sábado, 29 de outubro de 2011

Ato Público: Belo Monte Não! Foz presente

Foi mais do que um Ato Público, foi uma audiência, sessão de exibição de filmes e palestra de esclarecimento sobre a construção da Usina Belo Monte, no Xingu. O Ato Público contra a Belo Monte em Foz do Iguaçu aconteceu no Teatro Barracão na Praça da Bíblia e foi um chamado do Centro de Direitos Humanos de Foz do Iguaçu, do Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB) com a participação de artistas, artesãos, alguns jornalistas, estudantes universitários entre eles da Unila - Universidade da Integração Latino Americana de várias nacionalidades. Veio uma comitiva Avá Guarani da comunidade Vya'arenda de Santa Helena (PR). O cacique Pedro Alves (à esquerda) deixou claro que apoia os povos do Xingu em sua luta contra a Usina Hidrelétrica de Belo Monte e lembrou que entre Foz e Guaíra o territorio sempre foi guarani. "Tinhamos 40 aldeias no lado brasileiro entre Foz e Guaíra e 30 no lado paraguaio", contou. Segundo o testemunho dele, a chegada de Itaipu - coisa que ninguém questiona mais - acabou a terra, as matas, os recursos, os peixes. E isso é o que deve esperar os povos do Xingu como avisa o cartaz acima. Os avá guarani de Santa Helena cobram o reconhecimento do Governo. O grupo composto por homens mulheres, adolescentes e crianças fizeram apresentação do coral guarani na Praça da Bíblia. Mas antes da apresentação cultural, falou Maria Cristina, também avá guarani de Ciudad del Este. Ela contou que pertence a um grupo que vive nas ruas e acampa próximo à Rodoviária de Ciudad del Este. Ela disse que o grupo vive sem motivos para viver, deprimido e com muitos do grupo entregues ao álcool. O depoimento dela foi fortemente aplaudido. A chuva não permitiu que a população que frequenta a "efervescente" Praça comparecesse. Hoje foi um dia de baixa presença na praça. Pelo menos oito indios Maká de Ciudad del Este vieram ao encontro. Eles assisitiram ao vídeo produzido pelo MAB sobre o Xingu com paisagens belas, depoimentos e informação sobre a corrente contrária à construção de Belo Monte e disserem que ficaram impressionados com o fato deles ainda terem selva, rios e outras coisas da época do início do mundo. Me chamou a atenção, pessoalmente, quando o Maká que se chama Patrocínio (à direita) falou sobre as dificuldades de viver nesse mundo de visão estreita e controlador que é o mundo civilizado. Patrocínio reclamou que desde que tudo foi tomado deles, terras, rios, selvas, sobrou o artesanato e na fronteira eles sofrem. Eu quase caí da cadeira quando ele disse que por muito tempo eles se sentavam na Avenida Brasil e expunham seus produtos artesanais. "Mas daí vem os fiscais (da Prefeitura) e mandam que eles saiam das calçadas. "É proibido", dizem. Eu achei o cúmulo. Com a experiência que eu tenho em questões de turismo e responsabilidade social, creio que se o fato de índios não terem espaço numa cidade como Foz do Iguaçu pegaria muito mal, mas mal mesmo, caso esse fato fosse divulgado!








Cada celular é um studio multimídia: chuva e noticias

Inundação na Avenida JK hoje . Chuva, muita chuva com vento. Esse foi o último dia do I Encontro Mundial de Blogueiros. Em época em que cada cidadão é um repórter, vale a máxima "um celular na mão e um acontecimento à vista" . Enquanto conversava vi muita gente fazando imagem com celulares de vários tipos. O mais novo parecia ter 10 anos. Onde as imagens vão para? No orkut, facebook, MSN e outras mídias sociais? Pena que não pude chegar perto do encontro dos blogueiros. O domínio da notícia se esfuma, o acesso aos meios de produção de imagem é mais fácil, os preços caem e cresce o número de gente falando - se pulveriza o material e o controle cai. Diminui também o tamanho da audiência. E o ganho financeiro. Ninguém é ninguém na internet individualmente. Fiz esta foto que ilustra o que estamos falando - cidadão observa registra a invasão da água pelo celular. Na foto três, o colega e fotógrafo Kiko Sierich provando que o que está ruim pode piorar. Kiko no meio da inundação da JK em Foz com suas botas já submersas e pesadas de água! Quanto custa, em sacrifício, uma boa foto!







sexta-feira, 28 de outubro de 2011

Sobem as passagens de ônibus de Foz do Iguaçu

O Decreto 20.344 foi aprovado no dia 25 de outubro e entra em vigência já no dia 31 de outubro. Quer dizer que a partir desse dia e já valendo para o Dia dos Finados* as passagens de ônibus de Foz do Iguaçu estarão mais caras. Para quem vai pagar direto na catraca o preço será R$ 2.65. No momento estamos pagando R$ 2.40. Quem compra créditos pelo cartão ou recebe como vale transporte, ainda paga R$2.20. Agora vai pagar R$ 2.32. E até os estudantes com cartão também vão pagar mais, quer dizer R$ 1.16. Uma desculpa oficial para o aumento foi a inflação, aumentos de custos e aumento de tudo o que se puder pensar. Mas como contrapartida ao cidadão, fontes oficiais, quer dizer, a Prefeitura diz que o TTU receberá melhoras. É de se esperar para ver! Quanto às queixas de pouco ônibus, a Prefeitura diz que se aumentassem o número de ônibus a passagem teria de subir mais ainda.



* Nota Dia dos Finados - Linha Especial

A Prefeitura de Foz do Iguaçu anunciou pela Agência Municipal de Notícias que haverá um linha especial de ônibus fazendo o trajeto TTU - Cemitério São João Batista e Parque Iguaçu. Será o Inter-Cemitérios funcionando das 7h às 19h.


Responsabilidade Planetária é discutida em Foz

Vai começar hoje o 1º Forum de Responsabilidade Planetária no Espaço de Eventos Discernimentum em Foz do Iguaçu. O evento é iniciativa do Centro de Altos Estudos da Consciênciologia com participação de pesauiadores desta e de outras organizações centradas na Consciência - leia-se "gente" e ligada a uma ética maior que envolve o planeta. Procurando no Google até hoje às 12h o conceito "responsabilidade planatária" não aparecia na lista que inclui responsabilidade social, responsabilidade corporativa ou responsabilidade ambiental. Anote aí porque este conceito vai começar a aparecer. Volto ao assunto e vou estar lá!

quinta-feira, 27 de outubro de 2011

Mudança sutil: sai árvore da Igreja Matriz de Foz do Iguaçu

O Blog de Foz registra aqui uma mudança sutil na paisagem iguaçuense. A direção da Paróquia São João Batista, a Igreja Matriz de Foz do Iguaçu, decidiu remover a grande e reverente árvore (Foto à direita), sem dúvida antiga de dias, que começava a apresentar perigos à fiação elétrica pública e aos transeuntes. A árvore foi tirada do local. Conversei com o pároco Vincent C. Adaikkalasamy para fazer uma nota para a Gazeta do Iguaçu na qual ele pediu desculpas à população pelo incômodo e especialmente para os usuários do transporte público que tem ali na paróquia um dos pontos de ônibus mais utilizados do centro de Foz do Iguaçu. O ponto foi recolocado no local e, devagarinho, começa a aparecer a nova calçada, jardim. Coloco aí a foto que tirei há uns dois anos que mostram a árvore em seu esplendor. Aproveito para agradecê-la pela sombra, pelo abrigo que deu aos passarinhos e pelo testemunho silencioso do passar do tempo na Terra das Cataratas. A foto dois ( à esquerda) mostra o andamento da obra hoje. Logo volto ao assunto atualizando para mostrar como a obra ficou bonita ou feia!

quarta-feira, 26 de outubro de 2011

Ciências da floresta: refúgio biológico na Praça da Bíblia

Rodolfo Rubik é do Refúgio Biológico Bela Vista de Itaipu em Foz. Ele participou na mostra Ciência na Praça onde apresentou informações sobre a produção de mudas, coleta de sementes e falou sobre as técnicas utilizadas para poder trazer uma mudinha de planta para o público. Produzir mudas de árvores nativas não é fácil. Antes de produzir mudas é necessário coletar as sementes nas poucas áreas de vegetação nativa. São áreas que os cietistas chamam de "fragmentos" ou "ilhas" de floresta. "É o que restou da Mata Atlântica", disse. Na foto Rubik aparece explicado as técnicas ao curiosos visitantes muitos alunos do ensino médio de escolas estaduais de Foz do Iguaçu. Quando os coletores de sementes chegam, o trabalho começa. As sementes vão germinar? Para saber isso é necessário levá-las à Cãmara de Germinação. Para cada espécie, 200 sementes vão ser testada. É necessário dar um empurrão para que as sementes eclodam ou seja estourem e dê a largada para o processo de germinação. Depois vem a etapa do "tubete" antes da semente vencedora ser plantada no saquinho e sair para

o reflorestamento. Ele explicou que a coleta é feita por convênio com a Unioeste. Recomendo uma visita ao Refúgio Bela Vista e seção de mudas.

Frutos do IFPr - Lições de alternatividade


Na efervescente Praça da Bíblia em Foz do Iguaçu aconteceu ha alguns dias a mostra Ciência na Praça. Destaco nesta nota o curso Técnico de Edificações do Instituto Federal do Paraná - Campus de Foz do Iguaçu. O curso está no primeiro ano e os frutos dele já são bons. O curso trouxe para a praça, três grupos de alunos com suas nvenções. UM grupo apresentou ao público o resultado da pesquisa deles na busca de um substituto para o granito e até o mármore. O resultado foi uma pedra com textura de granito que utilizou o vidro. A professora Marcia Helena Beck lembrou que Foz do Iguaçu tem um problema grande com o vidro - especialmente os de garrafas não retornáveis e, entre eles, as garrafas de cerveja Long Neck. Na foto ao lado está o grupo do Bloco Ecológico com Vidro: Bruna Simi, Gustavo Martini, Manuel Trovisoni, Vinicius Arantes, Kelly de Lima, Pedro Guilherme. Nota dez para o curso, a equipe e a escola.



Outro grupo do mesmo curso está quebrando a cabeça para descobrir tintas ecológicas ou de base orgânica. Na pesquisa eles já testaram o urucum, o hibiscus e açafrão. A tinta já pode ser usads em ambientes fechados ou seja interior. O grupo que veio à praça é formado por Larissa Matioli, Crislaine Bruni, Brunna Machado, Isamyn Mikaela e Guilherme Mazini. Os aluos me explicaram que as tintas que temos hoje no mercado são: verniz, emborrachadas, acrílicas, latex, esmaltes e a óleo. "Até as tintas a base de água não podem ser chamadas de ecológicas. Fiquem de olho nesse grupo!



O Curso "Técnico em Edificações" do Instituto Federal do Paraná trouxe também alunos do primeiro ano que mostraram suas pesauisas na área da brita e do concreto. O grupo do concreto é formado por Amanda Nicole Junqueira, Camila Juliana de Castilha, Elisiane Cristina Rosa Paulino, Jedson Correa e Taís Neto Pereira da Rosa . Os alunos moeram resíduos da construção para transformá-los em blocos de concreto. Segundo os membros da equipe o agregado produzido por eles mediu 17 mega pascal em sete quando o agregado industrial é de 13 ou 14 mega pascal entre 13 e 14 dias.


Para mim o que é digno de celebração é esta oportunidade dos jovens terem acesso à novas informações e poderem desenvolver habilidades. Confesso aqui que nunca fui ao IFPR, nunca fui ao PTI para realmente ver o que rola assim como nunca fui à Unila. Vou incluir eses luagres na lista do "Bairronauta"




Gazetinha on line: site novo no ar


Olá iguaçuenses residentes em Foz e todos aqueles da "diáspora". Registro aqui o primeiro dia no ar do novo site d' A Gazeta do Iguaçu. Após um longo perído de preparo e labuta aí está o novo site que utiliza o mesmo endereço do site anterior. Parabéns a toda a equipe, a webmaster e designer e a todos os colegas que embarcaram agora para a alimentação do site. A Gazetinha merece. Muito sucesso! Link

sábado, 22 de outubro de 2011

João-de-barro e socós no Bosque Guarani em Foz

O passarinho ao lado que me parece um joão-de-barro fêmea só tem um pezinho. Ele aprendeu a andar pisando bem de leve com a extremidade da perna direita. Fiquei tempo sentado em um dos bancos do Zoológico Bosque Guarani observando. Uma verdadeira lição de vida. O passarinho estava coletando pequenos pedaços de graveto quando uma corruíra apareceu no caminho e os dois se estranharam. Mesmo com a falta de um pé o joão-de- barro fazia movimentos rápidos no estilo corre e voa e faz piruetas no ar a baixa altitude. Bem foi um momento transcedental observando o pássaro no Bosque Guarani - um oásis para onde vou, de vez em quando, para recarregar as baterias e recompor a minha energia. É bom estar em um ambiente verde onde Oxossi reina e rege.



E ainda nesta incursão nesse pequeno fragmento de matas que é o Bosque Guarani aberto ao público descobri que há várias atividades acontecendo tanto culturais administradas pelo homem (mulher também) como naturais o que envolvem outros animais que compartilham o planeto com a geste, claro quelevando desvantagem. Um evento importante que estã acontecendo no Bosque Guarani é a festa nacional de acasalamento, espero, ou uma espécie de escala para descando do campeonato nacional do "voo de socó". Os socós do Mercosul que vieram para o evento em Foz que coincidiu com o Latinoware, com o voo do dirigível do vote Cataratas, entre outros, estão mudando a passagem do bosque. Em alguns locais, a vegetação verde e o piso (artificial) do bosque estão brancos o que dá o aspecto de geada. Mas não é geada não. É quase novembro nos trópicos de capricórnio. Trata-se de material líquido com consistência de pasta que lembra, ao ressecar, as manchas de pastas de dente. Trafegando na brancura socoana, chamou minha atenção, com sua língua, um lindo teju ou teyy em guarani que a gente chama de lagarto. Ele me olhou e piscou com a língua e pousou para essa foto. (Clique na foto para ampliar. O teju está explicitamente mimetizado por isso você pode não vê-lo claramente).

segunda-feira, 17 de outubro de 2011

Números crônicos da desigualdade

Se a população da Terra fosse reduzida à dimensão de um povoado de 100 pessoas, assim seria a distribuição dele:



57 Asiáticos


21 Europeus


14 Americanos (norte e sul)


08 Africanos


52 mulheres


48 homens


70 negros


30 caucasianos


89 heterossexuais


11 homossexuais


06 pessoas seriam donas de 59% de toda a riqueza e todos seriam dos Estados Unidos de América


80 pessoas viveriam em más condições


70 não teria recebido qualquer instrução escolar


50 passariam fome


01 morreria


02 nasceriam


01 teria um computador


01 (apenas um) tenria curso superior


http://www.newsdoplaneta.com.br

Um pedacinho Maldito de Fronteira: Jupira - Marco Três Fronteiras


Dou o link aqui para uma notícia do site da Rádio Cultura. As autoridades estão pensando em revitalizar a barranca do Rio Paraná. As autoridades entenderam que a barranca do Paraná hoje está a serviço do crime. E destaco para o fato de que a proposta partiu do delegado da Polícia Federal e atual superintendente da PF, José Alberto Iegas. Aproveito também para lembrar um desabafo que fiz no meu blog Notas do Turismo em 26 de março de 2007. Me angustiava na época a matança de jovens. Sugiro que você dê uma olhadinha até para ver o que mudou e o que está mudando. A postagem em questão se chama SOS Foz do Iguaçu . Nela eu chamo o trecho entre o Jardim Juprira e Marco das Três Fronteiras de "um pedacinho maldito de fronteira". As autoridades, estarão se acordando?


Sobre a foto acima:


A foto é minha. Foi tirada de um apartamento do Slaviero Suites Hotel. A bela vista mostra a "barranca" do Rio Paraná que corre, descendo, entre os dois países. É parte do trecho que as autoridades querem revitalizar. Se isso não aconteceu até hoje, o fato é inexplicável. Aproveito para cobrar a revitalização e alfandegamento do antigo e histórico Porto Oficial de Foz do Iguaçu também no Rio Paraná com presença permanente de nossas forças! A foto pequena aqui mostra o porto alfandegado e legal de Puerto Iguazú. Além de alfandegado o posto também tem a presença permanente da Prefeitura Naval (Capitania) e Direção Geral de Migrações. Na redondeza há vários pequenos negócios de pessoas que oferecem passeios de barco, bóia, banana-boat e outros.

sexta-feira, 14 de outubro de 2011

Dirigível fez bonito nos céus das Cataratas

O Dirigível da New Seven Wonders (N7W) decolou, sobrevoou as Cataratas do Iguaçu e gerou fotos maravilhosas. Em Foz do Iguaçu, o sobrevoo foi capa da edição de quinta-feira, 13 de outubro da Gazeta do Iguaçu. Faço questão de citar data para que daqui a dez anos, ou mais você possa encontrar a edição no arquivo. O dirigível agitou a região e especialmente a imprensa que queria vê-lo no ar. A presença do dirigível foi parte da arrancada final da campanha Vote Cataratas do Iguaçu para uma das Sete Maravilhas – campanha idealizada por Bernard Weber – um exemplo de que o é mentalizado pode ser realizado. E como dirigível ou avião não voa sozinho coloco aqui a foto de Jürgen Hutten, piloto alemão conhecido nas competições mundiais de balão e dirigíveis. A foto é de um vídeo feito pela equipe da colega Kelly Ferreyra do site La Voz de Cataratas de Puerto Iguazú. A Kelly curtiu a reportagem. Confira no link!



terça-feira, 11 de outubro de 2011

Dirigível decolou mas não enfrentou as Cataratas até às 12h

O dirigível da Fundação Novas Sete Maravilhas do Mundo é, igual ao balão, inflado com ar quente. Ele chegou a decolar da área interna da 12ª Companhia de Caçadores de Monte (Selva) do Exército Argentino na estrada que vai às Cataratas. A nave sobrevoou a região inclusive a área urbana de Puerto Iguazú mas não se animou a rumar para o lado das Cataratas. As imagens são do Canal 12 de Posadas que está transmitindo via satélite, ao vivo, e pela internet no site http://www.votocataratas.com/. Ele deveria ter decolado às 8h e pousado no lado brasileiro às 10. Mas quando se trata das Cataratas que são femininas e geniosas não se pode marcar hora. Deve-se sim antes pedir pemissão aos espiritos, bater tambor, tocar mbaracá para ver se a autorização sai. Se não sair, não saiu.

Atualizando:

O voo foi suspenso. Ficará para tarde quando o tempo esfrie. Descobri que o Parque Nacional Argentino não permitiu a decolagem de seu interior ou seja da área em frente ao Hotel Sheraton Internacional. Parabéns APN! A programação incluirá o embarque do ministro de turismo de Misiones que faria o voo até o lado brasileiro - ou seja ao estacionamento do Parque Nacional do Iguaçu (oficialmente fora do Parque Nacional do Iguaçu). Na volta até o pátio do Exército argentino, irá de carona uma autoridade de Foz do Iguaçu. Quem será? Ou quem seria? Balão e dirigíveis voam em temperaturas amenas - cedo pela manhã ou à tardezinha. Mas mesmo assim sugiro a consulta a um pajé para perguntar se as Cataratas querem ou não o voo! Falo sério!

segunda-feira, 10 de outubro de 2011


Ingrid Grutke, a modelo argentina nascida na pequena cidade de Oberá, na província de Misiones e o idealizador da campanha para eleger as Novas Sete Maravilhas da Natureza (New Seven Wonders) pousam para foto na varanda do Hotel Sheraton em Puerto Iguazu. A modelo na infância corria solta pelas ruas de terra vermelha da Oberá famosa por sediar todos os anos a Festa Nacional do Imigrante.

Vote Cataratas: entrevista da arrancada final













É só para registrar: esta é a entrevista coletiva realizada no Hotel Sheraton Internacional no Parque Nacional Iguazú, Argentina. A ocasião é a visita de Bernard Weber, canadense naturalizado e suíço de nascimento que idealizou as duas campanhas para a escolha das Sete Maravilhas do Mundo. A primeira campanha escolheu as Sete Maravilhas Modernas feitas pelo Homo sapiens (o que inclui machos e fêmeas da espécie) e o Cristo Redentor venceu! Agora Weber está em Iguazú / Iguaçu para promover a reta final da Campanha 2 para escolher as Sete Maravilhas do Mundo feitas por Allah, Deus, Ñanderu ou simplesmente pela Natureza ou pelo Universo. Na mesa além de Weber e seu diretor comercial Jean-Paul de la Fuente (Centro), aparecem Chico Brasileiro, vice-prefeito de Foz do Iguaçu representando o prefeito de Foz, o governador de Misiones, Maurice Closs, o secretário de Estado do Turismo, Faisal Saleh, o ministro de turismo de Misiones, Horacio Boderic e a modelo Ingrid Grutke, embaixadora de Misiones para a promoção do Voto Cataratas. Na foto 2 apareço eu, entrevistando Weber e tentando pegar alguma coisa diferente. Entre outras coisas descobri que Weber, que é piloto, não vai pilotar o dirigível da N7W daqui a pouco sobre as Cataratas do Iguaçu. Weber me disse que pilotou o dirigível sobre o Taj Mahal na Índia na Campanha Um e também sobre a Estátua da Liberdade em Nova York em um dia de frio intenso, temperatura ao redor dos - 20°C. "Não havia nada no ar naquele dia", disse ele. Decolar de perto das Cataratas e já enfrentar aquele cânion turbulento, com ventos e outros fatores atuando "exige um especialista", contou. E quem ele escolheu? O piloto alemão de dirigível e balão Jurgen Hutten. Na foto três, o jornalista Marcelo Freire se junta à conversa e eu dou uma forcinha linguística. Já que falei em forcinha linguística, aproveito para dizer que Weber não disse que "apesar de ser terceito mundo a organização do Vote Cataratas Argentina/Brasil está boa ou algo parecido quando colegas jornalistas argentinos pediram que ele classificasse a organização. Nem me lembro o que ele disse. O que causou o mal entendido foi uma "coisa de intérprete", eu sei exatamente como isso acontece. As vezes o intérprete deixa o interpretado falar muito e quando chega a hora de traduzir, no sufoco, o intérprete esquece o começo da resposta e pode esquecer a metade e o fim também. Já aconteceu comigo!

Nota: todas as fotos de Kiko Sierich

domingo, 9 de outubro de 2011

Blogs e coisas de blogueiros!

Entre 27 e 29 deste mês em Foz do Iguaçu haverá o 1º Encontro Mundial de Blogueiros confira a programação . Dias depois, em Los Angeles haverá o Blog World 2011. Em ambos haverá discussões sobre o futuro das novas mídias e o que significa o ser blogueiro e entre coisas como participar do mercado da publicidade, qual é a fatia dos blogs nesse mercado e ter uma ideia dos novos desafios, mutretas e dificuldades dos blogs no mundo atual. Uma das mutretas é o uso de blogueiros de aluguel por prefeituras e outras entidades e organizações de alguns niveis de governo. Blogs criados especialmente para emporcalhar a imagem desse, daquele, possível candidato ou de qualquer coisa que aponte para as eleições que de 2012. Preocupante!

sábado, 8 de outubro de 2011

Atenção fronteiriços! A fronteira mudou!

Segundo o Ministério de Integração Nacional, o Pograma de Desenvolvimento da Faixa de Fronteira (PDFF) tem um desafio: mudar a mentalidade que o País tem das fronteiras. Para a mentalidade antiga, a fronteira é um lugar longinquo e isolado. A fronteira é ainda economicamente pouco desenvolvida, marcada pela dificuldade de acesso aos bens e serviços públicos, pela falta de coesão social, por problemas de segurança pública e por suas precárias condições de cidadania. Segundo a mentalidade nova que o País quer implantar, a "fronteira" é um lugar que "oferece vantagens comparativas para provocar o fortalecimento regional" e onde se pode "estimular processos de desevolvimento e integração regional". O Brasil tem fronteira com 10 países o que, segundo a nova mentalidade, "reforça o caráter estratégico da região para a competitividade do país e para a integração do continente". Quase 10% dos municípios brasileiros estão na faixa de fronteira. A "faixa de fronteira" é um conceito que saiu muito caro para os habitantes da fronteira. Segundo o deputado gaúcho, Frederico Antunes, durante evento para discutir a faixa de frnteira em Uruguaiana (RS) em março: a Faixa de Fronteira impõe limites ao desenvolvimento dos municípios dessa faixa portanto, segundo ele, "É uma injusta faixa de exclusão", que, lembra, só no RS inclui quase 200 municípios (são 197). Aqui fica o convite para que estudemos para entender o por quê da doutrina da faixa de fronteira gerar exclusão. No evento em que o deputado gaúcho participou, organizado pela Força Sindical, se pedia a extinção da Faixa de Fronteira. Parece que seria uma espécie de contramão do que propõe o Governo Federal que é manter a Faixa de Fronteira mas mudar a concepção que dela se tem. De região pepino, para região estratégica para a integração!






Morando na fronteira, em Foz do Iguaçu, vejo que há que se mudar também a ideia que se tem do fronteiriço. O morador de fronteira tem sido vítima da exclusão e quando as forças da lei chegam, como agora, trazem unicamente bala em vez de pão (parafraseando Lucas 11:11). Quem no Paraná, em São Paulo sabe onde fica o Município de Atalaia do Norte? Ou Benjamin Constant e Tabatinga? Exemplos de municípios brasileiros, amazonenses, colocados, segundo a "velha" e "caduca" visão de fronteira, na linha de frente, fazendo pátria e normalmente fora do mapa, da lembrança e do coração dos brasileiros. Confira esta notícia no H2Foz sobre o Núcleo de Fronteiras que vai começar a funcionar em Foz.





Foto Arnaldo Alves/AEN/Paraná: Governador José Richa e ministro da Defesa, Celso Amroim em reunião com comandos das forças armadas no 34º BIMTz em Foz durante Operação Agata 2.

quarta-feira, 5 de outubro de 2011

GRAER em Foz! Construam heliportos nos hospitais

O major do Corpo dos Bombeiros da PM do Paraná, Júlio Cesar Pucci me perguntou: os hospitais de Foz do Iguaçu estão prontos para receber feridos e vítimas de acidentes que cheguem via helicóptero? O major Pucci é o comandante do helicóptero da PM (Foto) que participou na Operação Agata 2. O co-piloto é o capitão PM, Adilar Lima. A equipe é formada ainda por um oficial PM enfermeiro. O helicóptero pertence ao GRAER - o Grupo de Operações Aéreas da PM do Paraná cuja história leva àquela famosa visita de Santos Dumont ao Paraná em 1916. Os paranaenses ficaram impressionados com a visita do aviador-em-chefe do Brasil e começaram a conversar sobre a aviação paranaense.

Voltando ao assunto, o comandante Pucci falou sobre o GRAER, o grupo de apoio à operações policiais mas deixou claro que o Grupo Aéreo tem uma missão de apoio muito importante em outras áreas. Apoio a quê? A operações policiais, a operações de resgate e salvamento e a operações de apoio às Defesas Civis - assim no plural - porque pelo menos um helicóptero do GRAER foi ajudar nos resgates e apoio em Petrópolis e Teresópolis no Rio de Janeiro e acaba de voltar de Santa Catarina por causa das cheias. Na conversa, o major disse que se tudo der certo, a Base fixa do GRAER em Foz do Iguaçu pode estar funcionando até dezembro. E a missão incluirá a remoção, transporte e transferência de acidentados da BR- 277 e outras rodovias para hospitais em Foz do Iguaçu e região. Daí a pergunta dele: os hospitais estão preparados? Ele falou sobre a "hora de ouro" dos resgates. O socorro prestado nos primeiros sete minutos após o acidente eleva as chances de sobrevivência de 10% para 70%. Mas de nada adianta a ambulância aérea trazer a vítima até um hospital e que por falta de heliporto no hospital termina aterrizando* no campo de futebol mais próximo. Daí a pergunta: os hospitais estão preparados? A resposta parece ser: N Ã O! Digo assim após observar a bela operação levada a cabo para transportar órgãos doados em Foz do Iguaçu para Pato Branco, no caso do transporte do coração. O helicóptero, cedido pela Receita Federal, aterrizou no Gramadão - que é um campo que serve de palco de eventos na Vila A. Os pilotos de resgate conseguem transformar o helicóptero em ambulância aérea em menos de cinco minutos. Assim a sugestão do capitão para os administradores é: criem estrutura, traduzindo, invistam em heliportos. Não precisa ser sofisticado!

* Como aterrissar e aterrizar estão certos, prefiro a segunda forma!

terça-feira, 4 de outubro de 2011

Lembrando Foz do Iguaçu anos 90: Lerner e Daijó






Há dias selecionei estas duas fotos. Na primeira vemos o ex-governador do Paraná Jaime Lerner, em campanha para seu primeiro mandato como governador. No fundo se vê imagens dos projetos do candidato para criar a Costa Oeste do Paraná. Nas entrevistas da campanha,o governador aparecia sempre com prancheta, cavalete e com pincel na mão para explicar os projetos das grandes transformações que previa para o Oeste do Estado o que incluiram os Jogos Mundiais da Natureza cuja abertura aconteceu há 14 anos - entre 27 de setembro e o começo de outubro. Aconteceu de tudo desde então: abandono de estruturas, descontinuidade dos jogos e outros desvios. Por outro lado e com a exceção de estrutras definitivamente destruídas como a Base Náutica de Foz do Iguaçu, a iniciativa lerniana foi a semente para o que hoje continua sendo feito desta vez com a intervenção da Itaipu Binacional na "antiga" Costa Oeste. Projetos como o Cultivando Agua Boa, a mudança de identidade de Costa Oeste para Caminhos ao Lago de Itaipu e outras, me parecem que dá validade a tudo. Um dos pontos altos da proposta de Lerner foi o que seria o Canal de Canoagem que deveria servir de palco para as corridas de kayak. As obras não conseguiram ser terminadas para os jogos. Mas hoje estão sendo usadas após a Itaipu Binacional ter assunido a batuta e ter concluído o canal onde acontece hoje provas de kayak-slalom e rafting. A foto dois, mostra o prefeito Harry Daijó encerrando um dos grandes e inesquecíveis congressos realizados em Foz do Iguaçu: o Brasil Brau '99. O evento é o maior e único evento nacional da tecnologia e da indústria da cerveja. Foi realizado em Foz duas vezes, depois o perdemos para sempre. Digo isso porque de 1999 até hoje são 12 anos. As duas edições em Foz foram muito boas tão boas que é um event que ficou na memória. Fica uma sugestão de evento para corremos trás e trazer de volta para a Terrinha. Tem outros dois eventos que perdemos para Curitiba e Florianópolis. Estou falando sobre (e cobrando) o Mercosuper e o Brasil Telecom! A terceira foto é um registro quase arqueológico da Base Naútica de Foz do Iguaçu.

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails

Hora no Paraguai incluindo CDE

Hora Mundial: passe o mouse sobre o mapa para escolher região