terça-feira, 27 de novembro de 2012

Tecnologia da Poluição: longe dos olhos, longe do coração

Instalando emissários em Ilha Bela, São Paulo
A Prefeitura de Foz do Iguaçu tem um problema administrativo com a Sanepar - Companhia de Saneamento  do Paraná. A Sanepar diz que a Prefeitura da Terra das Cataratas deve R$ 28 milhões. Vereadores denunciaram contratos entre a Sanepar e a Prefeitura. A Prefeitura ameaçou abrir licitação para achar outra empresa que assumisse o tratamento de água e coleta de esgoto. Propôs, também, empurrar para a Sanepar a coleta de lixo. A briga Sanepar - Foz do Iguaçu é uma briga econômica. Esta postagem não questiona contratos, a Sanepar, a Sabesb ou qualquer outra empresa de saneamento do Brasil ou do mundo. O que se questiona aqui é a tecnologia em si. Qualquer empresa de saneamento do Paraná, St Kitts, Maldivas, Nova York, Rio de Janeiro, Camboriú ou Tóquio faz a mesma coisa e usa a mesma tecnologia. A tecnologia utilizada por todas as empresas de saneamento do mundo para se livrar dos esgotos tratados é, basicamente,  lançá-los nos rios e mares. A parte final da tecnologia utiliza um tubo de grande bitola que recebe o nome de "emissário" (outfall, em inglês). Ele penetra mar (ou rio) adentro por centenas de metros e é afixado a profundidades, que varia segundo o lugar, mas fica por volta de 20 ou 30 metros abaixo do espelho d'água e fora da vista da maioria dos cidadãos. Na primeira foto, vemos mergulhadores trabalhando para instalar o "emissário" da paradisíaca Ilha Bela no litoral Norte paulista.
Instalando "emissários" em Foz do Iguaçu no Rio Paraná
(Kiko Sierich / A Gazeta do Iguaçu)
A Sanepar, no caso, está gastando (investindo) milhões de reais para incrementar a "qualidade de vida" da população aumentando a capacidade dos sistemas de "tratamento de água" e de "coleta", tratamento e "sumiço" de esgotos no rio Paraná. Parte desse montante cobrirá a construção de quatro "emissores" no rio Paraná - a parte realmente chata e criminosa desse negócio. O que você vê nas duas fotos grandes acima e abaixo é o "emissário" da Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) Iate Clube Cataratas. Há mais três em diferentes fases. As fotos foram tiradas no estágio em que o "emissário" ainda flutua sobre as águas do Paranazão. A técnica que envolve equipes treinadas é fazê-lo submergir controladamente e fixá-lo no fundo, no leito do rio.
Instalação de "emissário". Poluição, ao lado, vem do rio Mboicy (Foz) 
Estas duas fotos menores mostram dois momentos de emissários. O da esquerda fica em Malé capital das Ilhas Maldivas no lindo Oceano Índico. São nove emissários na ilha capital. A cada 40 minutos, a boca do emissário faz jorrar um poderoso jato de dejetos "tratados" da população humana na superfície. A cena acontece em todos os lugares. Esta tecnologia é “terráquea”.  Ou pelo menos assim seria chamada por um casual visitante de outro planeta. 

A foto à direita é um emissário em Miami, Flórida, Estados Unidos. Eu acho que a aceitação universal do "saneamento via emissários" é um sinal de alerta que denuncia um síndrome sofrido por uma civilização que sofreu lavagem cerebral. E tudo isso é recente. Tudo começou com a "descarga" ou os toilettes de descarga (flush toilets, em inglês). Mas nesse mundo tudo é ou 8 ou 80. Hoje em dia em questão de saneamento de dejetos e esgotos só há duas escolas de pensamento. Uma é a que as empresas de saneamento seguem. A outra é a do toilette compostável.Veja este vídeo com imagens de mergulhadores!   

quarta-feira, 21 de novembro de 2012

Sábado, dia 24 será o Dia do Rio - você vai celebrar?


No próximo sábado será o Dia do Rio. Dia do Paraná, do Iguaçu, do Monjolo, do Javari, Tietê e milhões de outros. Em 1996 publiquei este artigo (Imagem) sobre o Dia do Rio: "Rios não podem celebrar seu dia". Eu era mais jovem e mais ousado por isso acrescentei: poluição má engenharia, saneamento inesxistente são alguns dos inimigos dos rios. Espero que clicando sobre a imagem (Duas Vezes) você consiga ler o material. O que me pareceu interessante ao redescobrir a antiga "reflexão" é que na parte de baixo da página há uma versão da Sanepar sobre o tema "rios" e "poluição". Em 1996 existia uma ONG no Paraná que taxava a Sanepar de grande poluidora do Estado. Hoje (2012) a mesma acusação esta de pé e desta vez com a participação da Polícia Federal. A empresa, na época, deu sua versão e respondeu, contestou a acusação. A contestação parece ter sido pior do que se tivesse deixado quieto o assunto. Segundo a Sanepar, da época, jogar esfoto não tratado era normal. Ruim era jogar garrafas e plástico. Hoje você pode ver que o assunto não está desatualizado e os rios continuam com problemas. Dá para comemorar?

domingo, 18 de novembro de 2012

Residências no Parque Nacional do Iguaçu, lindas mas irregulares

O Programa Meu Paraná da RPC-TV Paraná apresentou ontem uma área do Parque Nacional do Iguaçu que só é usufruída pelos moradores da Unidade de Conservação; aqueles que têm o privilégio de abrir a porta de manhã e dar de cara com "A Natureza". Para ser mais específico - a área em questão é aquela que o zoneamento do PNI, de acordo com o Plano de Manejo classifica como Zona de Uso Especial. E para que serve?

"É aquela que contém as áreas necessárias à administração, à manutenção e aos serviços do Parque, abrangendo habitações, oficinas e outros. Tais áreas serão escolhidas e controladas de forma a não conflitarem com seu caráter natural e devem localizar-se, sempre que possível, na periferia do Parque Nacional".  (7.3.7]

Para quem não sabe, lembro, que o Plano de Manejo é o documento que rege uma Unidade de Conservação. É também aquele documento que ordena o fechamento do PNI para o transporte de passageiros dentro do parque por veículos de particulares e agências; que mandou fechar a Estrada do Colono e que vai levar à mais restrições, no futuro próximo, que incluirão redução de visitantes e o reordenamento do turismo como Foz do Iguaçu entende hoje. Pois bem,uma das normas desse mesmo Plano de Manejo, para a questão das casas de funcionários e servidores do Parque Nacional, é de que está proibida a construção de mais casas  além das que já existiam na data em que o estudo foi realizado.  

"Não poderão ser construídas novas residências nessa Zona" - reza o PM no 7.3.7.4 (Encarte 7 - Encarte do Planejamento 

O privilégio de quem mora alí vai além do privilégio de ver "a natureza". É o privilégio de violar o Plano de Manejo. Após a vigência desse documento, casas foram construídas violando o velho Plano de Manejo do Parque Nacional do Iguaçu, inclusive a que foi mostrada no programa Meu Paraná.
.

Folheto distribuido no TTU protesta contra aumento da passagem

Os usuários do Transporte Coletivo de Foz do Iguaçu receberam no final de semana este "flyer" que protesta contra o aumento da passagem de ônibus em Foz do Iguaçu. O folheto é assinado pela antiga coligação "Outra Foz é Possível" composta pelo PCB, PSOL e UJC. Registro aqui o fato.

quarta-feira, 14 de novembro de 2012

Gostei desses quadros - artesanato na Avenida Brasil

Passando pela Avenida Brasil, vi um senhor colocando no seu carro esses quadros. O ouvi dizer a pessoas que estavam perto dele que o trabalho era artesanal e que era feito por ele familiares. Pedi permissão para fotografar os quadros e prometi que publicaria como uma dica para que estiver procurando alguma coisa diferente para comprar, presentear, dar a alguém ou mantê-lo para si. Os quadros são feitos com pedrcas como ametista, quatzo de várias cores e rubelita, se não me engano. Fica o telefone: (045) 9933 1050.

segunda-feira, 5 de novembro de 2012

Turismo de Foz na Encruzilhada - Quarta Parte - Extinção da Secretaria



Outra coisa que não me deixa muito tranquilo sobre o turismo em Foz é o recente anúncio - ainda não oficial -  de que o prefeito eleito Reni Pereira pretende extinguir a Secretaria de Turismo. Por que isso me preocupa? Porque essa secretaria é jovem – tem só 11 anos.  Antes dela foi extinta a Foztur.  A Foztur foi criada em 1990, pelo prefeito Álvaro Neumann  após a extinção da primeira Secretaria de Turismo de Foz do Iguaçu fundada em 1980. Qual é a mensagem que a gente vai passar ou estamos passando  para o mercado? Que temos um turismo de administração volúvel?

Embora escassos, vários autores do início dos anos 1900 dão uma idéia do nascimento do turismo na fronteira. Graças a eles eu gosto de e posso dizer que tem havido turismo na fronteira, especialmente Puerto Iguazu e Foz do Iguaçu, desde 1900- 1903. Mas foi só em agosto de 1980 que se registrou o I Seminário de Turismo de Foz do Iguaçu no Hotel Bourbon. O seminário levou à criação da primeira Secretaria de Turismo no mesmo ano graças à Lei  1.081, de 19 de novembro de 1980. Esta secretaria durou 10 anos e foi extinta em 1990 para a criação da Foztur que nem chegou a viver 10 anos. 

Entre a extinção da Foztur e criação da atual Secretaria de Turismo pela Lei 2.362 de 2001, houve uma secretaria estranha chamada  Secretaria Municipal de Turismo e Desenvolvimento Econômico que assumiu também as funções da  Secretaria Municipal da Indústria, Comércio e Abastecimento. Eu critiquei esse retrocesso, na época, no meu blog Notas do Turismo e  zombei das atribuições ligadas especialmente à  Indústria, Comércio e Abastecimento - com destaque para "abastecimento". Tecnicamente uma piada!  Concluindo, primeiro levamos quase 80 anos para realizar o primeiro seminário de turismo. Depois nos concentramos em mudar de modelo administrativo numa média de uma “vez por década”. 

Coisas hoteleiras - novos hotéis e ampliações em Foz






Publico aqui três fotos de hotéis em obra em Foz do Iguaçu. O Hotel Ibis está sendo construido na Rua Almirante Barroso em localização muito boa. Está quase na esquina da Praça das Nações ou do Mitre - na frente do Colégio Bartolomeu Mitre onde acontecem todas as espécies de eventos tipo Natal das Cataratas,apresentação de corais, músicas, feiras do livro entre outras. Fica também na esquina com bons bares e outros restaurantes.O segundo hotel na foto pertence à rede Viale que já tem um hotel na Avenida das Cataratas. Será um hotel executivo. Fica na Avenida Jorge Schimmelpfeng entre a Avenida Brasil e a rua Almirante Barroso o que significa que está próximo do Ibis. Ao lado dele está uma loja do Subway e na esquina com a Brasil um restaurante chamado LAOS. Na esquina de baixo há outro chamado TAJ - é o que o colunista e amigo Douglas Dias chama de "points" de comida indoasiáticas. Haverá uma transformação quando esses hotéis forem inaugurados no centro.O Centro de Foz do Iguaçu precisava desse "up"-zinho. A terceira foto é da Avenida das Cataratas onde o Hotel Bourbon está trabalhando na ampliação da área de eventos. É o "ballroom" cuja construção está a todo vapor.

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails

Hora no Paraguai incluindo CDE

Hora Mundial: passe o mouse sobre o mapa para escolher região