sábado, 10 de outubro de 2009

Produção literária local - quer dizer aqui das Três Fronteiras





Os três livros acima (em japonês), contam a história da colonização japonesa no Alto Paraná, Paraguai. Isso mesmo, a colônia japonesa mais nova da região que envolve o Paraná é a Colonia Yguazu, localizada a menos de 50 quilômetros da Ponte Internacional da Amizade,fundada em 1960. A primeira vez que fui lá, em 1978 ou 79, a Colônia já era um exemplo. Havia educação garantida do primário até o segundo grau. Nada de analfabetismo. A criança japanesa e até algumas paragauais, aprendiam a ler ali nos seis anos do primário. Só para aprender a ler eram 51 letras katakana, as 51 letras hiragana e pelo menos 900 kanji. Daí começava o secundário. O diploma valia no Paraguai e no Japão.

Lá havia, ainda, uma espécie de Embraba nipo-paraguaia onde se fazia melhoramento de plantas e animais. Foi lá que vi (e corri do) maior exemplar bovino que possa haver na terra. Não teria sido um hipopótamo? Bem, depois disso, com a explosão econômica do Japão e a emigração em massa de japoneses (isseis), nisseis, sanseis e yonseis ameçados pela pobreza, a população da Colônia segurou um pouco. Mas, como as fotos mostram, o espírito da coisa está lá. O portão (tori) está ali na praça central de Colônia Yguazu que hoje é o município de teceira categoria segundo a classificação paraguaia de municípios. Hoje Colonia Yguazu é parte da Zona ou Região Metropolitana de CDE. O Japão ainda está muito presente nas Três fronteiras por causa desta colônia. Aí fica uma sugestão para quando você quiser ir a algum lugar não muito longe daqui. E se você for japonês ou descendente, leve dinheiro. Tem livros, tem loja, livraria, até restaurante simples. Conheça o site da Asociacion (Associação) Japonesa de Yguazu ou イグアス日本人会 (Iguasu NihonjinKai)

Nenhum comentário:

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails

Hora no Paraguai incluindo CDE

Hora Mundial: passe o mouse sobre o mapa para escolher região