segunda-feira, 28 de outubro de 2013

A capoeira, patrimônio intangível e a divulgação do Brasil


Roda de samba de capoeira
Você já esteve em uma roda de samba em um evento de capoeira? É um samba tocado ao vivo, só no atabaque, espontâneo.  Recomendo a experiência e a desejo a todos. Primeiro porque a capoeira está na lista do patrimônio intangível do Brasil de acordo com o IPHAN.  Segundo, porque uma variedade de roda de samba – a "Roda de Samba do Recôncavo Baiano" é Patrimônio Imaterial do Brasil pela lista do Patrimônio Intangível da Unesco. E sabe onde vi e estive em uma roda de samba em Foz do Iguaçu? Foi no encerramento do 4º Festival de Capoeira Pedagógica organizado pelo Grupo Muzenza de Foz do Iguaçu no ginásio da Uniamérica. Foi após a graduação e troca de cordas – o equivalente a faixa do karatê e judô – para 250 crianças e  40 adultos acompanhados por mais de 700 capoeiristas além de parentes e amigos dos alunos. 

Quando leio notícias sobre a divulgação do Brasil, do turismo, atrativos culturais e não vejo patrimônios brasileiros reconhecidos pelo ISPHAN ou Unesco como a "roda de samba" a "capoeira" e até a "pintura corporal" dos índios wajãpi do Amapá sendo valorizados, fico triste. Especialmente no caso da capoeira e outras manifestações afrobrasileiras, que só não são reconhecidas pelos brasileiros por serem "coisa de negro". Infelizmente, tire-se as "coisas de negros" do Brasil e a cultura, a música*, a gastronomia e religiosidade sofrem. 
Mestre Burguês

É um preconceito horrível que vem de muito tempo. No evento falei com o mestre Burguês – o mestre que originou a linha Muzenza em todo o Brasil. Eu disse a ele que precisava do nome completo porque em jornal é praxe dizer o nome completo.  Ele me disse o nome: Antônio Carlos Menezes e acrescentou. “ capoeirista só se apresenta com um apelido por causa da época em que ser capoeirista era estar na mira da polícia”, disse. Lembrei que nos conflitos do Rio de Janeiro ligados à revolta da vacina e à reforma urbana, a polícia deportou mendigos, prostitutas, capoeiristas, ladrões e outros grupos para o Acre que naquela época era o fim do mundo.     
Hoje muito mudou. No encontro vi alunos de escolas de Foz do Iguaçu, Itaipulândia, Francisco Beltrão e Mafrinópolis no Paraná. O encontro foi prestigiado por professores e mestres capoeiras de vários estados do Brasil. E o melhor é que a capoeira está sendo utilizado como ferramenta para educação daí o nome capoeira pedagógica.

O mestre Antônio Carlos Menezes ilustrou: “Por meio da capoeira a gente trabalha a história do Brasil, a coordenação motora, a sensibilidade à música e ao canto”. O iguaçuense, não afro, Fábio Castilha autor de livro, professor e organizador de tudo que tem a ver com a capoeira pedagógica em Foz, acrescentou que na disciplina se trabalha também a história  africana, afro-brasileira e geografia utilizando, por exemplo, a localização dos quilombos.  
Deu tudo certo - celebrando!
O mestre Burguês lembrou ainda que a capoeira é uma das grandes divulgadoras da cultura brasileira e que está em 192 países entre eles Israel e Marrocos. 

“Todos os capoeiristas internacionais são obrigados a aprender português, aprender sobre a gastronomia brasileira. É algo que podia ser explorado porque a capoeira divulga o Brasil, o capoeirista seja de onde for quer conhecer o Brasil”, disse. Uma mensagem muito boa para o Ministério de Turismo e Secretarias de Turismo desse "Brasilzão".  

Foi no encerramento do evento que houve a roda de samba que me impressionou pela beleza. Keila Schmidt, co-diretora do projeto e nos seus primeiros três meses de gestação - na foto a segunda a partir da direita - estava pulando de alegria. O evento que já está em sua quarta edição foi um sucesso. “Tudo saiu como esperado, o tempo ajudou, não choveu, tudo ocorreu em paz, a meta agora é 2014, no 5º encontro. Porque não comemorar? Daí a roda de samba! Minha sugestão para professores e diretores de escolas: descubram e implantem a capoeira pedagógica.

__
* O frevo do Nordeste também está inscrito na lista do Patrimônio Imaterial do Brasil segundo a Convenção específica da Unesco. Quem também está lá é o "Queijo de Minas" com todas as suas técnicas e tradições. O evento aconteceu em setembro. Saiu matéria minha na Gazeta do Iguaçu.  


Paraná terá 14 regiões turísticas em vez de 10

O Ministério do turismo está reorganizando a lista dos municípios turísticos do Brasil localizados nos 27 estados da Federação. Segundo a nova metodologia o Brasil já tem 3.357 municípios cadastrados e 302 regiões turísticas. Até a reorganização, de acordo com a nova metodologia, o Paraná tinha dez regiões turísticas. Agora vai para 14.

As dez regiões originais1) Norte do Paraná, 2) Riquezas do Oeste, 3) Terra dos Pinhais, 4) Rotas do Pinheiro, 5) Corredores das Águas, 6) Litoral do Paraná, 7) Estradas e Caminhos, 8) Cenário do Tempo, 9) Vales do Iguaçu, 10) Cataratas e Caminhos ao lago de Itaipu.

As novas quatro regiões  



1) Norte Pioneiro, 2) Vale do Ivaí, 3) Roteiros da Comcam 4) Cantuquiriguaçu
Saiba mais no Notas do Turismo 

quarta-feira, 16 de outubro de 2013

Casa Foz Design - um show de proposta

E a casa container está pronta para zarpar

A última vez que vi tanta gente trabalhando tão arduamente foi uns dois dias antes de Noé entrar na arca. Aquela pressa saudável, animais chegando, atividade por toda parte. Todos prontos para zarpar. Foi o que senti segunda-feira quando passei pela Casa Foz Design e fiz as fotos que posto aqui. Tudo é grandioso e há um esforço renovador que só acontece em ocasiões especiais como aquela de Noé. O que é? É uma casa feita de containers. É uma casa amostra. É uma casa dica. É uma casa evento. É uma casa atração. É uma casa mutirão. É uma casa atrativo turístico. A casa-evento abre hoje e ficará aberta até novembro. O esforço humano colocado ali é tremendo. 

Pelo menos 300 profissionais colocaram a mão na massa para apresentar ao público suas propostas. Daí me parece que é também uma Casa Cooperativa. Na hora que passei lá, havia um congestionamento de carros estacionados que traziam material para a arca - quer dizer casa. Desejo todo o sucesso para todos os que deram vida a este projeto-evento-casa-amostra. É também uma casa debate. No mes que vem, o mundo vai estar reunido em Varsóvia, Polônia para discutir as mudanças climáticas. Ainda este mês, o Brasil vai discutir a política Nacional dos Resíduos Sólidos em Brasília. Há preocupação sobre o que fazer para evitar o desperdício e o entupimento de terrenos baldios com sobras da construção. 

A Casa Foz me inspira e me deixa feliz ao saber que em Foz do Iguaçu, uma cidade de hábitos conservadores que não ousa em construção,  transporte, educação ou saúde receba este evento. Muita sorte a todos os envolvidos. Nao deixe de visitar a casa. Vá lá se inspirar. Antes de me despedir deixe-me dizer que já há em Foz uma casa container. É um container só que serve de lugar de abrigo para uma família no Parque Presidente. Finalmente o que está em discussão é a sustentabilidade e a reutilização. Outra homenagem: não esqueça que o container foi inventado em 1955 por Malcom P. McLean nos Estados Unidos. A invenção que mudou o mundo dos transportes também aponta para uma nova concepção de residência. Abra a cabeça, o coração e visite a casa! Confira as fotos!


Na Avenida das Cataratas

Atenção aos detalhes

Quase lá ... 

Uma casa mutirão 


Uma saudosa pressa para terminar

domingo, 13 de outubro de 2013

Vencedores do Fermop escolhidos na Terra das Cataratas

A vencedora Greice Kelly de Santa Helena
Eu me arrepiei quando a cantora Greice Kelly de Santa Helena subiu ao palco, pegou o microfone e nele soltou a voz com a primeira frase, da primeira estrofe da música Porto Solidão: Se um veleiro repousasse na palma da minha mão”. Apostei e não é à toa que não deu outra, Greice Kelly, primeiro lugar na categoria Popular na final da 8ª edição do Fermop - (Festival Regional dos Municípios do Oeste do Paraná), realizada na Praça da Bíblia em Foz do Iguaçu.  Outro cantor que achei que ia levar e apostei foi Juliano Lindner, categoria sertaneja, de Maripá. Super voz. Mas pelo jeito não deu. 

Na categoria sertaneja, o segundo lugar ficou para Belmar e Ezequias. Darlan e Rodrigo ficaram em terceiro ligar na categoria Gospel. Segundo divulgação da assessoria de imprensa da AMOP, mais de R$ 10 mil em dinheiro e troféus foram distribuídos entre os 15 intérpretes que se apresentaram durante o evento.

Jenny Werus de Santa Tereza do Oeste
Na Categoria Gospel o prmeiro lugar foi para a dama de vermelho Jenny Werus, de Santa Tereza do Oeste. Em segundo vieram Zani e Ademir, de Cafelândia e  Darlan e Rodrigo também de Santa Helena ficaram em terceiro lugar. Noel de Moraes, de Terra Roxa e Ozeas Paulo, de Foz do Iguaçu ficaram em quarto lugar  - se não me engano.

Juliano Lindner de Maripá - com direito à torcida
Na categoria Popular vencida por Greice Kelly, de Santa Helena, o segundo lugar ficou Leandro Podadeiro, de Assis Chateaubriand.  Fábio Macedo, de Vera Cruz do Oeste seguiu em terceiro. Jorge Muller, de Cafelândia brilhou mesmo no quarto lugar com direito a uma das torcidas mais barulhentas do festival. Allan, de Foz do Iguaçu ficou com o quinto lugar. Calma Allan você chega lá.

Na categoria sertaneja onde o maripaense Juliano Lindner ficou no terceiro lugar, os vencedores foram Wellington e Vilmar, de Foz do Iguaçu. O segundo lugar ficou com Belmar e Ezequias, de Santa Helena Cleiton e Tiago, de Iracema do Oeste ocuparam o quarto lugar e Nelson (Nelsão do Bailão)   e Edson, de Capitão Leônidas Marques ficaram em quinto lugar. O festival ainda desconhecido para o público iguaçuense é promovido pela Associação de Municípios do Oeste do Paraná (Amop). O que aconteceu em Foz foi a quinta etapa do Festival. As quatro etapas anteriores aconteceram em São José das Palmeiras, Terra Roxa, Maripá e Capitão Leônidas Marques.


quinta-feira, 10 de outubro de 2013

Feira Sabores do Paraná abriu hoje à noite: algumas fotos


Equipe da Emater  
Arte da Cerâmica - pintura feita a mão - Cascavel  

Guarani da Tekoa de Sâo Miguel do Iguaçu presentes



Final da Fermop será amanhã na Praça da Bíblia


Praça da Bíblia ocupada!
Está quase tudo pronto para a Final do Festival Regional dos Municípios do Oeste do Paraná (Fermop) amanhã, dia 11 de outubro. Calouros classificados nas quatro etapas preliminares se apresentam  a partir das 20h30, na Praça da Bíblia. É a final do que é considerado o maior evento artístico do interior do estado, o Fermop. O evento, que chega à oitava edição consecutiva, é uma iniciativa da Amop  - Associação dos Municípios do Oeste do Paraná, em parceria com a Itaipu Binacional e Aceo - Associação Cultural do Extremo Oeste do Paraná. 

Os finalistas

 
Na categoria Gospel: Darlan e Rodrigo (Santa Helena),
Noel de Moraes (Terra Roxa),
Zani e Ademir (Cafelândia),
Jenny Werus (Santa Tereza do Oeste e Ministério Seic  de Foz do Iguaçu).
 

Na categoria Popular: Greice Kelly (Santa Helena),
Leandro Podadeiro (Assis Chateaubriand),
Jorge Muller (Cafelândia),
Fábio Macedo (Vera Cruz do Oeste e Allan (Foz do Iguaçu).
 

Na categoria Sertaneja:  Velmar e Ezequias (Santa Helena),
Cleiton e Tiago (Iracema do Oeste), Juliano Lindner (Maripá, Nelson e Edson (Capitão Leônidas Marques) e Wellington e Vilmar (Foz do Iguaçu). 


Eles serão avaliados por uma banca de jurados composta por Andréia Karen de Oliveira, Francisco Menin, Ermínia Machiavelli, Holdi Romer e Victor Rivas. Os vencedores dividirão R$ 10 mil em dinheiro e troféus. De acordo com o prefeito de Tupãssi e presidente da Amop, José Carlos Cal Mariussi, o Fermop mostrou, ao longo de sua realização, alto nível de interpretações e despertou novamente a disposição dos moradores da região em prestigiar os grandes eventos artísticos. “O nível surpreende e a vontade e a garra dos calouros em dar o melhor de si é impressionante”, destaca. A entrada é franca e depois haverá baile animado pela banda Hora Nacional. A expectativa é que milhares de pessoas participem da festa, já que são esperadas caravanas de pelo menos nove municípios da região e da cidade sede.


quinta-feira, 3 de outubro de 2013

Coleta seletiva começa na cozinha: lixeiras mostram o caminho




 A coleta seletiva começa na cozinha e as novas lixeiras facilitam o trabalho e administra a disciplina. É como um aparelho ortodôntico. Fiz uma experiência. Quase chorava todos os dias quando de minha casa saiam seis, sete ou mais sacos plásticos fedidos com lixo molhado, chorume escorrendo e eram colocadoa na lá frente à espera do caminhão. Como eu passaria a cultura da separação em casa? A solução chegou na forma das lixeiras que aparecem nas fotos. A de cima é uma versão dupla. Em baixo, a versão quadrupla. Note que as duas - da  mesma fábrica, tem um pedal que quando acionado abre todos os sacos plásticos. Elas reutilizam os sacos plásticos. Na primeira semana, só colocamos lixo na rua à espera do caminhão uma vez. Papel, plástico, metal e resto de cozinha tudo separado.
O resto de cozinha eu já não ponho na rua há mais de um mês. Estou compostando esse material. A minhoca que me passou na cabeça é que fazendo isso, é possível diminuir a passagem do camiho de cinco para três, duas ou, quem sabe uma vez por semana. Ainda choro porque não consegui que esse material fosse levado para um ponto de coleta e que fosse levado por uma cooperativa de catadores e que o meu produto fosse transformado em matéria prima. Por enquanto, o que está lá foraagrinha, vai ser levado para o mesmo local. Foz do Iguaçu paga R$ 2.5 ou 2,7 milhões mensalmente para a coleta delixo. Se reciclarmos, poderemos cortar este gasto pela metade? Em Foz material que não se recicla. Há um lugar onde vejo que há garrafas de cerveja jogadas há mais de 15 dias. O vidro dá trabalhao para reciclar. Mas cada quilo de vidro reciclado gera um quilo de vidro novo. Alguém compra vidro em Foz? Vou prcurar a resposta e depois conto para vocês. Outro produto complicado é a embalagem de tetra pac aquela do leite longa vida, sucos, todinho entre outros. Há uma site com uma lista decompradores em todo o Brasil. Na lista aparecem vários compradores do material em Foz do Iguaçu, Santa Terezinha de Itaipu entre outros municípios. Não fui conferir ainda. Porém a lista apresenta também endereços de PEVs ou Pontos de Entrega Voluntária. Esses fui conferir e "reporto" de primeira mão para você: não funcionam. Segundo a lista os PEVs de Foz estaraim nas lojas do Supermercado Muffato de Foz e no BIG. O gerente me explicou que deve haver um engano. O que eles fazem é facilitar o acesso do catador ao depósito em hora determinada e abrir mão do próprio estabecimento prensar o material e mandar para as centrais aproveitando o frete de volta. Insisti e o gerente disse: ".nâo há ponto de recebimento de embalagem em nossos mercados". Assim, avisarei o pessoal do site e continuarei procurado entender esse mundo. Falando de ponto de coleta, vi uma caixa para coleta de pilhas e baterias na loja Maxxi Aacados Walmart da Avenida República Argentina.  Finalizo dizendo duas coisas: tenho algumas lixeiras do modelo quadruplo caso você fique interessado ou interessada. Segundo a partir de 2014 muitas dessas coisas serão cobradas por lei. É melhor fazer antes! Abordei este tema antes na postagem Lixo Feio - Lixo Bonito. Contato imediato: limajac@gmail.com 

O protesto do Greenpeace no Ártico: Pirataria ou Heroismo?

Fonte deste mapa

Há muita especulação dos países do Norte quanto às oportunidades de negócios na exploraão de petróleo no Artico - esta região branca no mapa. Com a diminuição do gelo há uma verdedira corrida à região. O que s tripulação do navio do Greenpeace, Arctic Sun Rise foi fazer lá foi protestar e melhor ainda questionar a capacidade dos países - não só a Rússia manejar uma situação de derrame de óleo. É uma pergunta que pode ser feita a todos países. Recentemente, tivemos o caso do Golfo do México em 2010 e mais quatro em 2013, da Amazônia Equatoriana, da China e no Golfo da Tailândia. Assim acidentes acontecem. Estamos preparados? A mesma pergunta emos que fazer no Brasil no caso do pré-sal. Acidentes acontecem e muitos são desastres ambientais com perdas de billhoes de dóalres para a economia e para o Planeta. Abaixao a lista dos heróicos tripulantes que estão em custódia na Rússia. Todos os da listas foram acusados de pirataria.  Clique no mapa para ver onde fica Murmask. Procure uma região de Tríplice Fronteira onde Noruega  (Norway), Finlândia ( Finland) e Rússia se encontram. A suécia (Sweden) o quarto da região está próxima do local.     



Peter Willcox (EUA)
Paul D. Ruzycki (Canadá) 
Iain Rogers (Reino Unido)
Frank Hewetson (Reino Unido) 
Marco Weber (Suíça)
Gizhem Akhan (Turquia)
Miguel Hernan Perez Orzi (Argentina)
Francesco Pisanu (França)
Alexandre Paul (Canadá)
David John Haussmann (Nova Zelândia)
Cristian D'Alessandro (Itália)
Colin Russell (Austrália)
Andrey Allakhverdov (Rússia)
Denis Sinyakov (Rússia)
Jonathan Beauchamp (Nova Zelândia)
Anne Mie Roer Jensen (Dinamarca)
Alexandra Harris (Reino Unido)
Philip Ball (Reino Unido)
Camila Speziale (Argentina)
Faiza Oulahsen (Holanda)
Mannes Ubels (Holanda)
Tomasz Dziemianczuk (Polônia)
Anthony Perrett (UK)
Roman Dolgov (Rússia) 
Sini Saarela (Finlândia)
Dima Litvinov (Suécia / EUA)
Ana Paula Alminhana Maciel (Brasil)
Kieron Bryan (Reino Unido)

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails

Hora no Paraguai incluindo CDE

Hora Mundial: passe o mouse sobre o mapa para escolher região