quarta-feira, 31 de março de 2010

Vídeo do H2Foz destaca interesse de grupos espiritualistas pelas Cataratas


O portal H2Foz publicou hoje um vídeo sobre a visão ecoespiritual das Cataratas do Iguaçu. O vídeo postado apresenta vários momentos de grupos que visitaram as Cataratas e na parte final a jornalista Letícia Lichacovski, da nova geração de jornalistas de Foz do Iguaçu, me entrevista sobre o assunto já que os colegas do H2Foz se lembraram do livro que fiz em 2005 sobre as Cataratas do Iguaçu como um Chacra da Terra. Reproduzo:

"O interesse pela magia das Cataratas do Iguaçu aumenta a cada dia. Grupos espirituais e religiosos buscam o santuário para unir homem e natureza. Um expemplo é o Centro de Estudos Xamânicos Porta do Sol, que recentemente contemplou as quedas d´água num momento sublime.

O Portal H2FOZ teve acesso às imagens que farão parte de um documentário e produziu uma matéria especial para os internautas. A reportagem resgata ainda outras imagens de visitas especiais ao Parque Nacional e traz uma entrevista com o jornalista Jackson Lima sobre as Cataratas do Iguaçu como um dos chacras da Terra
".

Veja o vídeo no H2Foz

Artesanato de Santa terezinha de Itaipu: lançamento


Acabei de recebr este convite e já repasso para a blogosfera. No dia 6, Santa Terezinha de Itaipu vai lançar nova linha de artesanatos na Casa do Produtor. Farei tudo para ir. Desejo ver como funciona, qual o modelo de economia empregado. Muito bom. Vi vários exemplos disso na viagem pelos municípios do Entorno do Lago de Itaipu. O convite é do Forum de Turismo Sustentável Cataratas e Caminhos - que é a entidade de 'governança' da Região Turística chamada Cataratas e Caminhos!

Protesto das Carroças: Inclusão Social


Já vi de tudo na discussão das carroças em Foz do Iguaçu. Desde a visão de direita que vê nas carroças algo que prejudique a "imagem" de "cidade turística" de Foz do Iguaçu; à visão dos defensores dos direitos dos animais até aqueles que lembram que tem gente puxando carroças como se fossem verdadeiros animais - o que somos. Mas é a primeira vez que vejo a visão expressada na faixa acima. Se houver inclusão social a necessidade de conduzir carroças para catar "resíduos sólidos" vai desaperecer. Muito bem! Parabéns! Gostei! Ótima mensagem!

Os ônibus de Foz estão cada vez mais superlotados


Foto 'bairronauta' tirada em um ônibus que faz a linha Morumbi - Centro. Quando o ônibus entrou na Avenida República Argetina, já estava assim. A partoir daí, a lotação dobrou. A população dos bairros ou regiões mais populosas é vítima de super lotação: Três Lagoas, Morumbi, Porto Meira e Vila C. Algo terá que ser feito.

segunda-feira, 29 de março de 2010

Posto Gasparin Foz do Iguaçu: O Mundo dos Transportes - curso do SEST

Fotos by 'baironauta' clique para aumentar tamanho
Coisas imensas e pesadas, mal encaradas, brutais, meio de vida de uma boa quantidade de profissionais, o pão de milhares de mulheres e crianças, o meio de transporte predileto, preferido, monopólico do Brasil, tema de músicas, poesias, cordéis e cantigas, o que primeiro vem a mente quando se ala em transportes: caminhão, carreta, jamanta. Há de vários modelos, cores e idades. O coração da logistica sem ele, já é jargão, o Brasil pára; o Paraguai pára, a Argentina pára! O mundo pára. Embora não seja o único meio de transporte da produção, da meio de distribuição, membro de uma rede que é família da comunicaçâo. Há também o trem, os navios e os containers, os aviões. Tudo é parte do transporte. Descobri, que vergonha que eu não sabia, que todos essas modalidades estão sob a responsabilidade do SEST / SENAT. A instituição é parte das entidades que começam com o S: Sesi, Senai, SESC, SENAC e Sebrae. Todas presentes em Foz do Iguaçu e todas com a missão de promover a educação e aprendizado nas áreas da Indústria, Comércio, Indústria, empresas e serviços. Acrescentei à minha lista o SEST/SENAT dedicados aos transportes. A entidade está ativa com cursos e treinamentos em portos para tudo o que se mexe em um porto inclusive o navio; aeroportos; ferrovias e, mais uma coisa ue descobri, transporte público de ônibus (municipal, estadual, nacional, escolar) e no caso de Foz do Iguaçu também inclui, a pedido do FOZTRANS o taxistas e agora os mototaxistas.
Ontem, enquanto fazia minha exploração, caí de paraquedas na sala onde um grupo de alunos de Foz do Iguaçu fariam a última aula de um curso para proprietários e trabalhadores do transporte escolar. Conversei com os alunos e com o instrutor Oltenir Hartmann que me atendeu muito bem. Os cursos oferecidos pelo SEST/SENAT de acordo com a Resolução 168 do Contran são transporte escolar,cargas perigosas, transporte de passageiros e transporte de emergência. Os alunos aprendem cidadania e meio ambiente, direção defensiva, relacionamento interpessoal além de operação e movimentação (empresarial)

Contato:
BR 277 km 720
(45) 3577 1234
Material sobre postos e transporte são publicadas também no blog Br 277

domingo, 28 de março de 2010

Um complexo chamado Posto Gasparin em Foz do Iguaçu


Garanto que há municípios que não vêem, em um mês, o movimento que o Posto Gasparin de Foz do Iguaçu,vê, em um dia. O Posto Gasparin é a primeira coisa de Foz do Iguaçu que o caminhoneiro vê quando chega à cidade. É um um complexo e me fascina observar seu funcionamento. Há posto de combustiveis, churrascaria, retífica mecânica, serviços como troca de óleo e pneus, tapeçaria e muitas agências e empresas de frete. É um mundo! Uma placa avisa que há fretes entre Foz do Iguaçu e cidades paulistas. Como funciona esse mundo? Uma placa, próximo à BR 277 anuncia o posto aos caminhoneiros e carreteiros que chegam: "Sua Casa Longe de Casa" - promete. Como não oferecer um banho quente para quem viajou milhares de quilômetros? Foi caminhando pelo posto que descobri a atual sede do SEST / SENAT. SEST significa Serviço Social do Transporte e SENAT significa Serviço Nacional de Aprendizagem do Transporte. Os dois são como um Consulado para o Motorista. O posto do SEST / SENAT funcionou neste local até agora. No dia 9 de abril ele irá para uma casa nova. Mas será que histórico SEST/SENAT do Posto vai fechar? Falo do SEST / SENAT amanhã!

sábado, 27 de março de 2010

A Três Lagoas das coisas aquáticas

Eu estava levantando dados para um material na região de Três Lagoas (Foz do Iguaçu) quando, na avenida principal, esta pequena loja de artigos de pesca chamou minha atenção. Foi a oferta de iscas vivas - o que me trouxe de volta as lembranças do Pantanal. Chama-se Tucunaré Pesca e o telefone está na placa. No tanque aparecem pequenos lambaris vivos que são usados na pesca. O que me chamou a atenção é que muita gente para nessa loja e em outras na Avenida para comprar carvão, gelo, iscas e equipamento de apoio ao camping. Tudo isso devido ao fato de Três Lagoas ser o bairro de coisas da água da cidade e por causa do Lago de Itaipu. Esta intimidade com a água infelizmente não acontece em outras área da cidade.

E a segunda Ponte Brasil-Paraguai vai sair onde? Parte II

Área do Parque Ambiental Trinacional: uma linguinha de terra no Brasil, maior parte da terra é do Paraguai até a Area do Monumento e Reserva Moisés Bertoni incluindo a área do parque Municipal Monday.
Em 1997 Foz do Iguaçu trouxe o prefeito de Jerez de la Frontera, Espanha, José Pacheco Herrera (Na foto com o prefeito Harry Daijó). Foz e Jerez assinaram um documento que previa a construção do Parque Memorial Cabeza de Vaca que iria ser construído no Marco das Três fronteiras. O projeto fazia parte do invejável "Banco de Projetos" da Foztur que foi extinta e deve ser enterrada de vez por esses dias. Na gestão Sâmis da Silva, dando continuidade à descontinuidade, o Marco das Três Fronteiras, Brasil, foi alvo de um novo projeto: uma torre de 100 metros com restaurante giratório. Agora, acrescente a Ponte Rodoviária Brasil-Paraguai que pode ser Ponte Rodoferroviária Brasil-Paraguai.

Na 22ª Sessão Ordinária do Parlamento do Mercosul, o projeto Águas Grandes recebeu um empurrão e tanto. Os parlamentares do Mercosul aprovaram uma Proposta de Declaração que no final da sessão tanto entusiasmou os mercoparlamentares que foi aprovada como “RECOMENDAÇÃO” o que significa que o GMC (Grupo Mercado Comum) composto pelos presidentes da Argentina, Brasil, Paraguai, Uruguai e Venezuela vão saber da existência da Proposta Águas Grandes. Uma grande vitória para o teimoso – no bom sentido – arquiteto. Não significa que esteja decidido. Mas é uma consecução importante. Eu não conheço nada da fronteira que tenha chegado a este nível. Um a zero!

Mas a proposta tem que fazer outros deveres de casa e alguns são chaves. Onde vai ser a ponte? Há quem defenda que seja entre o Iate Clube e o Clube Monday. O projeto quer que seja o mais próximo da Itaipu possível a tal ponto que a nova ponte seria entre Foz do Iguaçu e Hernandárias em vez de entre o Porto Meira um bairro de economia deprimida e Ciudad Presidente Franco de economia também deprimida. Aí há muitas perguntas a fazer? E pior, respostas a dar! O que cada proposta daria a Presidente Franco? Por que o Porto Meira deveria defender o turismo se há tantos anos o bairro vive a míngua apesar do turismo nanico existente? Como o Porto Meira ganharia com a proposta do turismo? O que ganharia com a proposta da ponte? No terreno de quem estaria a cabeceira da Ponte no Brasil segundo o novo projeto? E em Hernandárias? No caso dos teleféricos, já se falou com as autoridadea de migração, aduana e saúde dos três países e no nível que se tem que falar? A Argentina é muito nervosa com a migração e aduana? Como ficaria? O teleférico será uma atração turística ou meio de transporte? E o povo que acha disso? É hora de todo mundo sair da toca e esquentar esse assunto!

E a segunda Ponte Brasil-Paraguai vai sair onde? Parte I

(Ilustração divulgação) - Vê-se ai que segundo a proposta a ponte ficaria próximo a Itaipu.

O Movimento das Águas Grandes e a Fundação Iguassu ambos associadas ao arquiteto iguaçuense Nilso Rafagnin, está liderando uma batalha para que a segunda Ponte Brasil-Paraguai não seja concluída no Marco das Três fronteiras. O Movimento não quer também que a ponte seja só uma ponte. Quer que a ponte seja parte de um projeto maior que incluirá um parque ambiental trinacional (foto acima), um anel viário de integração (ilustração) que incluiria a futura ponte Argentina-Paraguai e inclui ainda um sistema de teleférico que uniria os três lados da fronteira no Marco das Três Fronteiras, Para isso o projeto exige que a ponte brasileira não seja construída no Marco das Três Fronteiras.
A tal segunda ponte ficaria o mais longe possível do Marco das Três Fronteiras. A sugestão é que a ponte saia lá para as bandas do Jardim Califórnia no Porto Belo. A idéia é desviar todo o tráfico pesado de caminhão entre Brasil e Paraguai para aquela região. O arquiteto está corretíssimo quando defende a ponte longe do Marco das Três Fronteiras. Depois das Cataratas e da Itaipu, a característica da fronteira que é única no mundo é exatamente o encontro dos dois rios e três países.
Hora de ajeitar a casa. Considerado que Foz do Iguaçu é uma cidade rica que é pobre nossa pobreza começa do fato de ter duas grandes atrações turísticas que são da esfera federal. Foz do Iguaçu não apita nada na Itaipu e no Parque Nacional do Iguaçu. A cada dia, as duas atrações ficam independentes com transporte próprio, programação própria e vida própria. Então o que é Foz do Iguaçu? Entre a Itaipu Binacional no norte e o parque Nacional no Sul o que temos no meio? Temos uma cidade que não tem muito a mostrar, salvo algumas iniciativas particulares como o Parque das Aves e o ecanto dos Cactos. E não digo mostrar por mostrar mas mostrar para capitalizar. É aí onde somos fracos: não temos teatros, não temos museus, não temos uma grande biblioteca, não temos atrativos turísticos e culturais criados; sequer temos patrimônio histórico, cultural e natural definidos, não temos paisagismo à altura e etc. Estamos mal. Foz do Iguaçu precisa criar toda uma série de espaços, ambientes e equipamentos para sermos uma cidade. É nesse sentido que a discussão do Marco das Três Fronteiras é um começo importante! E não devemos esquecer quem já está lá tocando o Marco das 3Fs enquanto a cidade deixa o tempo passar!

quinta-feira, 25 de março de 2010

Visões diferentes: como ver coisas fantásticas que a Natureza esfrega nos nossos narizes!


Esta foto por Tom Stephenson disponibilizada no site wordlbirder.com mostra o que Foz do Iguaçu não vê. Por quê? Terá quer ser estrangeiro para ver?


Não me lembro quem era o autor. Assim me impossibilito de fazer citação. Deveria! Lembro que era uma discussão linguística sobre como diferentes idiomas e povos vêem coisas similares de modo diferentes. Por exemplo, o beija-flor se chama pica-flor em espanhol, pique-fleur em francês e hummingbird em inglês. O português usa uma visão romântica onde ele vê o beija-flor beijando as flores do jardim. Na realidade ele não está beijando - não há nada romântico. Ele está se alimentando. Já o espanhol e o francês enxergam somente o ato de "picar" a flor e o inglês nem isso. O que chama a atenção do falante de inglês é o barulho (hum-hum que para nós é mais vrum-vrum) do beija-flor naquele voo baixo parado dele.
Me parece que temos a mesma coisa quando tratamos, na fronteira, com o Parque Nacional do Iguaçu pelo Brasil e o Parque Nacional Iguazú pela Argentina. O animal que simboliza o PN Iguaçu (Brasil) é a onça-pintada. Um animal grande, topo de linha na cadeia alimentícia e ocupante de um lugar privilegiado nas mitologias das Américas. Na realidade a onça é sua majestade, o maior que pode haver e se alguém não a vê, como é caso da "civilização" que hoje paga aluguel para habitar nas Américas, é porque é cega - não deficiente visual - digo, cega. Esta é a logomarca do Parque Nacional do Iguaçu. A onça da qual estamos falando e - a hora não é muito boa para falar de onça na fronteira - é o símbolo do Parque. Qual é responsabilidade dos administradores do Ibama / ICMBio em escolher a onça como símbolo do Parque Nacional do Iguaçu? Eis uma boa pergunta! Há alguma? Deixo que sua cabeça dê voltas para responder.
Já no lado Argentino, o símbolo é o "vencejo" que nós chamamos de andorinhões e que os falantes de inglês chamam de "swifts". Por que os andorinhões (não são andorinhas), também chamados de taperuçus de cascata, não chamam a atenção dos brasileiros? Eles são, para mim, o maior acontecimento nas Caratatas do Iguaçu depois das Cataratas. Há anos, em meu primeiro texto xamânico escrevi: "...assisto o voar de centenas de pássaros – são os taperuçus de cascata – que dançam no gozo vaporoso; elevam-se aos céus, até onde o vapor chega e de lá, despencam, de cabeça, como se fossem setas a apontar para a origem da grande sensação. Os incautos dizem que os taperuçus têm vôos suicidas. Enganam-se. Não é um vôo suicida. É [um] mergulho na vida ..." O texto xamânico a que me refiro é este!

Me empolgo e compartilho e divulgo o trabalho do fotógrafo Mark Piazzi que como Stephenson é observador de pássaros e colabora com o site worldbirder.com. Veja a simbiose dos taperuçus com a rcoha das Cataratas! Veja os poros da rocha! Sinta a Terra respirar!

Os ônibus especiais de Foz do Iguaçu: transporte internos de 'atrativos"

Aqui está, em detalhes, o novo ônibus da Cataratas S.A. a ser usado no "meio de transporte único" do Parque Nacional do Iguaçu. Apropriado o nome para este espécimem ou exemplar: guaxo. Que é um pássaro 'icterídeo' encontrado fartamente em Foz do Iguaçu e não é só no Parque Nacional. É um biarticulado que logo será apresentado ao trade e a comunidade. Eles vão fazer companhia aos double decks panorâmicos que estão em atividades desde 2000. Irão substituir os double decks? A Itaipu Binacional também tem ônibus. São os que servem ao Complexo Turístico de Itaipu. Aqui ao lado um micro carroceria Mascarello usado para pequenos grupos - me parece que transporta 22 pessoas.
Não sei se a Cataratas S.A. vai abrir mãos dos double decks (dois andares). A Itaipu Binacional acaba de adotá-lo. Aqui vemos um lotado de simpáticos passageiros que se empenharam em acenar para esse fotógrafo amador. Paz e amor para todos ele também.
E por fim, aqui está o Urbanos - um ônibus que durante a semana presta serviços ao PTI e todo aquele complexo de coisas PTIanas incluindo estudantes, estagiários e profissionais. No final de semana, reforçam (são vários urbanos) o atendimento da visitação turística. Clicando na foto você poderá ver detalhes como o acesso à cadeirantes tanto no Guaxo como no grandão da Itaipu. A foto do Guaxo é de Marcos Labanca - eu fiz recorte para mostrar detalhes interessantes para busólogos. Peço desculpa ao Labanca. Alerta ao trade! Está na hora de trazer a acessibilidade para a frota local isto é vans e ônibus com rampa ou elevadores para cadeiras de roda!

Cataratas S.A. se rende aos biarticulados

Foto de Marcos Labanca
O Transporte Único de Passageiros no interior do Parque Nacional do Iguaçu sob a responsabilidade da empresa Cataratas S.A. ganha o reforço de 5 ônibus biarticulados. Segundo informações da eficiente assessoria de imprensa da empresa, uma unidade já está em fase de experimentação. Na primeira semana de abril, a concessionária Cataratas do Iguaçu S/A e o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade apresentarão a frota a comunidade juntamente com os técnicos da empresa fabricante.

quarta-feira, 24 de março de 2010

As chuvas: o dia depois! Reflexões de um Ecologista

Um dia depois do Dia Mundial da Água uma chuva forte alagou Foz do Iguaçu, Ciudad del Este e causou muito prejuizo. Mostrou que temos problemas. Nesta primeira foto, chamo a atenção para este mecanismo que cata água do teto da casa e joga diretamente na rua. Pense em quanto teto nós temos nas cidades e quanta água é jogada diretamente na chamada rede pluvial. Na prática esse é o caminho mais rápido para a água chegar no rio lá no fundo do vale. Quando a Natureza criou a chuva, a ideia era que a água fosse utilizada in situ para a recarga de águas subterrâneas como lençóis freáticos, aquíferos e outros. Hoje, pode chover quanta chuva quiser, mas essa recarga não acontece porque toda água é mandada para um "córgo" (córrego, rio) da maneira mais veloz possível via bocas de lobo, boeiros e as famosas galerias de águas pluviais. Captar esta água em casa evitaria que boa parte dela fosse contribuir para as enchentes relâmpagos dos rios.
Há um pouco mais de um mês publiquei uma nota chamada "Socó pensa que está no Pantanal" onde mencionei, de passagem, o perigo de alagamentos nas regiões da Vila Borges e outras áreas por causa da inevitável ocupação (drenegem, aterro, construções) dos terrenos na Avenida República Argentina. Esse problema vai acontecer por toda parte. As duas fotos, inferiores, mostram detalhes do alagamento da Avenida República Argentina que com um pouquinho mais alagaria também os supermercados da região (há dois). No momento, na minha casa eu estou fazendo igual a todos. Minha casa não tem calha e meu terreno quase alagou por causa da água que caia do meu próprio telhado. O meu plano é segurar o máximo de água nas próximas chuvas, usar a água e devolvê-la à terra dentro do meu terreno. Quer dizer ajudar a recarregar o lençol freático logo abaixo de minha habitação. Aceito a doação de super caixa d'água (5mil litros ou +) e calhas velhas. Veja um diário dessas reformas que são parte de um projeto de vida.

terça-feira, 23 de março de 2010

Alagamento na primeira chuva após o Dia da Água


Um dia após o Dia Mundial da Àgua choveu como fazia tempo não chovia pelo menos para a maioria dos moradores e comerciantes da Avenida República Argentina e ruas da Vila Borges. "As bocas de lobo não vencem", dizem. A Avenida República rgentina parece mais com um leito de rio por onde desce um rio agitado com rápidos, cascatas e redemoinhos. Os carros passam. Alguns nem diminuem a velocidade.
Pedestres tentam adivinhar qual será o melhor local para atravessar. Há verdadeiros
desafios a vencer e há bocas de lobo abertas. Acidentes podem ocorrer. Entre os pedestres há quem vá para o trabalho. Como a moça ao lado que vai para o Super Muffato da República. Ela vai trabalhar mas como atravessar os poucos metros de água? Não pode molhar o sapato. O jeito é tirá-lo e enfrentar a rua. Logo volto para fazer algumas reflexões sobre a água e alguns costumes arraigados e vigentes. Alguns responsáveis por tragédias.

segunda-feira, 22 de março de 2010

Perdi a Viagem por culpa dos e-mails!

Acabei de perder uma viagem para Curitiba, a convite da Secretaria Municipal de Turismo de lá. É um workshop sobre a Copa 2014 a ser realizado no Estádio do Atlético com o propósito de mostar as oportunidades de negócios que a Copa trará ao Paraná. Amanhã o evento incluirá uma viagem de trem à Morretes desta vez o convite veio da ALL - empresa de logistica e proprietária dos trens. E por que perdi? Por que meu e-mail mandou a mensagem com a rserva de hoteçl e confirmação da passagem pela Gol para a caixa de SPAM. Um perigo! Compartilho isso para que você se ligue. Agora vou corer atrás do prejuízo via telefone para saber o que aconteceu no evento, quem veio quaisa foram as novidades. Aprendi a lição! Peço desdae já desculpas a Secretaria de Turismo, a Gol pelo assento vazio, ao hotel e a America Latina Logística (ALL). E a equipe do Turismo de Curitiba que trabalhou para que eu fosse. O Hotmail e Gmail ficam me devendo essa!

sábado, 20 de março de 2010

Domingo, 28 de Março: Um ano da morte da onça do Parque Nacional do Iguaçu

Daqui a uma semana, mais exatamente no domingo dia 28, estaremos "comemorando" um ano da morte daquela onça do Parque Nacional do Iguaçu. E em um ano, nada foi esclarceido. E se foi esclarecido essa informação ficou entre quatro paredes, dividida entre poucas pessoas e isso é, para um profissional da comunicação um crime embora a nossa Constituição Federal não diga que a Informação seja um direito do povo. Quem matou a onça? Quem atropelou o felino do Parque Nacional do Iguaçu? Foi um carro de turismo? Foi um taxista? Foi um carro de alguma concessionária? Foi um carro particular? Foi um carro do Instituto Chico Mendes? Ninguém sabe. Eu protesto contra esse silêncio. E esse silêncio é ruim para a democracia. Em memória, pergunto a quem puder responder: o que aconteceu de verdade? Desculpem-me por lembrar um assunto incômodo!

sexta-feira, 19 de março de 2010

Gente Trabalhando: Jornalistas em Foz do Iguaçu

Há alguns dias tive a idéia de tirar fotos dos colegas jornalistas trabalhando. A idéia foi capturar o momento e guardá-lo na blogosfera para o futuro. Na foto aqui,à esquerda, está a equipe da rede Massa (TV Naipi - SBT). A dupla Ravi Duarte na câmara e o Ismael, na reportagem se preparando para entrevistar Felipe Gonzales, secretário de turismo de Foz durante evento do turismo. Aqui vemos, à esquerda,Daniela Valiente da Gazeta do Iguaçu tomando notas enquanto conversa com Gilmar Piolla, também jornalista e coordenador de comunicação social da Itaipu Binacional e verdadeiro regente dos assuntos turísticos da Itaipu Binacional.
Aqui e agora é a vez da Analu Panatta da TV Tarobá entrevistar o Felipe Gonzalez que foi pego por pelo menos por quatro colegas nesse dia. Foi durante o anúncio da campanha "Temporada Boa" em Foz.
E aqui a equipe da TV Tarobá resposnável pelo programa Tarobá Pesca e não sei de onde tirei alguma coisa com o nome de pesque e solte. Bem esse evento aconteceu na sede do Iguassu Convention & Visitors Bureau.

Baixa Temporada agora se chama Temporada Boa

"Baixa Temporada" que vai de março a junho em Foz do Iguaçu, agora se chama "Temporada Boa". A temporada boa começa no dia 15 de março - já começou - e vai até 30 de junho. Se ligue em um detalhe: a promoção não vale para os feriados da "Semana Santa" nem para o feriadão de "1º de Maio". Outra dado, a promoção é dirigida ao consumidor final. Você compra três diárias em um dos 46 hotéis participantes da campanha e ganha uma diária extra.
Assim sendo não está disponível pelos canais de distribuição da "Indústria do Turismo". O lema é: "compre três, leve quatro".
O lançamento oficial da campanha foi feito ontem na sede do Iguassu Convention & Visitors Bureau (ICVB) na Avenida JK na Terra das Cataratas. A imprensa de Foz do Iguaçu compareceu em peso. Gilmar Piola coordenador de comunicação da Itaipu Binacional e parte de várias ações de turismo/comunidade, lembrou que está é a terceira edição da Temporada Boa em Foz. A iniciativa começou em 2008 com 33 hotéis participantes. Em 2009 ganhou o reforço de um hotel a mais passando para 39. "E agora 2010 estamos com 46 hotéis participantes", disse. As fotos mostram parte do clima do lançamento do evento.
As entidades promtoras são: Foz do Iguaçu Destino do Mundo (Marca MKT), Itaipu Binacional, Secretaria Municipal de Turismo, ICVB, COMTUR, Sindhotéis e ABIH Região Oeste do Paraná. Como uma iniciativa que aponta para o consumidor final, a campanha conta com videos e clips na TV, Internet (portais, locais, estaduais e nacionais) e usará o twitter e outros suportes de mídia. A iniciatiova tem um site oficial com o regulamento da campanha e uma lista dos hotéis associados. Algo a destacar: hotéis para todos os bolsos estão participando. A oferta vai do Hotel das Cataratas Orient Express até hotéis bem menores que não têm, tipo assim, uma categoria.
As fotos: 1) Mesa Redonda; 2) Gilmar Piola (Itaipu) e Felipe Gonzalez (Secretaria de Turismo), 3) Carlos Silva (Sindhotéis), Paulo Angeli (Comtur), Camilo Rorato (ICVB), Vilmar Andreola (Rafain Center). Todas as fotos de Tonico Lopes (Comunicação Social PMFI)

Meia Maratona das Cataratas do Iguaçu 2010: Está vindo!


A corrida mais fascinante de 2010 foi lançada oficialmente na quinta-feira, 18, no Mabu Thermas & Resort, em Foz do Iguaçu. A cerimônia de apresentação da 4ª Meia Maratona das Cataratas do Iguaçu teve a presença de autoridades do turismo, do esporte, Forças Armadas, do setor de segurança pública e veículos de comunicação. A prova será realizada no dia 16 de maio.

Para o chefe do Parque Nacional do Iguaçu, Jorge Pegoraro, o evento se consolida a cada ano como um dos principais no calendário do atletismo brasileiro. O gerente-geral da Cataratas do Iguaçu S.A., Celso Florêncio, considerou fundamental o empenho dos setores público e privado para fazer da prova uma referência no país. “A cada ano a Meia Maratona está melhor e isso aumenta cada vez mais a nossa responsabilidade”, frisou.
Já o superintendente de Comunicação Social da Itaipu Binacional, jornalista Gilmar Piolla, lembrou do grande número de turistas que chegam a cidade em função da Meia Maratona.
“A corrida é uma das mais charmosas do mundo. Ela agrega muito ao nosso turismo, pois muitos corredores, ao vir participar da prova, trazem seus familiares”, destacou. Piola acrescentou “Também cumprimento a concessionária Cataratas do Iguaçu S/A pelo compromisso com a comunidade ao apoiar esta atividade social e de estimulo ao esporte e turismo”.
O diretor técnico da prova e presidente da Associação Pró-Correr de Incentivo ao Esporte, Tadeu Natálio, destacou a atenção que a corrida despertou em corredores de elite do atletismo nacional. “A prova e o índice técnico melhoram a cada edição. Como no ano passado, teremos atletas de ponta participando da Meia Maratona”, antecipou.

Homenagem – “Troféu RPCTV 50 anos”. Esse é o nome da premiação da 4ª Meia Maratona das Cataratas do Iguaçu, uma homenagem ao cinquentenário da emissora mais antiga do estado. A RPCTV leva informação e entretenimento a mais de 10,1 milhões de telespectadores no Paraná. O gerente-geral da emissora em Foz, Daniel Michelazzo, agradeceu em nome da empresa. “O grupo RPC se sente muito honrado pela homenagem. Isso só reafirma nosso compromisso com o desenvolvimento do estado do Paraná”.
A 4ª Meia Maratona das Cataratas do Iguaçu — Troféu RPCTV 50 anos é uma realização da Concessionária Cataratas do Iguaçu S.A. e Parque Nacional do Iguaçu, com organização da Associação Pró-Correr de Incentivo ao Esporte. A corrida tem patrocínio da Itaipu Binacional e apoio da Caixa Econômica Federal, Mabu Hotéis & Resort e Neoenergia.

Na foto: Tadeu Natálio,Jorge Pegoraro,Celso Florêncio(falando),Paulo Angeli, Ênio Eidt

Serviço
4ª Meia Maratona das Cataratas — Troféu RPCTV 50 anos
Data: 16 de maio de 2010
Premiação: R$ 60 mil
www.meiamaratonadascataratas.com.br
Fonte Grampo Comunicação
(45) 3028-5304

quinta-feira, 18 de março de 2010

Saudoso Hospital de Foz do Iguaçu em uma esquina mais saudosa ainda

" ... Havia um pequeno hospital na interseção Avenida Paraná, Avenida República Argentina e Rua Mato Grosso. Aquele hospital era um desafio. De alguma maneira era um símbolo da atitude improvisante de Foz do Iguaçu para com a saúde. Aquele hospital era um sarro! Quando o inverno iguaçuense dava sinais de querer ir embora e permitir que sol começasse a esquentar as ruas, os bairros e os corações da pequena e barrenta cidade, enxurradas de homens eram trazidos, para fora, na esperança de tomar um solzinho.
– Quantas maneiras de engessar gente há? – Me perguntava.

Ali na minha frente havia gente engessada de pé! Havia gente só com uma perna engessada. Havia gente com a perna e um quadril engessados. Havia outros cm a perna, o quadril e o pescoço. Tinha um com a cabeça engessada. Havia outro com os dois braços e o tronco! Esse, eu o batizei de Stávros que em grego quer dizer "cruz" ...".

Você identifica o lugar? O antigo hospital foi hotel e hoje é sede da Open Training clínica especializada, em uma região já nobre de Foz do Iguaçu onde outra geração de iguaçuenses malham e tentam viver sem o risco da obesidade. O local situado ao lado do JL Shopping está altamente valorizado. A zoninha da Pluma que tanto danificava a imagem da cidade, foi removida. A Pluna continua no local prestando seus serviços à comunidade. E o Stávros? Eu morava na Rua Mato Grosso. Era vizinho dele. Logo à frente morava o Ageu, bom mecânico e cantor. Na época abundavam em Foz as duplas. Nos domingos, churrasco e a música: "Nesta Longa Estrada da Vida" e assim vai. Outra época.

O textinho acima é parte do "deverasmente" estúpido livro que escrevi em 1998. Mas, uma vez feito não pode ser desfeito. É meu filho e não nego. De vez em quando, releio partes dele para ver se mudei muito. Envelheci? A frase sobre a atitude improvisamnte da saúde me pareceu perfeita! Continuamos no caminho. Os Stávros que antes se acidentavam na obra, e você sabe qual, hoje morrem de laranja e de desgosto. Morrem vítimas de uma promessa não cumprida. Promessa prometida por gerações e geraçoes sobre um tal País do Futuro onde educaçâo era igual a emprego. Hoje, não é mais. E se você não conseguir vencer na vida a falha é sua e aí eu morro de saudades do Stávros. Porque Stávros e não Raimundo Nonato!


Alguém tem foto do hospital? Como se chanmava? Como se chamou o hotel que logo depois dele?

Gente Trabalhando: Eventos em Foz do Iguaçu

Eventos geram muitos empregos, todo mundo sabe. Na foto, a mesa oficial de um evento. Flores, toalhas, mesa, tudo alugado. Em Foz há gente que aluga mesas e cadeiras, computadores, microfone, plantas, flores e até palmeiras adultas. Vindo de Curitiba, à serviço da Multimídia Audiovisuais, a tradutora Anita Legname se prepara para fazer uma tradução simultânea (Português-espanhol) na Conferência Latinoamericana de Saneamento que aconteceu no Hotel Rafain Palace. Anita escuta pelo sistema de som da cabine e repete em espanhol. Os participantes, todos equipados com fones de ouvido, escutam a mensagem. Para isso há que haver fones (auriculares, headphones) disponíveis. Nesta última foto, uma atendente de eventos de Foz do Iguaçu, distribui os fones de ouvido com transmisores via rádio para quem necessita. Para isso, todos deixam um documento como garantia de não sumirem com o equipamento que custa um fortuna. Depois abordaremos outras áres dos eventos.

Os Eventos de Foz do Iguaçu (II) ou eu lucrando com eventos alheios

Minha cultura geral cresceu muito e sem ônus para mim graças à cobertura de eventos em Foz do Iguaçu. Foi em evento sobre a água que tomei conhecimento do Sanitário Ecológico Seco e outras técnicas alternativas. Isso foi antes de 2000. Em Foz já cobri eventos sobre muita coisas. Algumas delas estão na minha cabeça até hoje. Estive neles como jornalista, tradutor ou trabalhando para o evento como parte de uma assessoria. É aquela história de que eventos geram emprego local. Lembro-me do Congresso do INPE-Nasa de controladores de satélites.
Ou do evento também do INPE sobre a física do plasma. Quando o editor, na redação diz: "vai lá ver que evento é esse", e você chega lá e vê físicos de todo o mundo discutindo o plasma é muito interessante. E o que é plasma? É do sangue? Não é um gás ionizado - dizem que é o quarto estado da natureza: sólido, líquido, gasoso e plasma! Maravilhoso!
E o Congresso de hepatologia que introduziu a "vídeolaparacoscopia"? Eu estava lá no meio dos médicos. O evento foi no Hotel Internacional e as cirurgias de demonstração em volunatários escolhidos previamente aconteceram nas dependências cirúrgicas da antiga Santa Casa Monsenhor Guilherme.

Outros eventos que marcaram incluiu o Internacional de Entomologia que juntou especialistas em insetos de todo o mundo. Ou o congresso internacional de tradutores da Bíblia patrocinado por Sociedades Bíblicas de vários países. Conheci tradutores da Bíblia para linguas africanas, asiáticas e línguas das Américas. Vi a Bíblia em Guarani completa que ainda estava sendo revisada. Desde então nunca mais vi uma bíblia em guarani. Já estará disponível?

Alguns congressos não chgeuei a ver porque desmaiei antes do final. Foi o caso de um congresso de urologia que como todo congresso tem uma área de exposição. Quando fui procurar novidades para mostrar no jornal me impressionei com a abundância de instrumentos para introdução na uretra. Frente à riqueza de detalhes, minha vista escureceu e eu desmaiei.

Gostei de entrevistar o professor Celso Melo da UFPR e presidente sa Sociedade Brasileira de Física. Desta vez o evento foi no PTI em favor da Unila. Era durante uma aula da cátedra na área da ciência pesada. Falando sobre o tamanho cada vez menor dos chips- veja o tamanho do memory card de seu celular por exempo, ele disse que "estamos no limite quântico da matéria", anunciando que estamos em uma fronteira da tecnologia. Ele falava sobre novos materiais com tendência a usar "materiais flexíveis" e orgânicos, maleáveis alguns com tendência a imitar a pele! E o evento de geologia? Educação Física? Religiões Unidas? Felicidade Interna Bruta?

Foto da NASA mostrando o que se chama de "Fonte de plasma da terra" (wikipedia)

Os eventos de Foz do Iguaçu (I)

Minha intenção é colocar aqui umas notas sobre eventos em Foz do Iguaçu. Este é o primeiro:

Como uma cidade que sedia eventos nacionais e internacionais, Foz do Iguaçu é um lugar muito interessante para trabalhar como jornalista e blogueiro. Existe uma quantidade enorme de “Cartas de Foz do Iguaçu”, “Atas de Foz do Iguaçu” e “Declarações de Foz do Iguaçu”. Ontem mesmo foi assinada em Foz a “Declaração de Foz do Iguaçu” da 2ª Conferência Lationoamericana de Saneamento. Um encontro interessante porque tratava dos Objetivos do Milênio na área do saneamento. Até 2015 os países devem reduzir em 50% o número de pessoas que não têm acesso ao saneamento básico que inclui água potável e saneamento que, por sua vez, inclui coleta e tratamento de esgotos além da coleta de resíduos sólidos (lixo) e seu sumiço (disposição)apropriado.

Os números são grandes. Por exemplo, as empresas de água do Brasil produzem 39,2 bilhões de litros de água tratada por dia. Mas, perdem 15,2 bilhões de litros de água também por dia. Perdem por vazamento ou “gato”. Sobre o lixo: o Brasil produz 61,5 milhões de toneladas de lixo por ano (números da Abrelpe) e coleta 51,4 mi toneladas/ano. Mais um número: 65% (3.593) dos municípios brasileiros não têm coleta seletiva e, segundo noticiado pela Folha de São Paulo, boa parte do lixo coletado "seletivamente" termina no lixão. E ainda temos o lixo industrial: 82.747.991 toneladas / ano dos quais 3.736.973 toneladas são de resíduos perigosos.

Tem mais números

A quantidade de planetas que temos para depositar todo esse lixo e fazer tal desmando é: um. Até quando vamos conseguir continuar nessa operação? Não sabemos. Falando de dnheiro que é outro recurso não renovável. Para garantir acesso básico ao saneamento urbano até 2015, o Brasil necessita gastar R$ 105 bilhões. Não está incluida as áreas rurais! Os Estados Unidos geram 220 milhões de toneladas de lixo por ano segunda a EPA. E o mundo? A estatísticas se existem não encontrei. Assim, no fundo tudo gira em torno de bilhões de dólares. Mas No evento havia um pequeno grupo de defensores de tecnologias alternativas, baratas e baseadas na comunidade. E não eram hippies. São pessoas que acham que produzir bilhões de litros de água/dia e usar metade dela para dar descarga em banheiro é uma loucura. Essas pessoas são ligadas à programas bem financiados por governos como o da Suécia. Esse pessoal já luta para colocar essas possibilidades na agenda.

No evento estava José Carlos Melo, engenheiro brasileiro, que se destaca como o primeiro engenheiro brasileiro a gerenciar e tocar um programa de saneamento (em Natal RN) pelo "Sistema Condominial". Na Conferência ele lançou a versão em castelhano do livro “Sistema Condominial – uma resposta ao desafio da universalização”. Na foto o secretário Nacional do saneamento que pertence ao Minitério das Cidades, Leodegar Tiscoski apresenta o livro de José Carlos em lançamento especial para a América Latina. O engenheiro e autoridade no setor (de bigode) também está na foto. O assunto trata de como instalar saneamento urbano em comunidades como uma favela no morro. A Rocinha, o Morro do Alemão e outras “favelas” já têm essa espécie de saneamento. Falando sobre o sistema ele disse que pela primeira vez engenheiros foram às comunidades para aprender e descobrir o que fazer.

quarta-feira, 17 de março de 2010

Descasquem esse abacaxi: É sobre o Único - eu avisei!

Eu perdi e não consegui acompanhar. Mas repercuto um texto da Lilian Céspedes sobre o assunto. Os estudantes estão revoltados com o passe estudante:

“Único como Foz”. É fácil ver essa frase na cidade, pois ela está estampada atrás de todos os ônibus de transporte coletivo do município. Entretanto, quem não está se adaptando a bilhetagem eletrônica, são os estudantes, que através de manifestações e abaixo assinados esperam reverter à situação dos horários nomeados para utilização dos cartões.

Segundo a acadêmica de letras da UNIOESTE, Cleviane Agnes, o problema surgiu quando foi apresentando um determinado horário para utilização do cartão único na bilhetagem eletrônica, sendo descontado dois vales estudantes quando utilizado fora do horário. Para Cleviane que estuda no período noturno, a utilização do cartão deve acontecer somente das 17h até a 00h, no período da tarde, quando o cartão é utilizado é descontado dois passes estudantes a cada passagem pela roleta, somando o valor de R$2,20. “Quando vamos ao cinema, na balada ou a shows, pagamos meia entrada, porém quando é para andar de ônibus é cobrado o valor normal, mesmo indo até a faculdade fazer monografia no período da tarde, isso é totalmente injusto com os estudantes”, conta insatisfeita, a acadêmica.

Depois de várias tentativas de reverter à situação do horário para utilização, a acadêmica conta que o máximo que conseguiram através de assinaturas e abaixo assinados foi que o cartão fosse utilizado em estágio obrigatório supervisionado pelo professor, que também não se encaixava no caso.

Após muitas insatisfações, professores e acadêmicos se reuniram solicitando que fosse votado em sessão na Câmara de Vereadores, o projeto de lei, que tornaria possível a utilização do cartão único em qualquer horário do dia para os estudantes, sem ser cobrado duas passagens quando fora do horário estipulado.

Além de Cleviane, vários estudantes estarão presentes na Câmara manifestando-se contra a bilhetagem eletrônica, ditos como insatisfeitos e prejudicados pelo novo sistema.

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails

Hora no Paraguai incluindo CDE

Hora Mundial: passe o mouse sobre o mapa para escolher região