terça-feira, 31 de julho de 2012

Comunicado ICMBio: mudança na Visitação às Cataratas do Iguaçu - PN Iguaçu

 Agora é para valer. A partir de amanhã, 1º de agosto, a visitação das Cataratas do Iguaçu se dartá somente através do Centro de Visitantes por meio dos ônibus do Sistema de Transporte da Concessionária. Confira o comunicado distribuido hoje à imprensa. 

COMUNICADO


Considerando a decisão da Justiça Federal, do dia 02/06/2012, na 2ª Vara Cível da Subseção de Foz do Iguaçu/PR.

Considerando o agravo de instrumento julgado no dia 26/07/2012 do Tribunal Regional Federal 4ª Região.

O Parque Nacional do Iguaçu vem a público informar que a partir de 1º de Agosto de 2012 o acesso para visitação na área das Cataratas, se dará da seguinte forma:

1.     Para os visitantes: o único acesso será através do Centro de Visitantes do Parque Nacional nos horários de 09:00h às 17:00h por meio do Sistema de Transporte da concessionária;
2.     Para os hóspedes do Hotel das Cataratas: serão transportados por meio do sistema próprio do Hotel, durante 24 horas; e
3.     Os demais casos e excepcionalidades que não se incluam nos itens 1 e 2 serão analisados individualmente, pela Administração do Parque Nacional do Iguaçu.

Informações serão prestadas pelo e-mail: parnaiguacu@icmbio.gov.br ou pelo telefone (45) 3521-8383 no horário de expediente.

Cientes das dificuldades inerentes das mudanças, especialmente no início do período de adaptação, solicitamos a compreensão e apoio de todos.


Foz do Iguaçu, 30 de Julho de 2012.

Jorge Luiz Pegoraro
Chefe do Parque Nacional do Iguaçu

segunda-feira, 30 de julho de 2012

Destaques da 1ª Conferência Municipal de Turismo em Foz

Plateia muito atenta
Estou devendo um pouquinho de atenção para os resultados da 1ª Conferência Municipal de Turismo de Foz do Iguaçu. As discussões se basearam em cinco eixos:  

Eixo I – Trabalho e Renda
Eixo II– Infraestrutura e Grandes Eventos
Eixo III – Imagem do Destino
Eixo IV – Institucionalidade e Gestão
Eixo V – O Turismo e a Cidade 

Em cada eixo foram aprovadas 10 propostas. Destaco aqui a proposta número 4 do Eixo I por ser aquela em que, neste eixo, eu mais acredito e por achar que é o que mais falta na cidade - inclusive e especialmente de mim. Preciso incentivar meu empreendedorismo; tenho fé no associativismo e gosto do cooperativismo. Este é o caminho:

4. Incentivar o empreendedorismo individual, o associativismo e o cooperativismo para as atividades do setor turístico no município, gerando trabalho e renda a seus habitantes com maior participação das instituições públicas.

Para ver o documento completo em PDF on line clique neste link do Click Foz

sábado, 28 de julho de 2012

Mudança no Turismo de Foz a partir de 1º de Agosto: será um paraíso ou um purgatório?

Ainda é um quarto escuro. Um voo cego. Ninguém sabe o que vai acontecer na manhã da quarta-feira de 1º de agosto, próximo. Será o primeiro dia da vigência da liminar do Juiz Federal, Rony Ferreira que proibe a entrada de ônibus, microônibus, vans, carros de serviço privado, táxis no Parque Nacional do Iguaçu. No parque não. Pois a entrada a 99% do parque nacional é proibida. Mas às Cataratas do Iguaçu. A partir da data, ônibus dentro do Parque Nacional do Iguaçu levando gente às Cataratas do Iguaçu, somente os que pertencem à empresa concessionária Cataratas do Iguaçu S.A. Assim, atenção operadoras de turismo do Brasil inteiro! Cuidado! O que está acontecendo aqui em Foz do Iguaçu é uma mudança de turismo. O turismo local é de massa e agora será forçado um turismo "eco". 

Meu conselho para todas as operadoras do Brasil é que evitem mandar gente para Foz do Iguaçu nos grandes feriados. Vai ser um inferno no dia 7 de setembro, por exemplo. Se você mandar, clientes eles terão transportes cheios de chilique, não-me-toque, service-privé, VIP somente até o Centro de Visitantes. No centro eles deverão descer do ônibus e enfrentar fila para comprar os tickets. Depois que estiverem com os tickets na mão terão que entrar na fila para embarcar nos ótimos - mas insuficientes - ônibus. Daí será fila para tudo. O que se quer colocar em vigor é o limite de carga ou de suporte. Só entra para ver as Cataratas o que os ônibus puderem transportar. 

Aviso porque que amo a minha cidade de adoção e para mim "turismo é hospitalidade". Não quero ver seus PAX sofrerem. As Cataratas do Iguaçu é parte do paraíso. O purgatório não é aqui.  Tenho a esperança que, passado o período inicial de "estranheza mútua", todo o processo seja equilibrado. O modelito do turismo do Parque Nacional do Iguaçu vai ser testado agora. E o Blog de Foz não vai esconder nada! 


quarta-feira, 25 de julho de 2012

Quatro finalistas do Concurso Faces da Pernambucanas em Foz


 Vanessa Berté, Jessica Soerensen, Luana Caroline e Natália da Silva Nunes  
Parentes, amigos e público 
Com Igor Botelho da Ford Models São Paulo
Vanessa Berté, Jessica Soerensen, Luana Caroline e Natália da Silva Nunes (Foto 1) foram as quatro escolhidas no concurso Faces da Pernambucanas realizado hoje em Foz e dirigido por Igor Botelho da Agência Ford Models de São Paulo. A próxima etapa do Concurso será em Maringá. O desfile começou por volta das 16h30   

Beira Foz ou Beira Rio? Quem beira quem?

Só para não deixar passar em branco. O que soa melhor beira-foz ou beira-rio?  Afinal quem beira a quem?  Alguma coisa beira a alguém. No caso de "beira rio", posso visualizar que uma senda, um via, uma avenida beira ou margeia o rio. Entendo que haverá uma avenida que beirará o rio Paraná. Agora, com essa ideia de "beira foz" algo se trunca na comunicação. A comunicação não fecha. Quem beira quem? A imagem que vem a imnha cabeça é que o rio beira Foz.

Considerando que "Foz" aqui signifique a cidade, vem à minha mente uma imagem catastrófica de que o rio vai margear a cidade. Uma colega que me ouviu retrucando sobre isso, me disse: "vai ver que a cidade é mais velha do que rio". Uma  outra entrou na conversa e disse: "a cidade sempre esteve de costas para o rio; agora é o  rio que vai beirar a cidade". 

Beira-Rio, Costaneira (Costanera, malecón e rambla, em espanhol), riverside drive (em inglês) são algumas das palavras usadas para chamar a atenção de que a cidade  tem um rio e que há uma avenida que possibilita passear nela vendo o rio, as embracações, gente caminhando, pássaros voando, peixe saltando para fora d'água, crianças correndo e gritando em celebração da vida. Gosto do projeto Beira-Rio. Detesto o Beira-Foz. Dá para mudar o nome? Ou respondam: quem vai beirar quem?        

segunda-feira, 23 de julho de 2012

Plano de manejo do Parque Nacional do Iguaçu e os conflitos com o turismo e a comunidade I


Histórico


O Parque Nacional do Iguaçu teve até hoje três Planos de Manejo. O de 1979 que entrou em vigor em 1985; um Plano de emergência criado em 1995 e o de 1999 que foi feito entre 1998 e 1999. É o de 1999 que está em vigor hoje. Com a exceção do Plano de Emergência de 1995, venho estudando todos os outros desde que foram lançados. Um dos problemas que me saltam à vista é baixíssima participação da sociedade e falta de transparência sobre os documentos. O Plano de Maneio de 1999 por exemplo, foi feito sem levar em consideração a existência de Foz do Iguaçu com sua estrutura hoteleira, de turismo, serviços, recursos humanos. O Plano foi feito como se o Parque Nacional do Iguaçu estivesse localizado em Bodoquena (MS), onde a estrutura é sofrida, não há ônibus, não há pessoal e como se tratasse de um  Parque Nacional que quando for implantado demorará muito pensar em receber  50 mil pessoas por ano. Uma prova disso é que o PM diz, por exemplo, ao tratar do transporte único determina:

Dotar os ônibus de serviço gravado, de interpretação e informação, disponibilizando as informações, através de headphone, em português, inglês e espanhol

E isso em uma cidade que tem empresas que oferecem serviços de guia em russo, japonês, chinês, árabe, coreano, francês, italiano, polonês, alemão. Eu pergunto, de que adianta para um chinês escutar algo em espanhol? E nesta falta de levar em consideração uma cidade como Foz do Iguaçu com experiência em turismo desde os primeiros anos 1900, É nesta linha que o PM ditou a criação de um transporte público único dentro do Parque. O PM manda estudar o fluxo para definir horários, fala de horas fixas e determinadas. Ao meu ver uma tentativa de invenção de roda sem abrir espaço para a comunidade. Ao pé da letra, o PM reza: 


“Estudar o fluxo de visitantes para definir os horários de circulação dos ônibus, que funcionarão em horas fixas pré-determinadas e atenderão ao público no esquema estabelecido para visitação”


E ainda previu, sem estudos, pois não houve pesquisas de carga, e definiu entre coisas o seguinte:

Até que se proceda ao estudo do fluxo de visitantes, o transporte coletivo circulará com até oitenta pessoas, saindo do Centro de Visitantes a cada dez minutos

E a parte mais perigosa é que ainda afirma que esse transporte vai definir a quantidade de pessoas que podem estar nas diferentes atrações dentro do PNI em dado momento. Hoje vemos o PNI, o trade e gestão integrada celebrando que recebeu 1,4 milhão de visitantes e anunciando novas metas e números cada vez maiores. Quando o PM afirma:
    
"Esse transporte servirá como meio de regular a capacidade de suporte das áreas de uso público localizadas ao longo da BR-469, principalmente da trilha das Cataratas e a distribuição dos visitantes nas diversas atividades oferecidas"

Então juntando dois mais dois podemos dizer que a capacidade de carga seria de um ônibus com 80 pax a cada dez minutos o caso da trilha das Cataratas? Até para isso chamo a atenção. Até pouco tempo para ver as Cataratas a gente usava as passarelas – agora estão chamando “trilhas”. Estou chamando a atenção para estes pontos porque vejo cada dia mais pessoas pedindo a revisão do PM. Então devemos pelo menos saber de que se trata!  


Observação: mais postagens sobre assuntos ligados ao Plano de Manejo do Parque Nacional e o conflito com a comunidade no blog Notas do Turismo.


Plano de manejo do Parque Nacional do Iguaçu e os conflitos com o turismo e a comunidade II


Os agentes de Viagem, operadores e o turismo receptivo de Foz do Iguaçu ainda não sabem como vai funcionar o transporte dos hóspedes que cheguem ao Aeroporto Internacional de Foz do Iguaçu-Cataratas e se dirijam ao Hotel das Cataratas. Segundo o Plano de Manejo do PNI - que foi feito sem levar em consideração a existencia de Foz do Iguaçu, e sem considerar que Foz do Iguaçu é uma cidade moderna com quase 300 mil habitantes -  os passageiros que vão para o Hotel deverão ser transportados pelo Transporte Coletivo do Parque ou em outras palavras pela Cataratas do Iguaçu S.A.  Sobre isso o PM reza:

"O Tropical Hotel das Cataratas & Resort poderá providenciar junto ao Transporte  coletivo do Parque um veículo para apanhar seus hóspedes no aeroporto e  transladá-los ao Parque de modo a permitir que estes não precisem passar necessariamente, em sua chegada, pelo Centro de Visitantes"

Como vemos algumas coisas mudaram. O Hotel das Cataratas não é mais Tropical Hotel & Resort. Já aconteceu uma sofrida licitação que definiu como vencedor o grupo Orient Express. Com base no Plano de Manejo essa necessidade de assumir o transporte dos hóspedes no interior do PNI foi incluida na licitação do hotel. O que não foi definidio mesmo depois de quase quatro anos do final da licitação é como esse transporte será feito. Creio que o parágrafo anterior ajude a entender. A empresa hoteleira que venceu a licitação pode

"providenciar junto ao Transporte  coletivo do Parque um veículo para apanhar seus hóspedes no aeroporto e  transladá-los ao Parque"... Apanhá-los onde? O texto diz "no aeroporto". Aqui está um ponto de conflito maior do que a entrada o transporte no Parque Nacional do Iguaçu. Pelo que entendo, o passageiro chega no Aeroporto, é recepcionado pelo hotel e levado ao Parque sem passar pelo Centro de Visitantes"         

     Uma das versões ventiladas hoje é que o Hotel receberia seus passageiros em estrutura a ser criada na entrada do Parque. Porém, se o Plano de Manejo for seguido ao pé da letra e os ôninbus forem buscar os clientes no Aeroporto, a situação ficará complicada pois sai da esfera do Parque Nacional do Iguaçu / ICMBio / Ministerio do Meio Ambiente e entra na área de atuação da Infraero, Embratur, Mistério do Turismo, Sindicatos dos taxistas, dos agentes de viagens, dos operadores, guias de turismo entre outros. Há um silêncio muito grande sobre isso e me parece que nem o PNI sabe exatamente o que vai acontecer. Como ficará tudo isso? A Cataratas S.A aceitará? 

Ainda sobre o transporte no interior do Parque Nacional do Iguaçu, o Plano de Manejo, trata ainda do transporte de hóspedes e funcionários no perído noturno. Diz o Plano de Maneijo:  

"No período noturno o transporte de hóspedes e funcionários do Hotel (entrada e saída) ocorrerá a cada meia hora, no transporte coletivo".

Veja o texto completo do item 33 do Encarte  
PM que trata do Subprograma de Administração e Manutenção (7.4.5.2).

domingo, 22 de julho de 2012

Notícias da Caminhada na Vila Aparecidinha - Foz-STI

Quem diria? Foz tem jegue sim
Aquecimento - antes da caminhada de 12 km
Pedi uma foto-autógrafo à colega Rossana Bittencourt - para o Tiago
Estradas rurais - aqui é Foz ou Santa Terezinha?
Lindas paisagens! Pena que o milho safrinha está perdido. Faltou água!
Mais de 100 participantes nos milharais
Estou bem mas estou quebrado. No ano que vem, eu vou de novo.


Logo posto as histórias sobre o passeio ....

quinta-feira, 19 de julho de 2012

100 entre 100 iguaçuenses aprovam os palitos paraguaios

Os palitos são ótimos com "quemado"
Minha mesa e os palitos
Alheios (ajenos) aos acontecimentos políticos internos do Paraguai e suas consequências diplomáticas, aqui na fronteira não faltam exemplos que mostram que a vida continua - que la vida sigue. Um exemplo, dos mais dinheirados, é a reunião que ocorreu ontem para organizar o Black Friday Trinacional - será em novembro. Outro exemplo: autoridades de Foz do Iguaçu foram se encontrar com o presidente Federico Franco em Presidente Franco (City) para pedir que o Paraguai participe do esforço do estado do Paraná pelo que nós, os brasileiros, chamados de "Faixa de Fronteira". O terceiro bom exemplo vem de algumas dezenas de paraguaios e paraguaias que vem a Foz do Iguaçu vender alguns produtos. Ontem comprei um pacote de "palitos" (foto do Kiko) feitos em Ciudad del Este. Para ser exato, os palitos que fizeram o maior sucesso na redação d'A Gazeta do Iguaçu, onde trabalho,  é da Panaderia y Confitería (Padaria e Confeitaria) El Profe localizada no Mercado de Abasto de CDE. Mas não precisa ir lá. Eu dou preferença a comprá-los dos vendedores que saem de CDE para vender seus produtos em Foz do Iguaçu tanto no centro como nos bairros que eles conhecem tão bem ou melhor que muito gente que mora aqui. Além de "palitos", há também "coquitos", laranja, caraguatá, alho, ervas, de vez em quando flores, frutas segundo a estação. Para mim esses vendedores simples são o melhor exemplo de como prosseguir com a vida quando a política, a religião, a diplomacia, a economia e tudo mais entram em parafuso. Na foto: os "palitos".   

segunda-feira, 9 de julho de 2012

Para pensar

O planeta não precisa de mais 'pessoas de sucesso'.
O planeta precisa desesperadamente de mais pacificadores, curadores, restauradores, contadores de histórias e amantes de todo tipo.
Precisa de pessoas que vivam bem nos seus lugares. Precisa de pessoas com coragem moral dispostas a aderir à luta para tornar o mundo habitável e humano, e essas qualidades têm pouco a ver com o sucesso tal como a nossa cultura o tem definido.

Dalai Lama

sexta-feira, 6 de julho de 2012

Sobre ciclovias e ciclofaixas


Até pouco tempo atrás atropelar um cachorro atravessando uma rua qualquer era quase normal. Hoje, andando pelas ruas de Foz do Iguaçu a gente pode registrar grandes esforços de motoristas para evitar atropelar um animal seja cachorro, gato ou cavalo. Não faz muito tempo alguém de bicicleta na rua era uma presa fácil e parece não ter havido problemas para se atropelar ciclistas, trabalhadores de bicicleta e crianças. Se a gente olhar bem, a gente pode ver que o mundo melhora a cada dia apesar de tudo. Parabenizo a inclusão do tema ciclovia e ciclofaixa em Foz do Iguaçu neste final de gestão do prefeito Paulo Mac Donald. A equipe vai começar uma ciclofaixa na Avenida Jorge Schimmelpfeng entre o Mboicy (boicí) e algum ponto avenida acima. Parabenizo mas lamento. É pouco. O que o ciclista fará quando, ao chegar à praça Getúlio Vargas tiver que entrar na JK? O que o ciclista (de lazer, cicloturista, peão de bicicleta, trabalhadores, crianças e até velhos de bici) poderá fazer na Avenida República Argentina – do centro até o Morumbi? O que poderá fazer o ciclista na Avenida Mario Filho? Jules Rimet? Costa e Silva? Como ir para casa em Três Lagoas? Ideal seria poder ir e vir de bicicleta para qualquer bairro de Foz incluindo as Cataratas e área rural. Isso sim seria interessante. A medida atual é bela porque é simbólica de uma época em que a bicicleta e outros artefatos de propulsão humana possam ser um meio de transporte para quem quiser. Tenho certeza que “a ciclovia” agora pega!

domingo, 1 de julho de 2012

Rápida Notícia da Conferência Municipal de Turismo

Gissela Callupe Chang e Mercedes Ibáñez Ojeda, da Unila e do Peru

Quem for a favor levante o crachá

Almoço nota dez preparado pelas merendeiras da Escola Municipal Érico Veríssimo   
Propostas expostas
A 1ª Conferência Municipal do Turismo de Foz do Iguaçu já aconteceu. Foi boa. Não atraiu multidões. Mas propostas foram apresentadas. Fico triste porque a Conferência ocorreu exatamente dois dias depois de ter saído a liminar que proibirá a entrada de carros de agências de turismo no Parque Nacional. Transporte lá dentro só da concessionária. O que me deixa triste não é o fato de não poder entrar carros da frota privada lá dentro. Fico triste pela falta de preparo, conversa, honestidade, previsão, proatividade que pudesse ter-nos levado a este momento sem trauma. Agora, se nada acontecer no sentido de se encontrar uma saída a cidade vai perder muito, vai ter problemas sociais e vai sofrer. Digo até que a cidade já perdeu diheiro em estar apostando em concursos como Vote Cataratas, em lutas para trazer eventos como o X-Games e até a Meia Maratona. Tudo está em perigo, por falta de planejamento. Muita coisa vai acontecer. Fiquei feliz de saber hoje que o Rio de Janeiro ganhou um prêmio e tanto da Unesco. O Rio de Janeiro - a cidade - é patrimônio da Humanidade na categoria Paisagem Cultural Urbana. O Rio é um casamento entre paisagem, cultura na paisagem e a urganização que dela surgiu. Muito bonito. É o olhar que falta por aqui: a Paisagem Cultural Urbana de Foz do Iguaçu, das Três-Fronteiras, do Oeste. 

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails

Hora no Paraguai incluindo CDE

Hora Mundial: passe o mouse sobre o mapa para escolher região