sexta-feira, 30 de abril de 2010

O Blog de Foz lhe deseja um Feliz Dia do Trabalho! Hein?!

Estou atrasado! Já são 14h do Dia Primeiro de Maio. Assim desejo-lhe Feliz Dia do Trabalhador, da Trabalhadora ou Dia do Trabalho. Há 124 anos, no Dia 1º de Maio de 1886, 300 mil trabalhadores se conscentraram em Chicago, Estado de Illinois, terra do presidente Barack Obama e do meu colega Alex Shorsch - que vai lançar um livro daqui a alguns dias em Foz. Os trabalhadores prostetavam contra as jornadas de trabalho praticadas na época que, segundo o trabalho, poderia ser de 10, 12, 14, 16 e até 20 horas por dia. Os trabalhadores queriam e exigiam algo estúpido e inaceitável na época: uma jornada de oito horas de trabalho!

A polícia atacou. Nos dias 2, 3 e 4 os trabalhadores voltaram à Praça Haymarket para protestar contra a violência da polícia. Houve mais. Quatro dos líderes foram enforcados. Desde então, o 1º de maio é comemorado como o Dia do Trabalho na maior parte dos países do mundo com a exceção dos Estados Unidos e uns poucos outros. Hoje, se fala, outra vez, em diminuir a jornada de trabalho das atuais oito horas para seis, quatro. E a idéia está parecendo estúpida de novo. A história ensina alguma coisa? Feliz Primeiro de Maio para você!

(Praça) Haymarket Square é uma porção mais larga da (Rua)Randolph Street entre a Rua Des Plaines e Halsted que já servia como um mercado comum para as comunidades de trabalhaores na época. Foto e dica do blog Cenas de Crimes em Chicago

Atenção quem estiver em Londres: Festival Brazil


Entre o dia 19 de junho e 5 de setembro no Southbank Center, Londres vai viver o Festival Brazil, patrocinado, pelo HSBC que promete trazer a cultura vibrante e comtemporânea e promete celebrar a herança cultural do Brasil. Confimados, mas não sei quando, Maria Bethânia no Royal Festival Hall. E tem mais ainda Gilberto Gil, os Mutantes e Tom Zé. A Capoeira tem lugar assegurado no Royal Festival. Na Hayward Gallery, vai haver exposição de arte brasileira e, pelo que entendi, o artista Ernesto Neto já está dando o que falar com a instalação que vai levar à galeria.

quarta-feira, 28 de abril de 2010

Grupo ABBA em Foz do Iguaçu: Surpresa para os seguidores


Eu havia anunciado aqui há pouco que o grupo Abba poderia fazer um show em Ciudad del Este. O que me levou a isso foi o fato dos organizadores serem o N9NE Bar & Lounge que tem sede em Ciudad del Este e é um empreendimento brasileiro-paraguaio ou paraguaio-brasileiro. Foi uma confusão. Leia aqui no site Território da Música sobre o show mundial que o grupo Waterloo está fazendo em tributo ao grupo Abba original. O grupo Waterloo estará fazendo uma série de shows no Brasil inclusive Curitiba. Foz do Iguaçu está na lista. O show está programado para Foz do Iguaçu no dia 19 de maio. O local deverá ser confirmado. No site acima há uma lista das outras cidades onde acontecerão os shows. O anúncio acima traz três telefones para contato.
O fã clube do ABBA no Brasil está agitado!

Em Foz: (45) 9975 8000 e 9945 6666
Em Ciudad del Este: (561) 513 996

domingo, 25 de abril de 2010

"Descaminho delivery" e as mortes de jovens em Foz do Iguaçu

"Descaminho Delivery" - Nada de charmoso na entrega porta à porta de produtos descaminhados. Nessa trilha próximo a hotel cinco estrelas, trabalhadores da logística "mau" acondicionam material para entrega a hóspedes de alta renda. (Foto 'bairronauta')!

O senhor que enviou o e-mail que publiquei na última postagem teve muita sorte. O primeiro perigo foi aquela contratação de guia de turismo na ponte. Um perigo! Eu não sei de guia de turismo na Ponte da Amizade. Isso é muito perigoso! Neste caso, os guias se comportaram mas poderia ter terminado muito mal. Acontece frequentemente assaltos e roubos em veículos. Inclusive esta é uma das (11) recomendações da Polícia de Turismo de CDE. Mas o que eu vou dizer agora nunca foi dito antes. Quer conferir?

Caso 1 Veja: se você é um turista brasileiro e vem para Foz do Iguaçu onde fica hospedado ou não, e atravessa a Ponte para comprar R$ 5 mil, R$ 10 mil, R$ 20 mil você está em uma situação complexa. A cota é US$ 300. Quer dizer US$ 300 é o que você pode comprar e levar para casa tranquilamente como "bagagem acompanhada". Se voce quer comprar 10 mil, você pode. Porém o procedimento é outro. Você vai ter que pagar o imposto brasileiro na estrutura da aduana. Você deve se apresentar e dizer: passei da cota e muito e quero pagar. Se você passar de fininho voce estará cometendo "descaminho" e a mercadoria vai ser tomada. Caso 2: se você compra R$ 1 mil, 3 mil ou seja lá quanto for e para não pagar o imposto você paga a loja para que terceiros façam a entrega dessa mercadoria em Foz do Iguaçu ou outra cidade da região ou até em São Paulo, Rio, Belo Horizonte ou qualquer outra cidade brasileira, sabe o que você está fazendo? Você estará utilizando a nossa estrtura logística de submundo fronteiriço. Nós temos um excército de pessoas que trabalham puxando caixas à noite. São brasileiros e paraguaios que carregam lanchas, carregam caixas, são "laranjas" que fazem o tabalho de trazer para o Brasil coisas que turistas de boa procedência compram e recebem aqui. Esse exército é fruto da enorme desigualdade social que existe cronicamente na região desde a época da escravidão da erva marte.

Como essa estrutura logística é secreta, de submndo, há muita mortes que servem de punição para pessoas que ao atravessar, tentam roubar, ou desviar caixas dos patrões para futuro roubo. Se houver uma pesquisa, você verá que a maioria dos jovens assassinados em Foz do Iguaçu todos os anos estão ligados a essa espécie de "trabalho" que é duro, desumano, cruel e colhe vidas, ou se cruzaram com os pelotões de controle desse submundo logístico. Foz do Iguaçu ganhou o título de cidade onde mais se mata jovens no Brasil. Para não deixar uma coisa sem rosto, coloco aqui a foto deste rapaz que chamarei de Junior. Quando criança queria ser modelo. Depois de casado, foi fazer trabalhos como vigia em uma propriedade próxima a rota da logística acima. Foi morto. Eu não consigo, até hoje, olhar a mãe dele nos olhos. Dizer o quê? Resumindo: você pode estar ajudando a financiar essas mortes. É isso o que nunca foi dito! Toda a corrupção da fronteira sai disso!

Cuidado com esse golpe no cartão em lojas em Ciudad del Este Paraguai (I)

Aqui vai ao pé da letra um corrspodência que recebi (e-mail) após uma conversa por telefone. Fiz um pequena nota no Caderno do Turismo da Gazeta do Iguaçu sobre o caso. Retiro do texto toda possibilidade de identificação. Por quê? Porque repassei toda essa informação para a Polícia de Turismo de Ciudad del Este com cópia para a Secretaria de Turismo de Foz do Iguaçu, para o Comtur e o Convention Bureau. O Secretário de Turismo Felipe Gonzales m,e respodeu dizendo que fez pedido ao comandante da Polícia de Turismo, Comissário René Pablo para que haja investigação. O presidente do Comtur de Foz do Iguaçu, Paulo Angeli também respondeu dizendo que encaminhou a denpuncia para o Paraguai. Como as coisas estão nas mãos das autoridades paraguaias, eu não posso divulgar nomes - é um obediência à lei por cortesia fronteiriça. A vítima me disse por telefone que o lojista, quando estava cara a cara, disse a ele que era perigoso ele está bisbilhotando muito no Paraguai por que era outro país. Ao meu ver, elle deu enteder que o Paraguai é um país sem lei - o que discordo dele. Jackson Lima, jornalista free lance e blogueiro full time!

Sr. Jackson, aqui vai meu relato para vc, analisar:

Venho por meio desta informar que no dia 19 e 20/03/2010, Eu e minha esposa ... e mais um casal de amigos, ... e sua esposa, estivemos passeando e fazendo compras na Ciudad Del Leste no Paraguai. Ao adentrar neste País, através de Foz do Iguaçu, junto a Aduana deste País, encontramos um Guia de Turismo de nome ...e um irmão seu, que atendia pelo nome de ..., qual contratamos seus serviços pelos dois dias, que estivemos nesta cidade, pagamos a importância de R$ 200,00, mais pagamento de almoço. Os Jovens muito gentis e Cortez. Solicitamos a este Guia, que nos levasse a um comercio que vendesse eletrônicos e fosse Comerciante sério. O mesmo nos levou até a uma Loja localizada na Galeria .... , de nome ..... Nesta Loja fomos atendido pelo proprietário Sr. W... e seu funcionário Sr. ...Junior, onde foi efetuada uma compra no valor R$ 6.100,00 (Seis Mil e Cem Reais), lhe foi repassado em dinheiro a importância de R$ 1.600,00, ( hum mil e seiscentos reais), o restante R$ 4.500,00, ( Quatro Mil e Quinhentos Reais) seria parcelado em cinco vezes, no cartão credito, conforme o combinado.

Após retornar para o Brasil, na cidade de ..., localizada no Rio Grande do Sul, onde moro, fui até a agencia Banco do Brasil, onde tenho conta corrente e verifiquei que o Lojista havia sacado valores fora do combinado, onde pude constatar que não havia feito parcelamento e os valores sacados eram superior ao autorizado. Valores que passo a relatar: R$ 5.038,83, mais R$ 1.348,20 e mais 495,39 do Cartão de crédito Mastercard. Em resumo fui lesado em R$ 2.382,00 ( Dois mil Trezentos e Oitenta e Dois Reais). A Loja ..., não retirou mais dinheiro do cartão, em função de não ter sido liberado pela operadora, conforme ficou demonstrado no extrato bancário às tentativas feitas pelo Comercio Imagem Sony. Após constatar os valores maiores sacados do cartão, liguei para o Sr. W..., que se prontificou devolver em dinheiro ou retirarmos em mercadoria na Loja, porém afirmou: “que não poderia devolver o dinheiro pelo Banco, Porque não tinha conta bancaria no Brasil, más se fossemos lá, o mesmo devolveria o dinheiro ou poderíamos pegar em mercadoria”...

No dia 17/04/2010, retornamos Eu e o amigo Sr. ..., que também havia sido lesado em R$ 500,00,( Quinhentos Reais) que foi retirado a mais em seu Cartão de credito VISA, para resolvermos o problema junto a Loja, o Senhor Wilson proprietário se negou a devolver o dinheiro ou mercadoria conforme havia prometido, afirmando:” que estava tudo certo e a negociação havia sido feita em Moeda Guarani e não em Reais e que não sabíamos fazer os cálculos”...
Finalizando, retornamos ao Brasil, sem dinheiro ou mercadoria, apenas trocamos algumas mercadorias com defeito, que havía nos vendido com defeito da primeira vez. Da qual damos graças a Deus... Essa é a minha História, que se for analisar ainda saiu barato, pois, poderia ter sido valores muito maiores... Essa é a frase de consolo que encontrei de um gaúcho triste e magoado, que tomou na cepa no Paraguai... Espero que algo seja feito, contra esse Comerciante desonesto. E que outros turistas sejam informados, para não cair nesse golpe do Cartão de Crédito.
Sem mais,
Atenciosamente,
M.O.M.

Dinheiro para readequar a BR 469 - a estrada que leva às Cataratas do Iguaçu


Deu na Gazeta do Iguaçu! Foi liberado R$8 milhões para readequação da BR 469 a Rodovia das Cataratas. Não deixa de ser uma das estradas mais importantes do mundo.

Calma, você já está chegando. Atrativo mundial a 500 metros. Para quem veio de longe, Curitiba, São paulo, Manaus. Belém, Perth (Australia), Frankfurt, Nova York - a placa deveria ser especial.


A Rodovia das Cataratas está tecnicamente dentro da Região Rural 1 de Foz do Iguaçu. Embora o estilo de vida rural esteja desaperecendo ainda existe. Assim, cuidado com as vaquinhas, cavalos e cabras na pista. Pedestres também ao longo da avenida-BR,municipal-federal.

Um viajante paulista comentou em um dos blogs que ficou admirado com as placas em diferentes linguas em Foz do Iguaçu. A gente poderia ter muito mais. Esta, parte oficial da sinalização turística, aponta caminhos para algumas direções em inglês.
Clube União Árabe que fez aniversário há pouco. Não consegui contar os buracos de bala na placa. Será que foram disparados antes da lei do desarmamento? A placa é prova da diversidade cultural da cidade. Vamos colocar uma placa nova e que mantenha a versão em árabe!
A placa que tem uma contrapartida em português pede que não jogue "basura" ou lixo às margens da Br 469. Quem a agredece é a Natureza.

sábado, 24 de abril de 2010

Tarija Tours - bolivianos em Foz

Na caminhada desta manhã enquanto eu buscava o evento de economia solidária na economicamente conservadora Foz do Iguaçu, dei de cara com um ônibus double deck da Tarija Tours - uma empresa boliviana com sede na cidade de San Bernardo de Tarija fundada em 1574. A cidade está localizada na "região do vinho" da Bolívia, (isso mesmo, a Bolívia também produz vinho). Para se chegar a Tarija, a rota mais curta é via Salta e Jujuy, Argentina. Eu fiquei muito contente de ver um ônibus de turismo boliviano em Foz do Iguaçu. Bom para os dois lados. Os passajeiros tarijeños vem em busca das Cataratas e querem ver uma cidade brasileira, ver brasileiros, curtir coisas brasileiras, curtir uma três-fronteiras e Foz do Iguaçu é todo o Brasil que eles vão ver. Isso mostra a responsabilidade de Foz do Iguaçu como a única cidade brasileira que milhares de turistas vão ver. Coloco a foto do ônibus de Tarija e deixo a sugestão para que organizemos viagens àquela região da América do Sul.

A Indústria Naval de Foz do Iguaçu: sim, Foz tem estaleiro


Continuo fã de Foz do Iguaçu e das coisas que esta cidade esconde. Não estou falando de trambique ou de qualquer coisa ligada a união de pessoas para fazer besteira - o que a lei chama de crime organizado. Falo de gente boa, decente, honesta, habilidosa e portadora de conhecimentos especiais e raros. A afirmação, por exemplo, de que Foz do Iguaçu não tem indústria é muito comum. Mas será que não temos indústria? Eu ando catalogando um monte de empresas e fábricas que fazem piscinas, caixa d´'água, banheiras e spas. As fotos mostram um estaleiro em Foz do Iguaçu. Isso mesmo aqui se fabrica rebocadores, barcos, balsas e outras pesos pesados flutuantes.

Eu sempre vi o estaleiro quando passo de ônibus pela Avenida Costa e Silva ali no lado oposto mas próximo à Panorama Home Center. Hoje foi a primeira vez que eu disse para mim mesmo: vamos lá ver o que está acontecendo ali. Fui! E aí verifiquei que o estaleiro está ativo e fazendo barcos de aço. A produção é quase totalmente dirigida para a empresa dona do estaleiro - a Maracaju Navegação que é parte do grupo Andreis. Na região, a Maracaju Navegação é dona do porto de areia na Vila Vitorassi. O mais interessante é que lá conheci um mestre construtor que na hora estava trabalhando junto com um profissinal de solda industrial. Logo voltarei lá e darei mais detalhe sobre a arte de fazer barcos. Os barcos que aparecem na foto foram feitos aqui. Podem navegar exibindo o selo que eu acabo de criar: Made in Foz do Iguaçu.

Ué! Abduziram a conferência?

Boa noite a todos. Foz do Iguaçu está sob uma chuva gostosa, o clima pode ser considerado fresco, o dia não é propício para trabalho. É mais o estilo de dia para ficar em casa, ler, assisitir um filme, pesquisar ou meditar comendo pipocas, tomando chimarão ou 'mate quemado' com coquitos ou galletas paraguaias. Saí pela manhã. Foi incrivel. Eu tinha anuciado há dias que hoje, sábado 24, deveria ser o último dia da Conferência Estadual da Economia Solidária. Não encontrei o evento. Ninguém sabia dele. Fui a uns três possíveis locais públicos e privados. Me senti como se o evento tivesse sido abduzido, sequestrado, arrebatado. Teria sido ou foi - caso ele teha acontecido - o prieiro evento de economia Solidária em Foz do Iguaçu. Mas Foz do Iguaçu não pé a capital da economia solidária. Foz é conservadora. E assim prometo que segunda-feira vou tentar saber o que aconteceu. Tivemos a conferência? Onde foi? Como o Ministério do Trabalho está em greve e tendo em vista que o MT é um dos patrocinadores de repente isso explique. Mas como disse vamos ver o que aconteceu segunda-feira. Caso a conferência tenha acontecido, eu me explicarei!

quinta-feira, 22 de abril de 2010

Resultados da Conferência dos Povos em Cochabamba, Bolivia

A Conferência Mundial dos Povos sobre a Mudança Climática e os direitos da Mãe Terra está terminando hoje em Cochabamba na Bolívia. A conferência foi convocada pelo presidente Evo Morales como compartida à Conferencia Climática oficial realizada em Copenhague, Dinamarca. Veja abaixo a lista de tópicos dos 17 Grupos de Trabalho (GT).Cada GT trabalhou um tema:

01. Causas estruturais
02. Harmonia com a natureza
03. Direitos da Mãe Terra
04. Referendum
05. Tribunal de Justiça Climática
06. Migrantes Climáticos
07. Povos Indígenas
08. Dívida Climatica
09. Visão Compartilhada
10. Protocolo de Quioto
11. Adaptação
12. Financiamento
13. Desenvolvimento e Transferência de Tecnologia
14. Bosques
15. Perigos do Mercado de Carbono
16. Estratégias de Ação
17. Agricultura e soberania alimentar

Um "referendum" mundial sobre o clima será levado a cabo no dia 22 de abril do ano que vem. Há um GT especial para o referendum que será formalizado e terá as questões esclhidas.Mas já se anuncia que as cnco perguntas serão:

1) Você está de acordo com o restabelecimento da harmonia com a natureza reconhecendo os direitos da mãe terra? SIM ou NÃO

2) Você está de acordo com a mudança de modelo de super consumo e desperdício que é o sisitema capitalista? SIM ou NÃO

3) Você está de acordo com que os países desenvolvidos reduzam e reabsorvam suas emissões de gases de efeito estufa de maneira doméstica para que a temperatura não se eleve mais de 1 grau? SIM ou NÃO

4) Você está de acordo em transferir tudo o que se gasta nas guerras e em destinar um orçamaneto superior ao da defensa para a mudança climática? SIM ou NÃO

5) Você está de acordo com (criação de) um Tribunal de Justiçaa Climática para julgar aqueles que destruam a Mãe Terra? SIM ou NÃO

Dia da Terra e como presente vamos destruir o Xingu: é minha opinião

Foto de Soichi Noguchi (野口 聡一) enviada hoje desde a Estação Espacial com a Mensagem: Feliz Dia da Terra para vocês! Nela aparece a desembocadura do Rio Amazonas. O encntro do rio com o mar. Note a cor da água. Se tudo estivesse equilibrado o amarelão da água significaria nutrientes para o Planeta. Na foto se pode ver o Pará à direita e o Amapá à esquerda, na outra margem. "Parece uma grande árvore" disse o astronauta japonês. Feliz Dia da Terra para Você Soichi e obrigado pelas fotos de casa!



A foto que aparece logo abaixo mostra o rio Iguaçu um pouco antes e depois das Cataratas do Iguaçu. A foto foi feita por esse senhor vestido de astronauta. O nome dele é Soichi Noguchi e ele fez a foto abordo da estação Espacial Internacional (ISS). Ele ficou famoso por tirar fotos desde a janela da ISS e "postar" no twitter de modo que todo terráqueo pudesse ver o que ele está vendo. Conecte-se com ele no twitter.
A teceira foto que mostra essa belíssima folha de palmeira, foi tirada por mim, no Zoológico Bosque Guarani em Foz do Iguaçu. É minha homenagem à Terra nesse dia 22 de abril.
Tivemos uma fileira de dias comemorativos. Dia 19: Dia dos Índios - a maioria dos brasileiros puderam celebrá-lo em museus e outras atividades de araque. Dai veio o Dia de Tiradente que deixarei sem cmentário e, em seguida, hoje o Dia da Terra. Como presente à Terra o Brasil oferece a Notícia de que a terceira maior hidrelétrica do mundo será construída no rio Xingú e se chamará Belo Monte. Itaipu, Três Gargantas e infelizmente Belo Monte- haja machismo na terra! Saiba mais sobre protestos contra Belo Monte!

quarta-feira, 21 de abril de 2010

O Marco das Três Fronteiras, Brasil: por que não interessa ao Governo?

Até 1972, O "Marco brasileiro" como a gente costuma chamar o Marco das Três Fronteiras, Brasil, não tinha estrutura nenhuma para receber visitantes. Suponho que já se comentasse sobre ele na cidade e, como fotos antigas revelam, era um lugar onde se fazer grandes fotos de grupos. A foto ao lado dá uma idéia de como era o Marco das Três Fronteiras durante a maior parte de sua presença nesse canto do Brasil e da América do Sul. Um pioneiro de Foz do Iguaçu, João Raimundo Júnior, o Jango, disse que até certo tempo o Marco das Três Fronteiras era “coisa do Exército”. Eram os soldados que mantinham o lugar. O ex-prefeito de Foz do Iguaçu, Osires Silva, confirma e diz que o Exército mandava os soldados cuidarem do “marco”. “Mas era só uma pedras amontoadas” – destaca Jango.

Gilvan e os filhos no Marco das três Fronteiras - já aparece a primeira lanchonete e lojinha da família nos fundos (Foto da família)

Em 1967, um funcionário público que trabalhava para a hoje extinta Empresa Brasileira de Portos S.A. – Portobrás, Gilvan Farias chegou a Foz do Iguaçu e se estabeleceu na área do Marco das Três Fronteiras que, na época, embora fosse federal, estava na propriedade da antiga Serraria e Madereira Amambay de Gregório Rubens.

A missão de Gilvan era dar início aos estudos de viabilidade para a construção do futuro Porto de Foz do Iguaçu, que não saiu do papel. Um dos motivos que desanimou o Governo de fazer um porto era a possibilidade de sair a Usina de Itaipu e a possibilidade de haver uma "morte" da navegação no Paraná. Com Gilvan veio a esposa, Maria Claudina Farias. Ela conta que assim que chegou se deslumbrou com a possibilidade de viver em um local privilegiado, em um ponto de onde se via três países e dois rios. Logo a Portobrás começou a levantar as terras para desapropriação da área. Em 1971 saíram as primeiras escrituras.

A família adquiriu parte do terreno na área onde construiu uma casa e onde a família passou a morar. Maria Claudina, logo começou a se perguntar: por que esse lugar não era conhecido e visitado turisticamente? "Em 1972 isso começou a funcionar como ponto turístico”, lembra Maria Claudina que depois de 30 anos, continua encantada com o Marco das Três Fronteiras, onde além da casa, funciona o Recanto dos Três Marcos. Um ano importante para o Marco Brasileiro foi 1974, segundo ela, após a assinatura do Tratado de Itaipu e quando a cidade começou a crescer. “E o Marco cresceu junto com a cidade”, destaca Claudina.

Após a publicação do Decreto Lei 1470 de junho de 1976, os brasileiros tiveram de pagar um depósito compulsório de mil dólares para obter ou renovar passaporte ou simplesmente para sair do País. A medida ajudou o turismo interno incentivando viagens dentro do Brasil. No pacote foram incluídos os Vôos de Turismo Doméstico (VTD) que levantaram o turismo brasileiro especialmente para Serra Gaúcha, Salvador, Foz do Iguaçu. Como resultado, no Marco das Três Fronteiras Brasileiro, passou a haver engarrafamento de ônibus de turismo carregados com visitantes. Nessa época chegou o empedrado, o estacionamento. Durante o tempo, houve esperança de que o Centro de Convenções de Foz do Iguaçu fosse construído aqui.

O Marco é lugar de projetos. Nos anos 90 outro projeto foi anunciado. Desta vez era um projeto que teria a participação da Espanha e se chamaria Memorial Cabeza de Vaca – homenagem ao espanhol reconhecido como sendo o primeiro não-índio a ver as Cataratas do Iguaçu. E daí veio o projeto de se construir uma torre que terá no topo um restaurante giratório. O projeto foi licitado, vencido, inciado, paralizado, se enrolado. Mas daí, há outros, segunda ponte com o Paraguai, teleférico trinacional e outros. Aí está um lugar que deve ser visto com mais carinho. É um lugar único! Não posso deixar de mencionar o Espaço das Américas construido pelo Governo do Estado que está lá mas ainda não pôde mostrar todo o seu potencial!

Acompanhe o Blog do Marco das Três Fronteiras editado por um dos filhos de Gilvan

Mais sobre o Marco das Três Fronteiras - Foz do Iguaçu

Ainda é 21 de abril, dia de Tiradentes. Choveu em Foz do Iguaçu e a noite está agradável. As fotos ao lado mostram momentos diferentes do Marco das Três Fronteiras do lado brasileiro.
Fico devendo uma descrição sobre a foto. 

  Vou dividir a tarefa em duas. primeiro postar as fotos e depois fundamentar o texto. Assim voltarei a ela logo e falarei mais sobre o marco em outras postagens

Já a terceira foto mostra soldados da 1ª Companhia Isolada de Fronteira no Marco das Três Fronteiras sob o comando do Capitão Jacob Becker. Como disse antes logo volto!

terça-feira, 20 de abril de 2010

Um Histórico dos Marcos das Três Fronteiras Brasil – Argentina

O Marco das Três Fronteiras localizado no bairro do Porto Meira, Foz do Iguaçu, Paraná, lado brasileiro da Tri-Junção de Países e Bi-junção de rios, identificado, hoje, pelas cores verde e amarela,

e o Marco (Hito) de las Tres Fronteras localizado em Puerto Iguazú, no lado argentino da Tri-Fronteira, dentificado pelas cores azul celeste e branca, foram inaugurados em 1903. Os dois têm o mesmo formato. Os dois celebram o mesmo evento. Já o Marco (Hito) da las Tres Fronteras, do lado paraguaio do encontro tri-nacional foi inaugurado em 1961 e, portanto, não fez parte do evento que levou Brasil e Argentina a colocarem os marcos no lugar onde estão.

Omar Specchiulli, comerciante na feirinha do Marco (Hito) das Três Fronteiras em Puerto Iguazú, explica que os marcos argentino e brasileiro são da mesma família. “Os dois são parte de um convênio entre Argentina e Brasil para demarcação das fronteiras. O Paraguai não fazia parte do convênio” – afirma. A história confirma.

Porém, foi mais que um convênio. A fronteira do Brasil com a Argentina foi a última a ser demarcada entre as fronteiras do Brasil com os outros países da América do Sul.
Porém, antes que a demarcação acontecesse foi necessário que os dois países apelassem ao então presidente dos Estados Unidos da América, Grover Cleveland (foto à esquerda) para que ele arbitrasse ou ajudasse a resolver o conflito que persistia e desafiava os negociadores dos dois países por mais de 50 anos. Brasil e Argentina disputavam uma área do que hoje é Oeste do Paraná e Santa Catarina à leste do rio Peperi-Guaçu e chegando até os rios Chopim e Chapecó, hoje no Brasil.

Em 1895, o presidente Cleveland deu a sentença que ficou conhecida como “Laudo Arbitral” favorável ao Brasil. Essa solução intermediada, levou a diplomacia dos dois países a elaborar e assinar o Tratado de 1898 que delimitava, no papel, as fronteiras brasileiro-argentinas. Nesta data, era ministro das Relações Exteriores, o general do Exército, Dionísio Evangelista de Castro Cerqueira (foto à direita)

Anos depois, entre 1900 e 1904, aconteceu o evento que os Marcos das Três Fronteiras (Argentina / Brasil) celebram: a demarcação definitiva em que brasileiros e argentinos vistoriaram o território e colocaram os marcos divisórios. Aqui se registra um fato curioso. O General Dionísio Cerqueira, já como o ex-ministro das Relações Exteriores que assinara o Tratado de 1898, veio como o comissário do Brasil para a colocação dos marcos na região anteriormente em litígio. O seu par argentino foi Pedro Ezcurra. Assim, sem necessitar mais conflitos, os dois países encerraram as disputas e o grande fato foi celebrado pela colocação dos Marcos Argentino-brasileiro nas Três Fronteiras.

Um painel histórico pintado no terraço do Recanto dos Três Marcos, em Foz do Iguaçu, destaca que os Marcos das Três fronteiras do Brasil e Paraguai são simbólicos visto que a fronteira de verdade está no rio. Confira a descrição oficial da fronteira a partir da desembocadura do Rio Santo Antônio no rio Iguaçu: “Da boca do rio Santo Antônio, vai o limite pelo talvegue do rio Iguaçu até sua desembocadura no rio Paraná, passando pelo salto do Iguaçu, até onde se inicia a fronteira do Brasil com o Paraguai”. Não são marcos para delimitar fronteira, mas sim, como símbolos de uma paz conquistada pelo diálogo e respeito. Tanto no Marco Brasileiro como no Argentino, há placas colocadas em 2003 que celebram os 100 anos dessa demarcação histórica.

Baseda em material publicada na Revista 100 Fronteiras

Parabéns Jardim Cláudia: loteamento é legalizado


"Antes tarde do que nunca" diz o ditado popular. Guardei um material que me foi enviado pela assessoria de imprensa da Câmara Municipal de Foz do Iguaçu sobre a aprovação de lei que legaliza o bairro Jardim Claúdia. Moradores do bairro que vieram à CMFI celebraram o fim de 35 anos de irregularidade. O presidente da Associação de Moradores do Jardim Cláudia, Felicíssimo Aureliano Silva Junior, agradeceu, em nome de todos, ao Prefeito Municipal, Paulo Mac Donald, ao Presidente da Câmara, Carlos Juliano Budel e a todos os vereadores. “Estamos muito felizes. Criamos filhos e netos na irregularidade. Foram 35 anos de uma história. Estamos aliviados”, complementa. O projeto foi encaminhado ao Poder Executivo para sanção e publicação. Falta pouco para porder levantar documentos e legalizar de uma vez. O Jardim Cláudia fica na Região 10 de Foz do Iguaçu que leva o nome de Região do Campos do Iguaçu. Fiz uma nota sobre a Região 10. Vale a pena dar o link para ela. Parabéns a todos!

domingo, 18 de abril de 2010

Argentina diz não a Projeto de Iluminação das Cataratas proposto por prefeito de Foz

Segundo o que foi anunciado na imprensa de Foz do Iguaçu, o projeto não seria a iluminação mas sim um show cênico que projetaria imagens intermitentes no vapor das quedas e recontaria a história da região. O show seria, entre outras coisas, posto em cena por engenheiros argentinos que já tinham experiência com o show de luzes e som nas Ruínas de San Ignacio Mini a 270 km de Puerto Iguazu. A notícia completa está aqui - Clique para ver. Aparece sob o título "Naturalmente Iluminadas". O site de notícias La Voz de Cataratas oferece links para noticias anteriores. Para permitir o amigo do Blog de Foz entender a situação, repito os links abaixo usando as manchetes como apareceram na Argentina.

Brasil insiste em iluminar as Cataratas
Não se pode iluminar as Cataratas - A Unesco proibe
Iluminar as Cataratas?

sábado, 17 de abril de 2010

ICBA chega a Foz com cursos e certificação de espanhol


Tenho visto anúncios e panfletos anunciando o curso de espanhol do ICBA - Instituto Cultural Brasil Argentina. Pelo que vejo a presença do ICBA aqui é fruto de iniciativa do PTI. Pelos útimos panfletos que vi se anuncia que as aulas serão dadas na sede da Uniamérica. Entre outras coisas se anucia o CELU (Certificado de Espanhol Lingua e Uso) que é a Prova Oficial de Proficiência em Espanhol - eu acrescentaria para o Mercosul. E, sem dúvida, é reconhecido pelo MEC. É a maneira de ter um certificado oficial de espanhol para quem não cursou em alguma escola tradicional. Sei disso porque este e o meu caso. Aprendi espanhol sozinho lendo livros, revistas e batendo nas casas de todo boliviano, paraguaio, espanhol e chileno que moravam em Maceió - isso faz tempo! Eu vou correr atrás do CELU e agradeço mais informações. Uma dica: vá à pagina do ICBA. Lá você vai ver uma área onde voce poderá clicar e fazer na hora um teste de espanhol. Você saberá qual é seu nível. Eu fiz! Tirei 90. Errei três perguntas. Duas porque não prestei atenção e uma porque me confundi. Parabéns ao ICBA e equipe! Não vou dizer que pergunta foi para não estragar sua surpresa!

Atenção: o Brasil também oferece um Certificado de Proficiência de Português como Lingua Estrangeira. Se chama CELPE-Bras e é fornecido pelo MEC. Eis algo para a UNILA trazare a Foz do Iguaçu para o benefício de todos os paraguaios, argentinos, outros sulamericanos, árabes, libaneses, chineses, indianos que falam português mas não conseguem provar e mostrar um certificado. Clique para ver a prova de 2007

Bazar no CEPAC oferece produtos a R$ 0,10

O CEPAC – Centro Espírita Paz, Amor e Caridade realiza nesse domingo, 18, um bazar de produtos seminovos. São mais de duas mil peças entre roupas, calçados, eletrodomésticos, brinquedos e até móveis. A feira é destinada a toda comunidade, mas principalmente às pessoas mais pobres que podem arrematar utensílios domésticos, por exemplo, a partir de R$ 0,10. “São produtos em bom estado de conservação e que custam até 90% mais barato que um novo”, diz a coordenadora do bazar, Inelsi Savaris.
O bazar vai ser realizado no segundo piso do prédio onde vai funcionar o departamento de assistência social da casa. O local ainda está em construção e a renda será aplicada na conclusão da obra. Depois de pronto a entidade vai poder ampliar serviços como o curso de costura, em que gestantes preparam todo o enxoval do bebê de graça, com a ajuda de voluntários.
O CEPAC também recebe doações de qualquer produto. Até o fim do ano a meta é realizar eventos itinerantes, levando a feira aos bairros da cidade. No mês que vem o centro espírita vai levar o bazar a região do Porto Meira.

Serviço


O Bazar de Usados será realizado no domingo, 18, a partir das 8h30, na sede do CEPAC, na rua Quintino Bocaiúva, 1.156, no centro. Contatos podem ser feitos diretamente com a coordenadora Inelsi Savaris pelo fone 45-9975-3898.

¬¬¬¬¬¬¬¬___________________
Assessoria Voluntária
Mauro R. Welter
45-9147-2119

Emendas da Câmara resolve problemas Único Estudante

Foto de Marco Labanca no Terminal de Transportes Urbanos (TTU)

A Câmara de Vereadores anununoiou na quinta-feira, dia 15, que foram aprovadas três emendas que alteram dispositivos na Lei que rege o transporte coletivo de Foz do Iguaçu. Ua emenda foi modificativa e duas outras foram aditivas. O vereador Sérgio Beltrame (PMDB)fez acrescentar um parágrafo à lei que garante a permanência dos cobradores em cada ônibus em circulação. Quer dizer não vão dispensar os cobradores! Outro ponto garagalo, tem a ver com "a falta de flexibilidade de horário do Cartão Único para Estudantes", segundo o release (nota) para a imprensa. Seguindo a nota isso mudou: o cartão estudante poderá ser usado em qualquer horário e itinerário. Só para lhe orientar essa "emenda aditiva" foi assegurada pela Comissão de Legislação, Justiça e Redação, presidida pelo vereador Beni Rodrigues (PSB). A segunda parte fala de exigências para as futuras concessionárias de ônibus. Esse é um ponto que promete polêmica forte e que abalará estruturas da cidade. Voltarei ao assunto talvez ainda hoje.

quarta-feira, 14 de abril de 2010

Vacinação contra a H1N1 em Foz do Iguaçu: Unioeste


Estudantes da Unioeste, campus de Foz do Iguaçu, fizeram fila para receberem a vacina contra a H1N1. Quer dizer a fila é para se vacinar contra o 'influenzavirus A'. Aqui influenza significa gripe e não influência. Ainda há o influenzavirus B e o Influenzavirus C. O H1N1 que está entre nós é o que causou a influenza espanhola que matou milhões em 1918. Desta vez, ele chegou bem mais fraco e faz menos vítimas do que a gripe comum. Por isso tem gente que diz que ele foi ressucitado. Mas, na categoria A e para ver como vivemos em um mundo cheio de diferentes espécies de vida me divirto com esta listinha da galera viral da tropa A:

H1N1 (1918,2009)
H2N2 (Asiática 1957)
H3N2 (Hong Kong 1968)
H5N1 (encubando),
H7N7
H1N2
H9N2
H7N2
H7N3
H10N7.

Jornalista de Foz do Iguaçu lança livro em Brasília sobre JK

O livro "JK e os bastidores da Construção de Brasília" do jornalista Alexandre Nonato de Foz do Iguaçu será lançado amanhã, dia 15, às 19 horas, na sede do Instituto Histórico e Geográfico do Distrito Federal em Brasília. Quem estiver em Brasília ou ali por perto, clique na foto pequena para ampliar e ver o convite.
A biografia de JK feita sob ótica da conscienciologia destaca as qualidades de Juscelino Kubitschek, o primeiro presidente do Brasil a assumir com um plano de metas e com datas a serem cumpridas em um período muito curto de tempo. Até JK, o Brasil era pobre em estradas, indústrias e infraestrutura em geral. Em 5 de maio de 1956, meses após asumir, assinou com o Paraguai o acordo para construir a que seria um dia a Ponte Internacional da Amizade. E Brasília? Tirar a capital do Rio de Janeiro e levá-la para o Planalto Central? Editado pela Editares - editora oficial de livros da linha de pesquisa da conscienciologia, a obra se interessa também pelos aspectos de JK que confirma uma existencia planejada e programada, uma rota cumprida com qualidades que podem ser alvo de busca por todos. E o que dizer do interesse de JK pelas coisas espirituais; seu contato com Chico Xavier e José Arigó, por exemplo? Alexandre Nonato já anuncia um lançamento para Foz do Iguaçu e outras cidades brasileiras
para breve.

Vídeo Muitas Faces de Foz foi lançado na Unioeste


O vídeo "As muitas faces de uma cidade" foi lançado ontem lá no auditório do campus Foz do Iguaçu da Unioeste. Estava lotado como se pode ver foto que tirei logo que cheguei. Um pouco depois disso, o auditório lotou ao ponto de haver gente sentada no chão e em pé por toda parte. Entendi que Foz do Iguaçu tem sede de oportunidades para que as pessoas se conheçam. Posso dizer que aprendi muito no evento e sem demagogia. O vídeo foi realizado por Danilo Georges que saiu da Unioeste Marechal Cândido Rondon e o Eliseu Pirocelli do movimento Hip Hop. Os dois participaram de um curso e estágio no Rio de Janeiro e conheceram movimentos como o Fala Favela. Uma grande coisa no vídeo foi a declaração de pessoas que vivem em favelas e contam sua experiência de vida.

A professora Adriana Facina da UFRJ de Niterói fez parte da mesa. Ela destacou aquela qualidade das favelas do Rio de Janeiro de serem verdadeiras incubadoras de cultura, de música, samba, carnaval. O que seria do Rio de Janeiro sem as favelas? Nâo seria o Rio do carnaval, das escolas de samba, da criatividade, do linguajar rico em gírias, dessa cultura pulsante que é a cidade hoje. Ela lembrou também de bairos cariocas como a Barra da Tijuca? Lugar pobre em cultura, sem esquinas e barzinhos. Vindo de Niterói a professora pôde falar com autoridade sobre o desastre administrativo, humano, social e meteorológico que até o momento já resultou no resgate de 100 corpos. Falou da principal reação do governo municipal: a remoção das comunidades que é assunto polêmico; a culpabilização das vítimas, a criminazliação da pobreza. Há lugares no Rio onde as autoridades estão construindo muros para separar as favelas da cidade. Essa presença da professora ajudou a acalmar os ânimos. Uma ausência no vídeo e no evento foi menção aos números positivos e positivistas da Prefeitura de Foz do Iguaçu. São aqueles números que tratam da quantidade casas construidas e entregues; da construção e entrega de creches; da construção e entrega de centros de convivência e do salto qualitativo na melhora da saúde de Foz do Iguaçu.
Na platéia havia muitas pessoas da Prefeitura. Destaque para o professor Pasini da Unioeste que é diretor Financeiro da Fundação Cultural e para o jornalista Adelino de Souza. Os dois se levantaram e deram seus recados. Pasini disse que a verba da Fundação Cultural não é tão grade como se anuncia e que considerando o tamanho das verbas. até que se faz muita coisa: Carnaval, Feira do Livro, Fartal, Banda Musical,Coral, Exposições etc. Só que o outro lado questiona critérios do que se chama "cultura de eventos". Ficoi dito que isso é questão de ponto de vista e de lado. O conceito de verba entre poder e não-poder não batem. Daí o diálogo.

Adelino de Souza com quem trabalhei tantos anos fez um comparativo dos números entre Paulo e Samis. A audiência não gostou porque, ouviu-se, a discussão deveria ser mais ampla e os participantes queriam novidades na área do debate. Mas escutei comentários sobre a coragem do Adelino. "Ele levantou e deu a cara e disse estou aqui pela secretaria de Governo". Eu também gostei. "Em Foz tudo é sempre a primeira vez", disse Silvio Campana, ao parabenizar a reunião evitando dizer que é a primeira vez que Foz fez isso ou aquilo. Mas mesmo assim, não sei se foi a primeira, mas foi uma iniciativa importante que abriu as portas da Unioeste a uma boa quantidade de manos e DJs e a vários moradores da favela.

Eu falei um pouquinho e como fui apresentado como militante eu aproveitei e disse que no momento eu estou militando por pelos menos duas causas. A primiera é: pelo amor de Deus, se você não é PF, PFR, FBI, Massad, CIA e outras entidades de inteligência e políciais pare de chamar a nossa região de Tríplice Fronteira. Tríplice Fronteira é uma "construção de fora" como já estudos e textos do IPARDES, e outros para os quais dou link aqui. Segundo pedi que se olhe para os bairros sejam eles classe média, alta, baixa como lugares onde a vida acontece e por isso pensemos em "bairrizar" um monte de coisas. Última coisa: a reitoria da Unioeste enviou documento para abrir processo contra os produtores do vídeo por terem usado a logomarca da Universidade no cartaz. Eu pediria que se retire esse processo porque fica feio. O apoio foi o fato da Universidade ter cedido o auditório. Não é um apoio?

segunda-feira, 12 de abril de 2010

Educadores discutem continuidade de projeto bilíngue Brasil/Argentina (Ainda bem!)

A seguinte notícia saiu no site oficial da Prefeitura de Foz do Iguaçu. Republico porque abordei o assunto há alguns dias. E lamentei o fim do intercâmbio de profesores entre Foz e Puerto Iguazu parte de um esforço binacional Foto de Christian Rizzi / AMN 12/04

Educadores discutem continuidade de projeto bilíngue Brasil/Argentina

Gestores do setor de ensino de Foz do Iguaçu e da Província de Misiones (Argentina) reuniram-se na última sexta-feira (9) na Secretaria de Assuntos Internacionais de Foz. Participaram o secretario Sergio Lobato; o vice cônsul argentino Guilhermo Tkaczyk; a coordenadora de Educação Intercultural Bilíngüe na Província de Misiones Liliam Sofia Prytz Nilsson; representantes da equipe técnica da área de EIB em Misiones professoras Rocio Flores e Viviana Eich; a diretora de Educação Especial de Foz Ana Brígida Giacomini; a diretora da escola Adele Zanoto, Márcia Bachixte; e as professoras Ivanir Bianchetto e Marli Palharim Simon Trindade envolvidas no projeto implantado na escola. A professora Mariana Francis representou o Instituto de Políticas Lingüísticas (IPOL).
O grupo relacionou e debateu vários fatores que devem ser revistos para adequar a aplicação do projeto bilíngüe entre Brasil e Argentina desenvolvido nas escolas municipais. Uma das escolas envolvidas com o programa intercultural é a Adele Zanotto Scalco (CAIC do Porto Meira) com alunos de 1ª a 4ª séries. A diretora Marcia analisou, por exemplo, que o projeto deve ir para uma escola menor, onde não há muita mudança no grupo de alunos como acontece no Caic. Ela sugeriu as escolas Getúlio Vargas e Shalon. “Nestas escolas menores as crianças são da comunidade e quando elas entram na 1ª série continuam na mesma escola até a 4ª, o que contribui para a aprendizagem do espanhol”, destacou.
Outro aspecto avaliado pelo grupo é o investimento feito pela província de Misiones que construiu uma escola específica bilíngue para a aplicação deste projeto. A coordenadora Rocio Flores disse que desde 2005 são realizadas formação e capacitação bilateral para professores e alunos em função do aprimoramento do projeto. Pontuou que “uma interrupção agora, haveria muito prejuízo tanto para a interculturalidade e o intercâmbio”. Ana Brígida informou que em Foz, desde 2005 o projeto beneficiou aproximadamente 200 alunos por ano e sete turmas.
Após as discussões e considerações foram dados alguns encaminhamentos. Segundo o secretario Lobato, com a anuência do prefeito Paulo Mac Donald, iniciar o diálogo para a adequação e continuidade do projeto. “A proposta é ampliar o relacionamento para o desenvolvimento de outras atividades culturais entre os países, visto que existe o interesse do município de Foz para que isso aconteça”, informou. Também ficou definido a manutenção do diálogo entre secretaria de educação de Foz do Iguaçu e o Ministério da Educação da Argentina para continuidade do projeto.

domingo, 11 de abril de 2010

Foz do Iguaçu, ciclovias, bicicletas e cultura

Essa bicicleta Scott Genius MC-30 2006, custava, como está, R$ 11.299,90 em 2006. Se alguém se acha rico e tem uma família de quatro pessoas e dsejar comprar uma para cada membro de sua plutofamília, ele deveria desembolsar R$ 45.199,60 e isso em 2006. Hoje já saiu a 2010. Mas quem compra duas ou quatro dessas já precisa de, pelo menos, um EcoSport e daí o equipamento para transportá-las e tudo mais. Você poderia necessitar uns R$ 100mil para ser um ciclista classe média alta ou alta. Eu faço questão de dizer isso porque muita gente acha que bicicleta é transporte de pobre. E é. Pobre também é filho de Deus. Há uma promoção na Alemanha onde você compra um modelo de Mercedes Benz e ganha uma bicleta de brinde. A bicicleta vale US$ 20 mil. Vou dizer a última. Eu conheço uma agência de viagens nos Estados Unidos que vende pedaladas ao redor do mundo. Foz está na lista deles. Chegam ao Aeroporto Internacional Foz do Iguaçu-Cataratas em um jatinho privado e passam uns dias em Foz. A viagem não sai por menos de US$ 30 mil por pessoa. Daí, aqui eles pegam bicicletas e percorrem algumas áreas de Foz do Iguaçu. Vão as Cataratas e fazem outros trajetos. Assim aconselho que paremos com esse preconceito contra bicicleta. Dá dinheiro e muito e é bom para a saúde!

Foz do Iguaçu tem três trechos de ciclovia. Um é esse de 2,5 quilômteros ao longo da Avenida das Cataratas. Estaria bom se não fosse tão curto. Os ciclistas de Foz e turistas poderiam fazer bom uso de uma ciclovia até as Cataratas. Novos negócios e empregos poderiam ser gerados. O Plano de Manejo do Parque Nacional manda, e a Orient Express Hotel das Cataratas vai fazer (segundo contrato)uma ciclovia dentro do Parque.

Claro que há vandalismo. Não sei se alguém quebrou ou se foi um carro desgovernado conduzido por um maluco que derrubou esse marco da ciclovia. A foto é velha (2007). Não sei como estará hoje.

Este é o trecho de ciclovia ao longo da BR 277 que vem de Três Lagoas e chega até certa altura mas termina antes de chegar à região do Teatro Plaza Foz. Ainda há o que se chama de ciclovia na General Meira. Depois vamos lá ver como está. Todas as fotos desta postagem feitas por mim quando baixa o santo chamado 'bairronauta'.

Foz do Iguaçu precisa de ciclovias - Urgentemente

Trânsito na ciclovia de Santa Terezinha de Itaipu. Um bom modelo para Foz do Iguaçu. Vemos aí duas coisas: uma bicicleta sobe e outra desce na ciclovia. Logo ao lado, uma bicicleta viola o protocolo. Está no meio da rua. Quem tem esnoba!

Mãe empurra a bicicleta em rua movimentada de Foz do Iguaçu. O caminho é batalhado a cada centímetro.

Mãe continua empurrando a bicicleta, desta vez tem a companhia de carros. Andam lado a lado. Nesse momento, estava tudo bem. Os motoristas respeitaram e ninguém buzinou e gritou: Saia da frente! ou pior: A rua é dos carros!

Foz do Iguaçu tem muitas subidas e descidas. Se tem subidas e descidas também tem vales e fundos de vales. Assim que a rua nivela, a brava mulher iguaçuens monta na bicicleta e pedala para casa. Amanhã ela vai passar no mesmo lugar, na mesma hora.

sábado, 10 de abril de 2010

Blog de Foz recomenda os Videos da UDC sobre o Patrimônio Historico de Foz do Iguaçu

Os alunos de arquitetura da UDC realizaram uma série de vídeos para a disciplina Técnicas Retrospectivas do professor Alexandre Balthazar. Coloquei aqui o video sobre a Escola Municipal Jorge Schimelpfeng que é uma casa antiga e muito rica em detalhes que fica na Rua Quintino Bocaiúva em frente á capela da Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias e ao lado do CEPAC - Centro Espírita Paz e Caridade - se não me engano. Conheça a história do Centro Espírita e da escola. O ótimo trabalho do alunos é um presente à cidade. A obra é assinada por Eilane Marchetto, Everton Cassol, Franciella Werner e Taynã Gomes. O vídeo é uma força à campanha para ressucitar a Lei 1500 de 1990 que cria o Conselho Municpal de Cultura, possibilitar tombar o patrmônio da cidade e dá todas as intsurções de como isso poderá ser feito.
Quero ver uma fila de vereadores de Foz se levantando para sugerir em plenário a ressureição dessa lei e que possam contribuir para a cura da amnésia que hoje existe sobre a cidade quando a coisa tem a ver com o passado. No vídeo, Inelsi Savaris, diretora do CEPAC diz que a organização tem interesse em tombar o prédio. O que é tão difícil? Na coleção há videos sobre a Vila A, a Vila C e Harry Schinke. Só mais umas palavrinhas. Agora preciso que facauldades de Foz do Iguaçu que trabalhem com cursos na área ambiental levantem qual é a metragem de área verde por pessoa em Foz do Iguaçu e em conjunto com cursos na área médica e social (psicologia e assistência social) descubram Foz tem um "déficit de natureza" e como isso poderia levar à "doença do défict da natureza", que é um distúrbio semelhante à "desordem ou doença do déficit de atenção (ATF)". Isso é coisa nova por isso necessitará inovação, pioneirismo e boa vontade.

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails

Hora no Paraguai incluindo CDE

Hora Mundial: passe o mouse sobre o mapa para escolher região