domingo, 31 de maio de 2009

A agricultura de Foz do Iguaçu: existe?



Foto: Cooperativa Lar, Posto de recebimento de grãos na BR 277. By 'bairronauta'

Sabe aquela história de cidade atípica? Foz do Iguaçu realmente é não-típica. Veja alguns números que retirei do Perfil do Município segundo o Ipardes – Instituto Paranaense do Desenvolvimento Econômico e Social, que por sua vez se baseia em estatísticas e sensos do IBGE. À primeira vista Foz do Iguaçu não tem agricultura. Somos levados a pensar isso devido ao grau de urbanização da cidade.

Foz do Iguaçu é uma cidade urbana e cada quilômetro quadrado seu abriga 523,08 habitantes. É o que se chama de densidade habitacional. Tem mais. O grau de urbanização do município é de 99.22 %. Quase 100% do município urbanizado. Mas é ai que entra a grande novidade ou, se preferir, atipicidade de Foz do Iguaçu.

No pouco que escapa da urbanização, Foz do Iguaçu produziu 44.000 toneladas de milho; 28.900 toneladas de soja e 12.600 toneladas de mandioca. E ainda tem mais. O município tem 5.134 cabeças de gado; 500 cabeças de eqüinos, 1.948 suínos e 780 ovinos. A cidade não poderia deixar de ter ainda uma população de galinhas ou aves. São 21.300 exemplares de galinhas. Os números do Ipardes correspondem a 2007. Contudo estatisticamente não pode ter mudado muito.

Vejo a cidade de Foz do Iguaçu com muito carinho por causa de suas inúmeras possibilidades de vida. Serviços incluindo hotelaria, turismo, exportação e derivados, atendimento a setores como o de pára-brisas e tacógrafos, artesanato, indústria (pequena mas audaciosa), comércio, educação, saúde e ainda soja, mandioca, alinha, leite, mel e muito mais. Por isso a existência do Posto de Recebimento da Cooperativa Lar, balanças e outros equipamentos agrícolas. Parabéns aos trabalhadores e empresários rurais de Foz! Então a resposta àquela pergunta (de que veve Foz?) é: de agricultura também!

sábado, 30 de maio de 2009

Parabrisas e Tacógrafos Especialidades de Foz do Iguaçu



Foto by 'bairronauta', viajando pela cidade para descobrir 'de que veve Foz'?

A BR 277 no trecho entre o Viaduto e até a entrada da Avenida Costa e Silva é um verdadeiro desfile de especialidades desse setor da cidade. A uma tendência a que os negócios aqui atendam aos veiculos pesados, camnhões, ônibus, jamantas e outros pesos-pesados que de vez em quandp a gente encontra por aqui. Me chamou a atenção a placa "Conserto de Tacógrafo". Tacó quê? Eu sei o que é o tacógrafo. Já vi aquele papelzinho redondo tipo um eletrocardiograma que controla a velocidade ou melhor os motoristas de veículos de passageiros ou cargas e que sempre está na mesa do chefe. Bem, nesse local se conserta tacógrafo. Você já viu um tacógrafo? Eu não! Eu vejo o papel, mas nunca vi um tacógrafo. Daí, dei uns dois passos pra frente e outra placa me chama a atenção: "Recuperamos Parabrisas". Uma vez eu estava em um ônibus que teve o Parabrisa quebrado por uma pedra. Só aí, você realmente sabe a falta que um párabrisa faz. E aqui em Foz, alguém recupera párabrisas trincados. Sabia que tem modelos de ônibus andando pelas estradas que não tem mais párarisas de substituição para eles? Parabéns a estes dois empreendedores de Foz. Um detalhe: gostei da palavra 'mecânica' pintada no telhado!

Vistas e negócios de Foz: Santa Rita


Foto by 'bairronauta'

Supermercado Bambrilla fica na Avenida Irio Manganelli no bairro Santa Rita. O baiiro Santa Rita vai ganhar uma escola nova com Centro de Convivência. A Avenida que homenageia antigo vereador de Foz do Igaçu liga a Avenida Gramado ao bairro Gleba Guarani. Essa foto é parte de várias que o 'bairronauta' traz para trazer à atenção dos iguaçuenses a quetão do trabalho e a indústria de Foz do Iguaçu. São fotos e pequenas notas que querem respoder ou dar material para puxar uma discussão sobre a pergunta muito feita localmente - especialmente em tempos de eleições: de que veve Foz? Os mini supermercados, mercados e mercados mirins são soluções encontradas por muitos empresários e empreendedores e no vácuo dessas iniciativas empresariais emregos são gerados e toda um tecido é construído nos bairros da cidade. Eu creio que bairros são entidades vivas. Navegando por eles, a gente sente isso! Parabéns empreendedodres dos bairros.

O Trauma da Invasão: no meu terreno não!


Onde? Na Região do Parque Imperatriz. O quê? A placa que avisa: É proibido Invadir! E pelo jeito funcionou. O terreno está lá, tranquilo, aguardando futuro uso. Aqui perto, a Prefeitura de Foz está construindo Centro de Educação Infantil (ex-creche) Olympio Rafagnin. Gostei da criatividade! A região possui muitas pequenas indústrias, empresas de serviço e muitas inciativas interessantes. Logo vamos falar mas esse assunto.

sexta-feira, 29 de maio de 2009

Arquidiocese do RJ apóia Acordo entre Brasil e Vaticano sobre Ensino Religioso



O Blog de Foz recebeu cópia da Declaração de Apoio da Arquidiocese da cidade de São Sebastião do Rio de Janeiro ao Acordo entre a República Federativa do Brasil e o Estado do Vaticano sobre o Ensino Religioso. Na carta, os bisbos do Rio de Janeiro afirmam ter estranhado a reação do Forum Nacional dos Professores do Ensino Religioso (Fonaper) no Brasil quanto ao Artigo 11 do Acordo. O Blog de Foz divulgou material do Fonaper pedindo que os professores e outros interessados se manifestassem contra o Artigo 11 do Acordo em qusestão.

O Fonaper acredita, segundo material recebido, que o ensino religioso não deve ser proselitista - ou seja não pode ser confundida com catequese ou pregação missionária. O Blog de Foz é defensor do Ensino Religioso e da diversidade cultural e rligiosa. As diferenças serão resolvidas com o diálogo. Para ler o documento, clique na figura acima. Agradecemos a Arquidiocese do Rio de Janeiro pelo envio do material.

Fique por dentro:

Divulgação Blog de Foz: Ensino Religioso - chamado à ação
Site do FONAPER

quinta-feira, 28 de maio de 2009

Um encontro poliglota: que idéia genial! Poliglotismo Foz



Repasso o convite: sábado que vem no Subway, aqui em Foz, vai haver este Encontro Poliglota. A idéia é reunir quem fale uma ou mais línguas ou até mesmo a metade de uma para que desse encontro saia alguma coisa positiva. Por exemplo, que o portunhol vire espanhol e que aquela vergonha de abrir a boca em espanhol ou inglês seja vencida. Como? Praticando! Gosto dessa idéia. Foz do Iguaçu tem um patrimônio lingüístico muito grande.

Além de termos o português e o espanhol como linguas que se escuta todos os dias, temos ainda a oportunidade de ouvir árabe, chinês, coreano e acima de tudo o Guarani. Assim, com letra maiúscula! Escuto sempre a Rádio Magnificat do Paraguai e adoro escutar músicas em Guarani. Mas na lista dos idiomas da fronteira, o guarani é o que tem o menor status. Injustica e burrice discriminar línguas por motivos econômicos, raciais, culturais, genéricos, políticos ou seja-lá-quais-forem.

Um dia vamos descobrir o valor do Guarani como idioma de cultura e saber assim como hoje, o pessoal da Habla Tradutores sacode a cidade, fazendo-a despertar para este encontro poliglota, que abrirá olhos e ouvidos para o que se chama de "recursos lingüísticos" da cidade. Não é invenção minha essa idéia de recursos lingüísticos. Descobri esse conceito em material americano. Clique na foto para aumentar e ler o convite. Eu estarei lá. Sempre quis ver isso. Vai lá também mesmo que você não fale uma lingua adcional. Alguma coisa contamina, alguma coisa pega! Depois do Encontro Poliglota, eu conto como foi!

Cooperação sino-japonesa ou nipo-chinesa em Foz do Iguaçu


Foto by 'bairronauta' na Região do Jardim São Paulo em Foz do Iguaçu

Publico esta foto como uma forma de homenagear a cidade de Foz do Iguaçu e sua diversidade cultural. Estava caminhando por uma rua quando de repente minha atenção se dirigiu para esta placa de um consultório onde o Dr. Lin Chi Wen a Dra. Liris Yamamoto atendem a seus clientes. Aí estão dois odontólogos brasileiros de descendência oriental. Ele de dscendência chinesa e ela de descendência japonesa. Não é um encontro muito normal embora nesta Foz do Iguaçu eu também conheça chinesa neta de japonês. Em muitas partes do mundo, talvez até na China e no Japão, isso não aconteça.

Iniciativa Nota Dez III: No Jardim São Paulo


Foto 'bairronauta'

Não sei nada sobre a iniciativa acima. Vemos um banquinho protegido em um ponto de ônibus na Avenida Pôr do Sol, Jardim São Paulo, Foz do Iguaçu. O mini abrigo, ocupa a ponta de um canteiro central da avenida e está na frente da Igreja Católica do bairro iguaçuense. Irei atrás de informação e voltarei ao assunto em breve! Esta é a terceira Iniciativa Nota 10 publicada aqui no Blog de Foz.

segunda-feira, 25 de maio de 2009

Comunicado da Receita Federal ao Turismo de Foz do Iguaçu




O delegado da Receita Federal em Foz do Iguaçu, Gilberto Tragancin enviou um Comunicado ao Secretário de Turismo de Foz do Iguaçu, Felipe Gonzalez alertando sobre más informações que circulam na cidade quanto à cota de compras no Paraguai e Argentina e pedindo ao secretário que intervenha para esclarecer.

O Comunicado 01/2009, afirma que a cota única de compras para quem retorna do exterior por via terrestre é de US$ 300,00. Entendi que há um equivoco quanto à quota de compras do Duty Free Shop de Puerto Iguazú. Pelo que entendi se diz que a quota do Duty Free é de US $ 500.00. A receita alerta: não é.

A quota de Duty Free Shops de US$ 500 só existe para aeroportos e portos e para aqueles que passageiros que desembarcam vindo do exterior. Se houvesse um vôo direto do exterior para o Aeroporto Internacional de Foz do Iguaçu-Cataratas, o passageiro teria direito a quota de US$ 500. Outro caso: nos Aeroportos de Guarulhos e Galeão existem Free Shops ou seja lojas que podem vender como se estivessem no exterior mas somente para quem está dentro da área restrita à passageiros que vão para o exterior ou daqueles chegam do exterior.

Então é bom não se confundir. A Zona Franca ou o Duty Free Shop de Puerto Iguazú está na Argentina. Por isso comprando lá e chegando por via terrestre a quota é de US$ 300.00. Creio que o que confunde é o seguinte: a Zona Franca de Puerto Iguazu, chamada de Duty Free Shop está fora da área aduaneira da Argentina. Ocupa o espaço entre os dois países. É como se estivesse fora do País ou, melhor dizendo, se estivesse na terra-de-nimguém. Não está. A Argentina não quer saber do que você compra lá. É livre de imposto de saída. Mas, não é livre dos impostos e regras do Brasil. É livre a saída de lá mas não é livre a entrada aqui. Creio que o problema está aí.

Clique nas figuras acima para aumentar e ler o Comunicado do Delegado Chefe da delegacia da Receita Federal em Foz do Iguaçu. É muito importante entender o que o delegado chama no Comunicado de "conceito" de bagagem acomompanhada.

domingo, 24 de maio de 2009

Vila Portes na Região do Jardim América: vende-se tudo


Fotos by 'bairronauta'

A situação não anda muito boa no bairro iguaçuense da Vila Portes. Tecnicamente falando, a Vila Portes pertence à Região do Jardim América - a região administrativa que margeia o rio Paraná e vai do Jardim América até o Jardim Jupira. Dentro dela está a área conhecida como "Área de Exportação". Para quem não é de Foz do Iguaçu, explico: a Vila Portes e o Jardim Jupira são os primeiros bairros do Paraná, do Brasil, para quem chega ao País vindo do Paraguai, pela Ponte da Amizade. Deveria ser um cratão postal. Aqui era uma área onde os comerciantes desfrutavam de alguma facilidade para vender produtos brasileiros para o Paraguai e Argentina.

Era um bairro intermediário. Os paraguaios vinham comprar toda espécie de profutos nesta área de vendas no atacado e varejo. Desde balas e chicletes, à comida, vasilhames, colchões, ferramentas e roupas. Com a entrada do Mercosul, do Plano Real e da queda do dólar, a vida comçou a ficar difícil. São Paulo começou a vender direto para o Paraguai, os produtos ficaram caros e a competição aumentou. Um passeio pelo bairro mostra dezenas, centenas de lojas fechadas. Uma vergonha! Mesmo assim algumas ruas ainda sobrevivem e mantêm a tradição. O bairro se ressente da falta de políticas que levem a uma recuperação.

Em uma caminhada por lá, há alguns meses, visitei a loja de móveis usados que aparece na foto. Fiquei admirado de ver uma maca profissional de atendimento médico, dessas que se usa em ambulâncias. Onde mais se vê isso? Estava à venda! Visitei, em seguida, a loja que vende material para hotéis e restaurantes. Encontrei um micro hoteleiro de Encarnação (Paraguai) fazendo comprando algumas ferramentas de trabalho.

Não me parece difícil atrair clientes de toda a região Oeste e Sudoeste do Paraná para a Vila Portes. Tenho a experiência de ter vivido em cidades do Oeste onde um parafuso um pouco mais elaborado não existe. "Tenho que madar vir de Cascavel" - dizem os lojistas para tudo.

Ninguém em Foz do Iguaçuu fica parado por não encontrar uma ferramenta, a bitola de ferro, a porca ou arruela que necessite. E a Vila Portes é o local. É um bairro especial. Até pouco tempo houve um programa municipal que criou encubadouras de negócios e fábricas no Jardim Jupira. O programa utilizava as lojas fechadas pela crise em troca de IPTU e outros impostos. O programa estava dando certo. Foi na administração Samis da Silva.

O prefeito Paulo MacDonald não deu continuidade ao programa. Só digo que é preciso continuá-lo. Ou, por outro lado, é preciso criar um novo. Alguma coisa tem que ser feita! Não pode ficar assim. Além da Vila Portes outros bairros de Foz do Iguaçu estão entregues à situação semelhante. Vamos mostrá-los, aos poucos de um por um.


Haverá mais sobre a Vila Portes

Como anda o transporte urbano em Foz?

Foto by 'bairronauta': interior de ônibus linha Morumbi-Centro.

Em abril anunciei aqui que os estudantes do curso de Administração da Uniamérica estavam fazendo um levantamento sobre o transporte urbano de Foz do Iguaçu. O resultado já saiu. Esta semana vou correr atrás para publicá-lo aqui. É uma promessa. Enquanto isso, deixo aqui uma foto tirada no interior de um ônibus da Viação Itaipu. Uma hora boa. O ônibus está com lotação decente, todo mndo etsá sentado e reina a paz. O que disseram os iguaçuenses? O que pode ter sido revelado? Aguardemos!!!

quinta-feira, 21 de maio de 2009

Exemplo que vem do Paraguai: Última hora revela portos clandestinos



Fotos do blog La Frontera: Portos clandestinos equipados com tobogãs improvisados usados para o embarque de contrabando ao Brasil.

O jornal Última Hora vem fazendo uma série de reportagens sobre os portos clandestinos em Ciudad del Este. Algumas dessas reportagens podem ser vistos no blog La Frontera. As duas fotos tiradas do blog do jornalista e escritor Andrés Colman contam a história dos portos e mostra o envolvimento de políticos e lideranças esportivas. A série se chama Ciudad del Este Confidencial. Este link o levará à primeira parte. Entre outros prêmios, Colman já recebeu o Prêmio Vladimir Herzog no Brasil em 1985 e o Prêmio Nacional de Periodismo Santiago Leguizamón no Paraguai em 2000.

Planetário de Foz! Vem com observatório junto!



Está inaugurado! Foz do Iguaçu ganhou um Polo Astronômico composto por observatório e planetário. Maravilha! Estou louco para ir lá e ver. Não há nada mais bonito que o céu estrelado. Particpei de curso relâmpago de astronomia com o Professor Janer Vilaça, coordenador do Pólo, e fiquei fã dele. Em dois ou três dias ele fez com que gente que antes nunca tinha observado os céus, estivesse apontando pra cima e dizendo: olhe alí está Órion! Escorpião e outras constelações, planetas, estrelas. O lugar está aberto à visitação. O telefone é (45) 3576-7203. Basta ligar e agendar a visita. Recomendo não só o Pólo como a astronomia amadora em si. Não precisa ser nenhum Einstein! Sucesso! Sucesso! Sucesso! O Pólo fica na Itaipu Binacional.

terça-feira, 19 de maio de 2009

Aumento da passagem dos ônibus urbanos


Foto 'Bairronauta' no TTU: Expresso Cidade Foz (A foto é ilustrativa e não foi feita associada ao assunto da postagem) )

Um decreto assinado e liberado no dia 13 de maio, entrou em vigor em velocidade relâmpago no dia 18 do mesmo mês. Uma velocidade sui generis. Foi o decreto que aumentou 10 centavos nos preços das passagens dos ônibus urbanos de Foz do Iguaçu. Segunda, de manhã, embarquei no ônibus com meus únicos R$ 2.10 no bolso. Havia um lugar vazio na frente e eu me sentei nele. Levantei os olhos ligeiramente e dei de cara com o aviso colado naquele vidro que separa o motorista da cabine de passageiros: “Prezados usuários: de acordo com o decreto 18.600 do dia 13 de maio de 2009, a partir do dia 18, segunda-feira, a passagem sobe para R$ 2.20”.

Meu ouvidos se antenaram. A partir daí eu ouvi a pobre cobradora repetindo: é R$ 2.20. Que faço? Tranquilamente me lembrei de que a pressa da mudança tinha um ar de irregularidade. Para aprovar um decreto no dia 13 e faze-lo vigorar no dia 18 seria impossível. Afinal eu sou ou não sou um profissional da comunicação? Decidi que eu iria dar os meus R$ 2.10 e dizer que ficaraia devendo o equivalnte ao aumento pois não houve divulgação do aumento. E se houvesse problema eu estaria pronto para levantar a opinião dos oprimidos quer dizer dos passageiros. Mas não houve.

Creio que naquele dia, foi um dia do o-que-cair-é-lucro para as empresas. Mais ou menos do jeito que explica a Teoria da Agulha Hipodérmica que é injetar aos poucos para que não doa muito. No nordeste, a teoria tem uma versão popular que o morde-e-assopra e há outra versão mas não vou cita-la porque ela tem cunho sexual quer dizer denigre a arte do sexo. Mas de qualquer forma, registro o protesto que tem a ver com o prazo. Muito feio.

Os responsáveis por este prazo, devem ir dormir com a consciência bem suja porque o comportamento foi indecente. Claro que alguém pode dizer: 10 centavos não é nada. Concordo e discordo. Dez centavos é tanta coisa ao ponto de ter provocado o aumento. E há dias que não tenho 10 centavos para completar a passagem – e são muitos - daí vou a pé para onde quer que seja (Não tenho vergonha não de confessar isso).

E não estou engrossando o coro dos que dizem que o transporte está feito de ônibus velhos. Há muitos ônibus bons, boas carrocerias, limpos, e há muito esforço de mantê-los funcionando. Não estou reclamando do transporte pelo menos aqui e agora. Há muitos cobradores e cobradoras ótimas além de motoristas muito decentes. O Blog de Foz acompanha o Transporte Urbano com interesse. Há falhas, no momento foi esse prazo.

sábado, 16 de maio de 2009

Experiência interessante: Tres jornalistas da Tri-Fron em Foz


A jornalista e apresentadora Judit Vitores do Canal 7 de Buenos Aires, programa diário Los Argentinos esteve ontem em Foz do Iguaçu. A pauta da apresentadora, nascida em Misiones foi conversar com jornalistas dos três lados da fronteira para saber como cada um via o seu trabalho e o que é viver na fronteira.

"Quero depoimentos pessoais", disse Judit. Assim, nos encontramos na Churrascaria Rafain, o jornalista Claudio Salvador de Puerto Iguazú e Andrés Colman do jornal Última Hora, sucursal Ciudad del Este e eu da Rede Jackson Lima de Blogs (Ah,ah). Como diretor de redação, Colman trouxe a jornalista Sofia Masi para cobrir a cobertura de Judit Vitores. Assim em certa hora todo mundo foi entrevistado e entrevistador. Participou desta primeira tentativa de ver a fronteria por olhos de jornalistas da fronteira, o arquiteto Nilson Rafagnin. Ele aproveitou para falar do Parque Tri-Nacional que ele propõe como parte do Projeto Águas Grandes. Nilson já trabalha nesse projeto há pelo menos 17 anos. Logo volto a falar dele. Gravamos depoimentos na Praça do Mitre, no Centro e até no último andar do Edifício Solar dos Girasóis - um prédio alto na JK que oferece visão total das Três Fronteiras. "Este é o ponto mais elevado setentrional do Sul do Brasil", disse o Nilson Rafagnin.

Uhm! pensei! Repita isso Nilson: ele repetiu e houve risos geral. Eu vou dar uma geral nesse "Sententrional do Sul" para entender e assim que eu entenda divulgo os resultados. Aguardem mais informações sobre este encontro. O Claudio Salvador é também o presidente da Associação dos Trabalhadores da Imprensa de Puerto Iguazú e pertence a uma rede de jornalismo que está sendo formada em Misiones. Logo volto com fotos - assim que Sofia Masi me envie!

A blogosfera dos envolvidos:
Bicho do mato - blog do Claudio Salvador
Judit Vitores - Blog da Judit
Andres Colman e Colman Gutierrez - Blogs do Colman
Territorio Digital - Jornal de Misiones / Claudio Salvador
Ultima Hora - jornal / Jornal paraguaio / Andrés Colman e Sofia Masi

sexta-feira, 15 de maio de 2009


O Paraguai está celebrando o Dia da Independencia. Como homenagem ao País, o Blog de Foz publica a foto da Casa da Independencia situada na esquina da Rua 14 de maio com Presidente Franco. Aqui se reuniam os "conspiradores" contra a Coroa Espanhola. Nela moravam os irmãos Pedro Pablo e Sebastián Antonio Martínez Sáenz. Na noite de 14 de maio, o Capitão Pedro Juan Caballero, estava presente e foi ele quem deu o golpe de misericórdia na dominação espanhola no Paraguai. O Brasil ainda permaneceu 11 anos sob o domínio de Lisboa.

Hoje, Pedro Juan Caballero é o nome de uma cidade paraguaia também fronteiriça. P.J.Caballero faz divisa com a brasileira e sul-matogrossense Ponta Porã. A Casa da Independência foi transformada em Museu, após uma reforma, em 1965. Quando estiver em Assunção, conheça o Paraguai histórico. O site e o endereço estão abaixo ( a foto é do site oficial do Museu)


Casa de la Independencia
14 de Mayo esq. Pdte. Franco
Asunción, Paraguay

quinta-feira, 14 de maio de 2009

Fronteira Integrada Brasil-Argentina em Foz-Puerto Iguazú: que aconteceu?


Cláudia Hottinger e Duncan Lamberton fez parte desse momento histórico da fronteira e do Mercosul. Foto de Nei de Souza 1991

No dia 20 de agosto de 1991, autoridades aduaneiras da Argentina e do Brasil e especialmente os chefes de aduana (Argentina) e Receita Federal (Brasil) participaram de uma cerimônia que habilitou a Aduana Integrada Brasil Argentina (ou Argentina Brasil)na Ponte Tancredo Neves. Isso significava que começava a vigência de algo chamado "Acordo do Recife". Esse acordo tinha uma tese que pode ser resumida assim: País Destino > País Sede. Quer dizer se você viajava para a Argentina, todo o seu processo de migração seria feito no lado Argentino. Para isso, lá no lado argentino havia pessoal brasileiro como auditores (fiscais) da Receita Federal e deveria haver também policiais federais como agentes de migração.

No lado Brasileiro, caso o Brasil fosse o destino de viagens, aqui seria a "sede" dos trâmites. E, muita gente ainda deve lemnbrar, no lado brasileiro havia "gendarmes", pessoal migratório e aduaneiro argentino. Infelizmente essa tentativa de transformar a nossa aduana integrada, segundo o Acordo de Recife, não foi prá frente. O mesmo aconteceu no lado paraguaio mais tarde. Logo, cada lado voltou para o seu lado. Morreu aqui. Contudo, propsperou em outras latitudes. Há aduanas integradas Argentina-Brasil, Brasil_Uruguai, Argentina-Uruguai e Argentina-Paraguai. Destaco que o Acordo do Recife era válido também para a área de exportação e importação e facilitava a vida dos caminhoneiros.

O que me fez falar disso aqui, é a foto que encontrei nos meus arquivos e publico aqui. Nela se vê a suiça Cláudia Hottinger e o neozelandês Duncan Lamberton. Eles chegaram na Aduana na hora da inauguração, no meio dos discursos e do corte de fitas (O delegado da Receita pelo Brasil era o Dr. Adonis). Eles ficaram parados, de lado. Eu cobria o evento para A Gazeta do Iguaçu e achei interessante perguntar a eles: vocês sabem o que está rolando aqui? Caro que não sabiam. Assim expliquei.

No final eles concordaram que eu os fotografasse e assim registrasse a passagem deles por Foz naquele momento importante. A foto foi publicada na Gazeta do Iguaçu na data mencionada. E último alerta: não pensem que a idéia de integração de aduanas morreu.

terça-feira, 12 de maio de 2009


Escrevi um artigo para a Revista 100 Fronteiras sobre os 60 anos da Colônia Árabe de Foz do Iguaçu. Foi muito importante para mim manter contato com membros da comunidade e viver parte de suas experiências. Agradeço ao ex-vereador Mohamad Barakat por ter conversado comigo na hora do chá lá na Jauense na Avenida JK, próxima à sede da revista. O senhor Yosef Nassar, pai de minha colega jornalista e colega de faculdade Samyra Nassar que me contou um pouco de sua história pessoal e familiar. Ele nasceu em Jerusalem e veio para o Brasil em 1960. Passei uma tarde com o Mohamd Mahmoud Ismail - já nascido no Brasil e muito presente na sociedade iguaçuense e das Três Fronteiras. 
O Ismail é mais conhecido pelo apelido de Magrão, me passou detalhes importantes de datas e outros eventos. Ele e o Menzer Osman são diretores do uma entidade cultural Árabe-Brasil que está trabalhosamente levantando dados sobre a história da comunidade como mostra o artigo da Revista. Proponho a continuação deste assunto especialmente agora que a comunidade chega a idade adulta. Será já na próxima edição?

Profecias Turísticas cumpridas: o que há mais para vir?




Basta clicar na imagem acima e você vai ver uma página scanneada da Gazeta do Iguaçu de 1996. A página é de uma edição das "Notas do Turismo" que na época eu fazia naquele jornal iguaçuense. Há 13 anos eu fazia um alerta ao trade turístico de Foz do Iguaçu. Clique na imagem para aumentá-la. Dá para ler. Leia e tire suas conclusões. Mas eu não estou postando este material para lamentar o passado ou para levantar a minha moral. Eu não preciso disso. Mas não se pode negar que o que foi predito aconteceu. Estamos no olho desse furacão agora (eu acho que é bom publicar isso até para dizer em público que eu não cheguei aqui agora e não peguei esse bonde andando).

O meu propósito principal é alertar para Foz do Iguaçu 2023. De novo, faltam mais 13 anos. O que estamos fazendo para evitar as dores da cidade e região em 2023? A digitação acima mostra que prever pepinos não é a especialidade de lideranças políticas e setoriais. Um abraço e até a próxima.

segunda-feira, 11 de maio de 2009

Parque Nacional do Iguaçu antes da concessão: lembranças II




Esta é a foto número dois de uma 'série' (nada séria) chamada "lembranças". São fotos anteriores ao processo de concessão de áreas em Unidades de Concessão para a iniciativa privada (confira a Lembrança I. Em outras palavras de certas mudanças promovidas entre 1997 e 1999 ou desde a chegada de Julio Gonchoroski para a direção do Parque Nacional do Iguaçu até a chegada da Cataratas S.A. em 2000.

Eu fui uma das pessoas que aplaudiu a chegada do novo diretor e o elogiei por algumas medidas importantes como a redução de velocidade dentro do Parque Nacional do Iguaçu e a diminuição da popularidade dos quatis entre os visitantes do PNI entre outras. Com a foto quero lembrar o capítulo "quati popular" da área de visitação do Parque Nacional.

Os quatis cercavam os visitantes na esperança de ganhar bolachas, wafers, chicletes, sanduíches, bolo e qualquer outra comida. Como resultado havia um desfile de quati gordo, com colesterol alto, talvez diabete, hipertensão e outros problemas de uma vida de quati moderno e sedentário.

Pouco a pouco, a campanha "não alimente os quatis" deu certo, foi pegando e a cena mostrada na foto pertence ao passado (assim como aquela mini sorveteria). Não estou com isso me juntando ao coro dos que louvam os investimentos, melhor estrutura do Parque etc e dentengo-rengotengo (depois explico o que é isso). Neste ponto, valeu!

Notas: Em Bonito (MS) em uma das atrações (Ilha do Padre) havia um grupo de quatis que vinha receber os turistas e para ganhar comida civiizada. Logo, lá como aqui em Foz, alguns quatis aprenderam a meter a mão na bolsa alheia, pegar comida e
sumir no mato. Um dia um quati atacoua bolsa de uma turista, pegou uma quartela de anticoncepcional e desapareceu para saborear o estranho produto. Para encurtar, o ou a quati, morreu. No Amazonas, em local chamado Ilha dos Macacos, havia um macaco chamado Lalo que morreu de cirrose. Depois de beber resto de cerveja dos turistas, ele ficou alcoólatra. Um dia, Lalo pegou uma garrafa de "aguardiente", colombiana, trepou em uma árvore e se pôs a beber (É trágico esse negócio de alimentar animais. Muitas de nossas comidas não servem nem prá gente)

Ensino Religioso: Chamado à ação!

O propósito do ensino religioso no Brasil é enriquecer a convivência, a tolerância, o conhecimento da religião como um fenômeno humano (Esta é a posição deste Blog quando trata de religião). Não se trata de impor doutrinas desta ou daquela religião, denominação ou grupo religioso. O Fórum Permanente do Ensino Religioso estã convidando peofessores do ensino religioso de todo o Brasil a participarem de uma mobilização nacional contra mudança no Acordo Brasil-Vaticano de ensino religioso. O temor da área acadêmica do ensino é que se privilegie a visão oficial da Igreja. Reproduzo abaixo comunicado do FONAPER:

O FONAPER convida seus filiados e demais professores de Ensino Religioso a se manifestarem novamente contra a aprovação do Art. 11 do Acordo Brasil-Santa Sé enviando o texto abaixo para o atual Relator da Mensagem 134/2009, Dep. Bonifácio de Andrada, com cópia para o Dep. Severiano Alves, Presidente da Comissão de Relações Exteriores/CREDEN.

O envio de e-mails por parte dos professores de todo o Brasil mostrará ao Relator que a questão é polêmica e contraditória, o que torna imprescindível dar maior visibilidade e oportunidade de expressão a todos os setores e instituições envolvidas com o tema.

MENSAGEM A SER ENVIADA para o e-mail: dep.bonifaciodeandrada@camara.gov.br com cópia para: dep.severianoalves@camara.gov.br


“Exmo. Dep. Bonifácio de Andrada

Eu, ...................................., professor(a) da disciplina de .................., na cidade de .........................., Estado de .............., por meio deste, manifesto minha contrariedade à aprovação do art. 11 do Acordo Internacional a ser firmado entre a República Federativa do Brasil e a Santa Sé.

O referido artigo fere o princípio constitucional da separação entre Estado/Igreja e não contempla os avanços da atual legislação educacional brasileira, principalmente em relação à Lei nº. 9.475/97, cuja redação no texto do Acordo se apresenta alterada em relação à original.

O Ensino Religioso definido pela Lei nº. 9.475/97 não aponta conteúdos de uma determinada religião ou confissão religiosa. Em princípio, enquanto componente curricular, atende a função social da escola, em consonância com a legislação do Estado Republicano Brasileiro, integrando as diferentes manifestações do fenômeno religioso. O parágrafo 1º do Art. 11 do Acordo, ao contrário, ao anunciar um Ensino Religioso “católico e de outras confissões religiosas”, limita sua abordagem somente à religião cristã, abrindo espaços para a oferta de um Ensino Religioso na modalidade confessional, o que fere o Art. 19 e incisos seguintes da Constituição Federal de 1988, o qual veda à União, aos Estados, ao Distrito Federal e aos Municípios, o estabelecimento e subvenção à cultos religiosos ou igrejas. Um Ensino Religioso confessional nas escolas brasileiras só poderia ocorrer sem ônus para os cofres públicos.

Acredito e reivindico que o Estado brasileiro deve continuar a promover e respeitar a diversidade cultural religiosa, que transita no cotidiano escolar, permitindo que todos os educandos tenham acesso ao conjunto dos conhecimentos religiosos presentes no substrato das diferentes culturas, de forma integrada e pedagógica, vedadas quaisquer formas de proselitismo, em conformidade com a legislação nacional em vigor”.

Nome:
E-mail:
RG:
CPF:

domingo, 10 de maio de 2009

Dia das Mães celebrado com festa na Igreja do Três bandeiras




A Paróquia Nossa Senhora de Fátima, no bairro Três bandeiras, comemorou dois eventos especiais hoje: o Dia das Mães e o primeiro aniversário da Paróquia. Ela foi fundada em 2008 e pertence a Área Administrativa I da Diocese de Foz do Iguaçu. Quanto a festa do Dia das Mães, foi muito prestigiada. Mães, avós, filhos, maridos e outros membros da família. O resultado foi uma festa colorida. Muitos carros em estacionamentos improvisados e até umas três carretas dirigidas por caminhoneiros da paróquia que acabavam de chegar na cidade e correram para não perder a festa.

A Paróquia Nossa Senhora de Fátima ou simplesmente a Igreja do Três Bandeiras fica na Avenida Gramado - aquela Avenida que atravessa a Vila "A" e prosegue até o bairro de Três Lagoas. Já que falei em Paróquia mais nova, coloco aqui uma lista das paróquias de Foz do Iguaçu. A lista indica o bairro ou região onde está localizada e a data de fundação. A Diocese de Foz do Iguaçu é dividida em três áreas. A Área I é Foz do Iguaçu e Santa Terezinha. Os municípios de Itaipulândia, Missal, Medianeira, São Miguel, Santa Helena fazem parte da Diocese da Terra das Cataratas e pertencem a Área II. A Área III da Diocese de Foz do Iguaçu é formada por Matelândia, Ramilândia, São José das Palmeiras, Vera Cruz do Oeste, Céu Azul e Diamante do Oeste.

Conheça as paróquias de Foz do Iguaçu (Área I) que inclui STI:

CATEDRAL DIOCESANA NOSSA SENHORA DE GUADALUPE (2007) Vila "A"
PARÓQUIA SÃO JOÃO BATISTA (1923) Centro
PARÓQUIA ANUNCIAÇÃO DO SENHOR (1996), Jardim São Paulo
PARÓQUIA NOSSA SENHORA DA LUZ (2001), Vila C
PARÓQUIA NOSSA SENHORA DO PERPÉTUO SOCORRO (1982), Vila Yolanda
PARÓQUIA SÃO FRANCISCO DE ASSIS(1991), Morumbi II
PARÓQUIA SÃO PAULO APÓSTOLO (1971), Maracanã
PARÓQUIA SÃO PEDRO (1993),Três Lagoas
PARÓQUIA ESPÍRITO SANTO E NOSSA SENHORA APARECIDA(1992),Porto Meira
PARÓQUIA BOM JESUS DO MIGRANTE (2007), Vila Portes
PARÓQUIA SANTA TERESINHA(1963) Santa Terezinha de Itaipu
NOSSA SENHORA DE FÁTIMA (2008) Três Bandeiras

Fonte: Diocese de Foz

Viva as Mães! Feliz dia!



Aproveitando que o Brasil etsá ligado na novela "Caminho das Índias" de Glória Perez, grande mãe e grande profissional, Salve Glória!, homenageio as mães de Foz do Iguaçu, do Paraná, do Brasil, da Tri-Fron, do Planeta com esta foto de Parvati - esposa de Shiva e o seu filho Ganesha. Quanto amor nos olhos dela pelo seu filho diferente! Tudo isso é muito simbólico. O que quero dizer é que mãe é mãe! Desejo que todas as mães passem um dia tranquilo, pacífico e cheio de amor!

sábado, 9 de maio de 2009

Exemplo que vem de cima: Aeronáutica adere ao Projeto Calçadas de Foz




A maioria pode nem perceber que entre a garagem da empresa Pluma Transporte e Turismo, na avenida Costa e Silva, e a Rua Clarice Lispector (vou confitmar o no mapa) há um terreno murado, com poucas casas, onde se vê umas antenas diferentes e onde há uma placa que diz: Propriedade da União - Comando da Aeronáutica.

Essa nota está saindo por que o autor não precisou sujar o pé ao passar pela frente dessa propriedade logo após a chuva de anteontem. E por que não, todo mundo que anda ao longo da Costa e Silva anda no mato mesmo? A resposta está na placa mostrada acima. Ela torna público que o Governo Federal está investindo em "Reparos gerais no destacamento de controle do espaço aéreo de Foz do Iguaçu" e que parte dessa reforma é a calçada novinha que está sendo construida segundo as regras municipais de padronização de calçadas. O Prazo para conclusão é de 75 dias e é possível que a calçada fique mais bonita ainda.

São aquelas calçadas que têm guias para pessoas com visão limitada ou cegas ( e até para mim quando perco os óculos). Os passageiros do transporte urbano de Foz do Iguaçu e turisatas, especialmente os usuários daquele ponto de ônibus que aparece na foto devem estar contentes. Como uma coisa puxa a outra, espero que o dono do terreno ao lado, baldio atualmente, possa dar continuidade a esse presente da FAB. E daí é só ir imitando e tudo fica bom.

TTU recebe os primeiros orelhões da OI em Foz



Fotos 'bairronauta' 1)Orelhão amarelo (14) no KBÇA em reforma 2)Novos orelhões Oi (31) no TTU

As empresas de telecomunicação não são minha praia forte. Mas faço essa nota só para registrar que o Terminal de Transportes Urbanos (TTU)de Foz do Iguaçu já está exibindo os novos orelhões da Oi. Muda a cor. Sai aquele verde claro que a BrasilTelecom usou há tanto tempo e entra aquele tom de azul que você confere na foto. Sai o 14 e entra o 31. Como eu ando incorporando essa 'estória' de 'bairronauta', achei interessante e fotografei. É o TTU lançando tendências e abrindo alas para mudanças! Para mim o TTU é um equipamento urbano de muita importância. Fica aberto o espaço para que a Oi ligue e dê um Oi para o Blog de Foz.

Me lembro que antes da Oi comprar a BrasilTelecom, a BrasilTelecom comprou a Telepar. A Telepar usava orelhões amarelos como o que aparece na foto acima. O orelhão amarelo está na esquina oposta à UDC exatamente onde antes funcionava o Bar KBÇA - point histórico de muita gente que estudou na UDC fazendo graduação ou correndo atrás de uma pós.

Aproveito e dou carona ao ex-KBÇA e para mostrar com está a reforma no prédio onde funcionou o antigo bar. Guarde a foto. Assim que a obra estiver pronta, será difícil advinhar o que havia lá. Fui informado que a galeria onde funcionou o bar, agora será parte da expansão da União Dinâmica de Faculdades Cataratas. Amanhã, colocarei a foto de uma cabine atual - a verdinha da BrasilTelecom. É isso aí!

quarta-feira, 6 de maio de 2009

Restaurantes de Foz do Iguaçu: Rua Marechal Deodoro e redondeza



Fotos by "bairronauta" - Restaurantes de Foz do Iguaçu: nova série para moradores e visitantes

As fotos mostram dois restaurantes de Foz do Iguaçu. O Bello Piatto, italiano, e o Armazém. Os dois ficam no centro de Foz do Iguaçu e mais especificamente na Rua Marechal Deodoro - que é uma "alameda" de restaurantes. O dono do Armazém é de Pato Branco, florescente cidade do Sudoeste do Paraná mas está aqui há tempo. Ele começou na área de restaurantes em Foz com o Restaurante Trapiche que como o nome indica é marítimo, é do mar e serve ótimos pratos do mar.

O Armazém - pelo menos vi uma faixa que anunciava, promove uma festa de camarão uma vez por semana e trabalha com carnes. A Rua Marechal Deodoro tem outros lugares de restauração de energia e amizade. O Armazém fica na avenida da Rua Eduardo de Barros. Seguindo na direção da Avenida Jorge Schimmelpfeng (primeiro prefeito de Foz), na esquina dela, você verá de um lado, o Hokkai Sushi, japonês com um pitaco de chinês.

Em frente ao Hokkai, pelo lado da Avenida Jorge quem? Está o Bier Garten - também chamado de Verdão pelos "fiéis". Ainda na frente do Hokkai, do lado oposto do Bier Garten, você verá o MacDonald's - um dos poucos no Oeste do Paraná. Voltando à região do Armazém-Trapiche, indo reto, em frente, está o Tempero da Bahia - restaurante tradicional de dono baiano fica em frente ao Hotel San Juan.

Eu posso estar esquecendo algum lugar na rua e também não estou incluindo na minha postagem, agorinha, os restaurantes de hotéis. Ali perto, não posso deixar de mencionar o Restaurante do Papi, comida simples, caseira, mas mora no coração de muita gente de Foz e de fora. Lugar tradicionalmente frequentado pelos estudantes de educação física durante os congressos da FIEP. Os lugares mencionados são mais que restaurantes. Nenhum foi feito para o turista. Todos são autênticos. Os turistas são bem-vindos. Logo voltarei com mais sobre "onde comer" em Foz do Iguaçu. Ah, faltou dizer que todos são pontos de encontros de amigos e pertencem à roda social. Confira!


Mais sobre restaurantes
Churrascarias
Árabe
Chinês
Shawarma / X-salada libanês
Restaurantes nos bairros
Baixa Renda Central
Fora de hora



Esta nota em inglês / English

Mais sobre o Projeto Meninos do Lago. Se liguem nele


Calma! Não ajude o nenê não. Ele não está se afogando. E a Bruna (Paula Teixeira) está de olho nele. Ele só está fazendo um rolamento - técnica de virar o caique e sair dele sem traumas. (Foto BairroNauta)

Esta um continuação da nota sobre as atividades da Confederação Paranaense de Canoagem em Foz do Iguaçu representada pelo professor Valdecir Fernandes da Cruz. É o seguinte: o Projeto Meninos Lago trabalha hopje com 60 crianças de Foz do Iguaçu e, segundo o professor tem possibilidade de chegar a 400 crianças treinando nas modalidades de canoagem conhecidas como slalom e velocidade. As duas são modalidades olímpicas. Foz do Iguaçu tem uma chance e possibilidade real de ter representantes nos jogos olímpicos de 2012 e 2016. "Não vejo outra modalidade olimpica que tenha condições de ter representante de foz do iguaçu nos próximos jogos olimpicos", disse o Professor ao Blog de Foz, em sua peregrinação pelos bairros.

Assim, a mensagem que quero passar é: o que você pode fazer para investir no futuro da cidade e tê-la brilhando em Londres e em outras olimpíadas.
Foz já tem grandes promessas na área. Os vereadores poderiam ajudar a dar um status maior a estes esportes olímpicos. Além dos vereadores, prefeito, o trade turístuco também poderia se beneficiar com mais esta atração social e os empresários também.


Olhem a pauta:

Aqui vai a programação imediata do Projeto Meninos do Lago e da FEPACAN:
Maio: 2º campeonato municipal de caiaque pólo 2009
Junho: semana mundial do meio ambiente - rally ecologico no rio Tamanduám e multirão de limpeza
Junho: campeonato brasileiro de rafting - itaipu 2009
Julho: open itaipu de canoagem slalom 2009



Mais informações
Valdecir Fernandes da Cruz
presidente - FEPACAN
CEL. 99797208 OU 3027-2052

Orelhões especiais nos corredores turísticos: boa idéia



Jackson Lima/Projeto "Bairronauta". Veja mais fotos como estas aqui.


O vereador José Edson de Oliveira, conhecido como Narizão propôs há alguns dias e já está nas mesas da Secretaria do Turismo e do Exceutivo Muncipal. O quê? Adoção desses orelhões especiais para compor a paisagem da Avenida Brasil. Já é tempo. Primeiro na avenida Brasil. É válido ampliar isso para outras ruas do centro. Por fim, lembro um texto que fiz em 2004 ou 2005 sobre a "bairrização" do turismo. Quer dizer levar o turismo aos bairros. Para isso teremos que "turistizar" nossas informações, apsectos do bairro. Um exemplo? O Portal da Foz com sua rua principal chamada Beija Flor. Nela os orelhões também deveriam ter formas de beija-flor. O melhor é que a Rua Beija-Flor tem esquinas com a Sabiá, Azulão, Papagaio, Sanhaço, Garças e outros pásaaros da fauna brasileira. Turistizar é dar valor turístico-comercial a coisas que hoje quase não se vê. NO caso dos bairros de Foz, temos exemplos de loteamentos temáticos, Bairros com ruas com nomes de pássaros, de pedras, de peixes, de mamíferos, de rios, cidades, estados, jogadores e estádios de futebol, países e muito mais. Assim além de "bairrizar", "turistizar" é "necessário" também "tematizar" o turismo. Parabéns ao vereador Narizão pela idéia.

domingo, 3 de maio de 2009

Canoagem em Foz: ajude a patrocinar o Campeonato Municipal



Foto 1: Na piscina pra valer 2. Campeonato em 2008 no Rio das Cinzas, equipe de Foz trouxe muitas medalhas para a Terra das Cataratas

O professor Valdecir Fernades da Cruz, presidente da Federação Paranaense de Canoagem (FEPACAN) vai organizar o 2° Campeonato Municipal de Caiaque Pólo entre os dias 30 e 31 deste mês. O evento ocorrerá na piscina do Centro de Convivência Professor Pedro Zanatta no bairro Morumbi e envolverá umas 60 crianças de todo o município. Serão 10 equipes que pertencem ao Projeto Meninos do Lago implantado em 2008 pela FEPACAN.

O envolvimento de crianças com a canoagem é muito bom. Os atletas são obrigados a ser mais dicsiplinados, responsáveis e têm perspectivas de futuro. O professor Valdecir necessita de uns patrocínios para o 2° Campeonato Municipal. E como funcionará esse patrocínio? "Funcionará da seguinte forma: a empresa entra com valor que pode ser de R$100.00 até R$300.00. Em contrapartida a empresa pode divulgar sua marca com banner na piscina, adesivos nos caiaques e ter o seu logo na camiseta durante os dois dias do evento".

Participe e ajude a fazer um Brasil melhor para esses meninos e tenha também um bom retorno. O evento é concorrido. Aproveito para convidar a imprensa paa ver o espetáculo do caiaque-pólo - um handebol jogado em caiques, em uma piscina e onde as equipes usam tanto as mãos como os remos.

Fale com o professor:
99797208 OU 3027-2052
Veja o site do Projeto Meninos do Lago econheça mais sobre a canoagem. Eu já fui vidrado nisso e ainda gosto de ver e ajudar.

Logo o Blog de Foz traz mais!

Evento importante para a Tri-Fron: arquitetos juntam quadrados em Foz. Entenda por quê


Que bonita esta concepção artística do Complexo Turístico da Itaipu. Tirei do site do IAB, que tirou do H2Foz. A arte será da Itaipu? Legenda da foto: 1. Centro de Recepção de Visitantes 2. Mirante Central 3. Bosque do Trabalhador 4. Barragem 5. Mirante da Margem Direita 6. Canal da Piracema 7. Ecomuseu 8. Refúgio Biológico Bela Vista 9. Parque Tecnológico Itaipu.



É um evento que vai acontecer em duas etapas. A primeira etapa, agora nos dias 4 e 5 deste mês. Em outras palavras, começa amanhã no PTI - Parque Tecnológico de Itaipu. A segunda etapa será em agosto. Para nós, fronteiriços, a primeira etapa é muito importante pois ela será no estilo seminário regional. Já a seguda etapa acontecerá entre 2 e 5 de agosto e será uma conferência internacional. O nome do evento é III Conferência Internacional de Desenvolvimento Urbano em Cidades de Fronteira - Integração e Sustentabilidade. É organizado pelo Instituto de Arquitetos do Brasil (IAB),Federación Panamericana de Asociaciones de Arquitectos e Union International des Architectes.

Essa idéia de desenvolvimento e planajemanto urbano integrado de fronteiras é sábia e ao mesmo tempo arredia, escorrediça. Quem vive em Foz do Iguaçu não tem a menor idéia do que os planejadores estão fazendo em Puerto Iguazú, Ciudad del Este ou Presidente Franco ou vice versa.

Recomendo ver esta postagem que fiz sobre a Dança do Quadrado na Fronteira onde cada um faz o que quer dentro do seu quadrado. Assim é boa noticia saber que arquitetos de diferentes quadrados fronteiriços pretendem bailar em um quadrado só aqui na Tri-Fron, ou, pelo menos, juntar todos os qudrados e fazer um quadrado maior, melhor e bom para todos. Abaixo o quadrado reservado! Mais informações sobre o evento aqui.

sábado, 2 de maio de 2009

Mais uma notinha do Blog de Foz

NOTA:

A proposta do Blog de Foz é trazer à atenção do público leitor informações, curiosidades, detalhes de coisas e pessoas de Foz do Iguaçu e da "Região Tri-Nacional", ou "Região Metropolitana Tansfronteiriça" ou ainda "Região Metropolitana Tri-Nacional (METROTRIFRON*). Daí, o "Projeto Bairronauta" que trouxe uma cobertura dos bairros de Foz do Iguaçu e suas regiões - ou das regiões e seus bairros. Até aqui destacamos pessoas, turismo, transportes urbanos, pioneiros, locais, empresas, problemas ligados aos bairros. É parte da proposta dos blogs, em geral, abordar assuntos que são muito complicados ou que demandam muito trabalho para a imprensa estabelecida e de comportamento comercial.

Sendo assim, escrevo para dizer que estamos retomando a exploração apolítica (partidariamente falando) das coisas da Tri-Fron. Voltando à caça das coisas que nos deixam perplexos e alegres de descobrir o que nos difere num mundo anti-diversidade erradamente chamado globalizado. A terra, como um globo, é naturalmente global e amplamente biodiversa, culturalmente diversa, racialmente diversa. Os blogs e a blogosfera são diversos. Só abordaremos assuntos da mesmice da visão única quando for para ajudar a pegar no tranco.

Assim, retomemos a viagem por Foz e a Tri Fron ou pela TRI-FRON e Foz.
* Registre a nova palavra METROTRIFRON, ela será muito usada;

sexta-feira, 1 de maio de 2009

Poor Niagara! Eleanor Roosevelt esteve nas Cataratas? Ajude a esclarecer essa questão!


"... A senhora Eleanor Roosevelt passou por aqui. Fomos convidados para recebê-la no aeroporto e para ir à recepção dada a ela. Fui com meu vestido preto. Ela é simpaticíssima, muito simples, vestida com muita modéstia, bem mais bonita pessoalmente do que nas fotografias e no cinema. No dia seguinte, ela deu entrevista coletiva à imprensa, eu fui, mandei noticiário telefônico para A NOITE, mesmo estando de licença porque não queria perder a chance".

Clarice Lispector, carta a Elisa Lispector e Tania Kaufman, Belém, 18 de março de 1944 (Tirado do livro "Clarice Fotobiografia" de Nádia Battella GOTLIB e publicado pela Editora da USP. Parte disponível no Google Books. Recomendável para quem gosta de Clarice)


Quando a primeira dama dos Estados Unidos, Eleanor Roosevelt viu as Cataratas do Iguaçu ela exclamou: Poor Niagara! (Pobre Niágara!). Com esta postagem aqui eu quero pedir ajuda a quem possa ajudar a esclacer e colocar em contexto este acontecimento. Jornalisticamente, se eu posso dizer assim, eu necessito responder pelo menos quatro perguntas mágicas: Quem? Quando? Onde e Por quê? E eu não estou conseguindo. A foto acima publicada na Galeria da Embaixada dos Estados Unidos no site FLICKR sobre as relações Brasil-EUA, mostra Eleanor Roosevelt conversando com o bisbo de Natal (RN) e um militar brasileiro. Eleanor Roosevelt visitou o Brasil entre 14 e 17 de março de 1944. Nessa viagem, a primeira dama visitou Belém, Natal e Recife. Na legenda abaixo da foto, cito parte de uma carta de Clarice Lispector onde ela conta que estava em Belém e participou de entrevista com Eleanor. Clarice enviou “matéria” para o jornal A NOITE.

Peço ajuda a quem puder ajudar a descobrir o seguinte: Eleanor Roosevelt voltou ao Brasil ou fez outra viagem ao Brasil? Isso porque nesta viagem ela não saiu do Norte-Nordeste. Era uma viagem de apoio moral às tropas americanas. Então o mundo vivia o penúltimo ano da II Guerra Mundial. Faltava um ano para as bombas de Nagasaki e Hisroshima. Se ela não voltou ao Brasil depois, quando ela viu as Cataratas do Iguaçu? Ela veio às Cataratas do Iguaçu? Se não veio, em que ocasião ela disse Poor Niagara? Estaria ela em algum lugar e alguém mostrou-lhe uma foto? Adianto que estou em contato com a Biblioteca Presidencial Frank D.Roosevelt em Hyde Park, Nova York. O bibliotecário e historiador Mark Renovitch, me disse (por e-mail):

Prezado Jackson Lima:
Nós temos muitas fotos da visita de Eleanor Roosevelt ao Brasil em 1944. Contudo, nenhuma dela mostra a primeira dama nas Cataratas do Iguaçu. Desculpe-nos se não pudermos ajudar no momento.
Mark Renovitch
FDR Library

Sim, estive na audiência pública sobre o Parque Nacional na Câmara dos Vereadores de Foz

Vou começar pelo final. O último a falar na Audiência Pública convocada pela presidente da Câmara de Vereadores de Foz do Iguaçu, Carlos Juliano Budel, foi o chefe do Parque Nacional do Iguaçu, Jorge Pegoraro. Ele disse: “todos nós que viemos aqui esta noite, ganhamos. Todos nós crescemos. Quem não veio, perdeu muito e não pode reclamar”. O primeiro que falou se não me falha a memória foi o vereador Luiz Queiroga. Ele sugeriu que a Câmara de Vereadores tivesse um assento no Conselho Consultivo do Parque Nacional do Iguaçu que está em formação. A lista dos que falaram é grande. Eu só gostaria ninguém lembrasse de mim. Eu fui lá e eu mesmo não sei o que disse. Um vexame. Fora “eu”, gostei de todos.

Tanto o presidente da Casa, Carlos Budel como o chefe do PNI elogiaram o nível da audiência. Não houve a baixaria esperada. Novidades: o chefe do Parque disse que a Fase I de uma “revisão” do Plano de Manejo (PM) do Parque Nacional do Iguaçu. Ele não disse revisão. Ele falou em “trabalho para rever” alguns pontos do PM. Essa primeira fase tratou de assuntos com concessinárias. Pelo que entendi, se tirou do PM o que constava lá mas que não já não existe.
Bom, não estou dizendo que acredito ou não. O Plano de Manjeo é muito complicado e eu realmente gostaria de saber mais sobre essa “primeira fase” e o que foi retirado ou acrescentado.


O chefe disse que uma segunda fase já começou e está ligada aos problemas do entorno do Parque Nacional do Iguaçu. Não esqueça que o PNI tem 14 municípios lindeiros. Foz do Iguaçu é só um deles. A economia de Foz é muito dependente do turismo ao passo que a economia de Capitâo Leônidas Marques, por exemplo, e todos os outros municípios é a agricultura e com muita ênfase no fumo – que logo, logo, por Convenção Internacional será erradicado como cultura. Certa vez, lá em Capitâo Leônidas Marqes eu escrevi o seguinte:

"Como cidade (CLM) ainda eminentemente agrícola, os mais de 15 mil habitantes da cidade não estão sós. Os 275 quilômetros quadrados de área do município, tem uma população de 490 ovinos – quer dizer cabras, cabritos, bodes e ovelhas; 645 eqüinos entre cavalos, éguas, burros e algum jumento; 19.500 suínos – porcos, porcas e porquinhos e 32.889 bovinos – incluindo bois, vacas, touros e bezerros. Porém todos estes números ficam lá embaixo quando comprados com a população de galinhas estimadas pelo IBGE em 2005 como sendo de 1.860.466. A agricultura é importante também. O município produz soja (quase 11 mil toneladas em 2005), mandioca (13,8 toneladas) e feijão (3,1 toneladas)".

Há também a indústria. Foz do Iguaçu teria inveja da quantidade fábricas no entorno. Tudo isso agride a integridade do nosso Parque Nacional.A segunda fase tratará justamente de alternativas econômicas em todos os setores: turismo,agricultura, industria, educação, segurança – tudo. “Dou minha palavra que haverá audiuências públicas aqui e em outros municípios para duscutir todos os setores” – garantiou Pegoraro.

A morte da onça veio à tona na maioria dos casos. Isso devido ao trauma do setor com a questão da entrada de veículos no PNI. Gostei do comandante da Policia Ambiental, Capitão Valdecir Capelli. Polícia é polícia e cabeça de policial pensa policialmente. Ele disse: “ A segurança ambiental é igual à segurança pessoal”. Ele se referia à falta de cooperação da comunidade. “Eu não creio que quem matou a onça não tenha deixado vazar, não tenha dito a alguém”. Entendeu? Esse alguém tem o dever de ligar para o Disk Denúncia e entregar. É obrigação. Lei do Silêncio não funciona em lugar nenhum.

Outra informação importante é que as investigações do caso da onça estão nas mãos da Polícia Federal. Disse que muito já foi feito. Carros periciados. Vamos aguardar! Afinal, um dia após a audiência, completou um mês da morte dela.

Muito foi falado sobre a arrecadação do Parque que não retorna para Foz do Iguaçu. Muito se disse sobre os 50% da arrecadação que deveria retornar para Foz. Aqui já há problemas: não é mais 50%. É até 50% e não menos que 25%. Aproveitando isso, só vem 20% e não é para Foz, é para investimento no Parque Nacional.

“O turismo não tem planejamento para trazer o turista para a cidade e fazer que ele veja mais coisas, para fazer mais coisas” – foi o teor da fala do médico veterinário, que fez a autopsia da onça, que já trabalhou no Parque, já consultou para empresas lá dentro e agora está nas Faculdades Anglo Americano. Eu não creio que ele quis dizer “planejamento”. Alguns fatos temos que encarar: o único motivo, a única coisa que atrai o turista para Foz do Iguaçu se chama Cataratas. Tudo o mais, inclusive Itaipu, ajuda, completa. Se as Cataratas secarem, por exemplo, nós sumimos do mapa. Porém, concordo com ele em que temos que “criar”. De modo geral, creio que todos entenderam que a “comunicação” não anda boa por aqui. Espero que melhore, queira Deus que sim ou Inshallah! Oxalá!

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails

Hora no Paraguai incluindo CDE

Hora Mundial: passe o mouse sobre o mapa para escolher região