quinta-feira, 26 de dezembro de 2019

Por que a série "De onde vieram as Terras do Parque Nacional do Iguaçu", em seis partes

Publiquei uma série de cinco postagens sob o título "De onde vieram as Terras do parque Nacional do Iguaçu?". Por quê fiz isso? Dois motivos, a volta de propostas que prejudicam o Parque Nacional do Iguaçu como a que pretende criar uma Estrada Parque dentro do Parque Nacional do Iguaçu sobre o leito da antiga Estradado Colono. 

A segunda proposta a de estadualizar o Parque Nacional visto que, segundo afirmou o Governo do Estado do Paraná no começo da primeira gestão do governo Beto Richa, de que o o estado não passou os documentos de posse para a União. A proposta renasce, desta vez como proposta de Lei qu foi aprovada em uma Comissão da Assembleia Legislativa. Leia o material dividido em quatro partes. A quinta parte é uma lista de rotas turísticas para conhecer aspectos de nossa história da terra. 

domingo, 22 de dezembro de 2019

De onde vieram as Terras do Parque Nacional do Iguaçu? Sexta Parte- Roteiros Turísticos para conferir


Roteiros turísticos para conferir essa história

Tropeiros
Nos Campos Gerais no Paraná, uma das regiões turísticas do Estado, existe um roteiro turístico dedicado aos tropeiros. Para dar a conhecer melhor a história, a cidade de Castro mantém o Museu do Tropeiro.

Madeira Mamoré
Porto Velho e Guajará Mirim em Rondônia guardam vestígios da antiga Estrada de Ferro Madeira – Mamoré, ambas mantêm museus da linha férrea e guardam a memória do empreendimento.  Museu da Estrada de Ferro Madeira-Mamoré. Praça da EFMM, Av. Sete de Setembro, Sn - Centro, Porto Velho - RO. 

Legado do Contestado
Antiga estação de Caçador, hoje Museu
A história e memória da Guerra do Contestado é mantida em Santa Catarina em 45 cidades lideradas por Joaçaba que formam a Área Metropolitana do Contestado. Há roteiros específicos como a Rota do Contestado e Vale do Contestado. A cidade de  Caçador mantém um Museu do Contestado incluindo uma estão ferroviária e locomotiva.

Associação de Desenvolvimento do Turismo Caminhos do Contestado
Municípios membros: Calmon, Canoinhas, Itaiópolis, Irineópolis, Mafra, Matos Costa, Monte Castelo, Papanduva, Porto União, Timbó Grande e Três Barras.

Museu Histórico e Antropológico da Região do Contestado
Caçador SC

Southern Brazil Lumber - Para rever coisas e lembranças da época da Madereira Southern Brazil Lumber. O império de Percival Farquhar  

Três Barras (SC) mantém as lembranças da época da Brazil Lumber & Colonization Company. Há um museu dedicado à memória. Parte da propriedade da antiga Brazil Lumber é hoje sede do Campo de Treinamento Marechal Hermes do Exército Brasileiro


Museu do Patrimônio Histórico de Três Barras
Rua: Lumber, s/nº - Centro
Três Barras – SC
Antiga Estação Ferroviária
(47)3623-1137


De onde vieram as terras do Parque Nacional do Iguaçu? Quarta Parte


Quarta Parte
O que descobrimos com este decreto?
O Parque Nacional do Iguaçu que só seria declarado oficialmente em 1939, já estava na agenda do Governo Getulio Vargas em 1931. Com esse decreto, o futuro Parque Nacional recebe seu primeiro reforço de terras para suplementar as 1.008 hectares desapropriadas pelo Governo do Paraná em 1916 após a visita de Santos Dumont às Cataratas e sua intervenção junto ao Governo do Paraná para que as Cataratas não fossem possessão de um particular.
Confirmamos que a terra reservada para aumentar o Parque Nacional do Iguaçu estava no Município de Foz do Iguaçu pois até 1951 todo o Oeste do Paraná era Foz do Iguaçu. Vemos que a terra reservada para o Parque Nacional fazia fronteira com as terras da Estrada de Ferro São Paulo Rio Grande, o que coloca a Foz do Iguaçu da época no centro dessa história e como legado essa história é parte da Foz do Iguaçu hodierna.
No final dos anos 30, com a lei de segurança nacional e como consequência da Segunda Guerra Mundial que explode em 1939, o Governo de Getulio não só anunciou a criação do Parque Nacional do Iguaçu como lançou, entre outras iniciativas, um de seus mais famosos gritos de guerra foi: Marcha para o Oeste! Isso colocou mais lenha na fogueira quanto à luta por terras.

quinta-feira, 19 de dezembro de 2019

De onde vieram as terras do Parque Nacional do Iguaçu? Primeira Parte


Tudo está interligado e Foz do Iguaçu é parte de uma grande história

A partir dessa chegada, todos os habitantes se tornaram  "ilegais" 
Os primeiros habitantes de Foz do Iguaçu e do Oeste do Paraná, por exemplo, não foram os imigrantes do Rio Grande do Sul e Santa Catarina que começaram a chegar no final dos anos 1930 e com pique nos anos 1950. Os imigrantes do Sul, por sua vez descendem de alemães e italianos que imigraram, em outras ondas migratórias, para o Rio Grande do Sul.

Entre os primeiros imigrantes que vieram para Foz do Iguaçu, os pioneiros foram outros. Foram aqueles que constavam no Livro para Matrícula de Colonos da Colônia Militar do Iguaçu, pioneiros da era do mate e da madeira. Quer sejam pioneiros da primeira onda econômica, como os Schimmelpfengs, os Samways, os Dottos,os Requião, os Peters, os Roberts, os Anzoateguis, quer sejam pioneiros da época agrícola, pós-1938 todos quiseram terras. É sobre terras que vamos falar.

Tudo devoluta
Hoje se questiona muito que Pedro Álvares Cabral tenha descoberto o Brasil. Afirma-se que outros, antes dele, já tinham estado aqui. Pode ser. Porém, foi ele, Cabral, que chegando à terra, tomou posse não para ele mas para o Rei de Portugal. A partir daquele momento, todos os índios que estavam na frente dele e milhares ou milhões de outros que estavam em terras que ele nunca saberia que existia passaram a ser “ocupantes ilegais” da terra do Rei. 

De onde vieram as terras do Parque Nacional do Iguaçu? Terceira Parte


Traçado da linha férrea, região do Contestado e área do pega-pra-capá Paranaense-Catarinense Fonte

Constetado e luta por terras 

Com o fim da construção, os ex-oito mil empregados são abandonados no mato sem poder trabalhar a terra. Não foi cumprida a promessa de que no fim do contrato, eles teriam os custos de viagem financiados pela empresa contratante. Forçados a ficar na região, parte dos trabalhadores decidiu virar posseiro e trabalhar a terra em ambos lados dos trilhos da empresa EFSPRG.  Mas eles não eram a espécie de colono que Farquhar tinha em mente. 

Como ele tinha concessão para trabalhar a erva mate e explorar a madeira de todas essas terras, o grupo Farquhar era dono da empresa Southern Brazil Lumber & Colonization Company (Empresa Madeireira e Colonização Brasil Sul). Quer dizer depois de explorar a madeira e a erva mate, aí sim, o mega empresário pretendia colonizar as terras. Uma observação: a serraria da Southern Brazil ficava em Três Barras (SC) que se portava como um pedaço dos Estados Unidos com uma força de segurança de cerca de 800 “jagunços” americanos. 

De onde vieram as terras do Parque Nacional do Iguaçu? Segunda Parte


Havia uma empresa nacional chamada Brazil Railway Company, assim mesmo, muitas empresas tinham nomes em inglês. Esta pertencia ao norte-americano Percival Farquhar. 

A empresa de Farquhar era proprietária ou detinha o controle das estradas de ferro: Sorocabana, Madeira-Mamoré, EF Paraná, EF Dona Teresa Cristina, EFNorte do Paraná, EF São Paulo-Rio Grande, EF Vitória a Minas, EF Paulista S/A, Mogiana, Companhie Auxiliaire des Chémins de Fer au Brésil além decontrolar os Bondes de Salvador, São Paulo, Belém e Rio Grande. Para coroar o portfólio, possuía ainda a Southern Brazil Lumber & Colonization Company – uma madeireira e serraria com um braço imobiliário dedicado à colonização com sede no que hoje é Três Barras (SC).  

De onde vieram as Terras do Parque Nacional do Iguaçu? Quinta Parte


Anos 70 Conflitos gerais antes da consolidação do PNI

As Terras do antigo Território Federal do Iguaçu eram um imenso retalho de confusão pela posse de terras. Para o governo militar tanta confusão era fermento para a desordem social.O presidente Emílio Garrastazu Médici assinou o Decreto 69411 de 22 de outubro de 1971, por meio do qual declarou uma região composta por 33 municípios paranaenses e 23 catarinenses como prioritária para fins de reforma agrária.

Dois meses mais tarde, o governo do presidente Médici afunila a decisão por meio do Decreto 62412 de outubro do mesmo ano no qual lança um olhar na direção do Parque Nacional do Iguaçu. As terras do Parque Nacional estavam sendo vítimas de vendas indiscriminadas de terras por colonizadoras.

O decreto declara como de interesse social para fins de desapropriação: “Os imóveis inscritos, em nome de particulares, no Registro de Imóveis, situados dentro dos limites do Parque Nacional do Iguaçu ressalvado o direito da União de questionar o domínio das áreas tituladas irregularmente”.

sábado, 7 de dezembro de 2019

São Francisco do Morumbi começa a ser restaurado

Grupo de Família do bairro se reuniu em torno da imagem para rezar pela restauração do São Francisco 
Tive o privilégio na sexta-feira, 7, de ir até o monumento do São Francisco do Morumbi para registrar o início da obra.  Parabéns a todos os envolvidos. Na ocasião escrevi uma matéria para o GDia que deu um bom espaço com  direito à chamada de Capa. Tem gente que diz, que São Francisco foi o único cristão que pisou na terra até porque Cristo em si não conta.  Mas dizem, depois de Cristo! A inauguração será no dia 23.    

Associação Brasileira dos Sebrae Estaduais quer retirar da pauta a MP 907 da Embratur Agência

Reunida em Belo Horizonte (MG), nesta terça-feira (3), a Associação Brasileira dos Sebrae Estaduais (ABASE) apela para que a MP 907 seja retirada da pauta do Congresso Nacional, com o intuito de não prejudicar os milhares de pequenos negócios espalhados pelo Brasil, inclusive os que fazem parte da cadeia produtiva do turismo.

A Medida Provisória editada no último dia 27, que não atende aos preceitos constitucionais de relevância e urgência, prevê o corte anual de 18,4% no orçamento do Sebrae aplicado no fomento dos pequenos negócios em todo o país, retirando mais de R$ 600 milhões anuais para transformar a Embratur em agência de promoção turística internacional.

quinta-feira, 5 de dezembro de 2019

Salto Amy Winehouse nas Cataratas do Iguaçu: um tributo a quem continua brilhando

Amy Winehouse 
(Se você for proprietário da foto, favor contatar para permitir a continuidade dela nesta postagem ou retirá-la, obrigado)  

Em 2018 estava pesquisando para escrever um livro sobre as Cataratas do Iguaçu em todas as suas dimensões. Era quase fim do dia e o dia estava escuro. Olho de frente para as Cataratas e como sempre na minha frente havia Muitas Águas.