quinta-feira, 24 de abril de 2008

Aldeia Yryapu



Fotos: Ruth Sanches / J.Lima

Eu gostaria de agradecer a empresa de turismo Martin Travel de meus amigos Fernando Martin e Ruth Sanchez por terem me incluido na lista de palestrantes sobre os mbyá guarani representados na região pelos mbyá da Aldeia Yryapu (Barulho das Águas) em Puerto Iguazú, Misiones, Argentina. Também falou sobre a aldeia o colega Claudio Salvador, sobre quem falarei em uma postagem no futuro próximo. As fotos acima, foram tiradas durante uma visita de campo juntos com os guias de turismo do staff da Martin Travel e colabodares internos da área de operação. Foram conhecer para poder vender. Minha primeira participação no workshop foi antes da visita, uma introdução ao mundo guarani incluindo esclarecimentos sobre o que é tupi, o que é guarani, o que é tupi-guarani e assim por diante. Na segunda aprsentação tive o privilégio de falar sobre "Espiritualidade Mbyá Guarani". Parece-me que o pessoal gostou da palestra sobre a espiritualidade que nesta altura já não é mais mbyá guarani, mas universal. Falamos sobre a espiritualidade dos "povos originais" que correspodnem a um número enorme de tribos, raças, nações em todo este Planeta. Daí, foi fácil mostrar que a espiritualidade dos mbyá é parte da espiritualidade universal.

Sobre a visita à aldeia posso dizer o seguinte: aqui está um bom exemplo de uma visita organizada, sobre a qual os residentes da aldeia têm controle. Aprendemos todos uma lição importante. O guia de turismo que leva o cliente para ver a aldeia, não se comporta aqui, cmo acontece na maioria de outras aldeias visitadas. Aqui quen lidera a visita e fala sobre o que a comunidade combinou é o "intérprete" local. Ele interpreta o patrimônio cultural e ambiental da aldeia. Muito interessante. Os intrepretes são treinados em uma "Escola de Turismo Mbya Guarani" localizada na aldeia. Mas sobre o assunto falarei com mais inspiração quando postar material sobre o projeto que resultou nesta realidade.

Na foto aparece também o coral da aldeia que faz apresentações quando solicitado. É uma apresentação e não uma cerimônia como muitos de fora costumam exigem e demandam. Ceromônias espirituais estão fora do que se oferece. Muito bom e acredito que este projeto é exemplo positivo para guiar o encontro entre "povos originais" e "povos de qualquer origem afetados pela cultura ocidental".

sexta-feira, 18 de abril de 2008

São Francisco de Giovanni Vissotto





Faz tempo que estou procurando o artista e escultor Giovanni Vissotto. Um artista de mão cheia que trabalha com obras monumentais. A estátua de São Francisco que fica no canteiro central da Avenida Mário Filho, na região sofrida de Foz do Iguaçu conhecida como São Francisco parece ser a obra mais conhecida dele. Ele tem outras e muitas delas fora da cidade. Na semana passada dei uma caminhada pela cidade e sem querer passei por um ateliê onde vi uma estátua em construção. Anotei a posição geográfica mentalmente. Ontem, passei pela casa. Não resisti e chamei a atenção. "Aqui mora o escultor Giovanni?" a reposta foi positiva. Logo estava com ele. Conversando.

Antes gostaria de confessar ou relembrar uma "história" triste (para mim): Logo depois da inauguração da estátua (1999?), eu escrevi na minha coluna Notas do Turismo na Gazeta do Iguaçu (na época) que o santo era muito feio. Os leitores leram e um deles, artista, me criticou duramente. Como eu podia chamar uma coisa de feia? Arte é arte! E assim sucessivamente. Ontem coversando com o Giovanni, ele me contou a história da estátua e eu a repasso para você.

O artista tinha recebido uma foto oficial de São Francisco de Assis - talvez uma semelhante a que aperece acima e que eu encontrei neste blog. Com a foto na mão, Giovanni começou a fazer um levantamento na região onde iria realizar o trabalho. Em um boteco da região do São Francisco, Giovanni Vissotto encontrou um senhor chamado José. Um dos primeiro habitantes do loteamento São Francisco. Homem sofrido. Trabalhador braçal. Calçando um par de chinelos de dedos surrados. Rosto sofrido. "Eu paguei uma dose de pinga pra ele", nos sentamos e comecei a ouvir a história de vida dele.

Nessa conversa de boteco do bairro saiu a inspiração para o São Francisco do São Francisco. "O São Franscisco daqui tem que ter essa cara e não aquela fisionomia da Europa" - disse. Ao terminar a conversa, o esboço estava feito. E o artista que já era amigo do seu José, começou a trabalhar. Com o tempo a obra terminou. E chegou o dia da inauguração. A praça estava cheia. O prefeito Harry Daijó, na época, o então bispo de Foz do Iguaçu Dom Olívio Fazza e outras autoridades, estavam presentes.

Giovanni conta que o bispo olhou para a Estátua e puxou-o de lado: "Isso não é São Francisco. O que é que você fez Giovanni?". Nessa hora, o artista contou a história do Sr. José, aquele que inspirou a obra e retrata o sofrimento do povo local. Ao final, o bispo, emocionado, parabeniza o trabalho e disse que estava realmente admirado de ver como Deus toca o coração do artista.

Essa é a história. Se eu tivesse sabido disso antes, eu nunca teria chamado o Santo de Feio. Mas a ignorância serve para ensinar. Eu aprendi. Agradeço ao Giovanni Vissotto por compartilhar seu tempo e ainda ter oferecido um cafezinho. Só para acrescentar algo mais sobre o artista: ele foi um dos fundadores da Fundação Cultural de Foz do Iguaçu e é o idealizador da Praça da Bíblia. "Eu tenho o nome registrado", acrescenta. Giovanni disse rapidamente que havia um projeto para um escultura na Praça da Bíblia. O dinheiro estava disponível, foi conseguido a fundo perdido, veio para a Prefeitura mas nem ele, nem a obra e nem o povo da cidade viu a cor dele.

VEM MAIS SOBRE A ARTE DE VISSOTTO!

quarta-feira, 16 de abril de 2008

O imitador de passaros



Aposto que o Gildo Rodriguez (ou será Rodrigues?) não nasceu em Foz do Iguaçu. Tenho a impressaão que ele já me disse que nasceu em algum lugar do Paraná, um entre os 400 mnicípios deste "Estado de Amor pelo Brasil" (Este era o slogan do Paraná no primeiro governo de Roberto Requião). Apucarana? Umuarama? Astorga? Onde terá nascido o Gildo? O fato é que êle, como eu, e muita gente, terminou em Foz do Iguaçu. Que lugar esta Foz do Iguaçu?

Quando conheci o Gildon há uns anos ele trabalhava como pedreiro. Sei que tempos depois ele foi trabalhar em alguma propriedade rural. Ele queria estar perto da natureza. Eu era repórter e trabalhava no jornal Gazeta do Iguaçu. Gildo me visitava sempre e assoviava para a redação. Um dia ele reaparece vendendo sorvete ou picolé - ou os dois. Porém nunca deixou de sonhar em assoviar. Ele passou anos vendendo picolê, sorvete e algodão doce (dependendo da época).

Faz uns dias, encontrei o Gildo; ele me viu e correu na minha direção. Ele me disse, de cara, "lancei um CD". Eu me alegrei por ele. A foto acima é a da capa do CD onde ele aparece segurando um curió em uma mão e um bem-te-vi, na outra. Gildo conseguiu vencer. Hoje, ele continua vendendo CDs nas ruas de Foz do Iguaçu. É melhor do que vender gelinho, picolé e sorvete. Ele está vivendo do que ele sabe fazer bem.

O Gildo assovia bem e ainda usa os dedos e lábios para produzir aqueles sons que só passarinhos sabem fazer. O segredo do sucesso do Gildo está em uma falha entre os dois dentes superiores, da frente. Ai! Esqueci como se chamam! Duas coisas não podem acontecer ao Gildo. A primeira é perder os dois dentes. A segunda é que algumn ortodontólogo coloque um aparelho para melhorar a estética dele.

Nos Estados Unidos, existem 54 milhões de americanos que gastam bilhões de dólares viajando para ver pássaros. Eles querem ver pássaros neotropicais, paleoárticos, neoárticos, etíopes, australasiáticos e não me lembro mais o quê. Os pássaros brasileiros são neotropicais - que vem do sul dos EUA até a Antártida. O Gildo é imotador de uma boa quantidade de pássaros neotropicais. Se ele tivesse nascido nos EUA e tido a oportunidade de trabalhar como servente de ajudante de aspirante a ornitólogo ou mesmo faxineiro de uma agência de turismo especializada em pássaros, êle estaria rico.

Eu imagino como seria legal colocar o Gildo como atração em uma palestra sobre pássaros. Uma dessas palestras organizadas para turistas, ornitólogos, educação ambiental e outras. Fui informado que recentemente no encontro brasileiro de pássaros - quer dizer não encontro de pássaros, mas de estudantes de pássaros, havia alguém assoviando e ensinando "educação ambiental" (?). É isso que desejo ao Gildo. Desejo uma atividade nessa área.

Mas ele tem que ter cuidado. Ele não pode ir na onda dos outros. Ele deve limitar-se a pássaros. Ele deve esquecer os pedidos para imitar cachorros, gatos, elefantes, gibóia - embora eu ache que o grilo ele imitou muito bem no CD. Afinal, estou recomendando o Gildo. Se você mora em Foz do Iguaçu ou perto, o telefone de contato do Gildo é 3526 2976. Se você estiver ligando de fora do Oeste do Paraná, lembro-lhe que o código telefônico é 45. Adquira o CD e colabore. Pediria também ao Parque das Aves que abrisse as portas para que o Gildo continue aprendendo a arte. Quem sabe?

quinta-feira, 10 de abril de 2008

Simpósio de Vulcanismo em Foz


Na foto o professor Fábio Machado / Unesp ( Foto avermelhada por falta de flash e fotógrafo, ha, ha,)

(Sexta-feira, 11 de abril, 10h manhã)

Vai terminar mais tarde, mas ainda hoje, o IV Simpósio de Vulcanismo e Ambientes Associados, realizado no Hotel Bella Italia em Foz do Iguaçu. O evento trouxe geólogos e estudantes de geologia de todo o Brasil bem como especialistas e convidados estrangeiros. Como em todo congresso especializado, o tema não poderia deixar de ser o "complicado" mundo da disciplina em questão, neste caso a geologia. Mas nesta nota eu gostaria de destacar um evento em especial.

Os organizadores do IV Simpósio que já aconteceu em Belém (PA), Gramado (RS) e Cabo Frio (RJ), não se esqueceram de prestigiar a comunidade local com uma palestra aberta gratuita para o público não-geólogo. O tema da palestra foi: Fundação e Estruturação do Planeta Terra e sua relação com as Cataratas do Iguaçu. Tema muito amplo! A comunidade correspondeu e o Auditório Venezia do Hotel Bella lotou. A maioria, estudantes de turismo da Unioeste - campus de Foz do Iguaçu, outras faculdades e pessoal do turismo, especialmente guias. Mas eu vi até uma equipe de contabilidade e administração de uma empresa local presente para saber sobre a relação das Cataratas com a "Pangéia".

A palestra foi dividida em duas partes. Na primeira parte, o geólogo Eduardo Rocha Jr. da USP falou sobre a fundação e a estruturação da Terra. Em outras palavras do BIG BANG, da formação de estrelas, morte de uma supernova e como, de carona nessa morte, a terra nasceu para a vida, o que inclui a sua. Eu pessoalmente curti muito o ponto onde bilhões de trilhões de octilhões de toneladas de grãos de poeira se juntaranm, se compactaram para formar o "protoplaneta". Proto quer dizer primeiro, primitivo. Poeticamente seria o filhote recém nascido de algo que seria o planeta - assim como um filhote de pardal, será um pardal voador quando crescer.

E daí, quando muito tempo mais tarde, bilhões de anos, a crosta terrestre explodiu. Todos os continentes estavm juntos. Em algum lugar lugar, possívelmente onde hoje existe uma ilha chamada Tristan da Cunha (Tristão da Cunha), houve uma explosão. O material que vinha do centro da terra se elevou, esfriou e se expandiu. Ao expandir-se, forçou a separação dos continentes. A Africa se separou da América do Sul. Um pedacinho da América do Sul foi parar na Namíbia. Por isso quando os geólogoa falam de Bacia do Paraná, eles não estão pensando como os hidrólogos. Para os hidrólogos a Bacia do Paraná é a Bacia do Rio Paraná. Para os geólogos, a Bacia do Paraná é "uma unidade geotectônica que inclui parte da América do Sul e da Namíbia.

Na segunda parte, Fábio Braz Machado da Unesp / Unisal, falou sobre a relação de tudo isso com as Cataratas do Iguaçu. Como o tema do Simpósio denuncia, as Catarats do Iguaçu estão em uma região onde houve uma intensa atividade de vulcões. Aí vem a primeira lição, existe dois tipos de vulcões os "vulcões centrais" aqueles com formato de cone e os "de fissura". O vulcamismo da região onde está Foz é o de fissura ou de rachadura da crosta terrestre. O chão se racha e o magma é jogado para fora. O magma uma vez chegue à superfície, passa a ser lava que depois se transformará em rochas. Lição dois, o nome é rocha, pedra não existe. O nome da rocha preta que se vê nas Cataratas e por toda a parte na região Oeste e Sudoeste do Paraná se chama basalto e como explica Fábio Braz Machado, "basalto é magma extravasado".

Então onde você mora? Não basta dizer, moro em Foz do Iguaçu ou em Santa Lúcia, Paraná. Geologicamente você mora na Bacia Magmática do Paraná, na região chamada Formação Serra Geral. Serra geral se refere ao derrame de magma, lembra das fissuras? Mas põe derrame nisso. Estamos falando de um extravasamento, de uma derrame, de uma golfada de magma / lava que de supetão mandava magma com uma expessura de dois quilômetros. Já imaginou, ver uma onda de material quente, entre 700 e 1.200 graus centígrados, com dois quilômetros de altura "correndo" atrás de você? Nossa casinhas, a Itaipu, Salto Caxias, o rio Iguaçu estão todas na superfície dessa "capa" de basalto. Você pode dizer ainda que mora na Província Basaltica do Paraná-Entedeka.


Mais uma coisa que desejo dizer sobre o Simpósito é que 2008 foi declarado como o Ano Internacional do Planeta Terra (AIPT). Uma das metas do AIPT é levar a geologia até a sociedade, popularizar as "Ciências da Terra". A palestra foi um passo importante.

Saiba mais sobre a Geologia do Paraná
Glossario de termos geologicos
Geologia do Paraná
Geoturismo

Veja esta nota minha, no Notas do Turismo sobre a cratera de impacto em Coronel Vivida, Paran

Agentes Autônomos de Hotéis



Eles são os Agentes de Hotéis e Turismo ou Agenciadores de Hotéis e Turismo e estão na praça há muitos anos. Para vê-los basta chegar em Foz do Iguaçu pela BR 277. O primeiro ponto de encontro será no trevo que dá acesso à cidade via Avenida Costa e Silva. Os agenciadores também poderão estar no cruzamento da Avenida Costa e Silva com Avenida Paraná. Ao ver uma carro com placa de outras cidades, o agenciador ou agente autônomo, se prepara para abordar e entregar material de hotéis, restaurantes, churrascarias e até de atrativos turísticos e passeios. A diferença entre eles e os panfleteiros é que os agentes podem acompanhar o cliente até o hotel.


Para isso muitos dos agentes autônomos têm motos e podem conduzir o turista até os hotéis recomendados por eles com rapidez. Outros só têm bicicletas. Desde dezembro de 1992 os agentes têm uma associação. A AHTA que aparece no colete / uniforme deste agente na foto. Mas a convivência com eles nem sempre foi fácil. Até recentemente eles eram chamados de "piranhas" nome dado a muitas outras catgeorias em Foz do Iguaçu na área de turismo, transporte e passeios e foram alvos de muitos pedidos de intervenção policial. Assim, o Blog de Foz registra a existência dos Agentes Autônomos.

Hoje, cada vez mais hotéis e outros estabelecimento oferecem comissões para que os agentes os indiquem. O presidente da Associação é Ilário Luiz Almeida. A sede da AHTA fica na Avenida República Argentina, 2.563. O telefone é 3027 4139 e o e-mail é agenciadoresdehoteis@hotmail.com. O presidente da Associação, destacou que os agenciadores não realizam ou guiam excursões ou turistas. "Só agenciamos e colocamos o turistas nas mãos adequadas para o serviço que necessitam". Há até um blog em preparação.

quarta-feira, 9 de abril de 2008

São Francisco e os Muçulmanos



A foto acima é de uma igreja em Foz do Iguaçu localizada em uma região da cidade conhecida como Grande São Francisco. Na rua principal do bairro, Avenida Mário Filho, está a igreja dedicada ao Santo, há uma imagem no canteiro central da avenida também dedicada ao santo e finalmente há a Igreja. Na foto se vê que aí, nesta representação ecumênica, se celebra uma ocasião em que São Francisco pregou para os muçulmanos.

Em uma rápida viagem pela internet encontrei menção deste evento interessante. Em um site cristão, pelo jeito fundamentalista e machista, diz que na ocasião, São Francisco participava na Quinta Cruzada "Cristã" contra os muçulmanos quando, se não me engano na Turquia, São Francisco atravessa a linha de guerra e adentra o acampamento "inimigo" para falar com o sultão al-Malik al-Kamil, que era também o general do Exéricito Muçulmano do Egito, Síria e Palestina.

O que fazia São Francisco em uma cruzada? Segundo o esse site fundamentalista cristão, São Francisco queria converter o sultão para o cristianismo. Os autores do site dizem ainda que São Francisco não tem nada dessa imagem de um asceta vestido de roupa hippie, tipo um bicho grilo, comedor de tofu do Partido Verde (Esse cara é republicano), seguido por passarinhos. O entrevistado do site é autor de um livro chamado São Francisco e a Conversão dos Muçulmanos.

Prefiro a versão que aparece na Igreja de São Francisco do bairro de São Francisco de Foz do Iguaçu. Vemos na foto, São Francisco, de pé, falando e um casal que escuta. Não vejo nada de exércitos. Esse é só o começo da pesquisa. Vou continuar procurando coisas. Embora a Igreja de São Francisco em Foz seja simples, eu creio que vale a pena uma visita. A Igreja organiza freqüentemente festas e eventos para arrecadar dinheiro. Há muito envolvimento entre a Igreja e a comunidade.

terça-feira, 8 de abril de 2008

Igreja de True Jesus




O prédio é simples. Uma casa comum. É o local de reunião de grupo cristão chinês em Foz do Iguaçu, entre a Avenida Paraná e a TV Naipi. Em inglês True significa verdadeiro. Então a Igrela poderia ser A Igreja do Jesus Verdadeiro. Mas, o que me chamou a atenção aqui é a forma como tudo idiomaticamente ligado na placa: "Igreja de True Jesus". Mais informação logo, logo.

Observação: esta viagem pelos diferentes grupos religiosos, crenças ou filosofias de Foz do Iguaçu tem um propósito - além de mostrar que para uma cidade pequena que esta na casa dos 300 mil habitantes, Foz do Iguaçu é realmente diversa e complexa. Logo anunciarei o que está planejado.

Igreja Metodista de Deus



Registro aqui o grupo de língua coreana da Igreja Metodista de Deus em Ciudad del Este. Logo falarei deste grupo que é parte da comunidade da Tri-Fron. A foto é da porta de uma kombi à serviço da Igreja.

sexta-feira, 4 de abril de 2008

Ancoragem de códigos em Foz

Tour do Campo Global da Paz - Foz do Iguaçu foi incluída na jornada mundial de global de Celia Fenn para 2008. Celia Fenn canaliza mensagens do Arcanjo Miguel e durante algum tempo eu fiz links para as mensagens dela pelo meu antigo blog Projeto Religar Iguaçu. Só para que voce tenha idéia do privilégio de Foz do Iguaçu, uma pequena cidade no interior do Paraná, basta dizer que a viagem de Celia Fenn se limitará a Buenos Aires, Foz do Iguaçu, Londres e Banff (Canadá). A escolha de Foz do Iguaçu se deu graças ä existëncia das Cataratas como uma fonte planetária de energia. Para Foz do Iguaçu está previsto um workshop de um dia e uma cerimônia de Lua Cheia. Para que servirá a cerimônia de lua cheia? Resposta: "para ancorar os Códigos para a Paz e a Abundância no Planeta". Mais detalhes darei quando souber. Veja anúncio e programação no site de Celia Fenn. Aproveite e explore. O Projeto Religar Iguaçu e o Centro Internacional Neblina Criativa (por enquanto só blogs e sites) estão felizes com o reconhecimento e revalidação das Energias Criativas das Cataratas do Iguaçu pelos trabalhadores da Luz. Bem-vindos! A data será 20 de maio de 2008.

quinta-feira, 3 de abril de 2008

Campanha pela Avenida Brasil



O outdoor acima é uma inciativa da Associacao das Empresas e Profissionais Liberais Instalados na Avenida Brasil em Foz do Iguaçu. O outdoor (da minha horrível foto) está instalado na região do Porto Meira chamando o pessoal dos bairros a virem a Avenida Brasil, um lugar onde há de tudo. Ótima reacão! E deveria servir de exemplo para outros segmentos especialmente a donos de prédios, edifícios, galerias que preferem fechar ou deixar salas fechadas do que baixar o preço. Especulação é bom mas não dá dinheiro. Que tal uma campanha para atrair mais empresários para a nossa histórica Avenida Brasil?

Ruínas do Parque Remador




O Parque Omar de Oliveira, ou Parque Remador, foi inaugurado, segundo placa comemorativa no local, em março de 2004. Quatro anos depois, o Parque que foi inaugurado pelo Governador do Paraná, Roberto Requião e o prefeito de então Sâmis da Silva, já está descartado, depredado, abandonado. Dinheiro jogado fora. Conversei com alguns moradores da região e eles se mostraram revoltados. Revoltados mas sem poder fazer nada. Fazer o quê? A quem processar? De quem cobrar?

Devo acrescentar que eu tive medo de entrar no Parque para chegar ao Santuário Católico. O meu medo era ser assaltado. Fiquei meia hora em frente ao Parque tentando arranjar coragem. Enquanto isso, o helicóptero da Polícia fazia sobrevôos baixos na região - a Tropa de Elite local parecia estar em uma caçada séria o que aumentava ainda mais o sentimento de estar em uma zona de guerra.

Finalmente uma moça entrou no Parque e eu a segui roubando um pouco de sua coragem feminina. Pelo menos eu tinha a certeza de que em caso de assalto correríamos juntos.


Eu aplaudo os esforços do prefeito de Foz do Iguaçu, Paulo MacDonald, de investir em escolas-centro comunitários e saúde. Mas não sei se um significa a extinção do outro. Parque é parque. Parque é saúde. Escola é escola. Se pode namorar no Centro de Convivência? Você não precisa de parque no esntido educacional.

Quanto a hospitais, se não tivermos cuidado, estaremnos investindo em doenças e não em saúde. Mil especialistas não serão sufucientes para atender a uma população que adoece mais e mais por causa do stress, causado pela ansiedade do desemprego, da violência e falta de futuro. Onde estão os empregos prometidos? Pense nisso!

Final: uma área verde pode substituir algumas toneladas de remédio de hipertensão! O que a OMS diz sobre áreas verdes? Equilíbrio, prefeito! O caminho do coração. Siga o Caminho do Meio!

Santuário do Parque Remador está abandonado




O Parque Remador, oficialmente, Parque Ambiental Omar de Oliveira está abandonado. Isso não é novidade. É normal que os governos abandonem ou não deem continuidade aos trabalhos e projetos de administracões passadas. O que é estranho é o abandono do Santuário Católico que existe no parque, construído com esforco e trabalho de pessoas simples e humildes. O Santuário recebia dezenas, e em datas especiais, centenas de pessoas que vinham rezar, adorar e buscar paz. Hoje o santuário está abandonado. Ou pelo menos, salta à vista que o local já viu dias melhores. Por que teriam os catyólicos abandonado o Santuário?

Em um dos artigos deste blog eu descrevi a linha de onibus Interbairros e apresentei o Santuário Católico e o Parque como possíveis alvo de visita de iguacuenses de outros bairros, oeste-paranaense de outras cidades, de paraguaios e argentinos, e de gente de todo o mundo ao local que era aprazível e energeticamente tinha boa energia. Mas hoje eu vi que o local não tem condicões de receber ninguém. Uma pena. Uma vergonha para a cidade que permite que birra polítiqueira (me recuso a usar a palavra política) mate conquistas do povo. Gostaria de convidar aos católicos e iguacuenses "trans-religiosos progressistas", como eu, a não aceitar a situacão do Santuário!

Ordem Rosa Cruz (Amorc) em Foz do Iguaçu



Creio que é difícil haver, em Foz do Iguaçu, um lugar mais tranqüilo e gostoso que a região onde está localizado o templo da Ordem Rosa Cruz na Terra das Cataratas. O templo fica em um terrenoamplo, com muito verde, em uma rua com nome sugestivo: Alameda dos Cristais, no Conjunto Residencial Ouro Verde, na região do Grande Porto Meira (é a região onde está o Marco das Três Fronteiras, o Parque Remador e outras "atrações"). A área onde está templo tem muitas árvores, muito verde, pássaros especialmente bem-te-vis cantam e atmosfera é ótima. No momento, lhe passo aqui o link para a página da Amorc onde há informações básicas sobre a AMORC - Foz do Iguaçu . Em outras postagens já destaquei o fato de Foz contar bairros temáticos. O Ouro Verde tem a maioria de suas ruas dedicada a pedras e cristais. No site da AMORC há informações, telefone e e-mail para contato.

Comunidade Druza de Foz do Iguaçu



Eu não me arriscaria a dizer uma palavra, agora, sobre os druzos. Conheço druzos e os druzos como um povo-cultura-religião, há tempo, desde os anos 70 quando visitei um local druzo em Sao Paulo. A foto mostra o Lar Druzo Brasileiro em Foz do Iguaçu. Estava fechado, era muito cedo pela manhã. É a hora em que saio por aí vagabundando, a pé, tirando foto. Pela porta de vidro, consegui ver que dentro do espaço, há cadeiras em cículo, uma "tribuna" e microfone. O que me deu a entender que aí acontece reuniões. Há sabor de mesquita no ar. Os druzos falam árabe, se consideram árabes, a maioria vive no Líbano, Síria e Israel. E em Foz!

Logo farei uam visita e se possível gostria de encontrar alguém, conversar e aprender mais sobre este povo. Mas creio que com esta foto declaro aberto o espaço para a Comunidade Druza de Foz e aproveitamos para registrar a presença de druzos iguaçuenses na Terra das Cataratas ... Voltarei!

Alguns links druzos
Site nacional
Projeto História Druza (em ingles)

quarta-feira, 2 de abril de 2008

Delegacia e cadeia de Foz do Iguaçu



A foto acima é uma reprodução de material que encontrei na Fundação Cultural de Foz do Iguaçu. É a antiga "Cadeia" e "Delegacia de Polícia". Eu me lembro dela. Não que eu tenha dormido lá. Me lembro perfeitamente da delegacia mas já não consigo lembrar onde ela estava exatamente. Sei que não era longe da Prefeitura Municipal e da antiga Câmara de Vereadores hoje Secretaria de Turismo. Ainda não havia a terceira pista da JK. A delegacia antiga foi substituída pela 6a SDP e mais tarde com o "progresso" pela Cadeia de Três Lagoas. Me lembro de um dos delegados que ocuparam a 6a SDP - Raimundo Nonato. Ele foi meu aluno de inglês em 1980. Parabéns aos responsáveis pela existência e exibição da foto! Ai que memória curta!

A Felicidade do Brasileiro



Foto de uma inscrição em um poste da Rua Xavier da Silva, bairro Maracanã, em Foz do Iguaçu. É realmente interessante especialmente por tratar da "felisid ade" do brasileiro". Lembro-me de um designer gráifico que estava transformando esse tipo de letra com "S" invertido, caixa alta e caixa baixa juntas e separação silábica aleatória em um "tipo" ou "fonte" para computador. Se alguém tiver informação sobre quem é o designer, eu gostaria de obter ou saber o caminho da fonte. Mas gostei da "inscrição". Qual é mesmo a felisid ade do Brasileiro?

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails

Hora no Paraguai incluindo CDE

Hora Mundial: passe o mouse sobre o mapa para escolher região