terça-feira, 20 de abril de 2010

Um Histórico dos Marcos das Três Fronteiras Brasil – Argentina

O Marco das Três Fronteiras localizado no bairro do Porto Meira, Foz do Iguaçu, Paraná, lado brasileiro da Tri-Junção de Países e Bi-junção de rios, identificado, hoje, pelas cores verde e amarela,

e o Marco (Hito) de las Tres Fronteras localizado em Puerto Iguazú, no lado argentino da Tri-Fronteira, dentificado pelas cores azul celeste e branca, foram inaugurados em 1903. Os dois têm o mesmo formato. Os dois celebram o mesmo evento. Já o Marco (Hito) da las Tres Fronteras, do lado paraguaio do encontro tri-nacional foi inaugurado em 1961 e, portanto, não fez parte do evento que levou Brasil e Argentina a colocarem os marcos no lugar onde estão.

Omar Specchiulli, comerciante na feirinha do Marco (Hito) das Três Fronteiras em Puerto Iguazú, explica que os marcos argentino e brasileiro são da mesma família. “Os dois são parte de um convênio entre Argentina e Brasil para demarcação das fronteiras. O Paraguai não fazia parte do convênio” – afirma. A história confirma.

Porém, foi mais que um convênio. A fronteira do Brasil com a Argentina foi a última a ser demarcada entre as fronteiras do Brasil com os outros países da América do Sul.
Porém, antes que a demarcação acontecesse foi necessário que os dois países apelassem ao então presidente dos Estados Unidos da América, Grover Cleveland (foto à esquerda) para que ele arbitrasse ou ajudasse a resolver o conflito que persistia e desafiava os negociadores dos dois países por mais de 50 anos. Brasil e Argentina disputavam uma área do que hoje é Oeste do Paraná e Santa Catarina à leste do rio Peperi-Guaçu e chegando até os rios Chopim e Chapecó, hoje no Brasil.

Em 1895, o presidente Cleveland deu a sentença que ficou conhecida como “Laudo Arbitral” favorável ao Brasil. Essa solução intermediada, levou a diplomacia dos dois países a elaborar e assinar o Tratado de 1898 que delimitava, no papel, as fronteiras brasileiro-argentinas. Nesta data, era ministro das Relações Exteriores, o general do Exército, Dionísio Evangelista de Castro Cerqueira (foto à direita)

Anos depois, entre 1900 e 1904, aconteceu o evento que os Marcos das Três Fronteiras (Argentina / Brasil) celebram: a demarcação definitiva em que brasileiros e argentinos vistoriaram o território e colocaram os marcos divisórios. Aqui se registra um fato curioso. O General Dionísio Cerqueira, já como o ex-ministro das Relações Exteriores que assinara o Tratado de 1898, veio como o comissário do Brasil para a colocação dos marcos na região anteriormente em litígio. O seu par argentino foi Pedro Ezcurra. Assim, sem necessitar mais conflitos, os dois países encerraram as disputas e o grande fato foi celebrado pela colocação dos Marcos Argentino-brasileiro nas Três Fronteiras.

Um painel histórico pintado no terraço do Recanto dos Três Marcos, em Foz do Iguaçu, destaca que os Marcos das Três fronteiras do Brasil e Paraguai são simbólicos visto que a fronteira de verdade está no rio. Confira a descrição oficial da fronteira a partir da desembocadura do Rio Santo Antônio no rio Iguaçu: “Da boca do rio Santo Antônio, vai o limite pelo talvegue do rio Iguaçu até sua desembocadura no rio Paraná, passando pelo salto do Iguaçu, até onde se inicia a fronteira do Brasil com o Paraguai”. Não são marcos para delimitar fronteira, mas sim, como símbolos de uma paz conquistada pelo diálogo e respeito. Tanto no Marco Brasileiro como no Argentino, há placas colocadas em 2003 que celebram os 100 anos dessa demarcação histórica.

Baseda em material publicada na Revista 100 Fronteiras

Um comentário:

Anônimo disse...

adorei o blog me ajudo muito

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails

Hora no Paraguai incluindo CDE

Hora Mundial: passe o mouse sobre o mapa para escolher região