terça-feira, 15 de maio de 2012

Visitando as Cataratas do Iguaçu: Lado Argentino

Os seis circuitos das Cataratas do Iguaçu pelo lado argentino

Antes uma “estorinha”: Quando cheguei em Foz do Iguaçu em 1977, fui trabalhar na Agência de Turismo do Hotel das Cataratas (Agência Tropical de Turismo). Passei por um pequeno treinamento onde eu acompanhava os hóspedes nas passarelas em frente ao hotel. Era o passeio Cataratas Brasileiras. Logo meu chefe me disse que eu iria acompanhar os guias mais velhos e deveria “fazer” as Cataratas Argentinas para aprender. Um dia, partimos para as Cataratas Argentinas. Seria também a primeira vez que eu iria à Argentina. Saímos do hotel, percorremos a BR-469 (Rodovia das Cataratas), passamos pela Vila Yolanda (um tradicional bairro de Foz e um dos primeiros loteamentos para a classe média (+ ou -) da época), pegamos a então poeirenta Avenida Geral Meira, até a beira do rio Iguaçu onde atravessamos o rio para a Argentina. Lá, fizemos pelo menos mais 40 quilômetros ate finalmente descermos para “fazer” as Cataratas Argentinas. Daí vejo o Hotel das Cataratas logo na minha frente. Pensei: não seria melhor dizer vamos ver as Cataratas pelo lado Argentino em vez de Cataratas Argentinas? Foi meu primeiro protesto, desde então nunca repeti "Cataratas Argentinas". 

O lado Argentino das Cataratas é bem mais extenso que o brasileiro. O passeio pode ser dividido em pelo menos quatro: passeio superior, passeio inferior, Ilha San Martín e Garganta do Diabo. Você pode fazer tudo isso em um dia. Mas vai correr muito e terminará o dia cansado e vai achar, depois de bolhas nos pés, queimadura do sol ou desidratação, que tudo foi uma loucura!

Uma visão panorâmica - Passeio Superior
Passeio superior – Como o nome sugere, no passeio superior você verá as Cataratas do Iguaçu pelo lado de cima. Você estará passando sobre os saltos. Em muitos lugares você verá a água passar sob o seus pés e mais à frente jogar-se no despenhadeiro, no abismo. Em certos locais, você verá algo como se fosse uma muralha de água, em forma de cortina, arquear até o horizonte no meio de uma vegetação verde escura, frondosa, ricas em plantas, alguns tipos de árvores e palmeiras. Se ligue nas palmeiras, elas são pindós ou jerivá; pindovy em guarani e são parte da mitologia guarani sobre as Cataratas. A caminhada não é muito extensa embora seja maior que a do Brasil e mais plana. Não lhe conto mais para não estragar a surpresa.

Passeio Inferior – Como se pode observar rapidamente, o leito rochoso (basáltico) sobre o qual a água do rio Iguaçu desliza é parecido a uma escada e tem pelo menos três degraus, plataformas. O passeio superior é feito no degrau de cima; o inferior vai lhe levar ao degrau do meio e ao último degrau, lê embaixo, que será na margem do rio. As Cataratas nesta segunda plataforma lhe proporcionará um contato mais íntimo com saltos como o “Arrechea”, “Dos Hermanas”, “Bosetti” e outros assim com nomes que têm histórias da comunidade. Você não precisa prosseguir até o nível do rio, se não quiser. Prosseguir até o nível do rio é somente para quem deseja fazer uma curta travessia de barco e ir visitar a Ilha de San Martín.  

 
 Ilha de San Martín - Este não é um passeio muito comum entre os brasileiros até porque os brasileiros não sabem desse passeio e da beleza diferente que pode ser vista do topo da ilha. Ou esta visão do nível do rio e a "prainha" da ilha. Já volto com mais sobre este passeio!  
Antiga Passarela à Garganta.
Foi destruida por cheia do rio Iguaçu

Garganta do Diabo - É o mais próximo que se pode chegar do maior salto das Cataratas do Iguaçu. É necessário pegar o Trem da Selva para se chegar até a Estação Garganta do Diabo de onde parte a longa passarela sobre o complexo Rio Iguaçu Superior que leva até o Salto Garganta do Diabo. Antigamente havia uma passarela que partia da área do Hotel das Cataratas (Sheraton) e permitia caminhar até a Garganta.  Nota: Um dos lemas da concessionária da Área Cataratas é: Um dia não basta. Quer dizer, não dá para ver tudo em um dia. Por isso há desconto para quem voltar às Cataratas em um segundo dia consecutivo. Há uma tarifa com desconto - se informe sobre ela
  



2 comentários:

Vivi Mota disse...

oi, adorei o post, mas tenho uma duvida... estando na Argentina, como faço pra chegar nas cataratas por conta própria, sem guia.. qual trajeto mais barato?

Jackson Lima disse...

Há ôninus que partem do Marco das Três Fronteiras, da Rodoviária e do Centro na avenida Victoria Aguirre que vai para as Cataratas a a cada 15 muinutos.

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails

Hora no Paraguai incluindo CDE

Hora Mundial: passe o mouse sobre o mapa para escolher região