é pouco. Isso me faz pensar que já está na hora de dividir os turistas e diferenciar os que entraram no PNI e os que vieram a Foz. A gente recebe muito mais paraguios do que isso. É necessário trabalho para mudar isso.


A Espanha que era o terceiro maior "fornecedor" de gente para o PNI passou para o quarto lugar. Isso é bom ou ruim? Para mim é complicado e até ridículo celebrar essa mudança. Há diferença entre o gasto diário do turista paraguaio e o do turista espanhol? Há estudos sobre isso? Por fim, destaco que o Parque Nacional do Iguaçu recebeu menos visitantes de todas as nacionalidades. Como mostram os números abaixo.

Turistas que entraram no PNI em 2009.
Principais países emissores:


1º - Brasil (523.025) 2º - Argentina (197.641) 3º - Paraguai (38.304) 4º - Espanha (37.609) 5º - Estados Unidos (26.021) 6º - França (25.999) 7º - Alemanha (25.269) 8º - Inglaterra (21.124) 9º - Itália (15.703) 10º - Chile (13.079)

Turistas que entraram no PNI em 2008. Principais países emissores:

1° - Brasil (537.056) 2º - Argentina (204.626) 3º - Espanha (51.835) 4º - Estados Unidos (35.230) 5º - Paraguai (34.981) 6º - França (29.100) 7º - Alemanha (28.455) 8º - Inglaterra (26.213) 9º - Chile (20.586) 10º - Itália (17.260)

Número de Turistas que perdemos por país entre 2008 e 2009 Número de turistas por nacionalidade que deixaram de vir ao PNI em 2009

A lista baseada nos números do PNI mostram a queda de visitantes dos 10 principais emissores. A perda de espanhóis foi maior que a de brasileiros. A lista deve ser entendida como "o número de visitantes a menos" de cada país.

A lista

1º - Brasileiros (14,031), 2º - Argentinos (6,985) 3º - Paraguaios (3.323) 4º - Espanhóis (14,226) 5º - Americanos ( 9,209) 6º - Franceses (3.101) 7º - Alemães (3.156) 8º - Ingleses ( 5,089) 9º - Italianos (1,557) 10º - Chilenos (7,507).

quarta-feira, 27 de janeiro de 2010

Pólo Astronômico Casimiro Montenegro Filho em Foz do Iguaçu / Itaipu




O nome completo é: Pólo Astronômico Casimiro Montenegro Filho (PACMF). Onde fica? Em Foz do Iguaçu, mas esta é uma resposta simples. Quero longitude e latitude. Bem, você não precisa responder agora. A resposta aparece na foto inferior. Agora outra tarefa importante: conte quantos "O" tem o nome do PACMF. Estou apresentando o logotipo do Pólo Astronômico. Conte quantas bolingas ou furinhos tem na parte superior preta da placa abaixo (Foto 1)? O número de letras "O" do nome do Pólo Astronômico deverá ser igual ao número de bolinhas (Para uns) e furinhos (para outros). Todos os O's saíram para formar o logotipo que por casualidade foi organizado para lembrar uma constelação. Gostei. Não pergutei quem bolou a idéia. Mas foi muito boa.

Na foto 2, que é a de cima, vemos professor Janer Vilaça mostrando como funciona a cúpula do observatório. Além da parte superior abrir para que o olho do telescópio vasculhe os céus, toda a cupúla se move. Quem está dentro tem a impressão de que o chão está se movendo.

terça-feira, 26 de janeiro de 2010

Uma visita ao Polo Astronômico Casimiro Montenegro Filho: Itaipu/Foz do Iguaçu




Fiz uma visita relâmpago ao Polo Astronômico Casimiro Montenegro Filho localizado dentro da área da Itaipu Binacional e parte do que se chama de Complexo Turístico da Itaipu Binacional. O Pólo Astronômico é formado pelo Observatório Astronômico onde há um telescópio de 16 polegadas onde se pode agendar para fazer conservação noturna do céu desde que haja céu. Lá encontrei o professor Janer Vilaça, geógrafo especializado em astronomia. Ele é o coordenador do projeto do Pólo Astronômico
de Foz do Iguaçu e conhecido por centenas talvez um milhar de crianças e adultos de Foz do Iguaçu que participaram de palestras e cursos dele junto com o professor Palhares. "É possivel agendar para fazer observação aqui à noite. Pode ser um grupo de pessoas afins, que queiram aprender ou saber de alguma coisa", avisou. O observatório está na cúpula menor construída com material metálico.

A cúpula maior construida em cncreto abriga o "Planetário" onde duas vezes por dia há projeção para alunos de escolas públicas e privadas, municipais e estaduais, turistas e residentes de Foz do Iguaçu. O lado interno ou o teto da cúpula serve como tela onde se projeta o "filme". Tudo feito no Brasil. A capacidade é de 70 pessoas por exibição que acontece pela manhã e à tarde. Todas as cadeiras do planetario reclinam. As que estão nas primeiras fileiras, não só reclinam como se deitam com você. A estrutura tem ainda um auditório para cursos e palestras dentro do edifício e uma área ao ar (ou melhor céu) livre para introdução ao assunto, sem telescópio. Eu ja participei de um desses encintros com o professor Janer no comando. Foi muito bom! Continuarei falando sobre o Pólo Astronômico...

O São Francisco da Avenida Mário Filho

Eu já falei sobre a estátua de São Francisco de Assis, obra do artista Giovanni Vissotto. Foi em abril de 2008. Esses dias navegando pelos bairros passei em frente ao munomnto e fiz a foto de Francisco de Assis, o Chico do Chicão. Desta vez a fiz em close para mostrar a beleza do rosto plasmado em ferro e cimento por Giovanni, o escultor de Foz nesta técnica. Se quiser conferir o por quê do rosto de barrageiro, de retirante, de sofrido do Chico do antigo Rincão do São Francisco veja a postagem de 2008. Ainda tenho mais sobre o São Francisco do São Francisco (Bairro).

domingo, 24 de janeiro de 2010

Pedicure na calçada e outros velhos (bons) costumes (de Foz) que ainda não perdemos. Ainda bem!


Foto by 'bairronauta'

É domingo. O calor é intenso. Tudo abafado, um forno com mormaço. As pessoas que andam nas ruas tem no rosto uma tristeza cansada como se estivessem navegando ccntra a corrente, ou voando contra o vento. Faltam energias, os rostos vermelhos, suados, queimados de sol, catinga de sovaco de vez em quando aqui e ali. Tudo vai acabar quando chegar em casa. Jogar o sapato fora, tirar a roupa e ir direto para o banheiro tomar um banho. Apesar de tecnicamente pobre a maioria das casas e casebres de Foz do Iguaçu tem chuveiros elétricos.

Há tempo aqui não se toma mais banho de bica - pelo menos não na maioria das casas e casebres. Nesse calor não precisa ligar no "quente". A ducha tem que ser gelada. Mas há quem não aguente a idéia de água fria. Então, agua morna mesmo. O espaço social é a calçada dos bairros. Nesse espaço há ávores - muitas frutíferas. Há também flores: hibiscus, azaléias e gente. cadeiras que saem às ruas, alheias a qualquer perigo de assalto, bala perdida, cavalo louco, égua louca ou qualquer outra modalidade de perigo no ar.

Na calçada, as crianças se enturmam e brincam. As turmas se dividem por idade. Adolescentes femininas em grupinhos de quatro ou cinco conversam e tramam. Idosos olham o mundo passar devagar pelas pedras irregulares ou poliédricas que substituem os paralelepípedos. Mulheres casadas ou solteiras, sentadas nas calçadas, compartilham habilidades de salão de beleza. Uma dupla aqui faz uma sobrancelha, outra faz um pé, outra a mão e assim se economiza algus reais de salão e conversa fiou em dia.

Não deixa de ser solidariedade e um ato social belo pretaicado ao lado de uma garrafa térmica grande com água gelada, e uma cuínha de tererê. Coisas que pode não mais estar presente em algmas áreas da Foz do Iguaçu maquiada especialmente nos modernos e horríveis condomínios, guetos privados onde crianças se criam como pintos de granja e onde se entocam e se excluem os que podem bancar a infelicidade!

A Foz velha ainda pode ir à rua, sentar-se à beira da calçada fazer um pé, uma mão, uma depilação light nas pernas e até, no caso dos homens, intercambiar uns cortes de cabelo.

sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

A questão do foco nas notícias e os números do turismo de 2009

Olá bom dia, coloquei no blog Notas do Turismo duas noticias sobre o balanço do turismo brasileiro em 2009. Minha idéia é mostrar como o foco que se dá à mesma nótica pde mudar. As duas notícias falam sobre um "recorde" ligado aos números do turismo brasileiro em 2009. As duas notícias dizem que desde 1947 este foi o maior o quê? É isso que eu quero que você descubra. Aqui: Notas do Turismo

quinta-feira, 21 de janeiro de 2010

Foztrans leva Micro da Crucero del Norte para o Pátio


Foto 'bairronauta' sobre "relações fronteiriças" Foztrans intercepta e apreende ônibus inimigo. Vai ter troco será? Clique na foto para ampliá-la e partilhar da operação!

Uma fiscalização da secretaria de turismo de Foz do Iguaçu em uma operação conjunta com a secretaria de turismo do Paraná, apreenderam um micro ônibus da empresa Crucero del Norte que tem sede em Posadas, Argentia e está se preparando para dominar o transporte nas Três Fronteiras. Quando eu soube que as autoridades pegaram um ônibus argentino eu esperava que fosse qualquer outro menos a Crucero del Norte. Por quê? Porque nesse mundo do capital quem manda é quem tem dinheiro. Por isso eu não mando em nada. Só posso rir não que esteja gostando de nada do que vi. Mas rir é o único que me sobra. Só para você ter uma idéia, em 2004 eu dei de cara com um ônibus urbano internacional da Cruero del Norte circulando em Foz do Iguaçu. Na chegada a empresa sofreu um lobby sério para dificultar a entrada dela na região das Três Fronteiras. Só para você ter uma idéia da estratégia usada pela Crucero del Norte, basta lembrar que a passagem urbana internacional, quer dizer entre Foz do Iguaçu e Puerto Iguazu é R$ 3.00 ou P$ 3.00 (Pesos argentinos). A Crucero del Norte baixou para R$ 2.00. E manteve a passagem a R$2.00 até quando achou que era hora de adotar a passagem oficial. É isso que chamam de quebra de braço! Assim eu tenho peninha do bravado da fiscalização. O troco vai sair em Puerto Iguazu a qualquer momento e imaginem quem vai pagar o pato? Eu digo: os ônibus do turismo de Foz do Iguaçu. Motivos de sobra para sustentar uma briga lá tem.

O que aconteceu foi o seguinte: igual a 2004 a Crucero del Norte sabe de alguma coisa que Foz do Iguaçu não sabe. Em 2005 a empresa conseguiu oito frequências diárias para uma nova rota ou linha na fronteira. É uma linha que vai ligar os atrativos turisticos. Por coincidência, já saiu na Gazeta do Iguaçu hoje que uma empresa de São Paulo está estudando o transporte público de Foz do Iguaçu para ajudar na famosa licitação local, falou da tal linha entre atrativos e deu um exemplo: Itaipu - Parque Nacional. Pois bem, a Crucero del Norte, já pode fazer isso e está operando quatro de oito linhas entre Puerto Iguazu e as Cataratas Brasileiras. 

Para quem serão as outras quatro? Sem dúvida os governos já acertaram que será para alguma empresa brasileira. Minha opinião baseado na minha experiência de idiota na fronteira, é que Brasilia e Buenos Aires estão voando alto abordo de Boeings 867 e alguém aqui não fez o trabalho de identificar o que é e decidiu decolar de ultraleve. Daí, veio o ataque a Crucero del Norte. 

Só para ilustrar a experiencia da Crucero, basta dizer que ela opera serviços urbanos internacionais em Foz-Iguazu, Uruguaiana-Paso de los Libres e Posadas-Encarnación - isso dentro da área de interesse deste blog. Além disso opera linhas internacionais entre Buenos Aires - São Paulo e Rio e pelo menos uma vez por semana a linha Foz do Iguaçu - Santiago, Chile. A gente não vê porque ela passa de madrugada quando o Foztrans está dormindo. Vamos esperar para ver!

Pó de serra para atrair barro vermelho! Saudades da Foz velha!



Fotos 'bairronauta' - Foz não morreu, ainda tem barro vermelho!

Quando cheguei em Foz do Iguaçu em 1977 uma coisa me chamou a atenção além da terra vermelha. Em dias de chuva, os ônibus urbanos enchiam o corredor de pó de serra. Você sabe o que é isso? O pó de serra era de madeira de qualidade. A região ainda tinha serrarias que serravam madeira de lei. A serragem que é outro nome para o pó de serra, ajudava a evitar que os pés pesados de barro vermelho dos iguaçuenses sujassem os ônibus. Mas agora uma pergunta importante. Por que estou usando os verbos no passado nesta narrativa? Ainda hoje os ônibus de algumas linhas de Foz do Iguaçu colocam pó de serra para que os passageiros que ainda moram em ruas sem calçamento, sem pavimentação ou calçada possam embarcar sem precisar sujar o veículo. É o que tento mostrar com a foto acima onde um ônibus da Empresa Irmãos Rafagnin tem um escudo de pó de serra. O ônibus que aparece na foto não faz a linha Lote Grande - Aparecidinha - Foz do Iguaçu centro. Ele faz a linha, sente-se e segure-se, Vila "A" Jardim Ipê II via Avenida Paraná. É a nobre linha 50.

Além de me lembrar dos velhos tempos, o pó de serra amarelinho, desta vez, possivelmente de pinho é testemuha de que a madeira de lei acabou, as serrarias fecharam e os madereiros tiveram que mudar de vida. Fiquei contente de constatar que ainda temos pó de serra de ônibus e não atingimos aquele nível de "desinfecção sanitária" e "natural" que possuem Nova York, Londres e até o metrô de São Paulo. Ainda temos barro vermelho para emporcalhar o que for necessário. Viva o Barro Vermelho!

Me lembrei da Manuela

Manuela é portuguesa. Eu devo levar uns seis meses de vantagem sobre ela. Quer dizer cheguei em Foz vindo de Alagoas uns seis meses antes dela. Manuela, eu sei por quê cargas dela ela chegou aqui mas não vou contar, chegou para ficar e ficou. Manuela era pequeninha, fraquinha mas teimosa e além de ser aparentemente de ferro. Manuela chegou de Lisboa, ou pelo menos deve ter embarcado em Lisboa, que como toda a Europa além de ter um céu triste, horizonte cinzento ainda tem um solo sem cor.

Chegando em Foz, logo Manuela teve que andar de ônibus da periferia que naquela época incluia a linha Vila Iolanda - Parque Nacional, por exemplo. E mesmo nessa linha que hoje é chique, o ônibus já vinha com o piso forrado de pó de serra. Manuela me confidenciou esses dias, na festa de despedida de uma colega de São Paulo que veio pra Foz, fez Unioeste e casou com um paulista e daí voltou pra lá. Ela me disse: "sabe qual é minha lembrança? Foi o primeiro dia que peguei o ônibus e vi aquele monte de pó de pau, quer dizer, serra. Pensei: onde eu estou meu Deus? Aquelas ruas sujas, não de lixo, mas de barro. Eu chorei muito" segredou-me. Pois bem Manuelinha, saiba e sinta-se feliz, o pó de serra ainda está aí. Mais amarelinho e reduzido a uma ou duas espécies, Mas não morreu. Clique na foto para aumentá-la e matar a saudade!

quarta-feira, 20 de janeiro de 2010

Congresso de Educação Física (FIEP): Será que Foz está ficando mais triste?



Fiquei devendo uma participação maior no Congresso de Educação de Foz do Iguaçu 2010 encerrado hoje dia, 20. Os participantes vieram e enfrentaram aquelas longas horas de treinamento e cursos. Como o tempo passa, e para quem não está envolvido diretamente, como eu, parece-me que a quantidade de gente nas ruas foi menor. Não que o congresso tenha trazido menos gente. Mas que a cidade como que expulsou as atividades culturais públicas, os agitos que fizeram história. Alguns ícones passaram. O Restaurante do Papi – um lugar que durante, pelos menos, os 12 anos em que acompanhei o congresso, não é mais o Restaurante do Papi.

O Papi alugou o imóvel para a Cida e Zeca que hoje tocam lá o Restaurante Tirol (já falarei do Tirol com a Cida e o Zeca – uma bela história). Outra baixa para o agito no centro no que se refere ao Congresso foi a “baixa” o “falecimento” da sede urbana do Oeste Paraná Clube onde durante anos foram realizados cursos do congresso. Eu mesmo fiz Biodança lá com o professor Valdemar Talema de Porto Alegre. No lugar da Sede Urbana o edifício vai abrigar um supermercado que pertence a uma cadeia da cidade. Se chama Max! Espero que Max tenha sorte lá. Com o fim do Papi, acabou a Lavagem do Boteco, o banho de mangueira com água armazenada em um carro pipa.

Foram manifestações grandiosas e que durou um bom tempo e agora morreu- como é a tendência de Foz do Iguaçu. Posso estar enganado mas creio que o 25° Congresso da Féderation Internacional d’Education Physique (FIEP), pegou uma Fz do Iguaçu mais triste. Quanto as atividades espontâneas no Papi, eu via que nos últimos anos a coisa “degringolava” seja lá o que quer que este verbo signifique. A festa ficou popular demais e já atraia iguaçuenses carentes de lazer para a esquina da Marechal Deodoro com a Quintino Bocaiúva . Muitos deles, pobres, duros e membros daquela “classe perigosa” – no termo dos sociólogos. Em fim, repito, Foz me pareceu mais triste. Ou sou eu quem está mais triste. Tenho que descobrir isso. Estou achando que Foz está ficando mais triste. Tenho que descobrir tudo isso! A foto acima é de um curso de dança ligado à educação física nas instalações da UDC.

domingo, 17 de janeiro de 2010

Exemplo de Dignidade que vem da Miséria Absoluta


A ONU confirmou e nem era preciso. Os índios vivem no fundo, na profundeza do vale da pobreza. Aqui na fronteira há Mbya Guarani e Avá Guarani no lado paraguaio e no lado argentino. Foz do Iguaçu não tem índio. Foram tocados faz tempo. Mas seja onde for, eles vivem na parte mais profunda da pobreza. Esta postagem exige que voce assisita o vídeo acima de autoria do pessoal do jornal ABC Color de Asunción, Paraguai. Ele conta a história de um grupo de Mbyá Guarani que vive na região de Concepción também no Paraguai que fez noticia ao não aceitar a oferta de alguns quilos de carne doados pela família de Fidel Zavala por ordem do grupo guerrilheiro paraguaio que se chama Exército do Povo Paraguaio (EPP). Fidel Zavala estava sequestrado há mais de 80 dias quando veio ordem do EPP de matar seis bois e levá-los como presente ou doação às comunidades pobres. Em toda parte houve fiça para receber a carne que guerrilha doava através das vítimas. Estava tudo indo bem para o IBOPE dos guerilheiros. Ou quase tudo. Aí aparece o cacique mbya que diz Nâo! Não podemos receber a carne em solidariedade com a família da vítima e da vítima. E muito mais. Veja o vídeo!

sábado, 16 de janeiro de 2010

Entrebairros -


Nasceu o jornal Entrebairros em Foz do Iguaçu. O nascimento vem da Vila "C". Confesso que gostei do nome. Criativo. Temos Entre Rios ou Entrerios, Interbairros, mas "Entrebairros", é novo para mim e além disso parece expressar uma certa missão. A missão de servir a vários bairros, ser uma espécie de vários hífens, ligando os bairros, estando "entre", eles realizando alguma coisa boa. O nome deixa transparecer uma intenção de serviço. E eu acredito que a oportunidade está aí. É como dizia Mao Tsé Tung, "... que deixem florir mil flores". Foz do Iguaçu necessita de mais "meios", pelos quais as pessoas se expressem. Comunicacionalmente falando - insisto em lembrar que comunicação é uma ciência - gostei do projeto!

Estou no centro, como ir à Itaipu Binacional de ônibus?


Foto by 'bairronauta'

É fácil! Pegue os ônibus Conjuto "C" Norte ou Conjunto "C" Sul - todos partem do TTU e o ponto final deles, no retorno, é no TTU. Outra possibilidade é o Interbairros que parte do Porto Meira próximo ao acesso ao Marco das Três Fronteiras. O Interbairros une a Vila C com o Porto Meira sem passar pelo Centro. Assim você só vai poder pegá-lo ao longo da Avenida General Meira, na Vila Iolanda, na Avenida Iguaçu, na Avenida Felipe Wandscheer, na Rua Monsehor Guilherme, nas Avenidas República Argentina, (jornalista) Mário Filho, Beija-Flor, na BR 277, em Três Lagoas, na Avenida Gramado, na Silvio Sasdelli, na Tancredo Neves e basta! Vai chegar na Itaipu.

A foto foi tirada no final da tarde quando saem os estagiários da Binacional, funcionários do PTI e outros ainda 'sem-carro' que trabalham no lado de lá da "barrreira". Clicando na placa dá para ver a "barreira" onde se lê "Itaipu" e onde aparece a palavra "controle". Esse é o posto que controla a "migração" de quem está em Foz do Iguaçu - Brasil e dos que estão na Entidade Jurídica Binacional de Itaipu e onde se concentram um número de atrações de Foz do Iguaçu.

Se você vai visitar a Itaipu Binacional, você deve descer aqui. Você estará estrategicamente no Centro de Visitantes da Itaipu Binacional. Aqui você compra os ingressos para visitar o Coplexo Turístico da Usina Binacional Itaipu. Os mesmos ônibus também passarão, caso você não desça aqui, no Refúgio Biológico Bela Vista. Mas, para visitar qualquer coisa da Itaipu você tem que passar pelo Centro de Visitantes. Continuarei pensando em perguntas para responder do tipo como eu faço para chegar na... a pé ou de ônibus?


A última pergunta respondida aqui e feita por leitores do blog foi:
Que ônibus eu pego da Rodoviaria para o bairro Cognópolis?

sexta-feira, 15 de janeiro de 2010

Sobre o Haiti depois do terremoto

Foto da Reuters

O povo do Haiti está ficando nervoso. O Aeroporto está abarrotado de remédio, água, comida e outros itens que a comunidade internacional está enviando. Contudo o difícil é fazer o material chegar até os milhões que necessitam. Os mortos estão alinhados em filas nas ruas. O povo do Mundo está respondendo. Um dos problemas técnicos é como tirar os escomnbros do caminho para abrir a estrada para os caminhões que vão levar a ajuda até quem precisa? Há também problema de segurança e há jornalista que destacam que falta também coordenação entre o Governo loccal e todos os esforços internacionais.

Port-au-Prince! Porto Principe! Haiti!


Foto do Daily Mail! Clique na foto para ampliar e ver o estrago! Tristeza e sem palavras! Só sei que 2010 está vindo com tudo! Algo está acontecendo. Quanto a Dona Zilda Arns, saudades! Tudo o que acontece aos "outros", "me" afeta.

segunda-feira, 11 de janeiro de 2010

Ainda sobre revelações do livro KBK: Indigente do Porto Meira tinha informações que pesquisadores só descobriram agora


Polêmica
A noticia abaixo foi publicada em 2007 em jornais de todo o mundo. Trata de uma revelação de que a empresa holandesa KLM pode ter ajudado na fuga de lideranças nazistas após o fim da Segunda Guerra Mundial. Confira a noticia, coma ilustração acima. A ilustração foi feita pela senhora "indigente" que morou em Foz do Iguaçu e se dizia condessa e que o livro KBK em estágio de finalização, defende que ela era filha de Hitler com Magda Goebbels. Veja na ilustração: avião da KLM na pista; três figuras que se dirigem para o embarque ...



Companhia holandesa ajudou fuga de nazistas para Argentina
Agência ANSA - Quarta-feira, 09/05/2007 - 10:55


Bruxelas - A companhia aérea holandesa KLM provavelmente realizará uma investigação interna para apurar se, após a Segunda Guerra Mundial, altos funcionários da companhia auxiliaram a fuga de dirigentes nazistas para a América do Sul, segundo anúncio da própria empresa.

A polêmica sobre o comportamento da KLM logo após o conflito mundial voltaram à tona na Holanda depois que um programa televisivo exibiu documentos de arquivo que mostram o papel da companhia aérea holandesa na fuga de nazistas acusados de crimes de guerra.

A KLM, que hoje faz parte da Air France, divulgou que nunca encontrou nos seus arquivos provas sobre as supostas fugas para a Argentina de chefes nazistas, mas também nunca negou um possível envolvimento dos seus executivos da época.

Entre os líderes nazistas que fugiram da Alemanha para a Argentina após a II Guerra Mundial, estavam Adolf Eichmann, o idealizador do Holocausto, e Josef Mengele, o "doutor" que disseminava morte e horror no campo de concentração de Auschwitz.

Pergunta do Blog:
Como uma pessoa indigente, moradora de um bairro pobre de Foz do Iguaçu tinha esta informação? Só agora pesquisadores europeus tiveram acesso a material que associou a KLM ao transporte de fugitivos nazistas para a América do Sul!

Segunda Ponte de Foz: Projeto pode ser derrubado!





Parte I
Essa postagem é muito complicada. Ela fala do aglomerado de projetos que há para a
região do Marco das Três Fronteiras em Foz do Iguaçu. O pivô é a segunda ponte entre Brasil e Paraguai mostrada na foto acima que eu retirei do Blog da Soraia uma brasileira "floridiana" que escreve de Miami, Flórida, Cuba, perdão Estados Unidos. Creio que a Soraia é brasieira. Ttenho certeza que ela não é Seminole do Everglades. A novela é a segunda ponte Brasil-Paraguai. Dizem que está tudo certo para que ela aconteça financiada por uma piada chamada Programa de Aceleração do Crescimento (na minha visão só uma coisa acelera o crescimento no mundo orgânico, o câncer). Bem deixa prá lá. Está quase certo que a Ponte saírá próximo ao Marco das Três Fronteiras unindo o bairro iguaçuense do Porto Meira à cidade alto-paranaense paraguaia de Presidente Manuel Franco. Eu timha entendido que a Ponte para a cidade de Presidente Franco era caso de vida ou morte. "Franco" já foi a cidade mais importante nas Três Fronteiras. Os mais antigos e os mais beligerantes afirmam que as três cidades das Três Fronteiras eram Franco-Foz e Puerto Iguazu. Ciudad del Este entrou de gaiata e que, como crime principal, transformou Franco em uma cidade dormitório. A ponte entre o Porto Meira e Franco seria o passapoorte para sair da miséria. Este é a Parte I.

Parte II

A Parte dois ou segundo ingrediente se chama: Nilso Rafagnin arquiteto brasileiro casado com uma arquiteta paraguaia. Na 4ª Conferência Municipal da Cidade, reunião que discutiu a cidades realizada em Foz, Rafagnin conseguiu passar ou aprovar um documento (imagem acima) que condena o projeto de fazer a segunda ponte no local que o Governo Federal pretende. Há abetura para abaixo assinado e impugnação da obra etc. O arquiteto considera que o local onde estão os Marcos das Três Fronteiras merece muito mais e que é o local ideal para um parque tri-nacional e coisa tri-maior. O projeto de Nilson Rafagnin não pede uma ponte. Pede duas. Uma entre Brasil e Paraguai. E outra entre Paraguai e Argentina. A ponte brasileira dessa dupla estaria localizada logo abaixo da Itaipu Binacional. Ela passaria próxima à montanha mais alta que há em Foz do Iguaçu chamada de Aterro Sanitário cujo apelido é "lixão" e dentro do raio de visão da Hidrelétrica de Acaray, Paraguai. A Ponte Argentina ficaria quilômetros mais abaixo do Marco (Hito) de las Tres Fronteras, Argentina. Entre as pontes, ou seja as pontes formariam os extremos de um "Anel Viário" unindo os três países. Para Rafagnin, o trânsito pesado de caminhões, carretas, carros de boi, trem seria desviado para aa pontes e deixaria a região turística livre para projetos turísticos, paisagísticos etc para ajudar a realizar o papel turístico da cidade. Etc e dentengo-rengo-tengo!*

A região dos Marcos das Três Fronteiras seria uma região turistica por excelência. E o que arquiteto Rafagnin arqui-projetou para a região? Um Tri-teleférico que unisse os três países. A idéia é velha como voce pode ver na reprodução amarelada de um artigo publicadao na Gazeta do Iguaçu em 1990. Eu perguntei ao Rafagnin, que é meu amigo, e com quem tenho liberdade: muito bem, mas você já foi a Franco perguntar ao prefeito de lá o que ele acharia de perder "A" Ponte? Ele me disse que ja tinha começado a vender a idéia ao prefeito e aos franqueños!

Parte III
Os projetos para a região são interessantes. Exemplo: vai passar trem atravessando a Avenida das Cataratas! Imaginem os acidentes entre trens, carretas, turistas e iguaçuenses! O trem deverá ir até o Marco das Três Fronteiras. No Marco das Três Fronteiras haverá uma torre de 100 metros. E onde ficará o pátio de manobra para os trens? E haverá um porto para carga e descarga de cereais. No lado de lá da fronteira no Paraguai ja há um silo para depósito de cereal e porto de emabarque de cereais para exportação. De vez enquando já há balsas que deixam vazar óleo. Do lado brasileiro , há o Espaço das Américas e o sofrido espaço do Recanto das Três Fronteiras. NO lado argentino está havendo uma ocupação hoteleira interessante. Jogo isso no ar na esperança de que as partes se choquem, melhor se sentem, para discutir de uma vez. Lembro que já houve projeto para um parque mineral de exploração de pedras preciosas. Já houve loteamento. Assim creio que é hora de definir tudo isso. A cidade não pode ficar tão apática e não se meter nessa. Claro que há gente que diga que o Rafagnin em questão está só pensando no dele. É possível. Mas, vamos jogar esse assunto no ventilador de uma vez?!

domingo, 10 de janeiro de 2010

Ney de Souza: um amigo deixa o Planeta


Ney de Souza! Quantas vezes assinei material jornalistico no estilo dupla com o Nei de Souza ou Neizinho. Trabalhamos juntos na Gazeta do Iguaçu e fomos a tantos lugares: Rio de Janeiro, São Paulo, Curitiba, Argentina, interior do Paraná e sempre assinava Jackson Lima com fotos de Ney de Souza.

A última vez em que fizemos uma viagem juntos durou uma semana entre Foz e Curitiba em um RoadShow - viagem de divulgação turistica para a Agência de Notícias da Prefitura de Foz do Iguaçu. Fiz até um blog na época para colocar o material. Pois é o Ney faleceu no dia 8 deste mês em Cascavel. Me sinto triste e algumas vezes me pego com vontade de chorar. O Ney é tão especial que ele é uma daquelas pessoas pelas quais eu não consigo chorar. Quando eu estou triste parece que eu escuto a voz dele me chamando: Olá Negrón! Ou quando ele me apresentava e dizia: "este é um negro de alma branca! Só para escutar o que eu dizia em resposta.

Como fotógrafo Ney fotografou muita gente famosa e sempre em dupla comigo: corremos juntos para fotografar a Ladi Di, o Helmut Kohl, Secratário geral da ONU, Boutros Boutros Ghalli e outros. Ele olhava de longe e sabia que eu ia fazer besteira do tipo furar a segurança para fazer uma pergunta e no outro dia, a foto estava lá. Como lembrança deixo a foto do Ney fotografando o primeiro ministro alemão, Helmut Kohl. A ocasião é a seguinte: Adelmo Müller aproveitou a entrevista para entregar um documento ao primeiro ministro. Ele era presidente da Adeafi. Eu servi de intérprete do Müller, o Nei fotografou a entrega e Adenésio Zanella fotografou a todos nós. Isso é bem típico da iprensa de Foz - quer dizer armar uma cooperação entre companheiros em horas onde todos deveriam estar concentrado no seu negócio! Desejo ao colega um bom caminho. Que siga a luz!

"A Casa das Cinco Mulheres" (versão iguaçuense da "Casa das Sete Mulheres)" deixa cinco mulheres sem teto

Quatro das cinco mulheres fotografadas frente o que era a casa (Foto cortesia de Roger Meireles)

O Blog de Foz publica esta matéria porque ela não conseguiu ver a luz do dia devido aos feriados cristãos de natal e também ano novo. A propósito não citao nome dos repórteres e jornalistas que levantaram a história. Até para evitar problemas. Salvo adaptação à linguagem blogueira, o texto é de autoria de repórteres preocupados com a situação social da cidade - o que é o dever de quem trabalha com isso. Me lembrei aqui do livro "A Casa das Sete Mulheres" sobre a Guerra dos Farrapos da gaúcha Letícia Wierzchowski

Nem deu tempo para piscar os olhos. Um trator protegido por pelo menos 30 policiais militares (PMs - que peninha!), deixou em escombros a casa onde uma familia, todas mulheres, morou por trinta anos. A casa ficava na Rua Urano, Região de Três Lagoas, no Jardim Três Fronteiras - a Área Penal ou presidial da cidade (segundo este blog).

"O cumprimento de uma ordem judicial para o despejo da família foi rápido, mal deu tempo de a família – todas mulheres – retirar seus pertences. A geladeira antiga acabou ficando entre os escombros", diz a reportagem original.

“Não deu tempo de tirar tudo. Eles chegaram, com um monte de policiais, como se a gente fosse bandido. E foram falando: vão tirando o que der para tirar senão vai junto com a demolição”, disse, chorando, Jurema dos Santos

Ela e outra irmã, Maria Julia dos Santos, cuidam das sobrinhas de 16 e 14 anos, filhas de Daniel Batista dos Santos, viúvo e dono da casa que está preso há dois anos, na cadeia pública Laudemir Neves (ali meso no bairro presidial)

A reportagem apurou que Daniel perdeu o rumo da sua vida quando a esposa faleceu. “Ele não é bandido. Só ficou transtornado com a morte da esposa e começou a usar drogas. Não tinha onde internar ele, então nós pedimos para a polícia prender ele, senão ele ia morrer. Falta cerca de três meses para ele sair da cadeia; está recuperado, mas com problemas de saúde. Ele está tomando remédios para curar a hepatite”, conta.

Conforme explicaram as irmãs, a história que culminou no despejo começou há trinta anos, quando o pai deles comprou a área de uma pessoa chamada Dionísio Antunes. “Depois vieram outras pessoas e disseram que eram donas dessa área. Então, meu pai comprou outra área deles, que é onde mora minha mãe”, recordou Maria Júlia. Mas o pai não quis sair da área anterior que havia comprado. “Minha infância inteira foi atormentada por esse pessoal”, diz, chorando.

Apesar de a ordem judicial ter sido assinada há cinco anos, as mulheres afirmam que não receberam notificação de despejo e sequer constituíram advogados, apesar de não terem recursos para arcar com esse serviço.

“Na segunda-feira (14 de dezembro) o pessoal (dono da área) fez uma reunião e chamou todo mundo para um acordo, no dia seguinte, no escritório. Nós fomos ontem lá, eu e meu irmão, mas o dono falou que só faria acordo com meu irmão (que está preso). Mas não esperaram nem falar com ele na cadeia. Hoje, às 7 horas da manhã, vieram e derrubaram tudo”, relatou Maria Julia. “Vivi minha vida inteira aqui e hoje chegaram seis camburões de polícia. Parecia que éramos bandidos, tudo na frente dos vizinhos”, completa.

Pela ordem de despejo, o terreno pertence a Justo Carlo Albarracini,argentino, que concedeu procuração para diversas pessoas da família Dalcanalli, que solicitou a desapropriação da área. “Todos os vizinhos fizeram acordo e compraram os terrenos por 11 reais o metro quadrado, mas com a gente ele não quis fechar acordo nem esperar falarmos com nosso irmão. Ele tá lá, sem saber que a casa dele foi derrubada”, completou.

Fala o Blog de Foz:
Vamos a judar a esta família? O telefone para contato com as sobreviventes da catástrofe familiar que aconteceu antes do natal é este: 9983 3991.

quarta-feira, 6 de janeiro de 2010

Revelações bombásticas de um livro de Foz do Iguaçu: Filha de Hitler morou em Foz até 2005*



(Série Foz Escreve)

O livro terá dois volumes e foi escrito por uma dupla de escritores de Foz do Iguaçu


O livro está terminado. Está em fase de registro e busca de uma editora. É um livro grande, pelo menos 1200 páginas. O tema do livro é a Segunda Guerra Mundial e os bastidores da cúpula do Führer, Adolfo Hitler ou Tio Adolfo. Conheça um pouco da trama:

Desde o início dos anos 70 viveu em Foz do Iguaçu uma mãe com sua filha. A mãe se chamava Nora Berthé Auguste Maria Friz. A filha, Nora Daisy Friz Kirschner von Kirschberg. O pai da Nora filha, se chamava Kurt Bruno von Kirschberg ou pelas iniciais KBK que empresta o nome ao livro cuja gestação em Foz está ternminando. Mãe e filha viveram em Foz do Iguaçu até a morte. A mãe, dizem, morreu em um incêndio em 1978 e a filha de morte natural em 2005*.

As duas se chamavam "condessas", eram de sangue real alemão, diziam, e haviam fugido da Alemanha logo após a guerra. O pai KBK nunca teria vindo a estas paragens. As duas vagabundavam em Foz do Iguaçu e eram conhecidas por serem mendigas, morarem acampadas e sobreviverem em extrema miséria.

Nos anos 70 e começo dos 80, jornalistas de Foz do Iguaçu como Chico de Alencar, Juvêncio Mazzarollo e Adelino de Souza entrevistaram e escreveram sobre ela. As duas eram conhecidas também por certos golpes a ponto da imprensa iguaçuense, de então, ter criado o 'Troféu Condessa Nora Daisy' para homenagear as maiores trapaças da cidade. Porém as duas mendigas de Foz do Iguaçu também foram entrevistadas por Pedro Bial e foram ao Programa Silvio Santos para serem entrevistadas. As duas foram recebidas até por Jaime Lerner quando era prefeito de Curitiba. Por quê? Por que tanto interesse nas duas?

Resposta: havia saído um boato de que as duas, de condessas, não tinham nada. A verdade é que as duas seriam Eva Braun, mulher de Adolf Hitler e sua filha que haviam chegado em Foz do Iguaçu. Por isso, elas foram tão entrevistadas. E negaram, todas a vezes que foram. Por isso e pouco a pouco a imprensa perdeu o interesse. Mas não algumas agências internacionais de investigação. Um americano chamado Payne que de vez enquando virava israelense - segundo o autor do livro que está no final da gestação, perseguia as duas há tempo. "Ele chegou a acampar próximo ao acampamento das duas" disse. Payne enviava relatórios constantes para o exterior afirmando que Eva Braun estava em Foz.

No final, a dupla de escritores iguaçuenses L.M.Franco e C.Lopes Pereira,ambos médicos, descobriu duas coisas: 1ª) todo mundo estava certo. 2ª) Todos erraram. Acertaram sobre Hitler. Erraram sobre Eva Braun.

A mulher que se chamava Nora Berthé era, conclui o livro, Magda Goebbels - mulher de Joseph Goebbels, guru da Propaganda de Hitler. A menina Dora, seria filha de um lance romântico com o führer em pessoa durante as olimpíadas de 1937. A menina Norinha era, oficialmente, uma das filhas do casal Goebbels. Seria Holdine Kathrin? A narração inclui o processo de busca e pesquisa do livro. Boa parte das informações vem de Nora Filha, baseado em anotações, desenhos dela e entrevistas durane dois anos. Os autores viajaram para o Paraguai e outras cidades do Paraná em busca de material e para checar informações da Nora filha. KBK, segundo o livro era Hitler. Ninguém desse grupo morreu na Alemanha depois da guerra. Como fugiram da Alemanha? Qual foi a trama? Qual das filhas de Magda Goebble estava com ela em Foz? Tudo isso está no livro. Como disse antes, a dupla busca editores e parceiros. Deixo aqui o meu e-mail (limajac@gmail.com) para quem desejar mais informações ou queiram se comunicar com os autores. Repassarei as correspondências aos escritores.

(Nota: até 2006, para ser exato)

terça-feira, 5 de janeiro de 2010

Região 12 de Foz do Iguaçu: Vila Bananal, Foz do Iguaçu em São Miguel do Iguaçu. Hein?




Não tenho vergonha de dizer: foi a primeira vez que cheguei até aqui. Descobri a Vila Bananal pela metade. O que as fotos mostram é tudo o que vi. Gostei de ver a placa. Em uma das fotos aparece o "marco" divisório. No lado de cá, é São Miguel do Iguaçu. A Via Bananal já foi chamada de "Malvinas", por ser Foz do Iguaçu porém ser acessível somente via São Miguel do Iguaçu. É como se fosse uma colônia de Foz do Iguaçu no estrangeiro. É como se fosse Berlim Ocidental dentro da Alemanha Oriental. A região margeia o Lago de Itaipu. Aqui, fechando os olhos, eu vejo que seria uma ótima localização para que Foz tivesse uma presença no Lago. Aqui deveria haver o balneário no estilo e à altura de Itaipulândia, Missal, Porto Mendes, Pato Bragado e Santa Helena. Mas não. Seria esperar muito. O que temos é uma área que já não se chama Malvinas. Até onde cheguei não vi bananal. E não vi a Vila. O que é o Bananal?

Na foto de baixo, aparece Isla Samek, trabalhando em um pedaço de terra onde ela está fazendo um experimento para o seu TCC ou Trabalho de Conclusão de Curso. Concuo que ela está se formando - Parabéns! O lote está dividido em mais de vinte parcelas. Em cada parcela ela plantará alguma coisa (pode ser past) utilizando fertilizantes orgânicos diferentes. Daí é só vê o que cresce. Ela é dona da fazenda no lado de cá do "marco". Fico devendo ao povo do Bananal uma visita e uma nota mais extensa. Como vivem as pessoas do Bananal. São iguaçuenses? Se consideram iguaçuenses? Estão abandonados? Gostam da gente? Voltarei ao assunto!

sábado, 2 de janeiro de 2010

Contagem regressiva: começou o Único - bilhetagem eletrônica em Foz


(Fotos "bairronauta" no TTU - clique para aumentar)


Como usúário do transporte público de Foz do Iguaçu e blogueiro não posso não colocar as fotos acima que mostram que - assim, no silêncio, está tudo pronto para a entrada do Unico - Foz do Iguaçu. Um programa especial para você porque você é único. Passei esses dias na catraca de um ônubus e ela não "se liberou" para mim. Daí, o cobrador me olhou com cara séria e disse: o Sr tem que esperar até que eu libere. Quando eu liberar, vai aparecer essa setinha verde. Aí o Sr. passa".

Após ter exercido seu "pequeno poder" em cima de mim, ele liberou a catraca. "Quando todo mundo tiver cartão, a catraca vai ser liberada pelo cartão e então seu emprego vai para o brejo" - pensei com um sorriso no canto da boca!

Os cobradores de Foz já estão carregando o cartão do Único pendurado no pescoço. Com ele, além de liberar a catraca - eles também são controlados. O cartão é como se substituisse o cartão de ponto. Serve também para fechar caixa,abrir caixa etc. Escutei um cobrador dizendo que o cartão tem até GPS para controlar não sei o quê e tem até controlador de vezes que o usuário pega o ônibus. Desejo sorte. O cartão tem dado certo em toda parte - parece. Não é possível que aqui vá dar zebra. Se der, eu avisei que ia dar.

O Blog de Foz recomenda o livro do professor Luiz Eduardo Catta: Estratégias dos pobres!


(Série Foz Escreve)


"A Face da Desordem - Pobreza e estratégias de sobrevivência em uma cidade de fronteira. Foz do Iguaçu 1974 / 1992", é o extenso título da aprofundada obra do professor e doutor em história, Luiz Eduardo Catta que foi publicado em 2009 pela Editora Blucher Acadêmico e que sem dúvida está disponível na livrara Kunda em Foz do Iguaçu. Devido a meu insistente estado de "exclusão" financeira e portanto de férias em Camboriú ou Bombinhas, tomei emprestado o livro de dois colegas, que o compraram em sociedade, com a promessa de delvovê-lo antes da primeira segunda-feira útil de 2010. Assim sendo, acabo de concluir as 439 páginas dele em três dias e amanhã (domingo) já devolverei o livro.

Recomendo o livro para quem quer ter uma idéia das estratégias de sobrevivência dos pobres de Foz do Iguaçu. É uma visão importante que mostra a luta persistente entre os detentores do poder, os membros da classe dominante e a explosão de favelas e misérias que acontece na cidade mais rica e mais pobre do Paraná. Recomendo a leitura, repito.

Já é hora de que o estudo prossiga sobre as estratégias de sobrevivência da pobreza de Foz do Iguaçu no período 1992- 2009. Seria interessante! Porque ao meu ver a classe dominante de Foz viu que seu bolo está sendo mordido, vem diminuindo, desde o final da década de 90. Que as faculdades produzam!

Lamento tragédia de Angra dos Reis

Esta é minha primeira postagem em 2010. E a faço em um espírito de solidariedade com as famílias, parentes e amigos das vítimas das tragédias eco-climáticas registradas na Enseada do Banal em Ilha Grande bem como no centro de Angra dos Reis. No priieor caso, morreram pessoas que celebravam a passagem de ano. Também, há tragédias que incluem deslizamentos de encostas e trombas d'água também em São Paulo e Minas Gerais. No primeiro caso, houve o desmornamento de enconta sobre a Pousada Sankay - um lugar privilegiado até agora. Lamento e me solidarizo!

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails

Hora no Paraguai incluindo CDE

Hora Mundial: passe o mouse sobre o mapa para escolher região