sábado, 31 de julho de 2010

Turista israelense desaparecida não foi encontrada ainda


Os parentes da turista israelense Pnina Ayal, desaparecida desde o dia 8 de julho após ter entrado no Brasil pela Ponte Internacional Tancredo Neves em Foz do Iguaçu, não foi encontrada pelos familiares em Manaus. A sobrinha dela Shikma Peles Alfasi que esteve em Foz do Iguaçu, embarcou ontem (29) para Manaus, conforme matéria publicada n'A Gazeta do Iguaçu. A informação colhida pela reporter Dani Valiente é que alguem teria ligado de Porto Velho dizendo que tinha visto a israelense de 63 anos lá e que ela se dirigia para Manaus. Na tarde em que os familiares embarcaram para Manaus, o delegado Gabriel Pucci do Núcleo Migratório disse que a Polícia Federal não confirmava que Pnina Ayal houvesse sido encontrada em Manaus. O delegado disse que as informações colhidas pela PF até então confirmavam que ela tinha embarcado em um ônibus com destino a São Paulo. Em e-mail, Gil Chemke que viaja com a sobrinha da israelense, disse que infelizmente ela não foi encontrada. Em tom de desesepero Chemke diz que "infelizmente alguém parece ter brincado com eles, com os sentimentos da família. Aí está um caso triste. Onde está Pnina Ayal? Se você viu a senhora que aparece na foto, contate, a PF de sua cidade, consulados ou a Embaixada de Israel ou ligue para (45) 9963 8954 ou 3027 2900 e fale com Jacobo Schneider, profissional do turismo que acompanhou a família Parentes de Pnina Ayal momentos antes de embarcarem para São Paulo onde ficariam conexão para Manaus. Os dois sentem que a informaçao pode ter sido um trote. A primeira foto mostra Pnina Ayal no lado argentino das Cataratas do Iguaçu. Foto 2 é fotocópia de docmento fornecida pela família. A foto três é de Kiko Sierich fotógrafo da Gazeta do Iguaçu, Foz do IGuaçu.

sexta-feira, 30 de julho de 2010

Lula e Lugo no lançamento do linhão de Itaipu

O presidente Lula visitou o Paraguai hoje para lançar, junto com Fernando Lugo a linha paraguaia de transmissão da Itaipu Binacional. Toda a solenidade foi transmitida via internet.
Como havia um link para ser copiado e colado em blogs e sites, fiz o teste. Assim, o Blog de Foz fez sua primeira transmissão ao vivo de um evento. Dava para ouvir o vento do Chaco soprando. Uma maneira muito inteligente de transmitir eventos.
Tive a impressão de que a cerimônia ajudou a lavar a alma dos presidentes, ministros e equipes envolvidas. A coisa normal era acreditar que a Linha de Transmissão de Itaipu para o Paraguai não saísse. Os presidentes falaram de "apóstolos do apocalipse". Um dos mitos era que o Congresso do Brasil teria que aprovar o finacomento do FOCEM - que é um Fundo do Mercosul para a adaptação e convergências à serviço das economias menores. Quer dizer extamente para coisas como o linhão. Jorge Samek - diretor brasileiro da Itaipu foi o primeiro a falar. Afinal, trazer a coisa até aqui e os passos seguintes para materializar o projeto é responsabilidade da equipe e de seu colega Gustavo Codas.

quinta-feira, 29 de julho de 2010

Blogsfera Foz do Iguaçu

O Blog de Foz recebeu a filiação de seu 89º seguidor. Estou celebrando o fato e quero agredecer a todos os que destacaram o Blog de Foz para seguir. Na blogsfera isso já é recompensa. Agora estou vigiando para ver quem será o 90º seguidor do Blog. Lembro que seguidor na linguagem blogueira não é o mesmo que um seguidor de um guia, líder ou guru na linguagem normal. Seguidor é quem gosta e se interessa por um assunto ou estilo de um blog. Uma contagem rápida que fiz me mostrou uma coisa fantástica. Foz do Iguaçu tem 6.200 "perfis" de autores de blogs só no 'bloggers.com'. mas isso não significa que sejam 6.200 blogs. Muita gente - quer dizer muitos perfis tem mais de um blog. Eu, por exemplo, tenho 53 na conta do Blog de Foz, outros blogs ativos em outras contas e ainda um monte de blogs que fiz, enquanto aprendia e à muitos deles já não tenho acesso. Perdi a senha, esqueci ou cometi algum outro erro. Portanto, acredito que Foz do Iguaçu tenha muito mais que 6 mil blogs no bloggers - que é uma das ferramentas oferecidas gratuitamente pelo Google. Não sei ainda quantos perfis há no wordpress.com e outros. Assim, ter 89 segudores em um universo desses é um privilégio para mim!

Estranheza climática global

Estive em um evento esses dias e lá havia um engenheiro fazendo uma palestra. Eu não participava na palestra, só estava de passagem. Mas ouvi o palestrante dizer que é um mito dizer que o CO² prouzido pela humanidade esteja causando uma mudança climática. Ele disse que a humanidade não tem capacidade de causar mudança no planeta, pois somente ocupamos 7% da superfície da terra. Ele disse ainda que não há evidência de que haja aquecimento global. Tudo é cíclico. Estaríamos mais esfriando do que esquentando. Me lembrei de outro especialista que disse que falar em aquecimento ou esfriamento global é complicado. Ele sugeriu que usassemos o termo "estranheza global". Daí me lembrei do clima em Foz do Iguaçu nos últimos dias. Ontem (27) caiu uma geada perto de minha casa. Esfriou às 8h, ficou mais frio às 9h. gelou às 11h, esquentou às 14 e refrescou às 18h e prosseguiu à noite, como em um agradável clima de primavera. Está estranho! Quanto aos 7% da área ocupada pela humanidade na terra fiquei pensando. Estaria ele se referindo aos continentes? Daí me lembrei dos esgotos lançados ao mar, do lixo carregado pelas correntes marinhas no Pacífico, dos derrames de petróleo, do gigantesco sistema de encanamento que leva os esgotos para os mares diretamente no Rio, Sidney, Nova York e todas as grandes cidades. O mar está morrendo. O que são os números? Escutei uma frase de uma senhora que falando sobre a nova era, sugeriu que trabalhássemos para criar uma nova terra, um novo céu e, acrescentou, um novo oceano.

domingo, 25 de julho de 2010

Iguassu Night Run - Corrida Noturna em Foz

Se liguem para esta iniciativa! É a Iguassu Night Run - uma corrida noturna marcada para o dia 7 de agosto e que faz parte da comemoração dos 20 anos do Hotel Bella Italia. Já são 250 inscritos e o máximo será de 400 corredores. Acesse o site e se inscreva. E se você não é de Foz do Iguaçu mas vai estar na cidade no dia, participe. Você vai gostar. Foz do Iguaçu tem uma boa galera - galera do bem. Há uma taxa de iscrição de R$ 17. Mas é paga diretamente para a Associação de Proteção à Maternidade e à Infância (APMI)

sábado, 24 de julho de 2010

Indios Brasileiros poderão ser "terroristas"?

Você pode pensar que esta nota seja estranha. Mas explico do que se trata. Vi no Portal da Amazônia a matéria intitulada: PF investiga existência de milícia indígena no Alto Solimões.
A matéria me chocou até porque eu sou um brasileiro 100% civil que conhece, gosta e divulga fronteiras. Como a maioria dos brasileiros não sabe o que é Alto Solimões, e visto que a maioria nunca ouviu falar em ticunas, não consegue contextualizar a informação. Isso é típico do jornalismo, mea culpa! Achei tudo muito perigoso.

Como o ótimo portal tem espaço para comentário, comentei. O meu comentário é este:

"Jackson Lima - 24 de julho de 2010 | Foz do Iguaçu - Paraná
Para mim, os Ticunas, estão sendo vistos com olhos ocidentais demais. Me parece perigoso associar os índios às FARC. O próximo passo é classificá-los como "terroristas". Moro em Foz do Iguaçu onde criou-se o mito da presença de células terroristas. Aqui os terroristas seriam árabes. No Alto solimões, serão os ticunas? Uma pena! Os índios sempre tiveram segurança nas aldeias. Deter gente não é tipico de indio. É coisa de "civilizados". Estão imitando um modelo que eles, no fundo, admiram. Aí falta diálogo. Morei em Tabatinga onde está Umariaçu. Faltou dizer que se no Umariaçu há FARC, teriam passado por cima do CFSol /8Bis do Exército Brasileiro? É bom que o Brasil saiba que Tabatinga existe. Os ticunas existem e eles são Brasil! Jackson Lima, jornalista"


As fotos mostram 1) o escudo da milícia e 2) as armas dos neo-terroristas amazonenses.

sexta-feira, 23 de julho de 2010

Ventos da fronteira: Criança em foco

Ventos da Fronteira: agenda

Este mês de julho está registrando uma série de eventos ligados à exploração sexual, exploração do trabalho de crianças e adolescentes entre outros. Os três eventos abaixo são de esferas diferentes: municipal, estadual e Mercosul. As coisas estão assim:

hoje, dia 23, aconteceu um debate sobre o Plano de Enfrentamento à Violência Sexual Infantil. A esfera do evento é municipal. É organizado pela Rede de Proteção Integral à Criança e ao Adolescente e acontece no audotório do Polo Tecnológico da Itaipu (PTI). Este evento aponta para a criação de um Plano Municipal de Combate à Volência contra as crianãs e adolescentes. Confira resultado!

Na semana que vem, nos dias 27 e 28 vai ser a vez de um evento regional. Repito, regional quer dizer "Mercosul". Autoridades da área social da Argentina, Brasil, Paraguai, Uruguai e estados associados ao Mercosul vão participar de uma "Jornada Pelos Direitos de Meninos, Meninas e Adolescentes contra o Tráfico e a Exploração Sexual e Laboral", vai sr no Hotel esturión em Puerto Iguazú, província de Misiones, Argentina. O nível dessa reunião é multilateral, regional, merocusl

Finalmente no dia 30, o SESC organiza o I seminário de Erradicação do Trabalho Infantil. A esfera do evento é estadual. Em 2007 o Ipardes divulgou que 36.458 crianças paranaenses entre 10 e 13 trabalharam de alguma forma e que dessas 5.4000 deixaram a escola para trabalhar.

Destaco! Todo este debate são frutos de convenções internacionais

quarta-feira, 21 de julho de 2010

Cadê o Acordo sobre Localidades Vinculadas?

Eu já coloquei no meu "Almoxarifado" ou depósito de Textos o Acordo Brasil-Argentina sobre localidades vinculadas. Foi assinado em Puerto Iguazú no Hotel Casino Iguazú pelos presidentes Luiz Inacio Lula da Silva e Nestor Kirchner. O acordo dá uma lista de cidades vinculdas entre Brasil e Argentina. Foz do Iguaçu é a cidade vinculada à Puerto Iguazú. Dá também uma série de direitos, privilégios e facilidades para o residente em cidades vinculadas da fronteira Brasil-Argentina. Descobri que em direito internacional há uma palavra interessante: "internalizar". Para valer, o Acordo tem que ser "internalizado" quer dizer aprovado dentro do Brasil. Aprovado pelo congresso e ter passado por certos trâmites. Acontece que este Acordo ainda não o foi. Esta postagem tem como propósito cobrar esta medida. Por quê? Porque nós estamos levando prejuízo. Na Argentina o acordo está em vigor. O presidente do Pólo Iguassu (uma ONG), Faisel Saleh, estava contente, esses dias, enquanto exibia uma carteirinha que a Migracion Argentina habilitou e distribuiu para participantes da Reunião do Conselho Executivo da OMT em Puerto Iguazú. A mesma carteira foi distribuida aos participantes do Latin American Travel Mart em 2004 (Foto). O modelo dela está pronto há tempo. É a carteira que está no Acordo Bilateral das cidades ou localidades vinculadas. Confira os pares de cidades vinculadas e alguns dos direitos que o Acordo contempla:

Localidades Fronteiriças Vinculadas

Foz do Iguaçu – Puerto Iguazú
Capanema – Andresito
Barracão/Dionísio Cerqueira – Bernardo de Irigoyen
Porto Mauá – Alba Posse
Porto Xavier – San Javier
São Borja – Santo Tomé
Itaqui – Alvear
Uruguaiana – Paso de los Libres
Barra do Quaraí – Monte Caseros

Direitos (ainda negados)

a) Exercício de trabalho, ofício ou profissão de acordo com as leis destinadas aos nacionais da Parte onde é desenvolvida a atividade, inclusive no que se refere aos requisitos de formação e exercício profissional, gozando de iguais direitos trabalhistas e previdenciários e cumprindo as mesmas obrigações trabalhistas, previdenciárias e tributárias que delas emanam;
b) Acesso ao ensino público em condições de gratuidade e reciprocidade;
c) Atendimento médico nos serviços públicos de saúde em condições de gratuidade e reciprocidade;
d) Acesso ao regime de comércio fronteiriço de mercadorias ou produtos de subsistência, segundo as normas específicas que constam no Anexo II, e
e) Quaisquer outros direitos que as Partes acordem conceder.

terça-feira, 20 de julho de 2010

Fora do ar! Problemas técnicos

Fiquei fora do ar desde a última postagem. Motivo, defeito no computador. Espero que ele volte para casa hoje. Bem. na última postagem, falei dos iguaçuenses que estão indo para a Força de Paz no Haiti. Hoje alguns deles já podem ter embarcado. O capitão que comanda o pelotão, me disse que a partida seria de Curitiba que é a base da Força criada especialmente para atender as missões dos "Peacekeepers" - ou seja Mantenedores da Paz. Muita coisa aconteceu desde que postei pela última vez. Confira:

Ventos da fronteira

A presidente da Argentina, Cristina Fernández (Kirchner) assinou o Decreto 1011/2011 que garante proteção integral à mulher. A lei será aplicada contra a violência à mulher nas seguintes áreas: física, psicológica, sexual, reprodutiva, econômica e simbólica dirigidas à mulher em qualquer circunstância: familiar, institucional, na mídia ou no trabalho.

A lei – estilo Maria da Penha é parte de outras leis que segundo Cristina e todo mundo diz, ajuda construir uma sociedade mais igualitária. As outras leis incluem a do matrimônio igualitário popularmente chamada de lei do casamento gay aprovada e a lei da democratização dos meios audiovisuais.

Coloquei o Decreto 1011/2011 no meu depósito de textos Vou continuar falando e comparando leis que observo aqui na Tri-Visão Fronteiriça!

sexta-feira, 16 de julho de 2010

Foz do Iguaçu na Força de Paz da ONU

Fiz esta foto hoje pela manhá. Foi um pouco antes da cerimônia de apresentação dos 41 militares que servem no 34º Batalhão de Infantaria Motorizado (34º BIMTz) aqui no centro de Foz do Iguaçu. Eles embarcam para o Haiti a parir do dia 21 onde ficarão seis meses. Eles vão fazer parte do 13ºContingente do Batalhão de Infantaria da Força de Paz. É o Brasil global. Os 41 soldados, cabos, sargentos comandados pelo capitão Lázaro Fereira de Lima são parte de um grupo de 170 militares, ou um pouco menos, que saem de batalhões do Oeste do Paraná e inclui Guarapuava, Campo Mourão, Guaíra. O 34º é parte da 15ª Brigada de Infantaria Motorizada com base em Cascavel. Como sou fã de tudo o que tem a ver com a ONU que a pesar das limitações, coseguiu segurar a 3ª Guerra Mundial, envio meu coração com eles e que ajudem a manter o Haiti em Paz e no caminho à reconstrução! Voltarei ao assunto!

domingo, 11 de julho de 2010

sábado, 10 de julho de 2010

Foz no Ideb! Comemoração merecida mas cuidado com o exageiro


O prefeito de Foz do Iguaçu e a equipe de Governo, professores, a secretaria de educação comemoraram o Ideb de Foz (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica). Foi um índice muito bom e que merece ser comemorado. Mas não é o resultado de um jogo de futebol. Indices são ferramentas que devem ser analisadas por especialistas para projetar políticas em cima dela. A afirmação não é minha. Cito o ouvidor da Agência Brasil de Noticias Paulo Machado (Leia o texto dele). Índice há muitos e que servem para trabalhar e mudar a realidade. Por exemplo a Renda Per Cápita é um índice que pega o PIB (Produto Interno Bruto) ou seja tudo o que é produzido no Brasil e divide pelo total de Brasileiros. Dá US$ 8.020,00 por cabeça. Mas isso não quer dizer que, na prática, todo brasieiro ganhe oito mil dólares por ano até porque há uma coisa chamada "desigualdade". Para ganhar isso por ano, todo brasileiro deveria ganhar cerca de US$ 660 por mês. Mas o índice é bom por que ajuda a traçar meta. Por exemplo, o Brasil quer dobrar a renda per cápita até 2022. É a mesma coisa com o Ideb.
O ouvidor alerta para a confusção que isso faz na cabeça dos pais. Devo tirar o meu filho da escola onde ele está e transferi-lo para a escola que tirou 8,4 no Ideb? Isso vai significar um salto no estudo dele? Segundo o ouvidor isso é perigoso. Pois, se assim fosse, todos os pais de alunos das escolas municipais de Foz do Iguaçu deveriam estar pensando em se mudar para Serranóplois do Iguaçu onde a média da cidade foi 7,2 - a nais alta do Paraná. O Ideb não é para isso. O índice pouco diz também sobre a metodologia utilizada na escola, a felicidade dos professores e o bem-estar dos alunos.

Na prática, chega-se ao Ideb pegando o resultado da Prova Brasil, o nível de aprendizado e a evasão escolar. A relação entre aprendizado e evasão é interessante. Se cresce a evasão, a escola perde. Se para evitar a evasão se aprova quem não aprendeu, a escola perde. É assim tudo amarrado. Porém há muito que conversar. Na terra de Paulo Freire (Brasil) ainda predomina a "educação bancária" - nada a ver com educação para ser bancário no futuro. É aquela educação onde o aluno sentado na banca, copia e copia e copia. O professor ensina e o aluno absorve. Não é uma educação para a autonomia. É uma educação para a bobeira e a submissão.

Nota:
Veja os resultados do IDEB Aqui
A imagem acima mostra as habilidades que os alunos examinados na quarta série devem ter. É possível que muitos pais não tenham esse conhecimento!
Artigo completo aqui
Todos pela Educação!

quinta-feira, 8 de julho de 2010

Greve em Foz! Ônibus param e população dança

Terça-feira e quarta foram dias de greve no transporte coletivo de Foz do Iguaçu. Os motoristas e cobradores exigem direitos, os patrões negociam e a Prefeitura insiste em que aqui é um paraíso. Sei que andei a pé na terça, na quarta (ontem) e se me der vonate vou andar de novo em protesto pelos 20 centavos que me mordem no preço da passagem. Quem tem cartão eletrônico paga R$2.20. Quem não tem paga R$ 2.40. A greve foi suspensa até segunda-feira. Se não for resolvida a situação, vai ter mais e a população vai sofrer de novo. Ao meio dia, os ônibus parecem carregar 600 pessoas cada. Feio para Foz do Iguaçu. Ouvi muta gente confessar que vai comprar carro para se livrar da humilhação dos ônibus. Assim, creio que, ao contrário do mundo, aqui se incentiva que saiam às ruas o máximo de carros! A foto é de Roger Meireles / da Gazeta do Iguaçu.

quarta-feira, 7 de julho de 2010

Tríplice Fronteira: um conceito negativo


O site H2Foz acaba de colocar no ar uma entrevista feita pelo colega Alexandre Palmar com detalhes sobre política internacional. O artigo se chama: "A idéia de triplice fronteira vem carregada negativamente". O entrevistado é o professor Arthur Bernardes Amaral (foto), autor do livro “A tríplice fronteira e a guerra ao terror” (Editora Apicuri, 312 páginas, primeira edição em janeiro de 2010). Confira a entrevista vale a pena. Recomendo o livro também e acima de tudo para os vereadores, políticos, lideranças da cidade, prefeito Paulo Mac Donald, comandantes de policias e forças armadas. O estudo é acadêmico. Vale a pena! O livro está disponível em todo o Brasil. Em Foz, a Livraria Kunda tem um bom estoque. O H2Foz está de cara nova. Confira outras entrevistas.

domingo, 4 de julho de 2010

TriFron na Copa: foi melhor assim

Esqueça os 192 milhões de brasileiros, os 40 milhões de argentinos e os 6 milhões de paraguaios. Quero que você se concentre nos cerca de 800 mil, talvez mais, talvez menos, que vivem na região denominada de Tríplice Fronteira, que sempre se chamou de Três fronteiras e eu para evitar chamo de Tri-Fron ou Trifon. E daí falo sobre como a copa foi vivida neste encontro – até pouco tempo longínquo - dos três países. Aqui, os paraguaios são maioria – basta ver que CDE é uma região metropolitana, ponha aí uns 600 mil! Foz do Iguaçu tem 320 mil e Puerto Iguazú, até pouco tempo bucólica mas que já está explodindo e que caminha para 100 mil – logo, logo!

Durante os 23 dias de copa em que nossos países estiveram, lá, os cantinhos fronteiriços sonhavam, se insultavam, confraternizavam, mentiam, juravam fidelidades e prometiam que ganhasse quem ganhasse a a TriFron deveria sair dessa campeã.
Mas quando o Brasil saiu da copa mandado para casa pelos descendentes de Maurício de Nassau, houve festa em Puerto Iguazú e houve festa em Ciudad del Este. No outro dia, saiu a Argentina. Eu não vi festa pela desgraça argentina, esportivamente falando, no lado brasileiro. O que eu vi foi muita gente dizendo que iria torcer pelo Paraguai. Não entendo mas vi pouquíssimas bandeiras argentinas em Foz. Eu mesmo não tenho uma, vou comprar. Na hora da verdade não tenho bandeira nenhuma. Porém, a albirroja (vermelha e branca) paraguaia estava por toda a parte. Mas daí o Paraguai saiu também.

Foi melhor assim. Falo do resultado das quartas de final da Copa 2010. Por mais de 20 dias estivemos lá, em ordem alfabética: Argentina, Brasil e Paraguai. Deixando o resto do Brasil de lado, bem como o resto do Paraguai e de resto da Argentina, tivemos a oportunidade de sentir que as Três Fronteiras estavam na Copa. Hoje, as Três Fronteiras não está mais lá. De um a um, deixamos a África do Sul. Primeiro o Brasil, logo a Argentina e por fim o Paraguai. Todos fizeram o seu papel e deram o melhor de si. O Paraguai lutou bravamente até o fim. Mas isso é coisa para os especialistas em futebol.

O que eu sei é que hoje aqui na TriFron, o tempo está quente. Um inverno atípico. Sopra o vento do norte e a humidade está baixa. Muita gente gripada. Dei uma andada na rua. Vi uma boa quantidade de bandeiras paraguaias na frente de casas. As bandeiras brasileiras, não foram escondidas. Vi churrascos tri. Na casa de uma vizinha minha, paraguaia, havia umas 15 pessoas. Na hora que passei uma história estava sendo contada – em espanhol, português e guarani de uma só vez. Mas não era história sobre a copa. Um colega argentino, nem tocou no assunto. Os brasileiros de Foz estavam pensando em Cruzeiro, São Paulo, Foz FC. Silêncio. A fronteira faz o que mais sabe fazer, silenciar, negar e sofrer.

A tristeza da Tri Fron foi compartilhada. Em dois dias, lágrimas de paraguaios da TriFron, de argentinos de Puerto Iguazú, de Brasileiros de Foz davam para ter enchido uma piscina. Dá para entender quando choramos porque morreu um parente, a cachorrinha de estimação, porque foi embora o amor. Mas como entender o choro causado pela dor de perder a copa de futebol três vezes em 24 horas? Não é a copa da vida? Não é uma "copa de vinho" sagrado.

A TriFron me mostrou uma estranha beleza escondida no choro. Chorar e compartilhar o choro! Esta foi a coisa boa da Copa 2010, para mim, morador sofredor da TriFron. Em 2014 haverá mais. Porém duvido que esse alinhamento ocorra, de novo!

E se um de nós tivesse ganho? O Presidente Lula emplacaria uma reforma qualquer, enfiaria, na minha goela, mais uma hidrelétrica, contra a minha vontade, e anunciaria uma Usina Atômica no Nordeste; a presidenta Cristina Kirchner enfiaria goela abaixo uma lei qualquer de preferencia contra o aposentado argentino e o Paraguai? O que faria o presidente Lugo? Foi melhor assim.

sexta-feira, 2 de julho de 2010

Bingo na Cetedral para ajudar a APMI

Recebi uma notinha da colega Lilian Grellmann da Revista 100 Fronteiras e repasso. Amanhã, sábado, dia 3, as Amigas do Coração estarão promovendo um Bingo Beneficente no Salão da Paróquia São João Batista aqui em Foz do Iguaçu. A entrada por pessoa custa R$ 12.00 e a cartela extra custará R$ 1.00 caso você se empolgue. O importante é que toda renda será revertida para a APMI - uma famosa creche e entidade da cidade que é cnhecida pór todos. Vai haver também um coffe-break. Vai lá!

quinta-feira, 1 de julho de 2010

Foz do Iguaçu e o Xarope de Caraguatá

Foi em agosto de 2008, vai fazer dois anos, publiquei uma nota no Blog de Foz com o título: Vendo Caraguatá Fresquinho. Recebi muitos e-mails de pessoas que queriam comprar caraguatá para fazer xarope. Com o título eu só estava brincando. O que eu queria destacar é o fato de que há épocas em que vendedoras paraguaias trazem o caraguatá para Foz do Iguaçu e vendem em algumas esquinas. Com essa história de caraguatá, descobri uma cultura forte ligada à ervas medicinais e no caso do caraguatá, ao xarope. O caraguatá é da família da bromélia e parente do abacaxi. Descobri lendo textos antigos que havia na região, lá pelos anos 20, fabricação de cordas para amarrar embarcações a partir da polpa do caraguatá. Na foto principal, acima, você vê um cacho de caraguatá e não é qualquer cacho. A historia dele é a seguinte: na semana passada, na Vila Portes, um bairro super interessante de Foz, encontrei uma vendedora paraguaia e o comprei. Em casa me pus a fazer o xarope testando a receita que publiquei em 2008. No primeiro teste, só usei 10 ou 12 frutos em 250 mls de água. Descasquei, lavei, limpei os frutos e coloquei todos em uma tigelinha antes de passar para o próximno passo que era adquirir o mel de abelha. Aqui aconteceu mais uma coisa. Minha mulher conversando com as vizinhas sobre plantas falou sobre folhas, sementes, chá de guaco para gripe e outros chás e terminou mencionando o meu xarope que estava à espera de mel. Imediatamente, uma vizinha aparece com um vasilhame cheio de mel e nos presenteia. Daí, minha mulher lhe deu folha de guaco e uns frutos do meu caraguatá além da minha receita. Esta é a Foz que eu gosto!
Com o mel entrou em ação o meu pequeno pilão feito originalmente para fazer caipirinha. Masserei bem os frtuos até conseguir uma pasta amarela. Retirei boa parte da semente que guardei pois vou tentar plantar. Mesmo assim ficaram sementes na pasta. Creio que não devam matar porque ainda estou vivo. Daí, levei o produto ao fogo. Esperei a água ferver. A receita mandava mantê-la fervendo por cinco minutos. Daí cooei. Acrescentei o mel e fiquei ao lado mexendo a colher por uma eternidade até que o líquido começou pegar uma consistência de xarope. Um pouqinho antes disso, aconteceu uma coisa, o cheiro de mel invadiu a cozinha. Olho para cima de minha cabeça e havia umas 15 abelhas voando. Minha consciência doeu. "Elas vieram buscar o mel. É delas. Pertence a elas. Roubei o mel delas". Assim, tampei a panela e fechei as portas mas antes tive que rodar uma toalha para que as abelhas abandonassem o recinto. Finalmente ficou pronto. À tarde notei que estava gripando. À noite tomei a primeira colher do meu xarope de caraguatá. Agora pouquinho tomei mais uma. Funcionou. Vou fazer mais. Gostei! Ia esquecendo o mais importante: o cacho da fruta custou R$ 4.00.

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails

Hora no Paraguai incluindo CDE

Hora Mundial: passe o mouse sobre o mapa para escolher região