terça-feira, 25 de março de 2014

Elas estão na direção - Foz faz história e lança primeira mulher motorista

Anotem aí nos registros do centenário de Foz: Aline de Morais é uma pioneira, a primeira motorista de ônibus do transporte coletivo de Foz do Iguaçu. "Em São Paulo não é novidade, tem muitas mulheres", disse Aline. Na imagem acima: Capa do caderno 2 d'A Gazeta do Iguaçu, deste 25 de março em matéria assinada por mim mas com o toque feminino na edição de Daniela Valiente. Valeu Dani! Abaixo a matéria na versão original e com mais fotos.  
Comando feminino pronto para começar um novo turmo:
em ponto de ônibus da República Argentina 

Os passageiros do ônibus que fazem a linha 1º de Maio ou Morumbi tiveram uma surpresa nesta quinta-feira, 20. A tripulação do ônibus, motorista e cobradora eram mulheres. No volante estava a paulista de Guarulhos, Aline de Morais, 29 anos, comandando ônibus “alongados” de 230 cavalos da empresa Gato Branco desde o último 10 de março, dois dias após a celebração do Mundial da Mulher. “Os passageiros acham estranho ver um ônibus comandado por mulher”, destacou a cobradora, Jaqueline Nunes, 23.   

A passageira Maria Araújo Oliveira gostou. “Finalmente uma mulher no volante”, e acrescentou elogiando a tranqüilidade da viagem, a maciez da condução e o cuidado com os passageiros. Os homens também gostaram. “A diferença é que ela dirige com mais segurança, passa na velocidade nas lombadas e não dá freiadas bruscas”, disse o passageiro Claudio Ferreira.

Nelson Quintino da Luz,
mostra tabela da economia:
direção econômica 
Para o instrutor de tráfego e encarregado operacional da empresa.
Nelson Quintino da Luz, esse cuidado com os passageiros é o que a empresa busca dos motoristas quer homem ou mulheres. “E ela demonstrou isso desde que começou o treinamento prático”, explicou. Segundo Quintino, a empresa examinou o currículo da candidata; uma avaliação foi feita e ela foi aprovada para dar início ao treinamento teórico e prático. “Eram seis pessoas e partimos para o treinamento”, contou.  

O currículo da candidata era bom. Incluía três anos de carteira assinada como motorista fazendo linhas como Haroldo Velozo, Guarulhos – Brás no centro de São Paulo, uma viagem de 65 quilômetros feita em uma hora e meia em uma direção. “Ida e volta, dava três horas”, explicou Aline. Ela deixou São Paulo e o emprego para vir para Foz do Iguaçu. Motivo da mudança: buscar uma cidade menor, menos agitada e uma melhor qualidade de vida. Segundo ela, pesou na escolha de Foz o fato da família do marido, também motorista de ônibus interestadual, ser de Foz do Iguaçu.

A mudança ocorreu há quatro anos e só agora Aline conseguiu fazer o que gosta e voltar colocar as mãos no volante de um ônibus. Antes disso, ela dirigiu vans escolares para duas empresas, foi operadora de caixa de um supermercado; de uma loja de instrumentos musicais e ficou em casa no aguardo de uma oportunidade.

Segundo Quintino o treinamento de Aline de Morais e mais cinco motoristas aconteceu na semana do carnaval. Na parte teórica, o destaque, segundo ele, foi para a condução econômica, condução defensiva e direção técnica.
“A empresa comprava seis mil litros de combustível por dia um pouco antes da gente implantar o sistema”, disse. Hoje, diz Quintino,o número caiu para 4.600 litros por dia, uma economia de 1.200 litros por dia; 
"Direção suave - respeito aos giros do motor
 e aos passageiros", destaca o chefe Quintino
Parte do que Aline teve que treinar foi tanto a direção econômica como a direção técnica ambas responsáveis pela economia. Isso significa que os motoristas devem dirigir respeitando a quantidade de giros do motor. “São mil a 1;700 giros para micros; mil a 1.800 giros para os ônibus Midi e mil a 1,750 para os ônibus grandes ou “alongados” no linguajar do setor.   

Na prática e no treinamento-teste, a primeira motorista de ônibus do transporte coletivo urbano de Foz do Iguaçu nos cem anos do município, fez tudo certo: respeitou os giros além da direção técnica que exige desaceleração do veículo, reduzindo marchas a pelo menos 70 metros de lombadas evitando jogar o passageiro para trás na subida, e para a frente na descida. “Instruímos aos motoristas a se colocarem no lugar do passageiro”, explicou Quintino.



Política – De acordo com Quintino uma das políticas da empresa é valorizar “pratas da casa”. “Não contratamos motorista novos, damos preferências e oportunidades para cobradores”. O caso de Aline foi especial porque “ela chegou pronta”, disse. Muitos dos motoristas atuais foram cobradores. “E agora com a Aline, queremos incentivar as cobradoras. “Já tínhamos um projeto de investir nas mulheres motoristas há algum tempo”, contou. Segundo ele ainda, há várias cobradoras interessadas e que já estão se esforçando. A cobradora Jaqueline Nunes é uma delas. Curta as fotos abaixo. Clique nas fotos para ampliar.

Aline e Jaqueline na entrevista na
Sala de Treinamento da Viação Gato Branco
Por causa da entrevista,ônibus passou
e foi para o ponto final no Portal da Foz.
Embarque em carro para chegar até o ônibus


Chegando para o trabalho às 12h40.
"Pegada" vai até as 19h

No comando e aguardando 
a hora da saída: 
faltam oito minutos


Na data, era a terceira vez que
Jaqueline trabalhava com Aline 




Entrando na Rua Bonito Lindo ...
Passageiros são bem recebidos





Nenhum comentário:

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails

Hora no Paraguai incluindo CDE

Hora Mundial: passe o mouse sobre o mapa para escolher região