quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010

Carta a Foz do Iguaçu: é quase só um bilhetinho!

Prezados iguaçuenses:

Esta carta se dirige a todos, autoridades, lideranças, acadêmicos, cidadãos, funcionários públicos e habitantes em geral especialmente os adolescentes e crianças. Ela pode interessar também a moradores de toda a região. Há poucos dias publiquei uma nota sobre 2015 e o Prazo para o fim das Lista de Exceção no Mercosul. Hoje reforço a urgência e trago à atenção de todos parte do editorial pubicado no jornal Vanguardia de CDE que aumenta minha preocupação. Ciudad del Este está ciente do problema e, diz o editorial, que 2015 verá o desemprego de 300 mil pessoas. Destaco esse pedaço do editorial:

"Ciudad del Este se enfrenta hoy a un axioma de hierro: o se reconvierte o ve morir en poco tiempo un sistema de comercio informal del que hoy dependen en forma directa unas 300.000 personas, y que además (além) aporta un gran flujo de dinero a la economía de todo el país.

La próxima vigencia del Arancel Externo Común*, que desde (a partir de) 2015 y 2016 entrará a regir en los países del Mercosur, impondrá un impuesto del 20% a todos los productos que ingresen desde afuera del bloque y hará que los muchos productos que hoy se venden masivamente en los comercios de CDE, a precios muy baratos para los llamados compradores sacoleiros, se equiparen con los de los demás mercados regionales y dejen de resultar atractivos.
"

A partir de primeiro de janeiro de 2016 o Paraguai vai cobrar um imposto de 20% sobre toda mercadoria importada de fora do Mercosul. Podemos nos perguntar, valerá a pena comprar em CDE se a aliquota a ser cobrada da China, Russia, EUA etc será a mesma no Brasil e no Paraguai, na Argentina e no Uruguai? Ciudad del Este está preocupada. Eu também. Minha preocupação se dá com a falta de atenção de Foz do Iguaçu com a dura realidade que vamos enfrentar. CDE fala há tempo da necessidade de "reconversão".

Nós deveríamos estar falando a mesma língua. Caso contrário, sem trabalho e emprego em Foz, sem chance de fazer um bico no Paraguai, qual será a saída econômica da vasta população de Foz do Iguaçu que hoje vive da informalidade na fronteira? Finalmente, o editorial foi escrito apesar de anteontem ter sido assinado um acordo para a abertura de uma fábrica de DVDs TDK em Ciudad del Este. A TDK é dos Estados Unidos. Obrigado e que Foz se desperte.
Jackson Lima
Blog de Foz

*Arancel Externo Común (AEC) é Tarifa Externa Comum (TEC)

2 comentários:

Fábio disse...

Mas veja só como são as coisas. Até ontem ninguém sabia de 2015. Hoje, já estamos o aceitando como algo natural e inquestionável, como se a região tivesse sido consultada, como se tivessem oferido alguma alternativa, alguma compensação.

Agora só nos cabe aceitar. Ué, não foi o Paraguai que questionou o Tratado e Itaipu (aliás, na minha opinião reclamações justíssimas)? Agora que reclamem desses acordos também.

Acho perigoso a gente espalhar essa coisa assim, simplesmente, comprando esses tratados, sem cobrar pesadas compensações e alternativas.

Mauro Bandeira disse...

Caro Jackson ,

Pelo visto vamos virar uma terra de " far west" ,como já foi a alguns anos atrás . Parece que a sina de Foz e região é passar por ciclos nem sempre muito virtuosos.
O que vai acontecer? A administraação aonde estourar o penino que vai ter que arcar , bem como a de 2023? fim da " contribuizãozinha" da BInacional? Aquela que ja´teve administrador que disse que não era relevante. Esta que não tem prestação de contas. È Jackson , vem ai a terra de malboro!!

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails

Hora no Paraguai incluindo CDE

Hora Mundial: passe o mouse sobre o mapa para escolher região