quinta-feira, 21 de janeiro de 2010

Pó de serra para atrair barro vermelho! Saudades da Foz velha!



Fotos 'bairronauta' - Foz não morreu, ainda tem barro vermelho!

Quando cheguei em Foz do Iguaçu em 1977 uma coisa me chamou a atenção além da terra vermelha. Em dias de chuva, os ônibus urbanos enchiam o corredor de pó de serra. Você sabe o que é isso? O pó de serra era de madeira de qualidade. A região ainda tinha serrarias que serravam madeira de lei. A serragem que é outro nome para o pó de serra, ajudava a evitar que os pés pesados de barro vermelho dos iguaçuenses sujassem os ônibus. Mas agora uma pergunta importante. Por que estou usando os verbos no passado nesta narrativa? Ainda hoje os ônibus de algumas linhas de Foz do Iguaçu colocam pó de serra para que os passageiros que ainda moram em ruas sem calçamento, sem pavimentação ou calçada possam embarcar sem precisar sujar o veículo. É o que tento mostrar com a foto acima onde um ônibus da Empresa Irmãos Rafagnin tem um escudo de pó de serra. O ônibus que aparece na foto não faz a linha Lote Grande - Aparecidinha - Foz do Iguaçu centro. Ele faz a linha, sente-se e segure-se, Vila "A" Jardim Ipê II via Avenida Paraná. É a nobre linha 50.

Além de me lembrar dos velhos tempos, o pó de serra amarelinho, desta vez, possivelmente de pinho é testemuha de que a madeira de lei acabou, as serrarias fecharam e os madereiros tiveram que mudar de vida. Fiquei contente de constatar que ainda temos pó de serra de ônibus e não atingimos aquele nível de "desinfecção sanitária" e "natural" que possuem Nova York, Londres e até o metrô de São Paulo. Ainda temos barro vermelho para emporcalhar o que for necessário. Viva o Barro Vermelho!

Me lembrei da Manuela

Manuela é portuguesa. Eu devo levar uns seis meses de vantagem sobre ela. Quer dizer cheguei em Foz vindo de Alagoas uns seis meses antes dela. Manuela, eu sei por quê cargas dela ela chegou aqui mas não vou contar, chegou para ficar e ficou. Manuela era pequeninha, fraquinha mas teimosa e além de ser aparentemente de ferro. Manuela chegou de Lisboa, ou pelo menos deve ter embarcado em Lisboa, que como toda a Europa além de ter um céu triste, horizonte cinzento ainda tem um solo sem cor.

Chegando em Foz, logo Manuela teve que andar de ônibus da periferia que naquela época incluia a linha Vila Iolanda - Parque Nacional, por exemplo. E mesmo nessa linha que hoje é chique, o ônibus já vinha com o piso forrado de pó de serra. Manuela me confidenciou esses dias, na festa de despedida de uma colega de São Paulo que veio pra Foz, fez Unioeste e casou com um paulista e daí voltou pra lá. Ela me disse: "sabe qual é minha lembrança? Foi o primeiro dia que peguei o ônibus e vi aquele monte de pó de pau, quer dizer, serra. Pensei: onde eu estou meu Deus? Aquelas ruas sujas, não de lixo, mas de barro. Eu chorei muito" segredou-me. Pois bem Manuelinha, saiba e sinta-se feliz, o pó de serra ainda está aí. Mais amarelinho e reduzido a uma ou duas espécies, Mas não morreu. Clique na foto para aumentá-la e matar a saudade!

2 comentários:

Cristina Maria disse...

Amei o post...

Borboleta azul disse...

isso remete a minha infância.... Usei muito essa linha, quem pensa que vila "A" não tem terra vermelha está enganado. Existem muitos bairros na região que merecem melhor atenção, como o Ipê, Curitibano, etc....não é só para a Vila "A" que essa linha opera.
que saudade de Foz...ooo terinha abençoada!!!
bjos a todos

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails

Hora no Paraguai incluindo CDE

Hora Mundial: passe o mouse sobre o mapa para escolher região