sábado, 22 de fevereiro de 2014

Patrimônio dos brasileiros às cucuias na TriFron

Depredação mal começava a começar em 2010
Em 2010 o Blog de Foz publicou uma "postagem" com o título "Eu quero minha cidade de volta", onde, naquele ano, parecia que certas propriedades do povo brasileiro (federal /União) em nossa terra estavam abandonadas. Hoje, em 2014, as coisas ficaram pior. Proponho duas coisas: primeira, leia a nota de 2010 e, segunda compare as fotos.  O equipamento público fica no trecho final da Avenida General Meira logo após a entrada da via que dá acesso ao Marco das Três Fronteiras onde além do Marco ficam as ruínas do Espaço das Américas - descaso este, assinado, pelo Governo e Gestão do governador Beto Richa.    

Depredação em fevereiro de 2014 - ainda dá para ficar pior?
2014: População deixa um recado importante
Em 2010, 25 anos após o fechamento da estrutura devido a inauguração da Ponte Brasil-Argentina,  a torre  estava intacta, havia luz nos postes e a grama estava aparada 



quarta-feira, 19 de fevereiro de 2014

Miriam Maria Gonçalves Coimbra: in memoriam

O turismo de Foz do Iguaçu perde uma grande agente e eu perco uma grande amiga. Miriam Maria Gonçalves Coimbra faleceu no último dia 6, deste mês. Eu afirmo que ela deixa um legado muito importante para o turismo de Foz do Iguaçu. Há cerca de 10 anos, ou um pouco mais, Miriam foi trabalhar com ao Gatti Turismo. Na época o chefe da Gatti e meu patrão no jornal, Erminio Gatti me chamou para que eu divulgasse um trabalho que a empresa faria no Peru. A princípio seria emissivo, traria os atrativos mágicos do Peru para o público brasileiro. Seria também o começo de um trabalho para vender o mágico atrativo de Foz do Iguaçu, ao público peruano. Miriam era responsável Há uns dois meses conversei com a Miriam e ela me disse que já havia feito uma 60 viagens para o Peru. Ela amava o destino e tanto seu amor pelo país andino com seu conhecimento a levou mais longe do que a  média do comércio oferece. Peru para ela, ia além de Lima, Cuzco e  Machu Picchu. 
Ela falava de destinos subindo a Costa Peruana como Chiclayo, Piura, Talara e todas aquelas ruínas de várias civilizações. No primeiro voo da LAN entre Lima e Foz, ela me contou, a agência de turismo Cinco Elementos tinha 80 passageiros abordo. Recentemente, ela trabalhava o Equador e a Colômbia. Sua última viagem foi ao Equador. O legado de Miriam ao turismo brasileiro foi esse link Foz do Iguaçu - Peru - Foz do Iguaçu. Muita gente em Foz trabalha com o Peru especialmente o turismo internacional que entra na América do sul via Lima: Los Angeles - Lima, México - Lima e mais recentemente Ilha de Pascua - Lima, Galápagos - Lima.  A aposta da Miriam, pelo que eu vejo, foi apostar no peruano que pagava em soles. À Miriam, rendo  minhas homenagens e lembro uma frase que li recentemente: "Para esta vida ninguém vem só porque tem vaga". Todos têm algo a fazer. 

Chegou o aplicativo Buzão Foz para Android


Atenção usuários do transporte coletivo de Foz do Iguaçu! Saiu um aplicativo para Android chamado Buzão Foz. Ele trás informações sobre horários e trajetos das linhas de ônibus de Foz do Iguaçu. O autor dele se chama Adalberto Joco, Foi ele também quem divulgou o trabalho dele e sugeriu que o Blog de Foz o divulgasse. Clique  AQUI para baixar o aplicativo. 

sexta-feira, 14 de fevereiro de 2014

Veleiros-escola da Regata das Marinhas estão em Itajaí (SC)

Cisne Branco do Brasil  entrando no rio Itajaí-Açu
ladeado pelos barcos práticos do porto
Os veleiros-escola das Marinhas do Brasil, Argentina, Chile, Equador, Colômbia e Venezuela se encontram em Itajaí, Santa Catarina, Brasil. Eles participam do encontro de veleiros até domingo, 16. A visitação está aberta a todos os veleiros.  Após a permanência em Itajaí, os veleiros partirão em uma viagem descendo a costa da América do Sul até Ushuaia, dando a volta no sul da Argentina  para pegar a costa Chilena onde a primeira parada será em Punta Arenas. Cada barco serve como uma Embaixada da Boa Vontade de seu país. O Brasil é representado pelo veleiro Cisne Branco (Cisne Blanco), a Argentina, que coordena a viagem, é representada pelo veleiro, Libertad; o Chile pelo barco Esmeralda e o Equador pelo veleiro Guayas.  O Guayas é uma homenagem ao rio Guayas que desemboca na costa do Equador e é a sede do Porto de Guayaquil. A Colômbia é representado pelo veleiro Gloria e Venezuela participa com o Simón Bolivar  


Veleiro Libertad da Argentina no Porto de Itajaí
(Foto Gaceta Marinera)

Libertad em alto mar chegando à costa 

Gloria da Colômbia
Todas as fotos com exceção da foto dois são cortesia da Prefeitura de Itajaí

segunda-feira, 10 de fevereiro de 2014

O tempo passa: Campanha Embratur apresenta bum-bum country:

Quem diria que o Brasil já financiou campanhas publicitárias para divulgar os corpos violão das brasileiras? Já ajudamos a divulgar o turismo de cunho sexual. As coisas mudam, ainda bem.

sábado, 8 de fevereiro de 2014

Regata das Marinhas parte de Itajaí para viagem de 134 dias

Os veleiros Libertad, da Argentina; Cisne Branco, do Brasil; Esmeralda, do Chile; Gloria, da Colombia; Guayas, do Equador; e Simón Bolivar, da Venezuela partirão de Itajaí para uma viagem de 12 mil milhas náuticas que durará 134 dias.  Os veleiros partem de Itajaí e passarão pelo Sul do Brasil, Uruguai, Argentina, Chile, Peru, Equador, Colômbia, Venezuela, República Dominicana e México.A primeira edição do evento ocorreu em 2010 e a etapa brasileira foi realizada no Rio de Janeiro, onde participaram oito grandes veleiros. O encontro reuniu as Marinhas de 14 país. A iniciativa tem como objetivo estreitar e fortalecer os laços de amizade entre as Marinhas da América Latina.
Programação para quem estiver em Itajaí e litoral catarinense acompanahar:
Terça-feira 9h às 13h: desfile naval pelas praias da região, saindo de Itapema, passando por Balneário Camboriú e chegando a Itajaí
Quarta-feira a sábado 14h às 18h: os seis veleiros estarão à disposição para visitação no Porto de Itajaí. A entrada vai ocorrer pelo portão 2.
Quarta e quinta-feira21h às 23h: apresentações da Banda Sinfônica do Corpo de Fuzileiros Navais para participantes do eventos e convidados, no Centreventos.
Domingo 10h às 14h: partida dos veleiros com desfile naval pelas praias da região, saindo de Itajaí e passando por Balneário Camboriú e Itapema.
Amigos do Blog de Foz que estiverem em Itajaí, podem enviar fotos da regata para o Blog de Foz via:
limajac@gmail.com

Paraguai autoriza matança de 214 mil lagartos para exportação

Lagarto da fauna paraguaia vai virar cinturão
Mais novo fiasco ambiental no Paraguai: Sem estudo nenhum, autoridades comprometidas com o comércio diz que o número não comprometerá a sobrevivência da espécie. Minha pergunta: quantos lagartos há no Paraguai? 

Nem tive tempo de traduzir


La ex fiscala (promotora pública) del Ambiente María Bernarda Álvarez dijo (disse) que el interés real de cazar a estos animales se relaciona con el negocio de las pieles, que son muy valoradas en Europa para la producción de carteras y calzados.

En 2003 se pagaba a miembros de comunidades indígenas G. 10.000 (10 mil guaranies) para cazar los animales y luego usar su piel. Ni siquiera la carne era aprovechada para la alimentación, recordó.

La caza “autorizada” del teju fue objeto de investigación judicial hace (há) algunos años. De hecho, se llegó a procesar a funcionarios por el otorgamiento discrecional de los cupos (cotas) para realizar la caza, indicó la exfiscala en contacto con la 730 AM.

Justamente, Martha Motte, funcionaria de la Secretaría del Ambiente (Seam) que defendió hoy (hoje) la medida adoptada por la institución, estuvo procesada por este caso, en el que otorgaron los cupos para caza sin hacer estudios poblacionales, comentó Álvarez.

El que sería su marido, Wilfrido Sosa, también estuvo imputado por este caso, pero ambos fueron absueltos, mencionó Álvarez. Dijo que el hombre se desempeña actualmente como jefe de Gabinete de la secretaría estatal.

Motte intentó justificar hoy la situación al señalar que “prefiere” utilizar la palabra “cosecha” (colheita) antes que hablar de una “carnicería”.

Insistió en que los 214.000 teju guasu a ser cazados no representan una cifra que pueda poner en peligro a la especie.

La resolución N° 632/14 de la Seam “establece el periodo de caza y autoriza el acopio, tenencia, transporte y comercialización de 214.000 unidades de teju guasu hũ (Tupinambis merianae) y teju guasu pytã (Tupinambis rufescens)”.

La institución usó como argumento un estudio realizado hace más de 15 años. No cuenta con un estudio actual sobre la población de teju.

Rueda de prensa (Entrevista coletiva)

La Secretaría del Ambiente (SEAM) convoca a los medios de comunicación a una rueda de prensa, con motivo de dar el Informe sobre la Resolución N°632/14: Por la cual se establece el periodo de caza y se autoriza el acopio, tenencia, transporte y comercialización de hasta 214.000 unidades de Teju Guasu Hü (Tupinambis merianae) y Teju Guasu Pytä (Tupinambis rufescens). La reunión tendrá lugar en el Hotel Las Margaritas, el lunes 10 de febrero de 2014, a las 10:00 horas.

Autoridades y profesionales del ambiente presentes:

Lic. María Cristina Morales, Ministra de la SEAM.
Lic. Martha Motte, Directora de Vida Silvestre – SEAM
Lic. Lucy Aquino, Gerente de Conservación del Fondo Mundial de la Naturaleza (WWF en sus siglas en inglés)
Lic. Margarita Mieres, Coordinadora de proyectos – WWF
Abg. Ezequiel Santagada, Director del Instituto de Derecho y Economía Ambiental (IDEA)
Representantes de Guyra Paraguay.

Acompanhe o arranca-rabo aqui!   Boicote sapatos e bolsas de couro de tejo. teyu, tegu ou seja lagarto!

terça-feira, 4 de fevereiro de 2014

Foz teve festa de Iemanjá - 2 de fevereiro de 2014

Linda foto de Marcos Labanca no H2Foz: 
encontro com o rio Iguaçu 


Uma pequena parte da comunidade religiosa afro-brasileira de Foz do Iguaçu e da região do Encontro das Três Nações compareceram à 39ª Festa de Iemanjá no último domingo, 2 de fevereiro. A festa foi organizada pela Associação Ilê Asé Iga Odé dirigida pela Mãe Amanda Vieira. Ela tem continuado a tradição iniciada pela Vovó Benedita que começou a festa e o culto à Iemanjá na Terra das Cataratas em 1976. A homenagem começou com uma carreata que partiu da terceira pista da Avenida JK, seguindo até o Porto Meira, na região do Porto de Areia às margens do rio Iguaçu. A imagem de Iemanjá seguiu em uma camionete com placas argentinas pelas avenidas JK, Brasil e Jorge Schimmelpfeng até a General Meira. No comboio havia carros com placas paraguaias e brasileiras. Eu mesmo peguei uma carona na Van de um paraguaio de Mingá Guazu que veio prestigiar a festa com seus filhos e a esposa brasileira de Mundo Novo, Mato Grosso do Sul. Cerca de 50 fiéis puderam embarcar nos dois potentes barcos do Macuco Safari para descer o rio Iguaçu por alguns minutos até a confluência do maior rio paranaense (o Iguaçu) com o rio Paraná. Não sei qual é a religião dos administradores do Macuco Safari, o que sei é eles que vêm colaborando com a festa há muitos anos e desta vez cedeu aqueles dois barcos equipados com dois motores de 200 cavalos cada que são conhecidos por foto por milhares de passageiros do Brasil e do mundo. Me refiro ao passeio Macuco Safari nas Cataratas.

Jornal Nosso Tempo de Dezembro de 1980
A capa do jornal Nosso tempo de dezembro de 1980 trazia em grandes letras uma manchete curta e interessante: Saravá Foz! O jornal que prestou tantos bons serviços a Foz do Iguaçu e ao Brasil na época de governo autoritário foi também pioneiro, com a Capa, do que hoje chamamos de Tolerância Religiosa e que levou à Lei 11.635 de dezembro de 2007 que instituiu, o dia 21 de janeiro como o Dia Nacional de Combate à Intolerância Religiosa. Não posso aqui não tirar o chapéu para os editores do ousado e pioneiro jornal Nosso Tempo: Adelino de Souza, Aluísio Palmar e Juvêncio Mazzarolo. 


Reportagem é pioneira: o desafio é que 
meios de hoje repitam a ação!
Desfile de Iemanjá na Avenida Brasil Foz
camionete com placa argentina
Segundo a reportagem, já existia em Foz, naquele ano, pelo menos 500 lugares de reunião de religião afro-brasileira respondendo por nomes como terreiros, templos e outros.  A pequena participação de iguaçuenses na procissão que ocorreu em dos verões mais quentes dos últimos 70 anos, com calor de 37ºC com sensação térmica de muito mais e sentimento psicológico na casa dos 70ºC, não quer dizer que o candomblé e a umbanda tenham decrescido em Foz do Iguaçu. Pelo contrário, uma conversa não oficial na beira do rio Iguaçu, apontou para a existência de pelo menos o triplo da quantidade citada no Nosso Tempo em 1980.  O triplo seria quanto? A maneira como as religiões afro-brasileiras se organizam, destaca a existência de pequenos núcleos chamados “casas”. A Festa de Iemanjá celebrada no dia 2 de fevereiro em Foz está sendo realizada  pela “Casa da Mãe Amanda” do Porto Meira. Participam amigos, convidados da “Casa da Mãe Jô” do Jardim Panorama. Vi lá a Mãe Cida de Omolum que é amiga da Mãe Amanda e irmã da Mãe Edna de Baru que tem uma casa no Jardim Canadá e vi também o Pai Cassiano Togun cuja casa fica na Vila Adriana. Assim cada casa com um pouco – mas nem tão pouco assim – resulta em muitos. Muitas das casas que não enviaram representantes podem ter tido celebrações internas que fazem parte de um extenso calendário. Mais algumas fotos abaixo:
  
Meninas paraguaias na procissão de Iemanjá em 2013. 


Porto de Areia, Rio Iguaçu. No outro lado, Argentina. O barco será um hotel-cassino 

Mãe Amanda Vieira 




   



sábado, 1 de fevereiro de 2014

Motoristas e pedestres: estamos melhorando?


Confira os Vídeos
Faixa de pedestres 1
Faixa de pedestres 2
Quando eu vi a instalação da primeira "lombada elevada" ou "faixa de pedestre" elevada na Avenida JK, em frente à antiga Caixa Econômica em Foz do Iguaçu, fiquei triste. Uma faixa elevada seria,para mim, um certificado de falta de civismo para a população. Uma faixa de pedestre elevada, por mais elevada que seja, sempre, sempre será alvo de alguém que vai passar voando por cima dela meso que disso saia algum prejuízo financeiro. Defendo a ideia de que quando a população é educada, a faixa pode ser pintada no chão e todos irão obedecê-la. Esta postagem, inaugura o uso de vídeos no Blog de Foz. Meu interesse aqui é simplesmente mostrar o que acontece. As imagens são cruas, sem som, narração ou qualquer pretensão à arte. Pelo menos por enquanto. A tecnologia é simples: me sento ao lado da faixa e começo a filmar. Confira os dois vídeos. Eles tentam provocar uma conversação na cidade: o Iguaçuense está melhorando como cidadão no trânsito?  .  



LinkWithin

Related Posts with Thumbnails

Hora no Paraguai incluindo CDE

Hora Mundial: passe o mouse sobre o mapa para escolher região