segunda-feira, 11 de agosto de 2014

Deus criou a água e nós criamos a escassez dela


Uma nascente do rio Boici (Mboicy)  na Rua Martim Pescador esquina com   Sabiá


Segundo informações da ANA - Agência Nacional da Água a Estação de Tratamento de Água (ETA)  da Vila C, que retira água do Lago de Itaipu é responsável  por 66% do abastecimento de água de Foz do Iguaçu. Os outros 34% vem da ETA Tamanduá. O cenário para 2015 no caso da ETA Vila C é que será necessário aumentar a capacidade dele para suprir a demanda. Já no caso da ETA Tamanduá, a situação é descrita como "requer novo manancial"

Outra nascente do Boici (Mboicy) na continuação da Rua Pica-pau no Portal da Foz
As nascentes continuam brotando da terra. As nascentes do Boici em Foz continuam jorrando, arrastando-se por algumas centenas de metros, virando rio e logo começam a receber a única coisa que a comunidade, a sociedade, a humanidade, a cidade conseguem oferecer: esgotos, lixo e negação. Você sabia que apesar de tantas nascentes nascendo 24 por horas por dia, decretamos que a há escassez de água. Você sabia que apesar de tanta água na superfície, 292 municípios do Paraná são abastecidos por 872 poços. 

O Boici no Centro - sem espaço
Exemplos de cidades abastecidas por água de poços citados em uma reportagem de 2009 está Santo Antonio da Platina, onde  40 mil habitantes, 100% da cidade é atendida com água do Aquífero Guarani. Em Toledo, cerca de 70% da população urbana, estimada em 100 mil habitantes, é abastecida com água do Aquífero Serra Geral. O mesmo acontece com Cascavel onde 35% dos habitantes são "beneficiados" com água de poço do aquífero. 

Segundo fontes da Sanepar, em  2008 foram extraídos dos aquíferos e distribuídos à população 120.441.555 m³ (metros cúbicos) de água. Volume corresponde a mais de 120 bilhões de litros. O presidente da Sanepar, Stênio Jacob disse, na época, que “cerca de 20% dos nossos usuários recebem esta água, de melhor qualidade e de menor custo operacional”.  Na realidade - palavras minhas, é mais cômodo. 

Boici, cada vez menos espaço
(Clique nas fotos para ampliar)
O diretor de investimentos da Sanepar, Heitor Wallace disse que "a água que extraímos dos aquíferos e distribuímos na casa de nossos clientes possui as mesmas características das águas minerais envasadas”.  explica o diretor de Investimentos da Sanepar, Heitor Wallace de Mello. Na reportagem em questão, o gerente de hidrogeologia da Sanepar, João Horácio Pereira enfatiza que “a extração de águas subterrâneas apresenta vantagens ambientais relevantes. No processo de tratamento, a água superficial – extraída de rios ou de barragens - gera resíduo, conhecido por lodo de ETA (Estação de Tratamento de Água). 

Um Boici dominado por tubos 
Este lodo pode criar passivo ambiental. Com a água subterrânea este risco não existe”. De novo, destaco o fator leviano da comodidade. É cômodo. Fechando a nota, o resumo é: dos 399 municípios do Paraná, a Sanepar opera 344, destes 170 (49%), são abastecidos exclusivamente com água subterrânea. Outros 122 municípios (35%), são abastecidos por sistema misto (água subterrânea e água de captação superficial) e 52 municípios são abastecidos exclusivamente com água captada diretamente nos rios ou em barragens. O pior é que boa parte dessa água grátis que sai dos aquíferos com qualidade de água mineral vai lavar carros, calçadas e servirá para dar descargas em banheiros e voltarão aos rios como esgotos.  


Nenhum comentário:

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails

Hora no Paraguai incluindo CDE

Hora Mundial: passe o mouse sobre o mapa para escolher região