terça-feira, 30 de agosto de 2011

Imagens do Café-da-Manhã - Festa Eid al Fitr 2011

Coloco aqui algumas fotos que fiz na Mesquita Omar Ibn Al Khattab, como há duas em Foz, falo daquela que é conhecida como "a Branca" durante o café-da-manhã oferecido no primeiro dia do mês de shawwal quando acontece a festa que comemora a quebra do jejeum. Na foto,está a equipe de mulheres responsáveis pela área social da Mesquita. A líder do grupo é Noha Sleiman (de véu preto, primeira fila) que por essas horas deve estar no Líbano para onde foi nesse mesmo dia! As mulheres organizam a festa, o que inclui uma coleta de comida, doces, doces tradicionais, bonbons entre as mulheres da comunidade. Assim uma das visões mais normais é ver mulhres trazendo comida de casa para a festa como a senhora na foto que passa na frente da escola em direção à tenda principal do banquete.
As crianças aproveitam. Na ocasião não faltou os brinquedos tipo pula-pula e piscina de bolinha, castelinho e outros que nã faltam em festas e promoções que envolvem crianças de todas as raças, religião e poder aquisitivo da Terra das Cataratas e onde quer que haja o mínimo de dignidade. Uma das mesas, ao ar livre era essa a dos doces. Destaco na festa e no ambiente um ar de calma e tranquilidade. Cada um na sua, as crianças são livres. Não vi criança chorando porque levou um beliscão ou mãe gritando para que os filhos parassem de correr. Os jovens parecem com seus pares brasileiros e notei a liberdade de uso e moda no ambiente. Havia mulheres com véu, sem véu, de vestido, calça comprida e rapazes com cabelo estilo Luan Santana, Mohicano. As mesquitas de Foz do Iguaçu tanto "a branca" como a "Husseniya" são frequentadas por, chutemos 90% de libaneses. Foram construida por libaneses e brasileiros descendentes de libaneses. Mas elas não são exclusivas para libaneses. As mesquitas estão abertas para muçulmanos de todo o mundo. Captei essa família muçulmana mas não libanesa. Não tive como chegar perto para perguntar. Mas meus quase 60 anos de perambulação neste planeta me dizem que podem ser da India ou até Bangladesh. Estamos falando de diferenças de idiomas muito grandes, de culturas muito diferentes. O que une é a religião. Continue ligado ou ligada porque já tenho mais fotos para publicar de outro grupo de mulheres árabe-iguaçuenses que promoveram mais uma ação além de outras notas sobre a riqueza cultural de Foz do Iguaçu (fotos 'bairronauta').

Fim do Ramadã em Foz do Iguaçu: mesquita iluminada!

Ontem, dia 29, terminou o mês de Ramadã, o mês do calendário islâmico durante o qual os os muçulmanos devem jejuar. Este ano, o Ramadã coincidiu com o mês de agosto. O fim do Ramadã em Foz do Iguaçu aconteceu no momento em que o sol se pôs. É o momento em que, quem está aqui, acredita que o sol se pôs em cima do rio Paraná. A Mesquita foi iluminada durante minutos por um chuva de fogos de artifícios captada pelas lentes de Kiko Sierich que estava nas proximidades do Supermercado BIG, na Avenida JK. A proposta do Ramadã é muito bonita. É o mês no qual o Corão foi revelado. Se ensina que com o jejum se aprende a ter paciência, tolerância e perseverança. Quando o Ramadã, termina se celebra a festa Eid al Fitr. Os fogos na mesqita marcam o início da festa do fim do jejum. A festa continuará amanhã pela manhã com um café-da-manhã na Mesquita Omar Ibn Al-Khattab. Não compromentendo o islã, digo que este mês de Ramadã foi muito bom para mim. Até escrevi um texto chamado Lua Cheia de Ramadã, me referindo à Lua Cheia que aconteceu no sábado, dia 13 de agosto de 2011 às 20:57:30 hs! Sem entrar em detalhes, por enquanto, só digo que sigo o calendário lunar desde 2008, no acompanhamento de algumas metas traçadas! A coincidência com a Lua Cheia de Ramadã, foi muito apreciada!

segunda-feira, 29 de agosto de 2011

Porto-riquenhos em visita à Tenda de Umbanda Luz de Oxalá


Fui convidado para acompanhar junto com a equipe de turismo de uma agência de turismo e operadora de Foz do Iguaçu, a um grupo de turistas de Porto Rico que visitaram Foz do Iguaçu e queriam, na Terra das Cataratas, ver e participar das atividades de um terreiro de umbanda. O terreiro escolhido foi a Tenda de Umbanda Luz de Oxalá no Beverly Falls Park. A história por trás da visita é seguinte: a Agente de viagem colega minha tinha levado o livro "A Y-Guaçu Secreta - as Cataratas do Iguaçu como Chacra da Terra" para a Feira Mundial de Turismo de Londres há alguns anos. O livro foi dado a agente de Porto Rico que entre outras coisas tem um programa de rádio. Ela se interessou pelo assunto. Além das Cataratas o Brasil possui outros sítios de "grande poder" ou "lugares sagrados". Com a consulta do pessoal de Porto Rico, esta é a segunda este mês de pessoas de outros países sobre o aspecto sagrado de Foz do Iguaçu (Cataratas) e dos outros lugares do Brasil que dei uma pincelada inicial no livro. Me incentivaram a aprofundar o assunto e eu terei que fazê-lo. Por enquanto, fico por aqui, agradecendo a visita do pessoal de Porto Rico e agradecendo a habilidade de organização de meus colegas de turismo e da comunidade do terreiro de umbanda. Comentei sobre a visita e alguém da cidade me perguntou: e tem umbanda em Foz do Iguaçu. Tem, colega e muita gente! O problema é que a umbanda - uma religião brasileira é uma das manifestações mais bonitas de espiritualidade. O problema é o preconceito. Primeiro por ser associada aos "pretos" e escravos e portanto pobre e classe baixa. Mas é realmente por ser de negro e de pobre que é bonita. Uma religião natural e da Natureza. Por isso Cataratas e umbanda tem ligação. Logo digo mais! (Foto 'bairronauta')

Sonhando e revivendo: Caiaques no Canal Itaipu

Só para não deixar passar batido fui e registrei algumas fotos no Campeonato de Canoagem Slalom para Iniciantes nas águas do Canal Itaipu. Levei meus meninos para ver na esperança de contagiá-los com o virus da caiaque ou canoa do qual sofri por muitos anos. Claro que o slalom ou qualquer esporte competitivo não é meu forte. Trabalhei e lutei pelo que chamei de caiaque-natureza, o que significa o caiaque como meio de transporte para viagens em lugares de grande beleza e de longa distancia, exemplos: Foz do Iguaçu-Buenos Aires ou Posadas sem competição. É uma espécie de caiaque curtição. Infelizmente essa modalidade não decola no país mas já é significante o número de pessoas que já o oferecem. Nas fotos todas do
'bairronauta' - eu estava esquecendo desse personagem - vemos crianças de Foz do Iguaçu que fazem parte do projeto Meninos do Lago e outros grupos de vários lugares do Brasil. Em uma delas, o garoto procura seu nome na lista de vencedores. Uma dupla de remadores de Foz, parou e pousou para mim. Obrigado, criançada, vamos nos ver na próxima remada. Como falei que caiaque é virus e uma vez caiaquista, caquista até a morte e tem gente que até na morte, pois, em vez de cremado ou sepultado há quem prefira ser "caiacado" - colocado em um caiaque e empurrado mar abaixo. Veja que visão linda desse barquinho, pequeno, verdadeira luva-sapato que se veste ou se calça criado pelos índios das terras frias (inuits) das Américas. Um barco americano!

Tortura Nunca Mais na Praça da Bíblia

A Praça da Bíblia entre o Jardim São Paulo e o Conjunto Libra está se transformando em uma verdadeira Praça do Povo ou seja uma Praça que é do Povo. Durante toda a semana houve atividade aqui no Teatro Barracão e ontem, domingo, foi dia de fechamento com apresentação de coral, banda, grupos musicas, filmes e como mostram as fotos que tirei uma apresentação de hip hop com bom público, boa galera. Mas, como hip hop é arma de protesto contra um estilo de vida água-com-açucar, a semana de atividades tinha como tema a tortura e a ditadura. Praça do povo é isso! A apresentação / ato público no domingo, teve hip hop, teatro, música, varal de protesto, sarau de poesia, panfletagem, e coleta de assinaturas para abaixo-assinado pela abertura dos arquivos da ditadura militar. Quem assinou as atividades foi o Grupo Tortura Nunca Mais – Foz do Iguaçu formado pelo Centro de Direitos Humanos e Memória Popular de Foz do Iguaçu, APP-Sindicato Núcleo Foz, FRONTera Hip Hop, Intersindical, Movimento Fronteira Zero, Casa da América Latina, e Subseção de Foz do Iguaçu do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Paraná. Gostou? (Fotos 'bairronauta')

A Usina Hidrelétrica de Acaray, Paraguai vista de Foz

Coloco aqui e em primeira mão uma foto da Usina Hidrelétrica Acaray em Hernandárias no Paraguai. Ela está localizada a poucos quilômetros abaixo de Itaipu. Itaipu está no rio Paraná, você sabe né? A Usina de Acaray está no rio Acaray e o rio Acaray vai desembocar no rio Paraná. Esta é a maior usina hidrelétrica 100% do Paraguai (Itaipu e Yacyretá são binacionais). É dela que o Paraguai vai vender energia para o Uruguai. As conversas estão adiantadas e a Argentina já está preparando a liberação para que as linhas de transmissão atravessem território argentino. Essa usina foi construida na época do presidente e general Alfredo Stroessner para vender energia para o Brasil - leia-se Foz do Iguaçu e Oeste do Paraná. Até muito recentemente a Copel - Companhia Elétrica do Paraná era cliente de Acaray. É possível que ainda seja e que parte da energia de Foz do Iguaçu venha de Acaray (corrijam-me, se estiver errado). A foto foi tirada da Avenida Tancredo Neves (BR-600) a que leva à Itaipu Binacional. O local exato: próximo ao Sindicato dos Eletricitários de Foz do Iguaçu e não longe da entrada da Avenida que leva à Unioeste / Uniamérica. Quem olha da avenida na direção da Usina verá também o morro mais alto de Foz. É o Aterro Sanitário (AS) da cidade que até pouco tempo era chamado de lixão. Assim anote, aí na área imediata de Foz do Iguaçu temos duas hidrelétricas de importância. Ainda na área de hidrelétricas, estou sabendo que a Itaipu Paraguai está quase pronta para abrir a visitação ao modelo Hidrológico de Itaipu. É o que aparece na foto ao lado (do jornal de Itaipu (JIE). Vai ser uma boa atratação ou atrativo. Falarei disso assim que voltar lá. Fica em Hernandárias! Se ligue em Hernandárias a antiga Tacuru Puku (Cumpinzeiro Fundo), o núcleo populacional mais velho das Três Fronteiras! ('bairronauta')

sábado, 27 de agosto de 2011

Rua Mariscal Francisco Solano López 85864-050 Foz do Iguaçu

(Foto 'bairronauta')

Existe em Foz do Iguaçu um bairro chamado Vila Paraguaia (Villa Paraguaya). Fica na área de influência do bairro Jardim América onde ficam a Rua das Guianas, Rua Chile, Rua Equador, Rua Bolívia entre a Avenida Beira Rio e a Avenida JK. Caminhando pela Vila Paraguaia vi ruas como a Ypacaraí e realmente gostei de ver a Rua Marechal Francisco Solano Lopes que na placa acima se lê em espanhol Mariscal Francisco Solano - a exceção é Lopes, aportuguesado, em vez de López. Ao procurar no Google a rua, aparecem dezenas de ruas Francisco Solano López e todas no Paraguai. Haverá outra rua em homenagem a Franscisco Solano López no Brasil? O "Mariscal" (foto da Wikipedia)era o presidente do Paraguai durante toda a Guerra da Tripla Aliança (Tiple Alianza). Para os aliados ele era "o inimigo". Personagem controverso dentro e fora do Paraguai. Vale a pena dar uma olhada na internet ou bibliotecas sobre esta figura histórica das Américas. Estou postando este material para mostrar essa coisa democrática de convivência em Foz do Iguaçu. E não estou pedindo um "revisionismo" da nomeclatura da rua. Nem que corrijam o português / espanhol. Deixe como está.
Clique no mapa para ver a rua e localização geral da área. E aproveite a oportunidade para ir fundo e saber mais sobre a história dos dois países inclusive nesas áreas de conflito. Comece pela Wikipedia em português ou aqui em espanhol ou guarani. Fiz uma busca na lista de CEPs (Código de Endereçamento Postal) do Brasil e como Rua Mariscal Francisco Solano López não aparece nenhuma. Segundo a lista de CEP aparace a Rua Marechal Francisco Solando Lopes. O CEP está acima! O que mostra que a integração , uso da grafia em espanhol etc é acidental. Mas seja lá como for, o marechal é lembrado em Foz do Iguaçu.

quinta-feira, 25 de agosto de 2011

Antigas Residencias do Governo do Paraná na Avenida Brasil, Foz do Iguaçu

Você reconhece esta casa? Fica na Avenida Brasil em Foz do Iguaçu! Aqui funciona o Instituto de Identificação do Paraná - um dos lugares onde se tira carteira de identidade. A casa é parte de um conjunto que inclui ainda uma casa hoje usada pela Delegacia da Mulher e do Turista e outra ocupada pela Casa do Empreendedor. Foram construídas e inauguradas em 1950 na gestão do governador do Paraná, Moisés Lupion. Note que a casa mantém as janelas originais. Vale a pena dar uma olhada no trabalho de serralharia. Muito bom. Aqui destaco a placa de bronze que em si - já denuncia seu valor se não histórico pelo menos de antiguidade. Material completo sobre isso está nesta outra postagem que fiz há tempo e que ainda não estava completa para liberação.



domingo, 21 de agosto de 2011

Cai ou não cai? Caiu!

Caiu! Finalmente caiu este banco do TTU que desafiava a gravidade há tanto tempo. Caiu na minha frente. Caiu com quatro iguaçuenses nas costas, no lombo ou abordo. Eu estava sentado atrás do banco quando por intuição olhei para ele. É como se ele quisesse se despedir. Vi quatro pessoas nele. Senti imenso carinho por ele. Quanto tempo aguentou! Um verdadeiro patrimônio de Foz do Iguaçu. Entre os bancos ele foi a nossa "Torre Pisa", um monumental banco inclinado. Cinco minutos depois do colapso, apareceram uns sevidores que o pegaram e o levaram para o seu descanso - provavelmente eterno! As duas fotos foram tiradas em 2009. Fiz uma publicação neste blog no dia 21 de novembro de 2009. Hoje volto para responder a pergunta que fiz então: cai ou não cai? Resposta: Caiu! Os bons iguaçuenses se comportaram magnificamente bem. Ninguém riu. Mesmo após constatarem, de bocas abertas, que havia quatro pessoas sentadas no chão como se fossem quatro criancinhas brincando de carrinho em cima dos escombros do heróico banco! Na postagem da época eu predisse que quando ele caísse nunca seria substituído. Próxima pergunta: será substituído? Serei eu um falso profeta? Pode passar 10, 20 anos, um dia respondo!

Região do Morumbi ganha linha nova: TTU - Jules Rimet

A partir de amanhã começa a funcionar uma linha nova em Foz do Iguaçu. É a 390 que segundo a nota do Foztrans só funcionará à tarde. Os horários estão abaixo e são do site do Foztrans. A nova linha não é TTU-Centro-Bairro. Vai direto. Sai do TTU pega a JK por um curto trecho até entrar na República Argentina na frente do 34º Batalhão. Segue até a Avenida Paraná, entra nela e vai até a esquina da Xavier da Silva. Entra na Xavier da Silva e mais à frente entra na Rua Mato Grosso pra depois voltar à República Argentina. Daí segue até a Jules Rimet. A novidade começa aqui. O ônibus da linha 390 entra na Jules Rimet, passa na frente da Casa Ofício e vai pegar logo à frente a Rua Pompeu de Toledo (Rua que homenageia o Estádio Municipal do Morumbi SP)que é a rua que forma a esquina da Escola Muncipal (Vereador) Irio Manganelli com a Jules Rimet (Morumbi I). Nesse ponto o ônibus já estará fazendo o retorno. O próximo é virar à esquerda e entrar na Pompeu de Toledo que, do lado contrário a escola Irio Manganelli, já é Vila Borges para mais à frente pegar a Rua Pedro Carneiro Pereira - rua que hmanageia o Narrador das Multidões para sair na República Argentina e ir para o TTU. A rua Pedro Carneiro Pereira é aquela que sai bem na frente do prtão de entrada do Super Muffato da República Argentina. Pergunta: o ônibus, quer dizer, a linha é circular? Ponto mais próximo para pegá-lo é aquele quase de frente ao Maxxi Atacado da Walmart.


390 - TTU-REPUBLICA C/ JULES RIMET
SEGUNDA A SEXTA
TTU
15:50
16:05
16:20
16:35
16:50
17:05
17:20
17:35

Linha nova, inicialmente a tabela só tem horários à tarde e somente saindo do TTU:

Itinerário Oficial

IDA - TTU(ala 01), Av. JK, Av. República Argentina, Av. Paraná, Rua Xavier da Silva, Rua Mato Grosso, Av. Republica Argentina até a Av. Jules Rimet.

VOLTA – Para manobrar(Av. Jules Rimet, Rua Pompeu de Toledo, Rua Pedro Carneiro Pereira), Av. Republica Argentina, Rua Mato Grosso, Av. Costa e Silva, Av. República Argentina, Rua Tarobá, TTU(ala 01).



Foztrans avisa: Mudanças nas linhas Morumbi. 1º de Maio, Portal da Foz

SENHORES PASSAGEIROS

O FOZTRANS INFORMA:

Alterações na Região do Morumbi a partir do dia 22/08/11
- As linhas 315-1ºDE MAIO e 335-MORUMBI CENTRO, passarão a operar com mais viagens nos horários de pico e intercaladas.

- A linha 355-MORUMBI PONTE, passará a operar SOMENTE nos horários de pico(manhã-meio dia-tarde) e TODAS as viagens serão via INSS.

- Linha 390-REPUBLICA-JULES RIMET: linha nova que estará em operação somente no período da tarde, com viagens a cada 15 minutos saindo do TTU sem passar no Centro. Saídas do TTU: 15:50 – 16:05 – 16:20 – 16:35 – 16:50 – 17:05 – 17:20 e 17:35.

Nova Linha:

Itinerário: TTU - Republica – Paraná – Xavier – Mato Grosso – República até a Av. Jules Rimet.

Atenção! Mudanças para o Portal da Foz
SENHORES PASSAGEIROS:

O FOZTRANS INFORMA:

- A partir do dia 22/08/11, a linha 360-PORTAL DA FOZ, deixará de ir até o Centro e o passageiro que for seguir viagem precisará fazer transbordo no TTU.

Os horários no Portal seguem sem alteração, porém, no TTU terão os seguintes horários de saída:

07:35 – 12:10 – 14:00 – 17:15 – 18:10 – 18:40 e 19:10


Informações telefone 3521-9614, das 08:00h/12:00 e das 13:00 às 17:00h
site:www.foztrans.pr.gov.br


segunda-feira, 15 de agosto de 2011

Avenida General Meira,Porto Meira,Foz do Iguaçu: Mas quem foi o General Meira? Parte II

Para ir direto ao assunto: aí está, em primeira mão, a foto do General José Meira de Vasconcellos que deu o nome à nossa avenida, ao bairro, à região e ao porto de Foz do Iguaçu que tem o mesmo nome. Para que esta foto esteja aqui, existe uma história interessante. Adianto que esta foto é parte da Galeria de Comandantes da 5ª Região Militar. Como ela chegou aqui já é algo que merece ser contado.

O comandante do 34º Batalhão de Infantaria Motorizado de Foz do Iguaçu, Tenente-coronel Antonio Cezar de Oliveira Mendes ofereceu um jantar de recepção ao General-de-Exército Túlio Cherem, que assumira o Comando Militar do Sul no final de abril de 2010. A visita foi no dia 14 de agosto de 2010 – há um ano e um dia. O General Cherem como comandante de todas as Organizações Militares do Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná estava em viagem de reconhecimento e vistoria na região comandada. Para a confraternização foram convidados autoridades da área de segurança e empresários iguaçuenses agraciados com o título de colaboradores eméritos do Exército Brasileiro como Erminio Gatti, hoteleiro, empresário e diretor-presidente do jornal A Gazeta do Iguaçu e Xenofontes Villanova, médico e hoteleiro. O jornal me pediu que cobrisse o evento – na época um frila. O general Cherem comanda a 3ª Região Militar com sede em Porto Alegre que inclui todo o Rio Grande do Sul.

De Curitiba veio o general-de-divisão Adhemar da Costa, comandante da 5ª Região Militar que inclui a 5ª Divisão de Exército com sede em Curitiba ( e controla o Paraná e Santa Catarina). Para ajudar a entender, a 5ª Região Militar está dividida em três brigadas. A 14ª Brigada de Infantaria Motorizada com sede em Florianópolis, a 15ª Brigada de Infantaria Motorizada com sede em Cascavel e a 5ª Brigada de Cavalaria Blindada com sede em Ponta Grossa. O 34º Batalhão de Infantaria Motorizado de Foz do Iguaçu é parte da 5ª Brigada de Cascavel. O general-de-brigada Ajax Porto Pinheiro, comandante da 5ª Brigada de Cascavel veio recepcionar o general de Exército Túlio Cherem e seu superior imediato, em Foz do Iguaçu. Fiz o trabalho a mim encomendado e junto com o fotógrafo Kiko Sierich, ficamos um tempo no evento. Conversei com o assessor de imprensa do general Adhemar, tenente Avancini e lhe expliquei que eu buscava há anos uma foto de um ex-general que havia comandado a 5ª Região Militar e a 5ª Divisão no anos 30. O tenente me disse que existia a foto sim e que ela estava exposta na galeria de comandantes. Ele me pediu que enviasse um e-mail solicitando oficialmente a foto para que ele o encaminhasse ao general. Enviei o e-mail no dia seguinte. Dias mais tarde fui avisado que as informações que eu necessitava me seria entregue em mãos pelo comandante do 34º BIMTz em Foz do Iguaçu. Finalmente, um dia fui avisado de que a encomenda tinha chegado. Era um envelope recheado com informações. Agradeço ao general Adhemar e sua equipe até porque sei que ele colocou gente para ajudar na pesquisa. Um jornalista não iria pedir material de graça. Alguma coisa ele tinha em mente. E o general Meira viveu em época tumultuada da história do Brasil. Parte do cuidado de quem pesquisou o material para mim, obrigado de novo, foi dar o contexto, dar uma visão do ambiente, do meio social do Brasil na época em que o general Meira, chegou a capital do Paraná para comandar a 5ª Região Militar e a 5ª Divisão que incluía e inclui o Paraná e Santa Catarina. É uma maneira de evitar julgar uma época segundo as regras de outra época que - no futuro provará ter sido rica em barbaridades. O general Meira é estudado hoje como sendo o general que mandou fechar todas as escolas, clubes e igrejas de imigrantes que funcionassem em língua estrangeira. No ambiente de hoje, a atitude seria considerada impensável, injusta e intolerável. Seria mesmo? Farei várias postagens sobre o assunto. A próxima é sobre o contexto daquele Brasil onde todo mundo era integralista, nazista, anarquista, comunista machista, nacionalista menos ... (preencha o espaço).

Observação:
A segunda foto também é do General Meira. É parte da galeria de comandantes da Academia Militar das Agulhas Negras (AMAN). O site novo é parte das comemoração dos 200 anos da Academia.

Avenida General Meira, Porto Meira, Foz do Iguaçu: mas quem foi o general Meira?

Porto Meira era o nome do Porto Alfandegado e oficial no rio Iguaçu de onde partiam os barcos para Puerto Iguazú (Foto). O Porto Meira, no rio Iguaçu, está em frente à cidade de Puerto Iguazú, Argentina, antes chamada Puerto Aguirre. A relação Puerto Iguazu – Porto Meira é tão grande que ainda constam em mapas rodoviários argentinos como o primeiro lugar do Brasil a ser visitado assim que se atravessa a fronteira ruo às Cataratas ou a Búzios. Há mais pessoas que sabem sobre o Porto Meira em Buenos Aires e Patagônia que no Brasil. Porto Meira é também um bairro de Foz do Iguaçu – um dos mais populosos. Não tenho vergonha de dizer que o Porto Meira - é o bairro de Eliza Samudio. Porto Meira é também o nome de uma região: região do Porto Meira ou Região Sul que, seja lá o que Foz do Iguaçu entenda por bairros - tem 28 deles. Por fim, acrescento que a principal avenida do Porto Meira se chama Avenida General Meira. Um dia passando por lá a pé – navegando pelo bairro, me perguntei: quem é ou que foi o General Meira? Eu sabia que pelo nome teria que ter sido um general. Alguém me sugeriu que o general tivesse sido comandante do nosso Batalhão de Fronteira. Eu lembrei a meu interlocutor que não se pode bagunçar a hierarquia militar. Um general não comanda batalhão, nem pelotão. General comanda brigada, divisão ou exército. Mas a identidade do general continuou me desafiando e ainda continua. Mas pouco a pouco a necessidade de falar sobre o General Meira, abriu portas – algumas por causalidade.

Há algum tempo lamentei que o nome Porto Meira, tendo em mente o porto no rio do Iguaçu, estaria perdendo o nome. Reclamei que hoje estão chamando o histórico porto de Porto de Areia quando se fala especificamente do local onde há uma estrutura de retirar areia. Chamam-no também de Porto do Rio Iguaçu quando, os proprietários dele, transportadores ou outros interessados têm em mente o porto de embarque de grãos. Um dia abri meu e-mail e lá estavam várias mensagens de alguém chamado Tarciso Meira. Não é Tarcísio e nem senhor Tarciso. Ele é autor e fundador de uma lista de discussão sobre os Meiras do Brasil e sobre os Meiras da Paraíba. Segndo a lista de Tarciso Meira, o general José Meira de Vasconcellos era filho de Fausto Nominando Meira de Vasconcellos, neto de Olyntho José Meira,promotor público e pai do Senador Francisco de Salles Meira e Sá, Augusto Meira, advogado, promotor público e jornalista e do dr. Miguel Meira. Assim os Meiras da Paraíba exerceram profunda influência na vida política, jurídica e econômica da Paraíba e estados vizinhos do Nordeste.

Vem Partes II e III
Outras postagens sobre o assunto:
General Meira, os Meiras e o Porto Meira
Triste Fim do Porto Fluvial General Meira

domingo, 14 de agosto de 2011

Saudosos Jogos Mundiais da Natureza e as Estações Tubos

Se você é de Foz do Iguaçu, identificar este lugar não é difícil. Vemos uma estação tubo instalada especialmente para atender o período dos Jogos Mundiais da Natureza entre 27 de setembro e 4 de outubro de 1997. A estação tubo está na Praça Getulio Vargas, atrás da então Câmara Municipal de Foz do Iguaçu que também já foi Secretaria de Turismo. O ônibus que temos aí é o que fazia a linha sui generis Base Náutica-Centro-Cataratas. O (então) governador Jaime Lerner chegou fazer funcionar um ligeirinho, fura-fura que entrava em Ciudad del Este. O projeto original era lançar um ligeirinho entre o Portal da Foz (o elefante Branco construido na BR 277 e também abandonado) e Ciudad del Este. No atual elefante cinza (pois branco já não é) ficariam parados os ônibus de turistas-compristas na estrutura imensa que deveria ter sido construida caso uma coisa não tivesse acontecido: a extinção por ordem judicial da taxa de turismo.

Esta foi a primeira tentativa de fazer funcionar as estações tubos em Foz do Iguaçu. Depois dos jogos e com a negativa de Foz do Iguaçu (Administração Hary Daijó) em fechar negócio com o Governo as estaçõs foram desmontadas e levadas de volta para Curitiba. A segunda tentativa aconteceu na gestão Samis da Silva quando não só foaram implantadas estações tubos na cidade como se construiu o Terminal de Transportes Urbanos - TTU. Foram habilitadas estações tubos no centro, no TTU, Morumbi, Três Lagoas e se não me engano no Porto Meira. Por má vontade generalizada e culpando ao calor, as estações foram abandonadas, saqueadas, inutilizadas e por último sucateadas e amontoadas no Cemitério Municipal de Estações Tubo que fica no Centro de Convenções de Foz do Iguaçu.

sábado, 13 de agosto de 2011

Estrada Velha das Cataratas - Partimônio de Foz do Iguaçu

Resta pouco da antiga estrada que levava às Cataratas do Iguaçu. Este trecho fotografado por Roger Meireles passa atrás do Hotel Carimã. É um trecho pequeno. Logo à frente ela passa a ser aslfaltada. Minha sugestão é que esse trecho deveria ser preservado para dar uma ideia. Ela deve receber a devida melhora para que seja utilizada pelos moradores e cidadãos com seus veículos mas que essa diferenciação histórica dela seja reconhecida. O que será feito? Está aberta a discussão. Como ela está hoje, vemos aí um abandono. Os moradores da região reclamam do problema da segurança entre outros. Passando a ser reconhecida como parte do histórico caminho, trilha ou picada ela pode ser percorrida e visitada à pé por alunos de todos os níveis de ensino, turistas e iguaçuenses em geral. Ela pode receber uma ciclovia, ao lado, e ser um local importante para a cidade. Um dos trechos desta estrada se trasformou na Rua dos Imigrantes que começa na esquina da Avenida General Meira e vai sair na Avenida das Cataratas na altura do Hotel Bourbon. Todo o trecho asfaltado. O asfaltamento foi feito na gestão Harry Daijó sem a preocupação de destacar que ela serviu como Estrada das Cataratas até os anos 60 quando o Governo achou por bem fazer uma BR (469). Tudo uma questão de modelo de administração. Poderia ter sido diferente! E a cidade poderia ter um pouquinho mais de voz sobre a região e inclusive no acesso às Cataratas. Mas de novo, teria sido melhor ou pior?

quinta-feira, 11 de agosto de 2011

Sem o Seguro Carta Verde na Argentina não entra!


Os comerciantes de Puerto Iguazu não estão nada contentes. A nova equipe da Aduana / Afip está seguindo ao pé da letra a exigência do Seguro Carta Verde. Ao passar pela guarita onde se mostra identidade e se faz o procedimento de (i)migração, os agentes pedem o Carta Verde. Pode ser a moça no guichet, pode ser um gendarme e pode fatalmente ser o funcionário da Acip (Administración Federal de Ingresos Públicos). Daí você tem que voltar. Fui à luta para aprender o máximo sobre o Carta Verde. Descobri primeiro o que já sabia: o seguro é velho e obrigatório desde 1994 segundo a Resolução 120/94 do Mercosul. Aprendi e isso é importante que Carta Verde é o apelido do Seguro porque a primeira via da apólice, a do cliente é verde. Há duas situações diferentes. A Argentina adotou e fez valer a resolução imediatamente. Como? Segundo um funcionário com quem falei, o seguro argentino semelhante ao DPVAT tem cobertura internacional. Segundo ele ainda, todo carro argentino que é permitido sair do país tem esse seguro. Ele até disse que sabe de casos em que argentinos provocaram acidentes no Brasil (em Foz,por exemplo) e o brasileiro entra em crise pois não sabe quem vai pagar o prejuizo. "Não precisa entrar em pânico. Basta pedir a apólice do seguro e ver quael é a firma que representa o seguro no Brasil", me disse ele. Os seguros, tanto o DPVAT argentino com Carta Verde incluido como Carta Verde são vendidos por empresas que têm filiais, correspondentes, representantes nos dois países. O procedimento normal é entrar em contato com a seguradora cujo nome aparece na apólice.

Caso Brasileiro

Já o DPVAT brasileiro que é um seguro que protege a terceiros em todo o território nacional, não cobre sinistros no Mercosul. Pelo que entendi, o Brasil poderia resolver o problema de dois modos. Primeiro fazendo uma alteração na Lei do DPVAT para incluir cobertura internacional - o que não sei se é possível ou, segundo, popularizar a ideia de que o brasileiro se proteja ao sair do país mesmo que seja para ir chupar um sorvete no outro lado da fronteira. Mas, daí vem a pergunta: se o cara mora em Petrolina (PE), por que iria pagar mais para ter cobertura internacional contra acidentes que firam a terceiros na Argentina, Uruguai ou Paraguai? Outro pepino que eu farejei no ar tem a ver com lucratividade. O Carta Verde é um seguro barato e muitas seguradoras não tem interesse em vendê-lo. Se você está em Foz do Iguaçu, onde eu orgulhosamente moro, vale a pena comprar o Carta Verde para ir em Puerto Iguazu e Pasmem! Ciudad del Este também. Entrar no Paraguai sem o Carta Verde e atropelar alguém lá é pepino. Quem paga? Se você não tiver dinheiro como você pode pagar? Com o perdimento do carro? Com uma surra? Com o apedrejamento do veículo? Ou deixar que o Carta Verde pague? O corretor de seguro, Delmir Antonio Barp que é subdelegado do Sindicato dos Corretores de Seguros do Paraná em Foz, me mostrou várias apólices que ele tinha vendido em um dia. Pagando o seguro de três dias você pode ir aonde quiser dentro do país inclusive voltando pelo Uruguai. Na apólice há os endereços e telefones das seguradoras que cobrem o seguro na Argentina, Uruguai, Paraguai e Chile.

Dicas sobre o carta Verde

Se você mora em qualquer lugar do Brasil solicite o Carta Verde por e-mail, telefone diretamente dos escritórios que vendem o seguro. Veja, como exemplo, o site da Luma Seguros. Você poderá ligar ou mandar e-mail para o escritório da Magna Seguros em Foz do Iguaçu e comprar seu Carta Verde. A coisa é bem moderna, você envia os dados no formulário disponível, paga via depósito bancário na sua cidade, envia o comprovante e diz como quer recebê-lo: por correio (Carta Registrada, Sedex) ou, no caso de Foz você pega quando chegar em Foz no escritório no Posto Gasparin (eu gosto do Posto Gasparin - já escrevi sobre ele - é uma cidade à parte). O telefone da Magna Seguros no Posto Gasparin é (45) 3577-4144. Caso voCe seja morador de Foz e queira ir a Puerto Iguazu para comer um queijinho comvinho ou cerveja, vá a uma corretora e compre o seguro. vale a pena. Mas não esqueça, se beber, não dirija. Se no momento do acidente você estiver bêbado ou bêbada - a situação é diferente. Nem Carta Roxa ou Carta Arcoíris dará jeito. Mais um telefone: (45) 3523 5505 da Foz do Iguaçu Seguros. Estou trabalhando em um lista maior de fornecedores do Seguro Carta Verde

ABC do Carta Verde

O seguro deve ser comprado no país de emplacamento do carro.
Motos também devem ter o Carta Verde. Pesquise pois há problemas de cilindradas.
Há seguradoras em Puerto Iguazu que vendem um seguro nacional para carros com placas brasileiras. Atenção: não é o Carta Verde. Se você encontrar um blitz e um gendarme cri-cri, você pode ter problema! A cobertura do Carta Verde está descrita em dólar. O seguro nacional está em pesos e só vale para a Argentina.

O Escândalo no Ministerio do Turismo: ataque ao dinheiro da capacitação

Algumas palavras (1)

O turismo cresceu no Brasil e passou a ter grande visibilidade e recursos. Por muito tempo, entidades, maus políticos e outros aproveitadores se beneficiaram do pobre. Gastou-se tanto dinheiro para falar do pobre e sobre o problema dele que, caso o dinheiro tivesse sido emprestado ao pobre, financiado o pobre a pobreza teria desaparecido. Daí os ataques a orçamentos para creches, merenda, aposentadorias e previdência, entre outros. Hoje, colhemos bons resultados dos programas que beneficiaram os pobres no Brasil ao ponto de termos promovido o que se convencionou chamar de "nova classe média" e lançar no país um movimento de ascensão de classe – embora baseado no consumo – impressionante. Porém o sistema está ativo e sempre atento para criar novas possibilidades de apropriação do dinheiro público. Desta vez o discurso é a “capacitação de mão de obra para inserção no mercado de trabalho”. A ideia original partiu da genuína necessidade de capacitar o brasileiro para receber bem o turista, falando a sua língua e dominando, cada um, a sua arte. Daí a porta aberta para que brasileiros, entidades façam propostas para formatar cursos que ajudem o brasileiro a estar preparado para a copa. Infelizmente, abriu-se também a porta para os velhos aproveitadores. É o que estamos assistindo agora no que está sendo chamado de “O Escândalo” no Ministério do Turismo. Mas antes de transformarmos a necesidade de capacitação da mão de obra em oportunidade de roubo ao dinheiro dos trabalhadores, todo um discurso foi tecido. Como base, tal discurso começou com frases lançadas ao ar do tipo: emprego tem o que falta é mão de obra capacitada. Hoje em Foz do Iguaçu já se ouve, nos bancos de pontos de ônibus, diaristas comentando que a patroa vai exigir segundo grau completo da próxima domestica. Alguém tem que levar a sério a necessidade e propor cursos que capacite as domésticas e as ajude completar o antigo segundo grau. Isso é muito bom, especialmente, se ninguém se apoderar da verba destinada ao nobre propósito.

quarta-feira, 10 de agosto de 2011

Sindireceita lança site Fronteiras Abertas

O Sindicato Nacional dos Analistas-Tributários da Receita Federal do Brasil (Sindireceita) lança o site Fronteiras Abertas para a judar a divulgar aos brasileiros a real situação das fronteiras do Brasil em relação ao contrabando de drogas e armas e o descaminho de mercadorias em geral. O site serve de apoio a livro do mesmo nome e promete acompanhar projetos do Governo Federal na área da promoção da faixa fronteiriça.

segunda-feira, 8 de agosto de 2011

Blogueiros Internacionais em Foz

Foz do Iguaçu vai sediar o Encontro Internacional de Blogueiros. Maravilha! Que venha. O mundo dos bloggers, das pessoas que blogam coisas porque gostam de blogar – publicar no blog é com certeza muito fascinante. Já ocorreram eventos no Brasil que reuniram o que se passou a chamar de “blogueiros progressistas”. O evento de outubro segue o encontro nacional. Porém eu fico cismado com uma coisa. No afã de mostrar ao público a importância dos eventos, vejo com preocupação a tendência de transplantar para o mundo dos blogs certos conceitos ultrapassados. Um deles é o de “renomado”. Li em vários lugares, jornalistas colegas, dizerem que o evento vai reunir blogueiros renomados. Por que renomados? Essa história de renomados e famosos é coisa do velho mundo que o blog veio para boicotar. Esta história de renomado só serve para reforçar aquelas condutas que minimizam o valor das coisas locais. E na blogosfera o que se procura é a máxima variedade para que possa, da melhor maneira possível, conscientemente, esculhambar a possibilidade de domínio do que é publicado. Todo blogueiro que se esforçe, na sua área, é um vencedor. É renomado! Bem-vindos renomados colegas da blogosfera. O evento será em outubro. Confira dados, programação e algumas propostas.





sexta-feira, 5 de agosto de 2011

Câmara de Foz engaveta Projeto para aumentar cadeiras


Ontem, quinta-feira, 4, os vereadores retiraram o projeto de emenda da Lei Orgânica no 001/2011, sobre o aumento de vagas no legislativo. Trata-se da proposta do vereador Hermógenes de Oliveira (PMDB, foto), que propõe alterar de 15 para 21 o número de cadeiras. Hermógenes de Oliveira disse que da próxima vez que for apresentar esse tipo de projeto, vai mudar a postura e chamar os moradores para um debate antes de encaminhar a proposta. Assim a campanha popular sai vitoriosa.

Porém, nem tudo está bem na Terra das Cataratas. O vereador Hermógenes Oliveira, ferido, aproveitou e mandou uma mensagem para a Acifi (Associação Comercial), a OAB, e o Iguassu Convention & Visitors Bureau (parece que ele esqueceu as entidades maçônicas) e disse que espera contar com o mesmo apoio das entidades para outras campanhas com o mesmo fervor:

Precisamos construir o viaduto da Vila “A”, duplicar a BR-277, eleger deputados que representem Foz e fiscalizar a administração pública na esfera municipal, os mais de 300 cargos comissionados da prefeitura”. Claro que construir viadutos, duplicar BRs e eleger deputados não são exatamente tarefas dos vereadores. Mas fiscalizar o executivo, sim é. E isso não foi muito bem feito. Esse pode ter sido o caldo de cultura onde nasceu esse virus de revolta. Não esqueçam do povo!

Só quero acrescentar mais duas coisas: o Hermógenes está certo. As entidades acima presisam mesmo estar sempre engajadas. A outra coisa que peço é que levem a sério a questão da criação de empregos em Foz. Fiscalizem o que realmente está sendo feito nos distritos industriais da cidade. Ano passado deveria ter sido inaugurada uma "indústria" no Morumbi que geraria 500 empregos. "Muito mais empregos que um hotel, como o Bourbon, gera na cidade", disse o prefeito Paulo MacDonald. Vem crise e das grandes pelo caminho e Foz, de novo, não está preparada!

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails

Hora no Paraguai incluindo CDE

Hora Mundial: passe o mouse sobre o mapa para escolher região