sábado, 16 de novembro de 2019

Os projetos da Lucille

Vagão Camarote
Os vagões que fazem parte das composições da Serra Verde Express pertencem a três categorias: turística, econômica e luxo. Na categoria de luxo operam vagões com projetos especiais de customização e todos assinados pela arquiteta da casa, Lucille Amaral. São vagões especiais e que não deixam de ser temáticos. São eles, o Vagão Camarote, o Vagão Imperial, o Vagão Barão do Cerro Azul, as Litorina de Luxo e recentemente o Vagão Trem Pet. 
A composição é formada ainda pelos Vagões Turísticos e pelos Vagões Econômicos. 

domingo, 10 de novembro de 2019

Mão pesada do Vietnã acaba com um dos atrativos turísticos para "instagramers"

Todo mundo chorando a proibição
Lá dentro, lá no fundo, eu acredito que o turista é um dos seres mais bestas que existe. E não esqueça de que turista é qualquer um de nós quando viaja. Como uma coisa vira atração turística e outras não? Por exemplo, como as margens dos trilhos das Ruas Dien Bien Phu e Phung Hung, viraram uma atração turística? Todos os dias, de manhã,de tarde e à noite, um trem passa pelas "ruas" estreitas margeadas por, originalmente, barracos. Um dia alguém fez um barzinho e outro. Os turistas ocidentais descobriram. Sucesso da Iniciativa Privada.

Depois da Roça Nova: descendo a Serra do Mar de Trem




Depois do túnel um banquete de Mata Atlântica

Com a velocidade, a estação da Roça Nova passou voando. Melhorou a estrutura. O túnel apareceu rápido à frente e entramos nele. São 600 metros de túnel. As luzes acendem, os passageiros vibram. O guia do Vagão, Patrick Santos, pergunta se todo mundo já ouviu a expressão, luz no fim do túnel e pede para que olhemos para trás. Lá estava o maior símbolo da fé no futuro: siga a luz no fim do túnel. 

quinta-feira, 7 de novembro de 2019

Trem da Serra: Curitiba vista da janela do trem já é uma aventura



O Jardim Botânico visto da janela do trem 
Sair da Estação Rodoferroviária de Curitiba de trem e atravessar a cidade já é parte da aventura para mim que venho de Foz do Iguaçu, onde a terra é vermelha e não tem trem. O trem parte margeando a Avenida Presidente Affonso Camargo rumo à região do Jardim Botânico. É ótimo ver, no caminho, carros, motos, bicicletas parados para dar passagem ao trem. Passageiros e transeuntes se comunicam e há uma inexplicável tendência de acenarem uns para os outros, dando tchau e desejando boa viagem para quem estar no trem e tudo de bom para quem está no chão. Crianças no colo dos pais acenam com prazer.

segunda-feira, 4 de novembro de 2019

Descendo a Serra de Trem - (Curitiba - Morretes) no vagão Barão do Cerro Azul



O vagão: foto oficial de divulgação
Fui a Curitiba esses dias para participar da Assembleia Geral da Associação Brasileira dos Jornalistas de Turismo (ABRAJET). Aproveitando a ocasião levei minha filha de 11 anos, Amanda Rosalea para que a viagem fosse como um rito de passagem para ela. No dia da Assembleia, terminei sendo eleito  presidente da seccional Paraná da Abrajet. Foi surpresa, nunca tinha pensado nisso antes. Ganhei uma identificação: o primeiro presidente da entidade no interior do estado. Até aqui, só isso.

sexta-feira, 1 de novembro de 2019

Hoje é o Dia de Todos os Santos e amanhã é Dia dos Mortos

San La Muerte
Dia dos Finados, Dia dos Mortos é também o Dia de San La Muerte um culto à Santa Morte que predomina na Argentina e Paraguai com presença também no Brasil especialmente regiões Rio Grande do Sul. Tem capela de San La Muerte em Posadas.

Curitiba e a invejável cultura das placas comemorativas

Tem uma coisa que Curitiba sabe fazer bem. Identificar com placas de bronze, de granito, de mármore e outras pedras, metal, alumínio e até de azulejo. São placas comemorativas, placas de homenagens em várias categorias e com diversos propósitos.  Homenagem do Povo de Curitiba a personalidades; Homenagens da Prefeitura além de placas que lembram eventos importantes e  placas que registram a passagem de personalidades e até placas que celebram a realização de congressos e eventos. Vamos colocar uma foto de alguns exemplos. Mas antes de passar às fotos vejamos qual é o meu sonho em relação às placas e Foz do Iguaçu. 

Placa de inauguração do MBM
Vamos lá, a minha lista começa assim: 

Gostaria de ver as placas na categoria que identifica prédios públicos em suas funções atuais e passadas instaladas em vários locais da cidade. Nessa categoria gostaria de ver placas indicando onde funcionou o Primeiro Hotel de Foz do Iguaçu, onde funcionou a primeira Agência do Banco do Brasil, onde funcionou a

quarta-feira, 30 de outubro de 2019

Uma Van com nome próprio: John Galt 1957

A Van John Galt Express do Ulisses em Morretes
A Van branca estacionada em frente à Estação ferroviária de Morretes se chama John Galt. Ela também tem um número: 1957. Ela é propriedade de um senhor chamado Ulisses. É o nome que aparecia no meu "adesivo" de identificação: Guia Sílvia, Van Ulisses.  Por curiosidade uma das  primeiras perguntas que fiz foi: quem é John Galt. O Ulisses trabalha para ele? Mr. Galt é algum empresário americano perdido no litoral do  Paraná? 

quinta-feira, 10 de outubro de 2019

Câncer de mama: cinco fatos importantes que todos devem saber

Dr. Alfredo Carlos Simões Dornellas de Barros
São Paulo, 07 de outubro de 2019De acordo com o Instituto Nacional do Câncer (Inca), são diagnosticados no Brasil cerca de 60 mil novos casos de câncer de mama por ano e aproximadamente 12 mil mulheres morrem em decorrência dessa doença. Motivado pelas altas taxas de incidência, que não param de crescer desde a segunda metade do século XX, o mês de outubro foi escolhido para serem realizadas atividades educativas e de prevenção para o câncer de mama, o chamado Outubro Rosa.


De acordo com Alfredo Barros, mastologista da BP – A Beneficência Portuguesa de São Paulo, a redução do número de filhos, a primeira gestação tardia e os curtos períodos de amamentação tornaram a mulher exposta a um maior número de ciclos menstruais e, consequentemente, a intenso e repetido estímulo hormonal estrogênico. 

terça-feira, 8 de outubro de 2019

Vamos desenterrar o prédio do Gresfi para que todo mundo veja


Surpreendentemente lindo!
'Pescoceando" sobre o muro Ainda dá para ver um DC-3 na pista
Tem gente que diz: o Gresfi deveria ser tombado e transformado em um museu. Isso é bom mas demora. Um dia ele será tombado e poderá abrigar um museu. O que eu vejo quando passo por ele é que o prédio do Gresfi já é um Museu a céu Aberto.  Eu passo na frente dele, estico o pescoço por cima do muro e ainda vejo um ou mais DC-3 estacionados. Dois DC-3 da Força Aérea Paraguaia na pista esperando o presidente Alfredo Stroessner e seu ministério que saíram do aeroporto de Foz e foram para beira do rio Paraná, atravessando-o, enfrentando o barranco no lado Paraguaio para colocar uma pedra fundamental, acima do Porto Miséria, para a construção da primeira cidade paraguaia do Leste do país.