segunda-feira, 28 de julho de 2014

Obras do Hotel Bourbon Centro de vento em poupa

Rio Hotel by Bourbon de Foz em construção


Foz do Iguaçu vai ganhar em breve - ou melhor já está ganhando o segundo empreendimento da Rede Bourbon. Será o Rio Hotel by Bourbon na Avenida Costa e Silva esquina com Minas Gerais  ao lado do Cataratas JL Shopping, região central. O novo hotel  pertencerá a Marca Rio by Bourbon descrita  como um produto inovador, destinado ao segmento midscale  (4 estrelas) com serviços reduzidos.  Segundo a apresentação no site do grupo "o conceito está baseado em projetos modernos e funcionais.  Padrões de conforto e comodidade comparáveis ao que há de melhor na indústria hoteleira nacional e internacional". Há informações de que o Rio by Bourbon será ligado ao Shopping por uma passarela suspensa sobre a Avenida Costa e Silva.  

quinta-feira, 17 de julho de 2014

Vale dos Dinossauros é o novo atrativo e ferramenta de educação em Foz



 
O Vale dos Dinossauros, a mais nova atração de Foz do Iguaçu para visitantes e moradores já está aberto.  O Vale dos Dinossauros está localizado ao lado do Museu de Cera na Rodovia  das Cataratas no agradável bairro Remanso Grande. O Museu de Cera e o Vale dos Dinossauros e Museu de Cera são os dos primeiros "atrativos" que farão parte de um complexo de atrações que quando prontos ocuparão 60 mil metros quadrados.  Eu gostei do Vale dos Dinossauros e digo que vejo nele uma grande ferramenta de educação sobre os dinossauros que existiram no planeta entre 200 e 65 milhões de anos atrás.  As Cataratas - quer dizer o cenário físico das Cataratas, as rochas basálticas são resultado de atividades geológicas "porretas" que ocorreram há pelo menos 120 milhões de anos. Quer dizer que na época, os dinossauros andavam correndo e soltos por aí. A exceção deveria ser a região da Bacia do Paraná que, caso você a  pudesse ver, seria "boca quente" mais quente e perigosa do que o inferno divulgado por Dante Alighieri.  Fui informado de que em breve cada uma das réplicas de dinossauros expostos ganharão nomes que ajudarão a identificar cada animal. Agorinha há cerca de 20 animais expostos. Serão muitos mais. 
Vejo no futuro próximo,  o Vale dos Dinossauros sendo colocados  na lista de cada escola entre Guaira e Foz do Iguaçu, de Santa Terezinha  a Barracão. O estudo dos dinossauros  não é algo do passado.  Nos últimos 30 dias, cientistas na Sibéria anunciaram novas descobertas uma delas um Psittacosaurus sibiricus adulto bem preservado e inteiro além de fósseis de filhotes. A última inclui um filhote que lançou a discussão de que filhotes de dinossauros poderiam ter penas. Aposto no Vale dos Dinossauros como  uma grande ajuda audiovisual de educação ambiental.Graças a evidências fósseis, os paleontólogos  identificaram mais de quinhentos diferentes gêneros e mais de mil diferentes espécies de dinossauros, alguns sendo herbívoros,   outros carnívoros,  assim como havia também espécies bípedes e quadrúpedes. Muitas espécies possuíam estruturas como  chifres e cristas. Alguns grupos desenvolveram  esqueléticas, como armaduras ósseas e espinhas. Estes animais variavam muito em tamanho e peso com dinossauros terópodas adultos medindo menos de cinquenta centímetros, enquanto os maiores saurópodes podiam chegar a cerca de vinte metros  de altura como o  argentinossauro.
   


sábado, 12 de julho de 2014

Uma ministra do meio ambiente que virou chanceler alemã



Chanceler Angela Merkel 

Angela Merkel - 
Ministra do Meio 
Ambiente
A senhora de vermelho (acima) é a chanceler ou primeira ministra alemã Angela Merkel.  Ela está no Estádio da Fonte Nova em Salvador assistindo ao jogo Portugal - Alemanha, em junho, ao lado de autoridades. A fonte da foto é o site do Governo da Bahia. A chanceler é uma grande torcedora. Ela estará de volta para assistir o final da Copa 2014 neste domingo, 13 de julho. Aproveito a ocasião para publicar duas fotos minhas nesta postagem. 
Uma mostra Angela Merkel em 1997 quando era a ministra do meio ambiente da Alemanha. Naquele ano eu fui à Feira Internacional de Turismo de Berlim como assessor de imprensa da Foz do Iguaçu Turismo S.A. ou Foztur, na companhia do então diretor-presidente da empresa mista, Miguel Soria. 

A Foztur participou da feira em um estande conjunto com a Embratur, na época máxima autoridade do turismo do Brasil. A Feira de Berlim é tão grande que a maioria dos estrangeiros que vão a ela não sabe o que acontece. Além da presença de empresas de turismo, secretarias e entidades oficiais  do turismo, hotéis, linhas aéreas e operadoras de turismo de todo o mundo, a Alemanha aproveita para divulgar sua estrutura mesmo o que aparentemente não esteja ligado ao turismo.
Foi assim que me vi em uma entrevista coletiva com a ministra do meio ambiente, naquela época, para mim, uma pessoa não-conhecida internacionalmente. Em 1997, a Alemanha seguia a fio a política do meio ambiente para geração de empregos por meio de uma tecnologia ambiental na área de geração de energia (solar, eólica, por exemplo)  e soluções ambientais. 
O livrinho ...
Foi assim que eu coloquei na minha bolsa um pequeno livro chamado Umweltschutz in Deustchland (Proteção do Meio Ambiental na Alemanha). Por dificuldades linguísticas, na época maiores do que hoje, deixei o livro, ao voltar para o Brasil, tranquilinho em uma caixa qualquer. Há três ou quatro meses voltei a encontrá-lo. Comecei a lê-lo, meu alemão havia melhorado. Daí de repente, na primeira página,vi a foto que publico acima. Em baixo da mensagem oficial  vi também a assinatura da ministra do meio ambiente: Dra. Angela Merkel, a atual primeira ministra da Alemanha. 

Vinte anos depois daquela entrevista coletiva, observo que a Alemanha conseguiu materializar todas as políticas ambientais que o livro lista e que havia começado logo após a Cúpula do Meio Ambiente no Rio de Janeiro em 1992.  Hoje a Alemanha tem 200 fábricas de produtos para geração fotovoltaica de eletricidade com 65 mil empregos direto de tempo integral. Fora isso 5 mil empresas se dedicam à manutenção e instalação de sistemas fotovoltaicos. A capacidade instalada de energia fotovoltaica no país em 2013 era de 29.700 gigawatts / hora em 2013. A geração de energia fotovoltaica deixou de jogar na atmosfera em 2013, 21 milhões de toneladas de dióxido de carbono. Exatamente o que o planejamento, segundo o livrinho acima, previa desde 1993. Assim desejo à chanceler, uma boa permanência no Brasil, bom jogo, que torça bem e que siga levando em frente todas as políticas que fazem da Alemanha, o país que é. Fonte das informações atualizadas: Associação da Indústria Solar Alemã - BSW Solar  
            


quinta-feira, 10 de julho de 2014

Foz do Iguaçu recebe encontro de Turismo Rural este mês

Agricultores, donos de propriedades rurais, secretarias de turismo e entidades ligadas tanto ao turismo como à agricultura têm encontro marcado no dia 18 de julho em Foz do Iguaçu. É o VI Encontro Regional de Turismo Rural que contará também com a II Mostra de Turismo Rural do Oeste do Paraná. O evento é uma iniciativa da EMATER – Instituto Paranaense de Assistência Técnica e Extensão Rural. A participação está aberta à moradores dos 52 municípios do Oeste do Paraná.  
De acordo com a secretária executiva da Agência de Desenvolvimento  Turístico (ADETUR) da Região Cataratas do Iguaçu e Caminhos ao Lago de Itaipu, Dayane Passos, o encontro tem como objetivo motivar, estimular e fomentar a atividade de Turismo Rural reunindo agricultores, empreendedores rurais e profissionais da área. “Nesta edição estima-se a participação de aproximadamente 500 pessoas”, afirma. O VI Encontro Regional e a II Mostra acontecem no Centro de Convenções de Foz do Iguaçu a partir das 8h da manhã. 

Logo após as inscrições entre as 8h e 8h30, o engenheiro agrônomo e  responsável pelo escritório local da Emater em Nova Aurora (PR), José Depieri Gindri abrirá as atividades com a palestra “Ações locais para o desenvolvimento do Turismo Rural”.  De acordo com o coordenador do Escritório Regional da Emater em Cascavel, Carlos Roberto Strapasson, Nova Aurora é um dos municípios que se destacam no turismo rural na região Oeste.
Segundo Gindri, op município conta com 773 agricultores assistidos pela Emater e divididos em 22 associações comunitárias, grupos especializados em produção de leite, mel, uva, maçã, moranguinho, agroindústria, abacaxi, pupunha, turismo rural, industria de peixes, produtos orgânicos e feira do produtor rural.    
Na parte da manhã haverá mais duas palestras. Empresários do turismo de Foz do Iguaçu falarão sobre “Perspectivas de mercado do turismo em área rural” e “Potencial para exploração do turismo em área rural” pela Coordenadora Estadual de Turismo Rural da EMATER, com  Ivaldete Zarpellon.  
Casos bem sucedidos do turismo rural serão apresentados entre as 12 e 13h. O caso de Nova Aurora será apresentada pela membro do Conselho Municipal de Turismo (COMTUR) do município. Estarão em foco ainda casos de sucesso da região turística Lagos e Colinas localizadas no território Cantuquiriguaçu. O terceiro caso de sucesso virá de Serranópolis do Iguaçu e será mostrado pelo Secretário de Indústria, Comércio e Turismo, Luiz Carlos Wessler.  Após o almoço, os participantes do evento farão visitas técnicas à propriedades de Foz do Iguaçu que trabalham com o turismo rural. O encerramento oficial será às 17h30. As secretarias ou Departamentos de Turismo dos municípios da Região Cataratas e Caminhos estão organizando as caravanas para deslocamento até o evento.

Serviço:

Contatos e inscrições
 ADETUR CATARATAS E CAMINHOS
(45) 3268-1006 ou 9927-2299
E-mail: secretaria@adeturcataratasecaminhos.org.br  
 ESCRITÓRIO EMATER - REGIONAL CASCAVEL
(45) 3219 - 9316 ou 9988-8787 Email: strapasson@emater.pr.gov.br


domingo, 6 de julho de 2014

Aniversário de um ano do grupo Maracatu Alvorada Nova

Maracatu do Projeto Plugado


A celebração do primeiro ano de existência do grupo Maracatu Alvorada Nova foi a desculpa. O que aconteceu foi uma mostra do know how do pessoal da Casa do Teatro / Teatro Barracão em juntar coisas das Três Fronteiras elevá-las ao público. Nas fotos que aparecem nesta postagem há um bom exemplo do que aconteceu mas não dá conta de tudo.  Por exemplo, não uma foto Maracatu Alvorada Nova. O motivo é que eu sai antes de terminar. O fermento do " pão cultural" nas Três Fronteiras está ativo. Juntar tudo isso e mostrar em uma  noite não é fácil.

Slackline
 Até onde presenciei, vi apresentação de chorinho e samba - com direito a Thiago da Silva no cavaquinho e a francesa Anne Sophie Bertrand na flauta. "Escolhemos fazer chorinho porque é uma música mais complexa", disse Thiago.  Ouvir choro em Foz é, para mim, novidade. Os ouvidos agradecem. Thiago contou que uma vez por mês o grupo Os Mau Ditos se apresentam no Empório com Arte - um espaço também especial - uma vez por mês.  O grupo tem ainda, Robson de Aguiar Jr no pandeiro; João Batista de Andrade na percussão e o maestro Claudião no violão. O Thiago Silva está ligado ao grupo Trupe Luz da Lua. Havia também duas cordas bambas chamadas de slack line ou slackline que quer dizer a mesma coisa.


O poder de "pontífice" (construtores de ponte) do que eu chamo de galera da Casa do Teatro / Teatro Barracão é a habilidade de ter contato com Puerto Iguazú. Vieram 80 pessoas de Puerto Iguazú. Duas aldeias (tekoá): Jasy Porã  (jacy Porã) e Mbororé. A Jasy Porã apresentou o coral mbyá guarani com música tradicional e por que não dizer sacra mbyá guarani. Um rapaz (brasileiro) confessou que estava arrepiado e disse ter entendido uma palavra: ñanderú que significa "nosso pai".  

Meninas mbyá guarani da 
aldeia Jasy Porã de Puerto Iguazú
A aldeia Jasy Porá, segundo um dos dirigentes do coral, fica cerca de um quilômetro da aldeia Yriapú. A apresentação da Tekoá Mbororé incluiu a participação inclusiva de mbyá guaranis e brancos. Uma mistura. Jovens mbyás cantaram rap em guarani mbyá, a banda com ótima percussão, guitarra, violão, saxofone, flauta doce trouxe o rock-rap com pitadas de world music (nova era) e uma mensagem: lutamos pelo que é nosso (luchamos por lo que nuestro). A aldeia Mururé como todas as outras aldeias em Porto Igual estão no centro da guerra por terras. Lá investidores ligados ao turismo e hotelaria estão de olhos e dentes nas terras (reservas) guaranis. Parte (250 das 500 hectares) da Selva Yriapu já foi abocanhada pelo condomínio hoteleiro entre o rio Iguaçu e a rodovia que continuação da Avenida Victoria Aguirre; os olhos e dentes estão apontadas agora para a aldeia Mbororé*. Há até planos para mudá-los para uma área em uma reserva ambiental que se não me engano é Puerto Península. Lideranças da aldeia estão preocupados com o assédio da representação local da civilização ocidental em cima da juventude 'mbororeense'. Daí a força do "rap" dos 'rappers' guarani.



Fico devendo informações mais detalhadas sobre os membros do grupo. Estou procurando! Entre uma apresentação e outra, entrou no palco o grupo "Obuntu é" de música africana dirigido pela professora Florentina Veronica Rosa, argentina de nascimento, psicóloga e co formação em dança pela UFBA. O grupo arrancou aplausos de uma plateia impressionada. Florentina trabalha em dois lados da tri-fronteira, Brasil e Argentina, e juntou tudo para trazer ao palco. Em Foz o treinamento acontece na Reverence Studio de Dança.  Em outro aspecto da arte, não faltou a pintura. A pintora argentina de Puerto Iguazú Meg Glouber,pintava ao vivo e em cores no meio da multidão que transitava as diversas expressões. Como disse não vi o Maracatu Alvorada Nova, mas vi o Maracatu do Projeto Plugado que entrou em cena puxado pelo Unileiro, estudante do quarto semestre de geografia Jhonatan Fernandes que herdou do também Unileiro Alison Capelari, fundador do Alvorada Nova,  a direção do Maracatu do Plugado um projeto que já tem sete anos.  O som do maracatu é contagiante e como disseram algumas pessoas "arrepiante". De passagem digo, que sem a Unila, quer dizer estudantes, professores, amigos essa teia teria sido mais difícil. Encerro por aqui.

Os Mau Ditos: choro, samba e sucessos

Plateia incluiu crianças mbyá guarani de duas aldeias

Thiago da Silva no cavaquinho e a  francesa Anne Sophie na flauta

Apresentação do grupo da Tekoá Jasy Porã


Parte do grupo 'Obuntu É' da professora Florentina Verónica Rosa 
Academia Reverence

Maracatú do Plugado

Rap mbyá guarani da Aldeia Mbororé de Puerto Iguazú: "Luchamos por lo que es nuestro"

Do grupo multicultural da Aldeia Mbororé
Meg Glouber, pintora, Puerto Iguazú


* O nome da aldeia é Fortín Mbororé e lembra uma batalha onde um exército de 4 mil guaranis  derrotou, em 11 de março de 1641, uma formação de bandeirantes que entrou na selva na região do rio Uruguai, onde hoje está a cidade de Panambi (Misiones) para caçar e capturar índios para serem levados à escravidão em territórios de Portugal.

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails

Hora no Paraguai incluindo CDE

Hora Mundial: passe o mouse sobre o mapa para escolher região