sexta-feira, 19 de fevereiro de 2016

Recadastramento biométrico: já fiz



Fui ao Fórum Eleitoral e fiz o recadastramento biométrico. Eu não sabia que o título anterior é recolhido. É. Meu antigo título ficou e saí do cartório com um  novinho em folha. No canto superior direito dele está escrito: identificação biométrica. As impressões digitais de todos os dedos são tiradas. Dez dedos. Se Foz do Iguaçu tem 170 mil eleitores e se cada eleitor cadastra dez dedos, estamos falando de 1.700.000 dedos?
Tudo vai para o "sistema" junto com a foto do eleitor tirada por uma câmara Canon pequena e profissional. É muito dinheiro para fazer decolar o sistema. Não sei se você sabe, eu sou mesário. É a única coisa pública que faço e com orgulho.  Enganar esse sistema é difícil se não impossível. Já é difícil na urna eletrônica comum onde o mesário digita o número do título e lá aparece o nome do eleitor e onde o resultado de cada seção sai assim que o relógio bate 17h.

Uma das perguntas feitas no cadastro e cuja resposta é anotada é: tem irmão ou irmã gêmeo ou gêmea?

Não fui só. Meu filho que vai fazer 16 anos, foi cadastrado biometricamente e saiu de lá com o primeiro título dele. Este é um eleitor biometricamente registrado. A comprovação da residência é complicada. Como fomos em família, pai, mãe, filhos eleitores e filha ainda longe da idade, levamos o mesmo comprovante mas tendo a necessidade de provar que é família. Como? Com identidade de todo mundo onde aparecem a nossa brasileiríssima “filiação”. Interessante que no controle do título a filiação é feita pelo nome da mãe.


Estou contente e feliz com o sistema de urnas eletrônicas e orgulhoso de poder saber que é seguro. Por isso aproveito para defender meu difícil e caro voto e de mão de obra intensiva que inclui a coleta de digitais de cada dedo do cidadão totalizando bilhões de dedos no Brasil. Valorizo meu voto.
             


A aliança
que você
não pode perder
Nota: a imagem da digital acima não é do meu dedo. É uma ilustração aleatória à  dou crédito aos joalheiros americanos Larson Jewels (LJ) de Long Beach, Califórnia. Os joalheiros vendem uma aliança de ouro decorada com a impressão digital dos noivos.Se você está pensando em casar, fazer votos ou renová-los e não tem medo de usar um artefato com a sua digital você pode acessar este site, baixar a ficha de pedido e seguir as instruções. O resultado será ter uma aliança que ninguém mais no Brasil tem.
 

Nenhum comentário:

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails

Hora no Paraguai incluindo CDE

Hora Mundial: passe o mouse sobre o mapa para escolher região