sexta-feira, 29 de abril de 2011

Fronteira, drogas e armas e muitas opiniões


No dia em que o governador do Paraná, José Richa, veio a Foz do Iguaçu com o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo e a secretaria nacional de Segurança Pública, Regina Mikki para lançar o primeiro Gabinete de Gestão Integrada da Fronteira do Brasil, a Folha de São Paulo revelou que até mototaxistas fazem delivery de armas na fronteira. Clique Aqui para ver a matéria tal como foi publicada em jornal da Paraíba. Vi o link no jornal ABC Color de Assunção. O repórter da Folha comprou a arma em CDE, pagou e recebeu o revolver em Foz. Operação perigosa para jornalista fazer. Penso sobre o que aconteceria, caso o motoboy tivesse sido pego. Teria o jornal deixado o motoboy pagar a conta sozinho? Zé Dirceu ou alguém de sua assessoria leu o material e se revoltou com a criminalidade. Daí postou a seguinte opinião em seu blog que foi retransmitida pelo Correio do Brasil:


"Verdadeira terra de ninguém, a região da chamada Tríplice Fronteira - Foz do Iguaçu (Brasil), Ciudad del Este (Paraguai) e Puerto Iguazu (Argentina) - é considerada a base do crime organizado na América do Sul. Sem fiscalização e repressão por parte das autoridades competentes esses episódios se repetem diariamente".


Como a foto ao lado mostra, A PF está equipada com lancha blindada tanto no rio Paraná à jusante da Barragem de Itaipu como acima dela no Lago Internacional ou Binacional de Itaipu. Essa preparação da polícia para enfrentar o crime nesse nível é nova. Dizer que as autoridades não fazem nada é injusto.
Hoje além da Polícia Federal, já começamos a ver Fuzileiros Navais da Marinha, Força Nacional e além da Polícia Militar do Paraná via esquadrões especiais navegando na região. Richa anunciou a criação de um batalhão da PM especial para os crimes de fronteira (armas e drogas) com 500 homens. 
Assim, o Blog de Foz lembra que é fácil falar sem estar vendo o que acontece. Por outro lado, a questão do crime é séria. Fontes de inteligência dão conta que em dez anos, Ciudad del Este pode ser uma narcocidade e se levamos em consideração a quantidade de crack e coca que está sendo apreendida na região, a profecia pode se cumprir. A situação é muito séria. Digo até que é triste. É surpreendente a quantidade de brasileiros levando em seus carros, crack e drogas para o resto do Brasil. 
É como se houvesse um desespero (da parte da oferta) para jogar a droga no Brasil e a imagem que me vem à cabeça é que, a cada minuto, há toneladas de droga aguardando para ser catapultada para o Brasil para suprir a demanda. A segunda foto menor mostra o governador do Paraná de colete à prova de bala, na barranca do rio Paraná se informando da situação. Por que os brasileiros estariam demandando tanta droga? (Todas as fotos da AEN - Agência Estadual de Notícias)

Um comentário:

Anônimo disse...

Aposto que se a equipe da Folha comprasse drogas e armas em Campinas e mandasse entregar de moto na sede da Folha em São Paulo, aconteceria a mesma coisa.

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails

Hora no Paraguai incluindo CDE

Hora Mundial: passe o mouse sobre o mapa para escolher região