segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

Mostra Fotográfica Antigos Carnavais do Floresta


Abre amanhã, 1º de março, a mostra fotográfica "Velhos Carnavais do Floresta". Pra quem não é de Foz do Iguaçu explico: o Floresta Clube era um clube social da Itaipu Binacional, para a classe média pra cima, mas não muito pra cima porque aqui não tem, e que era famoso por suas piscinas, espaços de lazer, churrascos, esportes e acima de tudo pelos carnavais e shows do Floresta. Não faz muito tempo a Itaipu Binacional - parte brasileira dela - cedeu a área para a instalação do Instituto Federal do Paraná. Fiquei contente ao saber que um dos compromissos do IFPr era preservar a memória do clube especialmente suas festas comunitárias e sociais. A partir de amanhã você é convidado para conferir e participar do hobby que identificar as pessoas nas fotos. Na foto que publico acima e que é da Mostra Fotográfica, já aproveito para identificar três pessoas: o casal Reciel e Valci Rocha que está na frente da Marta, aquela moça de bermuda jeans azul, de costas e que está lendo um catálogo. Aos responsáveis pela mostra, parabéns! E aproveito para cobrar que se faça o mesmo pelo Oeste Paraná Clube, hoje supermercado Max Centro; pelo Country Club que ainda resiste; pelo GRESFI e outros espaços onde gerações de iguaçuenses brincaram.

sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

O Morumbi: bairro temático de Foz do Iguaçu dedicado ao futebol. Agregando valor: de olho na Copa II

Já contei na primeira postagem organizada sobre as ruas do Grande Morumbi, que a Avenida Jules Rimet homenageia o francês Jules Rimet, primeiro dirigente da FIFA, idealizador da Copa do Mundo e criador da Taça que leva o seu nome. Disse também que logo após, a Rimet, há uma rua chamada Centenário que por sua vez, homenageia o primeiro estádio onde foi realizada a primeira copa do mundo em 1930. O Estádio Centenário de Montevideu, Uruguai. Acontece que há mais um detalhe. Os sábios iguaçuenses que bolaram esse bairro ou eram fãs de futebol no nível mais alto e enciclopédico que possa existir ou fizeram uma enorme pesquisa que, mesmo hoje, exigiria muita procura na internet, museus e literatura esportiva. Descobriram que o futebol é imenso e que o bairro seria pequeno para homenagear a todo o universo do futebol brasiliero. Por isso, eles usaram um truque interessante. Algumas ruas do bairro tem dois nomes. É o caso da Rua Batatais, aquela que passa pelo Centro de Convivência Escola Bairro Professor Darci Zanatta parte do CAIC. Com a rua, os loteadores quiseram ou efetivamente elogiaram a um time paulista chamado Batatais Futebol Club (FC) no interior do estado. A outra metade da rua se chama Serra Dourada uma honraria ao Estádio Serra Dourada, do governo do Estado de Goiás localizado em Goiânia. A próxima rua passa pelo mesmo fenômeno. Do ponto mais próximo à República Argentina, os loteadores também optaram por dividir a homenagem entre dois estádios e times diferentes. A próxima rua na lista se chama Moisés Lucarelli – homanegem do Morumbi-Foz ao Estádio Moisés Lucarelli (foto), sede oficial da Associação Atlética Ponte Preta de Campinas, São Paulo. Os criadores do bairro em Foz, exerceram seu "direito de criador" e fizeram o Ponte Preta paulista dividir espaço com o carioca Bangu do Rio de Janeiro. A Rua Bangu homenageia ao Bangu Atlético Clube e ao Estádio Proletário Guilherme da Silveira Filho que também leva o nome de Moça Bonita. Gostei da palavra proletário no nome do estádio! O emblema do Bangu aparece aqui à direita. A próxima rua é a Vivaldo de Lima, hoje demolido (foto), o Vivaldão foi um grande estádio construido em Manaus. Em seu lugar está sendo construido outro para atender as necessidades da Copa de 2014. Vivaldo de Lima, a pessoa, foi médico, advogado, professor e deputado federal, e uma das maiores figuras do esporte no Estado do Amazonas. O estádio recebeu prêmio nacional de arquitetura. O Vivaldão durou de 1970 a 2010. As obras de construção do novo estádio estão previstas para terminar em dezembro de 2012. Detalhe não vai mais se chamar Vivaldão! Vai se chamar Arena Amazônia - mas garanto que o povo vai brigar. As próximas quatro ruas são compartilhadas. A Rua Gávea que começa na junção com a Rua Airton Moreira homenageia o Estádio da Gávea, também conhecido como Estádio José Bastos Padilha ou simplesmene estádio do (Clube de Regatas) Flamengo. Já a segunda metade da rua, homenageia o Estádio Major Antônio do Couto Pereira, o nosso Couto Pereira, a casa do Coritiba Foot Ball Club em Curitiba. Vale a acrescentar que o major Couto foi presidente do Coritiba entre 1926, 1927 e entre 1930 e 1933. Foi ele quem começou a construção do Estádio Couto Pereira em 1927. A Rua Laranjeiras, tem esquina com a Avenida República Argentina. Um dos atrativos importantes nessa esquina é a loja do Michimi – que é dirigente desportivo local – e vende material de construção reutilizável. Trata-se de material de segunda mão e onde há muitas surpresas. Eu mesmo, no cumprimento dos três R's. Já comprei lá madeira que pertenceu a alguma casa em Foz, uma ex-banheira do Hotel das Cataratas além de um monte de outras coisinhas entre outras portas e janelas usadas. Chama-se o Baratão. Lá pra frente, a Rua Laranjeiras, passa a chamar-se São Januário - em alusão ao Estádio Manuel Schwartz ou simplesmente Estádio das Laranjeiras. O proprietário do Estádio das Laranjeiras se chama Fluminense. Concluo esta segunda parte da minha homenagem aos idealizadores dos loteamentos Morumbi, destacando dois estádios lembrados por eles. O primeiro é estádio do Canindé - oficialmente Estádio Doutor Osvaldo Teixeira Duarte, que pertence à Associação Portuguesa de Desportos, O Estádio Canindé é lembrado em Foz do Iguaçu pela Rua Canindé, uma das principais do bairro. E destaco, o Estádio do Morumbi – esse é porreta e complexamente lembrado em Foz do Iguaçu. Veja por quê: O bairro do Morumbi em Foz já é uma honraria ao Estádio Cícero Pompeu de Toledo – nome oficial do Estádio do Morumbi que fica no bairro Morumbi em São Paulo e a sede do São Paulo Futebol Clube. É como se todos os estádios do Brasil coubessem no Morumbi. Seriam paulistas os loteadores do Chicão? E por fim, dupla homenagem. Uma das principais ruas transvessais do bairro se chama Pompeu de Toledo. Cícero Pompeu de Toledo foi o presidente do São Paulo FC durante a construção do estádio. Ele morreu antes de vê-lo concluído.

Esta postagem foi acessada por 1.664 pessoas até 20/01/2913

quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

O Morumbi: bairro temático de Foz do Iguaçu dedicado ao futebol. Agregando valor e de olho na Copa

Mapa do Morumbi - limitado pelas avenida Jules Rimet, Repúbilca Argentina e Mário Filho  (Foto Bairronauta reprodução  editel.com / FVMN ComputaçãoGráfica).


Jules Rimet
Muitos dos loteamentos de Foz do Iguaçu têm a particularidade de serem temáticos. Vale recuperar a história e a origem desse hábito tão interessante. Mas não vou falar disso agora. Vou direto a um passeio pelo Morumbi - um dos bairros mais populosos da Terra das Cataratas. A empresa que criou o Morumbi, escolheu o futebol como tema principal do novo bairro. E não é o futebol em si. O bairro presta uma homenagem aos estádios de futebol do Brasil. Mesmo que as avenidas e ruas tenham nomes de pessoas, essas pessoas foram importantes para o futebol brasileiro em algum momento e, na maioria dos casos, deram nomes a estádios. Há casos de ruas em que a regra foi quebrada e o bairro homenageou a um desportista importante para o Brasil mesmo que de outro esporte. Ou a um estádio que não é do Brasil. Entre a Avenida Jules Rimet e a Rua Belmiro são cerca de 40 ruas que correm paralelas - incluindo as duas. O Morumbi, para quem sobe pela Avenida República Argentina, começa na esquina da Jules Rimet com a República Argentina  ou em outras palavras começa na quina do muro da Casa Ofício - aquela escola especial que trabalha com gente especial e que tem um dos blogs mais acessados de Foz do Iguaçu. No lado oposto da Casa Ofício, o bairro é a Vila Borges, (falaremos sobre ela). O Morumbi termina na rua Belmiro em uma espécie de triângulo onde se encontram três bairros: Morumbi, Jardim Europa e Portal da Foz - todos temáticos. O Morumbi é grande e por isso é dividido entre I e V. Pela Jules Rimet, o Morumbi termina a partir do local em que a Avenida passa a chamar-se Ayrton Senna. A primeira rua do Morumbi não homenageia a um estádio mas sim ao primeiro presidente da Fifa. Foi durante o reinado (gestão) do francês, Jules Rimet (foto) que se organizou a primeira Copa do Mundo que foi realizada no Estádio Centenário em Montevidéu no Uruguai. Estádio esse, que foi declarado Monumento do Futebol Mundial pelo Patrimônio Uruguaio e um dos pontos de visitação de quem visita Montevidéu, mesmo que não goste de futebol. O primeiro estádio do mundo a sediar uma Copa também é homenageado no bairro Morumbi em Foz do Iguaçu. Uma rua acima da Jules Rimet fica a Rua Centenário em homenagem ao estádio uruguaio (foto).
Taça Jules Rimet
Rimet idealizou, então, uma Taça de ouro, que pertenceria à comunidade de Nações associadas à Fifa pelo menos até que um país fizesse a proeza de ganhar a nascente copa três vezes. A Taça se chamaria a "Vitória". Mas após a morte de Rimet a taça ganhou o nome dele. Em 1970, o Brasil ganhou sua terceira copa e assim passou a ser o primeiro tricampeão de futebol do mundo. A Taça Jules Rimet então mudou-se de mala e cuia para morar no Brasil. Contudo, como é do conhecimento de todos os brasileiros ou deveria ser, a Taça que foi ofertada ao Brasil, foi roubada e provavelmente terminou derretida. A última rua do bairro, a Rua Belmiro, por sua vez, homenageia a várias coisas. Primeiramente ao bairro santista conhecido nacionalmente como Vila Belmiro que é o coração das coisas ligadas ao Santos FC. É uma homenagem, também, feita pelo povo santista a Belmiro Ribeiro de Moraes e Silva que, segundo informações colhidas na Wikipedia, foi importante para a idealização e loteamento da antiga e original Vila Operária, que depois passou a se chamar Vila Belmiro. Assim sendo, a Rua Belmiro, homenageia o bairro Vila Belmiro e até seu criador mas não o Estádio do Santos FC. Há outra rua no Morumbi de Foz do Iguaçu que presta esta homenagem. Se chama Rua Urbano Caldeira, esta sim, homenageia o Estádio Urbano Caldeira. É a 16ª rua a partir da Jules Rimet. Depois abro o jogo sobre por que estou postando esse assunto?


domingo, 20 de fevereiro de 2011

A revolta do desespero começou na Tunísia e pode dar volta ao mundo!

As velas e as flores são uma homenagem a Mohammed Bouazizi, 26, "...um vendedor de rua tunisino cuja autoimolação no dia 17 de dezembro de 2010 foi o estopim dos protestos na Tunísia que levaram ao então presidente Ben Ali a renunciar depois de 23 anos no poder... ...As autoridades da cidade confiscaram o carrinho de frutas de Bouazizi, alegando ser illegal a venda ambulante na Tunísia. Assim, Mohamed decide ir à sede do governo regional para tentar defender seu caso com o governador, pois tinha poucas opções para ganhar a vida. Após receber um não ao seu pedido, decide comprar duas garrafas de thinner e colocar fogo em si mesmo na frente do prédio.Salem e Samia Bouazizi, respectivamente mãe e irmã de Bouazizi, afirmaram que autoridades tentaram por diversas vezes extorquir dinheiro do vendedor ambulante. Também foi relatado que Mohamed foi humilhado publicamente quando uma funcionária da Prefeitura lhe deu um tapa no rosto e cuspiu nele, confiscando sua balança e jogando fora suas frutas" (Wikipedia)

Barba de molho - prefeituras municipais e seus fiscais no mundo todo! Há milhões de Mohamed Bouazizi pelo mundo. Sempre alertei para a necessidade de criar empregos e urgentemente! Ao escrever penso em Foz. Mas já vi polícia correndo atrás de ambulante em Bogotá, Assunção, Lima e em muitos outros lugares do mundo. O modelo econômico cruel e excludente é o mesmo e está em todo o Planeta. Clique A Q U I para saber mais sobre Mohamed Bouazizi em português ou A Q U I para ir fundo no assunto em árabe

O blog é meu PX (rádio amador)

Postando coisas nos meus blogs, eu me sinto como se fosse um rádio amador. O blogueiro é para mim, o que o radio amador foi ( e será caso haja um apagão de satélite). O Blog de Foz e o Blog de la Triple Frontera, são responsáveis por este sentimento. Os dois prestam um serviço que não sei se exista em Foz do Iguaçu. Brasileiros e argentinos me escrevem em busca de informações e para tirar dúvidas. Eu tento responder a todas as perguntas.

Uma exemplo de pergunta é esta, do Rodrigo, que deve estar em Foz agora: “Amigo estou indo a Foz agora dia 15, Gostaria de saber que onibus pegar do aeroporto para o hotel foz plaza hotel,seria essa linha 120? e quando ele chega na av republica argentina vindo da av.JK ele vira para a esquerda sentido a r. Taroba e isso?

Minha resposta:
Oi Rodrigo, Isso mesmo é o 120 Parque Nacional TTU mesmo. Na esquina ele vai virar para a esquerda, quer dizer para o TTU. Você pode descer aí ou, sugiro, vá até o terminal e pegue (sem pagar nova passagem) qualquer ônibus que suba a Av. República Argentina sentido TTU-Shopping. Desça no primeiro ponto. Você estará perto do Hotel. É só pegar a Marechal Deodoro à direita.

Duas pessoas fizeram esta pergunta:

“... estou indo a Foz do Iguaçu e preciso chegar até a UNIAMÉRICA, vc sabe se tem algum ônibus que sai do centro até esta universidade? Obrigado”.

Minha resposta:

Oi Rinalde. Tem sim, pegue o ônibus que faz a linha Universitária - 65. Ele passa nas principais escolas e universidades de Foz. No centro ele pode ser pego na Avenida JK, Praça do Colégio Mitre na Floriano Peixoto, TTU (Terminal etc).

E assim, as perguntas chegam de toda parte. De Buenos Aires, me perguntam também sobre passagens de ônibus para lugares do Brasil como Fortaleza, Camboriú, Curitiba, São Paulo. Quando mal se anunciou que haveria um voo entre Lima e Foz, alguém me escreveu de Lima perguntando se chegando em Foz dava tempo a pegar ônibus para Puerto Iguazú. E assim eu vou sabendo quem vem, quem passa por aqui; descobrindo eventos e tendências. Estou sabendo, por exemplo, que há gente vido Buenos Aires para Foz para embarcar no voo para Lima. É um trabalho silencioso mas gratificante. E assim, me empenho crendo-me rádio amador sem prefixo de chamada. A postagem que mais tem comentários (em português) de pessoas que pedem informações é esta: Andando de ônibus em Foz do Iguaçu Confira a postagem em espanhol que mais recebe comentários / perguntas: Terminal de Omnibus (Rodoviária) de Foz do Iguaçu

quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

Mais info sobre Aldo Bello: Piscina de Toledo ganha o nome dele

A Piscína Pública do Bairro Pioneiro de Toledo, inaugurada no final do ano passado recebeu o nome do escultor Aldo Bello que em Foz construiu a estátua principal do Buda do Templo Chinês de Foz do Iguaçu. Na foto da Assessoria da Prefeitura de Toledo momento da inauguração. Acrescento informações da assessoria sobre o escultor:

Aldo Bello, homenageado pela administração municipal com o seu nome à piscina, era um artesão em Toledo, falecido em 12 de janeiro de 2009, aos 42 anos de idade. O artista fez diversos trabalhos em Toledo e municípios vizinhos, entre eles a estátua de padre Antônio Patuí, o primeiro padre de Toledo, localizado às margens do Rio Toledo, o Monumento aos Pioneiros, no Parque dos Pioneiros, e o tronco em homenagem aos pioneiros, na Praça Willy Barth, entre outras esculturas. Tem diversos trabalhos em Foz do Iguaçu, Francisco Beltrão, Palmas, entre outras cidades.

Escultor da imagem de Buda do Templo Chinês de Foz faleceu em 2010

No dia 24 de junho de 2009 postei uma nota aqui no Blog de Foz para homenagear o seu Beto - Felisberto Munaro, colega de trabalho na Gazeta do Iguaçu com quem pude compartilhar um monte de experiências. Na postagem, que você pode conferir, coloquei duas fotos. Ambas do trabalho de escultura do Buda Milapusan - a primeira e maior estátua do Templo Budista chinês de Foz do Iguaçu na região do Jardim Califórnia. O escultor pousava com sua obra em uma das fotos. Na mesma publicação, eu fiz uma pergunta: quem tem o nome do escultor? Toda obra é de alguém e esse alguém em de ser conhecido.

Um ano e meio depois, ontem, alguém de Toledo, terra do escultor, colocou um comentário no blog. É assinado por Rosy. Ela é fã do escultor e anuncia que Aldo Bello, o escultor faleceu em janeiro de 2010. Ela fez um blog especial para dar a notícia. Assim, me tranquilizo em ajudar a identificar o talentoso escultor que fez a estátua do Buda para o Templo Chinês. Aproveito para fazer um pedido. Há no Oeste do Paraná vários escultores que trabalham com esta arte. Há um em Itaipulândia que assinou várias das obras que há na cidade e poderia até ter sido "utilizado" na escultura de Nossa senhora Aparecida. Em Foz, temos o Giovanni Visotto - autor de obras como o São Francisco na Avenida Mário Filho no bairro Morumbi. Meu convite é: valorizemos os talentos que temos, de preferência enquanto estão vivos - com vivos quero dizer "encarnados" nesse paraíso fantástico que é o Planeta Terra e que a nossa civilização transformou em um "Vale de Pranto e Sofrimento" onde se escuta com claridade toda espécie de "choro e ranger de dentes". Para o Belo, um agradecimento pela sua arte e talento!

Parte da Mensagem da Rosy de Toledo:

Meu nome é rosy sou de toledo e fui amiga desse gênio das esculturas ,tenho uma estatua desse criador maravilhoso ,o nome dele é Aldo muito conhecido por "BELO" tenho uma noticia muito triste ele faleceu dia 12/01/2010 problemas de saúde,eu mesma fiquei muito triste pq ele era um grande amigo meu msmo ainda sinto muita falta dele mas antes dele falecer ele fez uma grande estatua pra igreja menino deus aki de toledo a imagem de maria ficou muito linda msm como todas as estatuas dele. Desde ja agradeço por alguem ler esse meu comunicado..." o restante da mesnagem está no blog dela.

quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

Nasce o Al Hudud ( الحدود ), A Fronteira - o site árabo-brasileiro da TriFron


Acabo de visitar o mais novo meio de comunicação da fronteira. A categoria é alternativa, online (internet,)novas mídias e bilíngue, pelo menos. Estou falando do site AlHudud / الحدود (em árabe) que tem também, em URL independente, seus espelho em português - A Fronteira. Assim, dou as boas vindas ao mundo das coisas online ao pesoal do Alhudud que entre outros, sei que é feito por Yacine Hijazi, jornalista formado pela UDC e colega meu - já fizemos alguns trabalhos juntos, e Ali Farhat que ainda não conheço. Vi no site assim de passagem, que a proposta incui noticias locais (Foz do Iguaçu, CDE,Puerto Iguazú e área de influência) em árabe bem como noticias do mundo árabe em português - como os acontecimentos no Egito entre outros. Um dos tristes acontecimentos na região foi o latrocínio praticado contra o cidadão iguaçuense Irani Pereira. A informação chegou tambem à comundade árabe da fronteira graças ao site (foto acima). Por fim, creio que as comunidades de lingua árabe e portuguesa bem como os falantes de espnahol que entendem portugues, utilizem o site para saber o que acontece com o vizinho. É muito bom que as comunidades saiam da toca e se encontrem!

domingo, 13 de fevereiro de 2011

Árvores de Foz do Iguaçu - Galeria do Roger


É de arrepiar o destino das árvores que enencontram no caminho do avanço urbano ou seja, aquilo que os especialistas chamam de "urban sprawl". Na foto, a árvore e o muro e com ele,tudo que poderia ser natural: rotas e caminhos de animais, continuidade da paisagem e liberdade. Mas, argumenta-se, é necessário por causa da segurança.
Não é só o urbano que avança. Avançam as fronteiras agrícolas. Neste caso o avanço da soja. Sobrou uma árvore para contar a história. Contar para quem? É o caso desta árvores solitária no meio de um sojal. Um dia, dirá, o mundo será um enorme sojal, canavial.

E as árvores que servem de abrigo. Elas nascem com muitas folhas, não cescem muito e sob sua forma arredondada, se congregam pessoas, animais, crianças e namorados. É o caso desta árvore localizada no Gramadão - a área de show e eventos públicos da Itaipu Nacional na Vila. "Fui lá tantas vezes e nunca tinha notado a árvore. É como se ela fosse invisível muitas vezes para que está debaixo dela.


Cada vez mais raro de se ver, as grandes florestas. Foi uma vez, em uma era que se foi, o Brasil, de Pernambuco à Santa Catrina era assim: só árvores. O Paraná era assim também. Hoje só restam 4% da cobertura vegetal (como dizem) do Estado. E a foto acima mostra 90% do que restou dela: o Parque Nacional do Iguaçu

sexta-feira, 11 de fevereiro de 2011

Tudo de volta ao que era e o povo está contente, com exceções

Nunca vi a população usuária do transporte público de Foz tão relaxada. Pelo menos na maior parte das linhas. Me vem à memória a imagem de um ursinho ou cachorrinho que após receber um carinhozinho na barriga, se relaxa e deita. Ou, um bezerrinho órfão após receber uma mamadeira de leite das mãos de um tratador. Assim está o povo. Tudo porque recuperou o "sistema como era antes". E pensando na história e documentação deste período, coloco aqui a foto acima do site do Foztrans onde se vê uma listas das linhas como estão e aqui, ao lado, está a imagem do anúncio da volta ao sistema anterior.

Guarda de Trânsito de CDE quebra parabrisa de ônibus argentino e Consulado protesta! TripliceFronfoca!

A imagem ao lado é facsimile da págia de uma carta protesto que o cônsul da República Argentina em CDE enviou à prefeita de Ciudad del este, Sandra McLeod de Zacarías, denunciando a bobeira de um guarda municipal de trânsito.
segundo a carta, o guarda teria quebrado o parabrisa de um ônibus da empresa Crucero del Norte, de nacionalidade argentina, que faz a linha circular urbana (ou metropolitana?) internacional entre Ciudad del Este e Puerto Iguazú via Foz do Iguaçu (sem direito de parada em Foz). O guarda parou o ônibus que tem linha fixa e o forçou a subir a Ruta Iteracional e entrar na fila muito fora de sua linha autorizada. Quando o motorista argentino tentou explicar que o ônibus da Crucero não era de turismo e sim de linha, o Guarda disse ou teria dito que não estava ali para dar satifsação a "C U R E P A". Aprenda essa palavra para não utilizá-la nunca. Essa é maneira que os paraguaios folcloricamente usam para referir-se aos argentinos só que hoje isso pode cadeia se o argentino ( a vítima) protestar. Quem a usa esta chamando a pessoa de "porco", "marrano", cerdo, maialo etc.
Para piorar as coisas, quando um oficial do Consulado foi até o pátio do Departamento de Trânsito um chefe não quis atendê-lo. A pessoa - quer dizer o funcionário - violou o acordo do direito diplomático e consular. Isso existe? Existe, foi exatamente o que as autoridades egípicas fizeram com os jornalistas e diplomáticos brasileiros o cairo. O Itamaraty já protestou!
Os assustados passageiros que estavam no ônibus, assinaram uma declaração. São as assinaturas que voce na imagem de número três. Clique nas imagens para vê-las. Esta fofoca interna trifronteiriça me foi passada pelo delegado Pablo René Díaz da Polícia de Turismo - parte integrantde da Polícia Nacional do Paraguai - que avisa que não vai tolerar essa história de chamar turistas por nomes racistas. Atenção população dos tres lados da TriFron, barba de molho! O guarda dançou porque a Crucero del Norte embora tenha CPF - digamos assim, argentino; é dona majoritária da empresa Sol del Paraguay que viaja a São Paulo, Buenos Aires entre outras cidades. E é também o nome da Linha Aérea Sol del Paraguay que começará a voar logo, logo. Tá até demorando! Mundito globalizado! A prefeita de CDE não vai gostar!

quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

Foz - Guaíra é região Jesuítica: é hora de resgatar a história

Quando os especialistas e mestres em língua guarani no Paraguai, têm dúvidas sobre alguma coisa séria ligada ao idioma, eles recorrem ao livro Arte de la Lengua Guaraní (foto)escrito pelo Padre Antonio Ruiz de Montoya (entre outros). O padre Ruiz de Montoya foi para a Paraquária ou a Província Jesuítica do Paraguai o que o padre Anchieta foi para o Brasil. Temos em Foz do Iguaçu a rua Padre Montoya - é lá onde fica a Acifi. Mas, não temos uma rua chamada Padre Anchieta. Anchieta foi o grande estudioso de tupi. Montoya foi do guarani. Se voce clicar na foto, você vai ver o que eu realmente quero mostrar: O livro foi impresso no povoado ou Pueblo de Santa MARIA La Mayor. Este povoado jesuítico existiu em algum lugar próximo às Cataratas do Iguaçu, em algum lugar rio acima. Daí, graças à perseguição dos bandeirantes - os padres jesuitas inclusive Montoya tiveram que levar a população de Santa Maria para um lugar mais seguro, selva adentro. Hoje, Santa Maria é uma pequena cidade em Misiones (Argentina) e da Santa Maria la Mayor deve sobrar algumas pedras. O filme The Mission estrelado por Jeremy Irons e Robert de Niro, trata disso. E por que estou abordando este assunto? É para lembrar do passado jesuítico da região entre Santa Maria la mayor (Foz do Iguaçu) e Ciudad Real del Guairá(Terra Roxa). E só para ilustrar acrescento: quando Jorge Schimmelpfeng assumiu a prefeitura do novo município, o território tinha 26 mil quilômatros quadrados e incluia tudo entre Foz do Iguaçu, em si, até Guaíra que na época incluia Terra Roxa. Exatamente a área importante do palco da história das Missões Jesuitas. Volto ao assunto! ( Foto ao lado: Campus Unioeste Foz, lembra arquitetura das Missões)

Faleceu seu Moisés Meireles - fotógrafo do 34º BIMTz

Anos de história do 34º BIMTz foram registrados pelas lentes de Moisés Meireles. Ele é pai de Roger e Robson Meireles, ambos foótgrafos e que trabalham comigo. Seu Moisés estava doente há dois anos e faleceu na terça-feira, 8. Ele parecia calmo e tranquilo. Conversando com Robson, eu disse que me lembrei de uma passagem bíblica que fala em "crianças de pouos dias" e de "velho que não cumpriu os seus". Na maneira poética as duas figuras tratam da tristeza da motalidade infantil (crianças de poucos dias) e da mortalidade adulta antes do tempo especialmente pela violencia -como é o caso da postagem sobre Irani Pereira. Prestando homenagens e me despedindo de seu Moisés eu disse ao Robson que eu sinceramente me sinto tranquilo em ver alguém que parte porque cumpriu os seus dias. Seu Moisés criou os filhos, todos trabalhadores e sérios e parte para a continuação da vida com um conta positiva. Assim compartilho da saudade que a famíia sente e para Moisés que cumpriu seus dias, desejo que ele fique atento e siga aquela luz.

Uma família e várias cidades enlutadas no Oeste do Paraná

Me solidarizo com a família do deputado estadual Reni Pereira daqui de Foz do Iguaçu, pela morte violenta de seu irmão Irani Pererira que foi candidato ao senado pelo Paraná nas últimas eleições. Irani foi assassinado de maneira brutal no que já é sem dúvida um latrocínio e poderá incluir mais outras barbaridades nas mãos de pelo menos cico pessoas. Irani Pereira foi sepultado ontem na vizinha cidade de Santa Tereznha de Itaipu. O caso choucou a região Oeste do Paraná. Minhas condolências e sincera triteza pela tragédia. Isso só pode acontecer em um mundo onde os valores são puramente materiais. O caso já é considerado resolvido, policialmente falando. Força a todos!

segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011

Sobre Iemanjá e seu Dia em Foz:convite para sair da toca


Em uma de minhas postagens chamada "As 130 coisas a fazer na Tri-Fron", sugiro a quem estiver em Foz do Iguaçu no dia 2 de fevereiro (turistas e moradores) que prestigiem a Festa de Iemanjá. No último dia 2, a cidade teve a Festa de Iemanjá, no Porto Meira. Foram poucas as pessoas presentes como mostram as fotos de Roger Meireles, publicadas na Gazeta do Iguaçu, do dia 3. Foz do Iguaçu já teve festas de Iemanjá com muito mais gente. Vários barcos partiam do Porto Meira, um deles, era o Iguassu Exoplorer, lotado de admiradores das Três Fronteiras. A festa decresceu. Por quê? Não devemos deixar isso acontecer na Terra da Diversidade Cultural sobre a qual a maioria gosta de encher a boca e dizer: "Em Foz vivem pacificamente 70 etnias". Parte da diversidade não pode encolher por causa do medo da opinião pública desorientada e cega. Ou não será mais diversidade!

Assim, conclamo a todos os umbandistas, candobleístas, de todas as linhas e misturas (atenção ha diversidade aí também) que saiam da toca e que no ano que vem Iemanjá possa ser abajulada e mimada como ela merece. Acrescento que Iemanjá, Yemanja, EEmoja está sendo cultuada até naquele lugar que a maioria que não me impressiona chama de Primeiro Mundo. Coloco um vídeo temporariamente de Deva Premal (acima) que é uma saudação a Iemanjá e abaixo, outro vídeo, que foi postado por alguém que veio à Foz do Iguaçu, foi às Cataratas e organizou esta saudação xamânica afro-brasileira. E parabéns aos que foram e mantiveram acessa a chama. Parabéns também à Marinha do Brasil que mandou um barco para a esoolta e segurança. Parabens ao Roger pelas fotos. Veja este LINK e ajude a melhorar esta lista!

sábado, 5 de fevereiro de 2011

Transporte coletivo de Foz dá ré: foi a implosão da comunicação

Atenção usuários do transporte coletivo de Foz do Iguaçu: é oficial. A partir de segunda-feira, o "novo sistema" implantado no dia 14 de janeiro será suspenso. Em seu lugar volta, triunfalmente, o velho sistema, com as velhas linhas, com os velhos horários, velhos vícios e problemas. Um nota na Televisão e cartazes colados no interior dos ônibus ou nos postes de "eucaliptos lernianos" no TTU se lê o aviso que afirma que as mudanças atende à reivindicações da comunidade. Mas será mesmo o fim dos problemas? Duvido! Tudo começou errado e "pau que nasce torto, não tem jeito,morre torto". O "sistema" não teve alicerce. Assim foi uma casa construida na areia. Conto uma coisa: Faz meia hora vim do centro, no ônibus. que faz a linha 201 ou seja TTU - Centro - Morumbi. O que vi e achei interessante é que havia umas 100 pessas para embarcar. Embarcou a metade. Os que ficaram lá estavam esperando o TTU - Morumbi direto (a linha 200). O primeiro sai do TTU via JK, J.Schimmelpfeng. Almirante Barroso, Xavier da Silva, República Argentina e daí para o bairro. O outro sai direto: TTU - República Argentina-Bairro. O pessoal que não embarcou ficou esperando ele. Algumas coisas que deram errado, opinião minha:

Falta de transparência nos anúncios
Vi uma anúncio do Unico pela primeira vez em agosto de 2009. Foi no ônibus Três Bandeiras - Centro e eu morava lá. Não gostei da maneira como o assunto foi introduzido. Silenciosamente, por debaixo dos panos. Para mim, como "comunicólogo" ( o gaúcho, amigo meu, disse que esta palavra parece com coisa de boiola), vi a violação de varias teorias da comunicação e detectei no "discurso" do panfletinho uma séria má intenção. Desde o início! Que queriam esconder? Confira nota inaugural

Comunicação defeituosa
Com o pasaar do tempo a comunicação ficou pior. Os gestores do sistema deram preferência à linguagem publicitária que na análise do discurso que me mostrou a má intenção inicial eu detectava agora uma linguagem equivocada, desta vez, segundo a Análise Transacional(TA- uma outra disciplina). A mensagem vinha de um nível da personalidade que a TA chama de "pai" (autoritário), dirigido ao nível "infantil" da população: Está tudo pensado para você. Nós sabemos tudo. Não haverá problema nenhum, nós sabemos o que é bom para você.

Embolada no meio de campo
O pacote de mudanças foi apresentado como uma única coisa quando, na verdade, são várias (pelo menos três):
- Licitação - uma exigência legal para definir empressas a opereram as linhas do ônibus. O resto foi invenção: cor de ônibus, tamanhos, racionalidade etc. Mudança de linhas, integração temporal, física, via cartão.


- Tiquetagem eletrônica - É coisa à parte regulamentada pelo Decreto Municipal 19.004 de 2009. A tiquetagem iria ser implantada com ou sem licitação.

- Logística - O nível autoritário "pai" disse ao nível "infantil" e imbecilizado do povo que, tudo estava certo e que tudo havia sido abordado por um estudo que ouviu 12 mil pessoas na cidade. O erro foi a empresa que fez o estudo ser a implementadora do sistema. Foz do Iguaçu ainda não foi incluida no currículo da empresa onde aparecem cidades e projetos como Curitiba, Cascavel, Bogotá cidades que conheço e onde tenho projetos de cobertura de assuntos ligados à ônibus. Ao contrário do que o nível "pai" disse à comunidade no nível infantil da Transação "comunicacional", o site da empresa não diz que ela implantou o fantástioco sistema de transporte de Curitiba ou o de Bogotá. Diz que ela fez estudos importantes e com datas. (confira).

Muito ruido na linha

Na etapa final do processo, começei a detectar problemas de "ruído" na linha da comunicação. Um pouco antes das eleições veio à público a questão da diferenciação de preços para quem tem e quem não tem cartão. O porta-voz do Foztrans, cgeou a dizer que não havia sentido para existência do TTU físico se a integração seria feita no cartão (agora estão chamando de integração temporal). A chefe da empresa Único - disse que não houve comunicação com antecedência porque as pessoas esquecem (relação nível "pai" - nível "infantil"). As informações não batem e no fim, ficou escancarado que ninguém, tinha um domínio ou visão sistêmica do sistema.

E a comunicação vai melhorar?

Não creio! O Foztrans já deu preferência pela linguagem publicitaria; detectei uma amargura no ar. Uma queixa contra o povo ingrato. "Segunda-feira, tudo vai voltar a ser como era. Se antes eles esperavam uma hora no ponto, agora vão voltar a esperar uma hora no ponto. Eles quiseram assim. Caso sigamos este modelo, a comunicação - comunicologicanente falando, implodiu. Daí, haverá mais protestos só que desta vez com mais consciência porque o processo se politizou! Outro perigo é o discurso que atrela a dicotomia do "se o sistema não funcionar vamos ter que aumentar a passagem".

Nota: Neste texto comuicação vai além da publicaçâo de nota na imprensa ou a leitura de um texto na rádio. Refere-se à ciência da comunicação que permite do começo ver o meio e o fim do projeto. É isso que uma empresa contrata quando adquire uma "assessoria de comunicação". Não estou desmerecendo a figura do assessor de imprensa que normalmente recebe ordem de um chefe no estilo: "Oh fulano, quero que você mande um "rilíze" dizendo que ... e quero que a manchete seja ... e vê se dá para publicar na capa!

quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

Feliz Ano do Coelho

Feliz Ano Novo - Hoje começa o Ano Novo Chinês o ano do Coelho! Assim, daqui da Terra das Cataratas, desejo a todos, chineses ou não, um novo período de vida. De preferência com mais sabedoria especialmente na área das conexões - me refiro às conexões entre o que fazemos e suas consequencias esepecialmente no tocante à Terra, ao Ambiente onde vivemos!

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails

Hora no Paraguai incluindo CDE

Hora Mundial: passe o mouse sobre o mapa para escolher região