terça-feira, 8 de outubro de 2019

Vamos desenterrar o prédio do Gresfi para que todo mundo veja


Surpreendentemente lindo!
'Pescoceando" sobre o muro Ainda dá para ver um DC-3 na pista
Tem gente que diz: o Gresfi deveria ser tombado e transformado em um museu. Isso é bom mas demora. Um dia ele será tombado e poderá abrigar um museu. O que eu vejo quando passo por ele é que o prédio do Gresfi já é um Museu a céu Aberto.  Eu passo na frente dele, estico o pescoço por cima do muro e ainda vejo um ou mais DC-3 estacionados. Dois DC-3 da Força Aérea Paraguaia na pista esperando o presidente Alfredo Stroessner e seu ministério que saíram do aeroporto de Foz e foram para beira do rio Paraná, atravessando-o, enfrentando o barranco no lado Paraguaio para colocar uma pedra fundamental, acima do Porto Miséria, para a construção da primeira cidade paraguaia do Leste do país. 


Um DC-3 do Transporte Aéreo Militar (PY) rumo a Foz
Foz ofereceu sua estrutura para o Paraguai fundar a cidade. E ainda olhando por cima daquele muro alto ainda vejo os passageiros descendo do avião, circulando no pátio, embarcando em tintureiras e outros veículos para irem ao hotel Cassino lá por volta de 1955, por exemplo. Os aviões faziam manobras, os DC-3, fazendo sua rodinha de rabeira, tocar com velocidade o lugar onde hoje vejo o canteiro central da Avenida JK. É um museu a céu aberto este prédio. 
O problema do Gresfi é a invisibilidade. Quem passa pela JK, não o vê

E qual é o problema do Gresfi? Enquanto não é tombado, enquanto ninguém conversa sobre isso nos níveis certos envolvendo o Clube, o Batalhão, a Brigada em Cascavel e em Curitiba, elevando o assunto ao Exército em Brasília, junto com o IPHAN intermediado pela Fundação Cultural entre outras ações, o que se pode fazer é usar o prédio. Eu estou morrendo de alegria de ver a Feira do Livro, deste mês sendo realizada neste prédio histórico desenhado pelo gênio de Ãngelo Murgel. É uma maravilha. 
 
Esforço para esconder a joia arquitetônica de Ângelo Murgel

Bem depois disso ou antes disso, o que tem de se fazer urgentemente é "des-esconder o Gresfi". Hoje o Gresfi está escondido por trás do muro que é mais alto do que eu. No momento o que o Gresfi precisa é de visibilidade para que quem passe na Avenida JK veja o edifício. O Muro pode ser rebaixado e receber uma grade ou algum outro projeto  que os profissionais possam apresentar. Visibilidade para o Gresfi! 

Detalhe da JK para quem está na Rua da Guiana em frente ao Sebrae
Bem-vindo: Gresfi fazendo sua parte

 Clube Gresfi, um Patrimônio
O Grêmio Esportivo Foz do Iguaçu é histórico. Quantos bailes de carnaval foram realizados no antigo edifício de embarque e desembarque de passageiros do antigo Aeroporto? Quantas festas de aniversário? Quantos cursos? 
Tem até uma pracinha charmosa no pátio do clube
Para pensar na cama: 

“Um  bem  é  considerado  de  excepcional  valor  para  fins  de  tombamento  quando,  por  suas características, representa um período histórico, arquitetônico ou de costume (vida, hábitos, modo  de  morar  da  cidade),  conferindo  identidade  cultural  a  um  grupo  social  (nacional, regional ou municipal)”. *
Sede do Parque Nacional de Itatiaia irmão do GRESFI e do Hotel das Cataratas   

Vejamos o que é este prédio:


Aeroporto do Parque Nacional do Iguassú
Período arquitetônico: arquitetura neocolonial rural nacionalista, getulista anos 1930.

Arquiteto, expositor maior dessa arquitetura: Ângelo Murgel

Outras obras irmãs em Foz do mesmo arquiteto: Administração do Parque Nacional do Iguaçu, Casa do Chefe do Parque Nacional do Iguaçu, Hotel das Cataratas, outras casas no Parque Nacional (O Gresfi não é órfão)

Outra obra do estilo no Brasil: Sede do Parque Nacional de Itatiaia
História: primeiro aeroporto de Foz, primeiros voos do turismo para Foz.

Responda rapidinho? 
Olhando para este prédio, você consegue imaginar como era a vida na época em que as pessoas vinham esperar um avião nesse Aeroporto? Consegue ver que muitos vinham de cavalo e charretes? Dá para sentir o cheiro da poeira do barro vermelho, e o peso dos sapatos grossos de barro das ruas que ainda não tinham asfalto? Você acha que esse antigo estilo de morar na cidade confere alguma identidade para o povo de Foz? Você teve experiência parecida?

___


*Secretaria Extraordinária de Promoção, Defesa, Desenvolvimento e Revitalização do Patrimônio e da Memória Histórico Cultural da Cidade do Rio de Janeiro8 (SEDREPAHC, 2007)

Nenhum comentário: